Estudante tem trabalho científico recusado por agradecer a Deus

9
146

 

Fonte: Jornal do SBT (em dica do leitor Thiago – RJ)

O Centro de Ensino de Graduação da Universidade Rural de Pernambuco, em Garanhuns, rejeitou um trabalho científico de uma estudante evangélica por ela ter destinando o agradecimento a Deus. Por escrito, o centro comunicou à aluna do 8º ano de medicina veterinária que o agradecimento deveria estar relacionado à pesquisa, como é de praxe.

Airon Melo, orientador da estudante e vice-diretor da universidade, estranhou a recusa porque se tratou de um agradecimento pessoal, conforme ele disse ao SBT.

A estudante não concordou em alterar o trabalho e procurou apoio de pastores.

Osmar Martins, presidente da Ordem dos Pastores do Agreste, disse que o Centro de Graduação não poderia ter tomada aquela decisão porque “estamos em um país onde o credo é livre”.

Dom Fernando Guimarães, o bispo diocesano, também manifestou apoio à evangélica.

As manifestações dos religiosos, que escreveram uma carta de protesto à universidade, fizeram com que o Centro de Graduação reconsiderasse a recusa, aceitando com louvor o trabalho da evangélica sobre produtores de leite para participar de uma jornada científica.

Meus comentários

Acho que já não há mais dúvidas de que o neo ateísmo e anti-religião são movimentos totalitários.

E como é um movimento focado em ódio, obviamente surgem comentários como os seguintes no YouTube:

  • MrBrenoH: “Será que se Eu fosse agradecer a todos os Ateus e a minha descrença, esse Representantes (Babacas) Religiosos iriam falar de Livre Expressão!! É Trabalho Cientifico!!!”
  • Daniel Guisse: “Se recusar o agradecimento ao fantasma fosse acabar com a IGNORÂNCIA do ser humnano eu até seria à favor da decisão. Mas como o ser humano ainda vai demorar SÉCULOS pra aprender que não existe PORRA DE DEUS NENHUM, que deixassem a imbecil agradecer à quem ela quisesse. Óbvio que um peso morto desse não contribuirá com nada, é terminar a faculdade e contentar-se com um cargo desprezível.”

Quando se junta tendência totalitária ao raciocínio de ódio, nós já sabemos as consequências.

Acho que já passou da hora dos religiosos conscientizarem os seus iguais a respeito daquilo que os neo ateus estão comentando sobre eles em vídeos e nas redes sociais em geral.

Não há muita diferença técnica entre a anti-religiosidade difundida pelos neo ateus e o anti-semitismo que auxiliou a gerar o holocausto judeu.

Ao menos, o anti-religioso acadêmico que quis recusar o trabalho teve que aceitar a pressão e posteriormente acatá-lo.

Anúncios

9 COMMENTS

  1. Esse acadêmico de m**** não é um cientista de-verdade. Em vez de avaliar o mérito do trabalho em si mesmo, o sujeito se preocupa com detalhes irrelevantes? Putz, podem me chamar de chilicopata 😀 se quiserem, mas se eu estivesse lá, e se dependesse só de mim, esse pseudo-cientista ia ser linchado, pois é exatamente isso que ele merece 😛

    E por falar em falsos cientistas, aqui vai uma alfinetada que um ateu sério aplicou no Sr. Dawkins:

    http://www.vutorch.com/darwin-day-and-dawkins-delusions/

  2. ”Acho que já passou da hora dos religiosos conscientizarem os seus iguais a respeito daquilo que os neo ateus estão comentando sobre eles em vídeos e nas redes sociais em geral.”
    já estão fazendo isso,na mesma caixa de comentários vi chamarem ateus de bundões e coco de quatro patas.

    • Já é um COMEÇO de revide, mas é preciso ainda de uma conscientização dos DEMAIS religiosos. Algo como compilar as mensagens escritas pelos neo ateus contra os religiosos e fazer uma divulgação AOS religiosos. Aliás, acho que esse é um projeto que vou iniciar em breve.

    • Eu nunca ofendi ateus SÉRIOS (até porque eu mesmo já fui um deles).

      Quanto aos neo-ateus, ateus militantes, e coisas piores, esses aí eu xingo mesmo, desde 2008, quando eu nem sabia que existia o neo-ateísmo, e eu ainda não tinha lido nem ouvido falar sobre o best-seller “Deus, Um Delírio”.

      Pô, os caras acham que já sabem tudo, somente porque “são ateus”?

      E de que adiantava eu provar que eles nada sabiam de Filologia ou de Gramática Histórica, por exemplo, quando eles soltavam pérolas do tipo “na Bíblia o morcego é uma ave e a baleia é um peixe, kkkkk”?
      Pelo contrário, os neo-ateus só se preocupavam em negativar minhas respostas, bloquear meu acesso às suas infames “perguntas”, e sempre que possível, apagavam minhas perguntas e minhas respostas (chegaram a excluir 4 contas minhas no Yahoo! Answers).

      Depois que conheci este blog, senti a certeza de que eu estava no caminho certo: para o público que lê as discussões, deixo meu conhecimento de 44 anos de leitura e de vivência; para os ateus do tipo fanático, um caminhão de (merecidíssimas) ofensas 😛

  3. Off topic:

    Sabe o que aconteceu com o site Quebrando o Encanto do Neo-Ateísmo? Está fora do ar como o site que o hospeda, o Teísmo.net.

    Um abraço,

    Messias

  4. Luciano, esse exemplo de pensamento anti-religioso dentro de universidade me lembrou da tal “doutrinação acadêmica”, tanto de esquerda quanto especificamente neo-ateísta, que vejo você citar de vez em quando.

    Você possui algum texto com ênfase nela? Em caso negativo, já pensou em fazer um?

    • Olá Robson, eu creio que ainda não publiquei nada efetivamente em relação à como reverter a doutrinação acadêmica, mas já escrevi. (tenho uma “base” de textos rascunhados, acho que mais de 600, sobre todos os temas que trato aqui)

      Mas foi bom vc lembrar, pois vou ajustar esse texto e publicá-lo em breve.

  5. “Antes e acima de tudo, a Deus Pai-Filho-Espírito, Autor, Mantenedor e Restaurador da Vida, sem O qual não haveria realidade ou propósito”.

    Esse foi o primeiro parágrafo da longa lista de agradecimentos na minha monografia de conclusão da pós-graduação. Pela ordem de gratidão: Deus, meus pais, minha esposa e filho, meu orientador, o coordenador decente, a lista nominal de professores, o corpo administrativo e os colegas de sala.

    Esses neo-ateus só se manifestam assim anonimamente, na web. Na minha frente nunca ouvi um trinado (ou zurro), nunca conheci um que falasse um cêntimo dessas sandices – talvez eu esteja sendo muito criterioso na escolha dos colegas e conhecidos, hehehe…

    Mas é bom saber dessas coisas. A gente fica atento, sem ilusões.

Deixe uma resposta