Pastor Marco Feliciano é xingado de “imbecil e estúpido” por ateus ao dizer que “o Brasil é um país laico, mas não ateu”

10
86

Fonte: Notícias Gospel

O pastor Marco Feliciano iniciou campanha no Twitter para divulgar uma frase que simbolize a necessidade de respeito aos princípios cristãos que ele e outras lideranças eclesiásticas e políticas defendem: “O Brasil é um país laico, mas não ateu. Cremos em Deus”.

O pastor iniciou suas publicações falando sobre a reunião com o ministro Gilberto Carvalho, para esclarecer o discurso feito por ele durante o Fórum Social Mundial, que seria preciso estabelecer uma batalha ideológica com os evangélicos: “Reunião com o ministro Gilberto Carvalho, que… melhor não comentar. Depois uma batalha com pseudo-intelectuais não cristãos, mereço dormir. Tanta idiotice, palavrões, ofensas, pessoas parecendo bestas feras, perseguição religiosa. Termino esse dia convicto de que preciso continuar!”.

Porém, antes de ir dormir, o pastor e deputado Marco Feliciano descreveu os ataques que tem recebido, por sua postura de defender seus princípios:

“Rogo, clamo e imploro a oração dos cristãos. Sei que minha luta não é contra carne e sangue, e sim contra um mal invisível porém atuante. Nos tempos (bíblicos) o Profeta era a consciência política do reino. O poder fazia homens pensarem ser Deus, e ele denunciava, por isso era odiado! Vejo em cada foto dos que me ofendem aqui, pessoas que se escondem de si mesmas, que usam essa linha virtual pra vomitarem sua frustração interior. Cada um que fica irado com as palavras Cristo, cristão, fé, Deus, igreja, são seres dignos de nossa oração. Filhos afastados do colo do Pai! Oremos pra que se reencontrem com ELE, afinal deve ser horrível ser escravos de pensamentos hostis e precisar verbalizar o ódio para serem notados. Só sinto falta de uma militância cristã mais assídua aqui no Twitter. Quando verem um de nós ser hostilizado massivamente, não podem se calar. Com inteligência e Educação para cada ataque, no mínimo, 5 defesas com equilíbrio! Temos povo pra isso. Precisamos lutar lado a lado. Só assim seremos respeitados. Lembrando que eu, Malafaia, Magno, e outros, lutamos pela família, sua e nossa! Nos deem apoio e retaguarda!”

As reações contrárias à campanha lançada pelo deputado foram contundentes, com ataques pessoais e xingamentos, como “imbecil”, por exemplo. Um dos usuários contrários à ideia de Feliciano sobre a laicidade do Estado brasileiro, que é composto por 95% de pessoas cristãs, incluindo evangélicos e católicos, afirmou: “Querer impor a tua religião em um pais inteiro, isso sim é um pensamento de dar pena. Nas próximas eleições se aposente”.

Ao repetir a frase, o pastor Marco Feliciano foi respondido novamente com ataques pessoais: “O senhor é um esperto-estúpido”, escreveu um internauta.

Meus comentários

Quando John Gray escreveu a expressão “hoje os crentes religiosos são mais livres pensadores”, em comparação aos humanistas, estranhei. Hoje vejo que Gray acertou na mosca.

Os religiosos acostumaram-se hoje a conviver com aqueles que possuem opinião contrária à sua religião, mas os ateus militantes não. (Faço essa distinção, entre ateus militantes e ateus moderados, pois muitos ateus não estão nem aí com a exibição de símbolos religiosos em locais públicos e não fazem mimimi por causa da expressão “Deus seja louvado” impresso nas notas)

Ao religioso, é dado o direito de pensar na pespectiva do oponente. Essa opção inexiste para os ateus militantes. Ao ouvirem uma argumentação do outro lado, não fazem outra coisa senão xingar.

Entender que o Brasil é ao mesmo tempo laico e cristão não é um ato de proselitismo, mas sim reconhecer o óbvio. Assim como a China poderia um dia virar um país laico (hoje é um país ateu), mesmo assim nessa hipótese eu entenderia que continuaria sendo “um pais ateu”, pois o fato de um país ter uma cultura base não elimina a manutenção do estado laico.

Essa eterna confusão entre “estado laico” e “estado ateu” confunde hoje a mente da totalidade dos neo ateus.

Como eles não possuem o direito de pensar fora da caixa e observarem qualquer argumentação lógica em contrário, resta-lhes o xingamento, como é comprovado na notícia acima.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Essa frase diz tudo: “Só sinto falta de uma militância cristã mais assídua aqui no Twitter ( E em qualquer lugar). Quando verem um de nós ser hostilizado massivamente, não podem se calar. Com inteligência e Educação para cada ataque, no mínimo, 5 defesas com equilíbrio! Temos povo pra isso. ”

    Os neo-ateus são minoria da minoria (considere que se existem 10 ateus 3 a 5 são neo-ateus por exemplo), se os neo-ateus são em número, uns milhares contra centenas de milhões de cristãos e conservadores, então existe gente de sobra para esmagar essa militância (será que algum esperto vai falar que estou incitando violência física?) e ainda proibi-la de voltar…

    Mas ESSE é o problema também, quem não é militante está, obviamente, confortável com a NORMALIDADE e não se sente impelido a ter que mudar NADA, afinal, ele quer que tudo permaneça como está, é aí que mora o déficit, uma grande ingenuidade que eu diria estúpida, dos conservadores, acreditarem que não precisam se mexer sempre, por que estão satisfeitos com o estado de como estão as coisas ao redor deles e assim eles se acomodaram, como um preguiçoso… Não vêem necessidade de se informarem, melhorar o raciocínio, etecetera…

    E é assim que como um câncer (e essa é sempre a melhor definição dos esquerdistas), cresce o diabólico domínio dos militantes esquerdistas, que no fundo da alma, almejam serem os alguns milhares que criarão uma carnificina para extirpar os milhões (se pensou em comunismo e suas mortes, acertou), assim como um tumor pequeno ceifa a vida de um corpo maior, e assim como tal tumor, eles se infiltram nas áreas mais importantes do corpo (política e altos cargos)), dominam e as destroem sem remorso, como uma metástase.

    Só que como uma pessoa que sofre de câncer, as vezes o sujeito só se toca que precisa fazer quimioterapia, quando é tarde demais, aí você sabe a conclusão da comparação, morre o corpo e depois de um tempo, morre o câncer também, no caos total que ele mesmo causou….

    Ps: por isso que uma vez eu disse aqui que os esquerdistas/marxistas provavelmente desejam é que todos sejam exterminados, até eles mesmos, numa espécie de niilismo absoluto.

    • Outra coisa, eu estava vendo os comentários dó evangélicos na própria noticia e a condescendência deles com os neo ateus é ABSURDA, essa é a prova que a propaganda midiática funcionou, foram dobrados a pensarem igual seu próprio inimigo e aceitarem as ofensas, preferindo criticar o marco feliciano e defenderem os neo-ateus por que : ” existem muitos de nós que ofendem eles também” PUTZ!!!!! eu vou me enterrar, vou ali comprar uma pá e volto já…

      • Eu vou abordar isso futuramente. É possível reverter isso, mas não sem ainda machucá-los psicologicamente. Eles precisam ser chamados de ingênuos, coniventes e cúmplices até terem seus egos machucados. Alguns não terão, e aí é só aumentar a carga de humilhação. Já fiz isso no passado e consegui ‘reverter’ alguns cristãos mansos e transformá-los em homens. A terminologia é EXATAMENTE essa.

    • Ahh, condescender com o inimigo e aceitar a humilhação sofrida “por que eu mereço…” é o primeiro passo para duvidar da própria ideologia de vida, e como na síndrome de Estocolmo, uma ver que você é humilhado por um longo tempo e não reage, passa a aceitar a humilhação e até defender aquele que te humilhou (isso é ligado a programação por trauma tbm), no fim, você abraça a ideologia do humilhador e se torna igual a ele…

      É exatamente por isso que aquele blog do bule voador tem uma sessão de “testemunhos ateus”, são pessoas religiosas que foram tão humilhadas pela militância neoateia, que num ato desesperado da mente manter o mínimo de dignidade, largaram a religião e se tornaram ateus tbm, se tornando iguais àqueles que os abusaram psicologicamente, como uma forma de se sentirem fortes e aceitos no grupo e também culparem Deus por isso…

      Imagina uma espécie de masoquismo mental, ficar amigo daquele que te violentou, é bizarro mas é assim…

      • É verdade. Só adiciono que a humilhação que proponho é baseada não na ridicularização das crenças da pessoa, mas no comportamento. Tecnicamente, dentro de cada frouxo existe um homem. Só é preciso fazer esse lado “homem” aflorar.

      • Sim, eu concordo, principalmente por que a base do tipo de humilhação que me referi em relação aos neoateus são ofensas de nível baixíssimo mesmo, modus operandi deles.

        No seu caso seria mais comparada a um “acorda pra vida”, similar, por exemplo, a de um pai que começa a mostrar pro filho que a vida tem responsabilidades…

  2. “Ao religioso, é dado o direito de pensar na pespectiva do oponente. Essa opção inexiste para os ateus militantes.”

    – Será mesmo possível um religioso abandonar sua crença e pensar como um ateu?

  3. LH,

    a essência do combate ao neo-ateísmo é realmente uma questão de postura. Pensemos nos cristãos: há os católicos, os evangélicos “tradicionais”, os evangélicos pentecostais, os espíritas kardecistas, a maior parte dos teosofistas e a maior parte dos umbandistas. Além desses, há os não-cristãos, mas ainda assim religiosos: os teosofistas e umbandistas não-cristãos, os candomblecistas, os budistas, os hinduístas, os judeus e os muçulmanos. Há, ainda, os agnósticos, que são também teístas, porque acreditam que “há algo”.

    Somados os teístas todos, quantos são, proporcionalmente? No mínimo, entre 90% e 95% da população brasileira. E dentre os puramente ateístas, que já são uma absoluta minoria, quantos são militantes anti-religião (ou neo-ateístas)?

    Já passou da hora de darmos combate a um grupo que só se faz notar porque berra a plenos pulmões, o mais que pode, o tempo todo. Um mero sussuro dos teístas – se saírem do comodismo e do estado de estupefação em que foram colocados – suplanta os berros neo-ateístas.

    Pensado, agora, em outro aspecto, os neo-ateístas deve sempre lembrar que a eles é permitido se expressar e mesmo existir – tanto como militância e movimento político como fisicamente, mesmo – PORQUE eles vivem numa sociedade que é profundamente conservadora e cristã. Em todos os países socialistas, em que a “religião” oficial era o ateísmo, os teístas só tinham duas opções: silêncio ou morte. Idem para os Estados teocráticos islâmicos de hoje e de sempre, onde a pena para a apostasia (tudo o que não é o Islã) é a morte.

    É fácil queimar Bíblias no Ocidente, no Brasil. Quero ver queimarem um Corão em Teerâ.

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/somos-agora-todos-suditos-dos-radicais-islamicos/

Deixe uma resposta