Rótulo: Fascista

24
127

Última atualização: 22 de dezembro de 2012 – [Índice de Rótulos] [Página Principal]

Essa rotulagem é executada por esquerdistas (geralmente os da extrema-esquerda marxista) quando estão perdendo o debate. Ou seja, quase sempre.

Basicamente, é uma técnica de xingamento, que visa chamar todo adepto do pensamento de direita de fascista. Em termos técnicos, é o estratagema erístico do rótulo odioso.

Os esquerdistas sabem que o rótulo “fascista” possui uma conotação pejorativa, com toda justiça. E a partir disso tentam tirar o seu adversário do debate rotulando-o de fascista.

Entretanto, se prestarmos uma atenção mais detalhada, veremos que podemos transformar esse estratagema em um pesadelo para os esquerdistas.

Isso por que as principais características do fascismo estão mais associadas à esquerda do que propriamente à direita.

A principal dessas características era a idéia de que o estado ser maior do que a soma de seus indivíduos, noção inspirada em Rousseau, obviamente. Quer algo mais esquerdista que isso?

Ora, se o conservador de direita é contra o estado inchado e NÃO CONFIA no estado, logo de cara um dos pilares do fascismo é rejeitado.

Isso significa que eu, por ser conservador, defendo uma idéia (estado enxuto) que, se implementada, inviabiliza o fascismo por completo. Já o esquerdista defende uma idéia oposta (estado inchado) que é a essência do fascismo.

Ademais, o fascismo é baseado no totalitarismo, exercido pelo estado. Novamente, algo que se torna inviável pelas idéias conservadoras, mas totalmente possível por causa das idéias esquerdistas.

Entretanto, justiça seja feita: por rejeitar em vários aspectos algumas idéias de esquerda vigentes na época, talvez para ser uma “via alternativa”, não podemos definir o fascismo como esquerdismo 100% puro.

Mas igualmente não podemos definir o fascismo como um movimento de direita.

O mais correto é defini-lo como um movimento “fora da curva”, surgido em um perído de crise política, inspirado nos padrões de atuação de esquerda, mas com alguns pequenos pontos de diferenciação para dar uma falsa idéia de “visão alternativa”.

Portanto, o esquerdista está muito mais próximo do fascismo do que qualquer conservador.

O grande problema é que esquerdistas se acostumaram a usar esse rótulo em quantidade considerável, quase como um mantra, e ainda temos uma cultura de pouco revide à eles.

Devíamos mostrar, a cada vez que um deles vier com esse xingamento, a impossibilidade de um conservador ser aderente ao fascismo.

Em seguida, vale até a pena retrucar com um xingamento do tipo: “Fascista é você, seu filho da puta!”

Já fiz isso algumas vezes e dá para notar que eles são conscientes de que mexeram em vespeiro, pois basta estudarmos a definição do que é fascismo para saber que podemos dar tapas com luvas de pelica na cara deles a cada vez que tentarem usar o termo contra nós.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. Uma dúvida que eu sempre tive, pq o fascismo e o nazismo são identificados como extrema-direita se ele parecem mais com a esquerda do que direita

    • Simples. Porque na II Guerra, nazismoe e fascismo estavam do outro lado do front de batalha que o comunismo. A associação, extremamente simplista, é considerar que, se o comunismo representa a esquerda, seus oponentes seriam a direita.

      Quando se toma o tempo para explicar a um esquerdista (que esteja disposto a ouvir) o que realmente significa o conservadorismo, ele fica completamente desarmado, pois todos os seus ataques de praxe miram em um espantalho, uma idealização do “direitista” que só existe na cabeça dele.

      • E além do mais, os esquerdistas “esquecem” que no início da segunda guerra, a URSS e a Alemanha eram aliadas; se uniram para invadir e saquear a Polônia. Por “coincidência”, Marx dizia, anos antes, que a Polônia não tinha razão para existir. Hitler e Stalin executaram a ordem do mestre Marx.
        E a ruptura entre a URSS e a Alemanha só ocorreu porque Hitler nunca desejou se aliar à URSS; Na verdade, HItler queria mesmo era se apoderar dela e por isso a atacou traiçoeiramente.

      • Não é Verdade o Próprio Mussolini Disse Que o Fascismo é de Extrema-Direita Mas Hoje Nenhum Historiador ou Pessoa Sensata Considera Ele Mais De Extrema-Direita,Mas Existem Alguns Pontos Que o Fascismo Segue Que São De Extrema-Direita,Como o Corporativismo Estatal o Unipartidárismo, Militarismo,Veneração De Personalidade,Enfim,Você Deve Lembrar Do Ditado ”os Opostos Se Atraem”, Não é?,Bem,Isso Faz Todo Sentido!,os Pontos De Extrema-Direita Que Citei,Se assimilam Mais Com a Esquerda Do Que Com a Direita,Então o NaziFascismo Está Mais Perto Da Extrema-Esquerda Do Que Com a Centro-direita

    • “É a tua mãe na estrada, seu pedaço de estrume!”
      E outras xingadas high-level!
      Aliás, esta de ‘tu és fascista’ é um truque meramente psicológico. Retoricamente, tem um efeito devastador contra os incautos. Contra os incautos!

  2. E é claro meta nele , um bom processo : imputação de crime e injúria. Num instante ele deixará de ser vermelho para ficar branco de medo 😛

  3. Ora, o próprio Mussolini disse que “o Estado fascista não quer absorver as inúmeras, várias, complexas manifestações da vida econômica de um povo, porque não quer se converter em um obeso ou um paralítico, como sucede ao bolchevismo”, além de existirem dentro do Estado fascista empresas privadas e parcerias público-privadas. Logo o Estado fascista não era inchado, nem mesmo nos países que “o reproduziram”.

    • Esse é o terrível problema do completo desapego à linguagem.

      Quer dizer, se um sujeito defende que as pessoas devem pesar 400 Kg, e outro defende que deve pegar 350 Kg, então este último cultua a “magreza”.

      Aliás, vc prestou atenção no que você escreveu?

      “além de existirem dentro do Estado fascista empresas privadas e parcerias público-privadas.”

      Estado enxuto, para a direita, não é um estado que “permite empresas privadas e parcerias público-privadas”, mas sim um estado que RENEGA a interferência do estado em atividades que deveriam ser da iniciativa privada.

      Essa definição que você colocou não é de direita, mas de um esquerdismo RADICAL, mas não tão RADICAL quanto o bolchevismo. Só isso.

      E a própria declaração que você colocou do Mussolini ferra tudo de vez: “o Estado fascista não quer absorver as inúmeras, várias, complexas manifestações da vida econômica de um povo”.

      Se fosse de direita, ele teria dito que o “O Estado fascista NÃO SE ENVOLVERÁ na atividade econômica de um povo” e não que “não se envolverá EM TODAS atividades econômicas de um povo”?

      Entendeu a diferença?

      Tudo, é claro, pura questão de prestar atenção na linguagem.

      Um sujeito que CULTUA o estado, mas não tanto quanto os bolcheviques (que davam o nome de ditadura do proletariado) não pode ser de direita, na mesma medida que um sujeito que vai 1 vez por mês na Igreja (em comparação com o que vai toda a semana) não pode ser ateu.

      Há definições claras para ateísmo, direitismo, etc…

      E todas as declarações que você mostrou mostram que o fascismo não só é de esquerda, mas também de TOTAL OPOSIÇÃO à filosofia de direita.

      Abs,

      LH

      • Meu amigo, não quis dizer que o fascismo é de direita. O fascismo não se encaixa nem em um nem no outro, por isso Mussolini o definia como a Terceira Posição.

      • haoiahoahoa…

        Terceira via né? Me engana que eu gosto…

        Lei do fascismo: “”Não há indivíduos fora do Estado, nem grupos (partidos políticos, associações, sindicatos, classes)”.

        Essa idéia de “não sou de direita, nem de esquerda”, não existe.

        Abs,

        LH

      • Eu falo que é só botar pressão que a esquerda espana…

        Essa tua confissão valeu o dia.

        É verdade, esquerdistas acham a direita uma “ofensa”. Quando mais se ofenderem, melhor. Estou aqui para ofender tanto marxistas, como adeptos do welfare state, do nazismo, do fascismo…

        Cultuou estado, vai ter que sofrer troça por aqui. rs.

        Abs,

        LH

      • Poderia dizer o mesmo quanto a esquerda se você a tivesse citado, mas acho que você me chamaria de esquerdista mesmo assim. rs

      • Eu gostaria de ver o argumento para alguém dizer que uma opção sobre questões públicas pode existir sem ser de “esquerda ou direita”. rs. Vários cientistas, de ambos os lados (Steven Pinker, Jonathan Haidt, George Lakoff) já estudaram a questão e mostraram essa inviabilidade (a não ser o bi-conceptualismo, onde alguém é de direita em umas questões, e de esquerda em outras, mas mesmo assim há uma posição), e os sujeitos surgem com uma idéia inovadora onde, em uma questão (que é um dilema, portanto não admite meio-termo) é possível fugir dos dilemas. rs.

        Realmente o truque de “não sou de direita nem de esquerda em questões políticas” é muito engraçado. 😉

      • engraçadão vc, todo mundo que vem com essa estórinha de “nem direita e nem esquerda” puxa pra esquerda, porque será?!

        sabe porque eu me considero de direita? porque a direita foi inventada pela esquerda na europa pra quem era individualista e não seguia o sistema politico dos illuministas! esse é o motivo de eu me considerar direitista, não seguir o padrão politicamente correto da sociedade atual!

        mais cedo ou mais tarde eu serei tachado de “reacionário” por alguma feminazi ou viadinho de esquina, por isso eu já puxo pro lado dos direitistas mesmo, não fico de frescura de “não sou de direita mas também não sou de esquerda” porque isso é idiotice diante dessa guerra ideológica atual.

Deixe uma resposta