Qual a “dívida histórica” que existe da nossa sociedade para com os negros?

8
110

 

Cheguei à esse vídeo por causa da comunidade de ódio ao Olavo de Carvalho. (Eles chamam de “Olavo de Carvalho nos odeia”)

Motivo pelo qual eu prestei atenção ao vídeo? É que eles odiaram tanto, mas tanto, que é claro que o conteúdo devia ter algo que incomodasse aos esquerdistas. E se algo os incomoda, obviamente é interessante para os objetivos deste blog.

O responsável pelo vídeo é Leonardo Bruno, do blog do Conde Loppeux de la Villanueva.

O que vemos, no curso dos 18 minutos do vídeo, é uma série de argumentos demolidores em relação ao chamado “movimento negro”.

Recomendadíssimo!

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Cara, esquerdistas e neo-ateus ODEIAM até o fundo da alma o Leonardo Bruno, nos ultimos meses levantaram calunias de que ele era racista e odiava negros, sabe como? Pegando um antigo artigo dele em que ele falava que o sistema de cotas para cor de pele é que evidenciavam racismo.

    O que me deixou pasmo, NENHUM neo-ateu, NENHUM esquerdista, NENHUM qualquer mente-fraca lei o o artigo, apenas seguiam o protesto feito papagaios, uns dos outros e ainda por cima colavam o mesmo artigo que não fazia nada alem de contrariar as acusações deles e com isso convencerem outros muitos idiotas uteis de que o Leonardo era racista.

    Inclusive me diverti quebrando vários desses retardados no meio, apenas mandando eles lerem o artigo ,ficavam mudinhos depois hehe, bom deixando minha nostalgia de lado, vale informar que essas calunias foram produzidas por um grupo de marmanjos neo-ateus que mentalmente não sairam da adolescência, chamados “lenternas verdes”, grupo formado até por professores ateus e que trazem seus alunos doutrinados para um meio de ódio puro contra Deus, religiões e pessoas que discordem deles, esse grupo foi autor de vários ataques de vandalismo em videos religiosos ou conservadores no youtube, inclusive usando de ataque psicológico massivo contra esses autores, entre eles o Leonardo bruno, claro… Chegaram ao ponto de denunciar o blog dele em massa, o qual ficou fora do ar por muitos dias, veja os artigos dele que falam sobre:

    http://cavaleiroconde.blogspot.com/2011/10/quando-os-ateus-militantes-irao-se_12.html

    http://cavaleiroconde.blogspot.com/2011/10/censuras-virtuais.html

  2. O mais grotesco é que, para criar falsas clivagens em seu afã sectarista, o tal do movimento negro acaba recauchutando as piores aberrações ideológicas e pseudocientíficas a fim de engrossar suas hostes.

    Um exemplo: Em 1916, o eugenista Madison Grant, do Museu Americano de História Natural, postulava: “O cruzamento entre um branco e um índio faz um índio, entre um branco e um negro faz um negro, entre um branco e um hindu faz um hindu, entre qualquer raça européia e um judeu faz um judeu”.

    Ou seja, qualquer vestígio de ascendência negra para o proto-nazista do início do século XX era como uma gota, uma colher ou até meio copo de água de esgoto a inutilizar um copo de água potável (o branco europeu).

    Agora, para os reacionários racionalistas, esse mesmo traço de ascendência (desde que visível, é lógico) tornou-se o selo sagrado do coitadismo.

  3. e estranho que muitos direitistas se incomodem com comunidades que critiquem seus ídolos a ponto de criar uma comunidade resposta,eu já vi comunidades com os títulos ”Eu não suporto o Leonardo Boff” ou ”Mino Carta não bate bem” sem que houvesse uma resposta por parte dos esquerdistas.

    • O que é mais estranho é que uma mera resposta aos esquerdista incomoda-os. 🙂

      Ou seja, querem fazer uma comunidade de ódio ao Olavo, mas se acontece uma resposta fazem drama. Que medo é esse de serem contestados?

  4. Bom vídeo, mas tem dois argumentos dele aí que não sei se colam.

    Argumento 1: a sociedade atual não tem responsabilidade pela escravidão porque ela foi cometida pela sociedade do passado.

    “A sociedade” é uma só, não sei se faz sentido falar que “foram outros (“nós do passado”) que fizeram” ou “as elites negras da áfrica que vendiam pros holandeses”. Mas, principalmente, o fato de não ter causado alguma coisa NÃO impede ninguém de, podendo, remediá-la. Ou se alguém for atropelado não vamos ajudar porque “quem causou a situação de dano foi outra pessoa”? A omissão é culpável também.

    Argumento 2: os credores de tal dívida já morreram.

    Os escravos foram soltos sem qualquer estrutura. Os filhos deles, obviamente, também sofreram com essa falta de estrutura, os netos deles (de 1888 pra cá, a “3º descendência seria a atual geração), idem. Pelas estatísticas que vi, há predominância de negros nas camadas mais pobres e com pouco estudo. Será que é coincidência? Ou talvez eles sejam mais preguiçosos, quem sabe?

    Mas no resto eu concordo. Não tem que ter cota nenhuma, e sim boa educação pra todos, desde o começo. E que, mesmo se as cotas forem necessárias pra remediar os que sofrem com a educação de má qualidade atualmente, deveriam ser cotas para pobres ou pra quem, efetivamente, sofreu com a defasagem escolar; o problema deles é esse, e não serem pretos.

    • Argumento 1: a sociedade atual não tem responsabilidade pela escravidão porque ela foi cometida pela sociedade do passado.

      “A sociedade” é uma só, não sei se faz sentido falar que “foram outros (“nós do passado”) que fizeram” ou “as elites negras da áfrica que vendiam pros holandeses”. Mas, principalmente, o fato de não ter causado alguma coisa NÃO impede ninguém de, podendo, remediá-la. Ou se alguém for atropelado não vamos ajudar porque “quem causou a situação de dano foi outra pessoa”? A omissão é culpável também.

      Não sei se dá pra dizer que a sociedade é uma só. Obviamente a merda que eles fizeram lá repercute hoje em dia, mas não devemos agir como se a culpa fosse nossa – porque não é. Podemos sim ajudar – e como você disse, cotas para quem sofreu defasagem escolar. Existem negros ricos e bem estudados, eles não deveriam se beneficiar – enquanto há brancos que não são bem-nascidos nem bem-estudados.

      Mas isto não é uma dívida.

Deixe uma resposta