Aprender com o oponente é uma arte OU Como usar as dicas de um neo ateu para vencê-los

7
81

 

Tudo bem que o neo ateu Yuri é prolixo (ele mesmo reconhece isso) e fala como se tivesse problema com gases. Ademais, é fanático até a medula.

O importante é que a mensagem do vídeo acima serve tanto para neo ateus como para religiosos, tanto para esquerdistas quanto conservadores.

Ele simplesmente defende o direito à ridicularização do outro, e é isso que também tenho proposto nesse blog. Como disse Douglas Adams: “ninguém tem o direito de não ser insultado”.

Note que isso vale também para o relacionamento homossexual. Ora, se ninguém tem o direito de não ter suas crenças insultadas, por que os homossexuais ficariam livres de serem ridicularizados? (Para alguém ser homossexual, é preciso acreditar em uma validade deste tipo de relacionamento como algo útil)

Como humanista, Yuri tem crenças que só seriam aceitáveis a adolescentes de 13 anos ou pessoas com retardo: a crença de que com a “ciência” o ser humano construirá um mundo próspero, sem gregarismos e sem opressão – tudo, é claro, por causa do fim da religião.

É claro que se não rirmos na cara dele por causa dessa crença tonta (e perigosa), ele vai se dar bem, pois se as crenças dos religiosos não são tão ridicularizáveis, mesmo assim ele vai ridicularizá-las.

Isso nos leva a seguinte conclusão: ganha o jogo quem ridicularizar mais o outro lado por causa das crenças e comportamentos que aqueles do outro lado porventura possuam.

E antes que venha a choradeira já aviso: isso não vale para as questões raciais, pois toda ridicularização racial é um ataque À PESSOA, assim como questões sexistas, pois toda ridicularização sexual é um ataque à PESSOA. Ninguém escolher ser homem ou mulher, assim como ninguém escolhe sua cor. Mas crenças e comportamentos, por outro lado, são passíveis de ridicularização.

O problema no caso não é o fato de Yuri ridicularizar os religiosos, mas sim os religiosos não o ridicularizarem em retorno.

As regras são claras:

  • Quem ridiculariza mais as crenças do outro lado, vence
  • Quem ficar ofendidinho com a ridicularização, ao invés de ridicularizar o outro ainda mais, perde – fica parecendo aquele menininho chorando pela mamãe ao invés de bater em quem tentou agredí-lo (meu pai ensinou, inclusive, que se eu apanhasse na escola, apanharia de novo em casa)
  • Ninguém tem o direito de não ser ofendido caso suas crenças sejam ridicularizadas (by Douglas Adams)

O não aceite desses 3 princípios é como escolher perder a contenda.

Yuri, obrigado pelas dicas.

Anúncios

7 COMMENTS

    • Sei que a primeira vista pode parecer uma notícia enviesada, mas infelizmente nenhum dos desgraçados da grande midia vão noticiar isso, e a única forma de sabermos o que está acontecendo com os cristãos hoje, é praticamente só através de sites e blogs religiosos e conservadores.

    • Jordan,

      Farei um texto sobre isso, muito bem lembrado.

      Agora, este texto terá puxão de orelha forte nos religiosos.

      Primeiro por que não estão defendendo ela.

      Segundo, por causa dela mesmo, que aceita uma acusação de homofobia e não mete processo de denunciação caluniosa.

      É aquilo que tenho dito: o ato de cumplicidade/conivência vai ter um preço um dia.

      Abs,

      LH

  1. Eu acredito que uma ridicularização realmente válida é a humilhação intelectual, ex: http://www.youtube.com/watch?v=81qeufYWtvY

    Por que levando em conta esse yuri grecco, ele, sua corja e massas de manobra (adolescentes e marmanjos doutrinados para serem imorais), se organizam de forma covarde, em massa para vandalizar e deletar da internet (através do uso de recursos como “sinalizar como impróprio”) qualquer respostas intelectuais que eles recebem (e nunca conseguem responder), inclusive esses criminosos fizeram isso com outro ateu descrito no video acima chamado bluezão…

    Fora isso, eu mesmo testemunhei que o infeliz a um tempo atrás estava recrutando “indiretamente” alguns “hackers” da corja dele para acrescentar a notoriedade dos proprios videos (e ganhar dinheiro), e diminuir e até deletar videos dos que o combatiam, falando para os seus que não se importava se alguns do meio dele estavam cometendo crimes pois “eu nao me responsabilizo pela ação de outros, que façam o que querem” (cara-de-pau) chagando ao ponto que ficou com tanto medo do youtube deletar a própria conta que criou outro canal com uma desculpa esfarrapada de que estava dando “um tempo no antigo e iria usá-lo só para divulgação”….

    • Bem lembrado, Igor. Aliás, uma boa é processar o Youtube caso ocorra este tipo de protesto – a parte 2 deste video foi CORTADA do YT por conter ‘apologia ao ódio’!

      • Eu vou até falar com o Jayson do canal casandooverbo – e é advogado- se tem como ele entrar em contado com o júnior e processar o youtube, por que está demais…

        Vale lembrar que o google brasil tem administradores beeem tendenciosos…

Deixe uma resposta