A desmoralização do ateísmo militante na Internet

23
66

 

Mais um ótimo vídeo do Leonardo Bruno, que dá um exemplo claro do fascismo de esquerda, como também pode ser visto no livro “Fascismo de Esquerda”, de Jonah Goldberg.

O fato é que, enquanto acusam seus oponentes de “fascistas”, todos os grupos ideológicos esquerdistas mostram que são na verdade os verdadeiros fascistas.

O que os esquerdistas usam, neste caso, é a estratégia “acuse-os do que fazemos”.

Mas depois de sabermos o que significa EXATAMENTE o fascismo, e entendermos a essência do totalitarismo, vemos que aplicarmos o rótulo “fascista” aos esquerdistas é apenas a exposição dos fatos.

Enfim, vejam o vídeo e comprovem o que estou dizendo.

Anúncios

23 COMMENTS

  1. 8 minutos explicando e defendendo-se contra oponentes anônimos…

    Eu não acompanhei a história mas também não sou novo na internet. Apostaria que os oponentes não realmente se importam com a questão e portanto o nosso amigo foi “trollado”

    • O problema é que como já disse um “ataque anônimo” da esquerda, vai para a conta da esquerda. O Leonardo fez muito bem em responder:

      Ver abaixo Estratégia de Esquerda, “Baixaria Total”: http://lucianoayan.com/2012/01/19/estrategia-de-esquerda-baixaria-total/

      Se você for esquerdista, é claro que torceria para o Leonardo Bruno não responder, mas aí seria um truque psicológico. Aliás, vou falar desta estratégia em breve.

      Valeu pela contribuição.

      • Eu não sei se esse “valeu pela contribuição” foi feliz em me ver comentando no seu blog novamente ou então realmente agradecendo o conteúdo do comentário.

        Agradeça à internet de qualquer forma.

      • Olá Lpolon. Toda e qualquer interação humanista me permite mapeamento de estratégias e rotinas. esses dias uma amiga me deu o livro do Michael moore, “Stupid White men”. usei para mapear 20 rotinas ali e 2 estratégias que eu não tinha pensado antes. Acho que temos que aprender uns com os outros. Os humanistas, marxistas, etc… nos ensinam através de sua atuação.

  2. Não tem nada a ver com o Leonardo Bruno, mas tem com o que ele diz. Os criadores de “South Park” criticando Richard Dawkins e o ateísmo militante – e, é claro, sendo negativados a rodo por isso:

  3. Eu vi o tal vídeo do “imaginário crime de “homofobia”

    Ele mistura um pouco os temas, né? Seria OK se ele deixasse claro que as vezes o problema é a demonstração do afeto independente de gênero..

    Mas se isso fosse toda a questão, por que a provocação de beijar na frente da igreja é ofensiva?
    (nenhum “crime real” aí também convenhamos)

    falar que criminalizar a homofobia é criminalizar o ódio parece só um jogo de palavras pra mim.

    Como biomédico (me formei!), isolar os componentes culturais ou biológicos é mesmo um problemão (como qualquer coisa que envolve comportamento humano). Ele obviamente defende que não é biológico “pq cu não serve pra isso e piroca serve pra enviar na buceta”.
    Nessa parte ele deixa claro que é só um babaca. Sério.

    Tem esse mano aí, tem o bluezão aí, você, todo esses ateus garotinhos também.. pessoas falando e falando, escolhendo as anedotas mais convenientes e “opinando”, xingando muito no twitter..

    Sério. Foda-se.

    • Lpolon

      Eu vi o tal vídeo do “imaginário crime de “homofobia”. Ele mistura um pouco os temas, né? Seria OK se ele deixasse claro que as vezes o problema é a demonstração do afeto independente de gênero..

      Não, ele não mistura não. O tema é um só: esquerda X direita. Esquerdistas estão usando os gays como massa de manobra mandando eles irem se beijar em ambientes de posse de conservadores, e ele defende o direito a não permitirmos isso, desde que os gays fiquem em seus ambientes.

      O problema é a tendência totalitária da esquerda, denunciada várias vezes aqui. O Leonardo Bruno foi apenas letal em sua argumentação.

      Mas se isso fosse toda a questão, por que a provocação de beijar na frente da igreja é ofensiva?
      (nenhum “crime real” aí também convenhamos)

      E quem falou que era “crime real”? Ah, a estratégia da ampliação indevida… (acho que você se esqueceu que conheço os 38 estragemas mapeados por Schopenhauer né…)

      Aliás, o direito de um religioso proibir que um gay vá se beijar lá dentro é uma questão de regras da Igreja. Ah… já esqueci que esquerdistas são contra a propriedade privada e querem legislar sobre o que permitimos ou não em NOSSAS propriedades. Confere?

      falar que criminalizar a homofobia é criminalizar o ódio parece só um jogo de palavras pra mim.

      Mais problemas, pois criticar o gay e o gayzismo não são homofobia. E nem crime de ódio.

      Como biomédico (me formei!), isolar os componentes culturais ou biológicos é mesmo um problemão (como qualquer coisa que envolve comportamento humano). Ele obviamente defende que não é biológico “pq cu não serve pra isso e piroca serve pra enviar na buceta”.
      Nessa parte ele deixa claro que é só um babaca. Sério.

      Como biomédico, você começou MUITO MAL. Pois o que consideramos um atributo indispensável em profissionais de medicina é a capacidade de OUVIR o que o outro lado está dizendo. Sabemos que biologicamente os seres humanos tem uma função para o cu e para a vagina. E daí? Entender que isso é o padrão normativo não tem nada de “babaca”. Sua argumentação segue no mesmo nível de antes, hein… o que vc aprendeu na escola? rs.

      Tem esse mano aí, tem o bluezão aí, você, todo esses ateus garotinhos também.. pessoas falando e falando, escolhendo as anedotas mais convenientes e “opinando”, xingando muito no twitter.. Sério. Foda-se.

      Aqui é um blog de argumentação, com ênfase no ceticismo político, especializado em análises da dinâmica social sobre os comportamentos na guerra política. Não tem nada a ver de “escolher as anedotas mais convenientes”, mas sim estudar um fenômeno cultural. Se você, como esquerdista (é humanista, pelo menos), não gosta, é essa a intenção.

      • Da sua resposta a parte do biomédico:

        Eu achei o amigo babaca, porque embora ele entenda que a questão é complexa para invalidar o argumento da parte biológica, ele é todo “engraçadinho” para mostrar como é claramente contra o “padrão normativo” (http://bit.ly/xcVg0E).

        Nada de mal com a intuição de que órgãos possuem funções e extrapolar que o comportamento exige que usemos o orgão de “acordo”. (Provavelmente a função do penis é te recompensar por enfiar ele em qualquer coisa)

        Sobre a última parte da sua resposta.

        Você argumenta. As vezes desenvolvendo uma ideia sincera e as vezes só irritando quem se importa… Pelo jeito esses vídeos do twitter são do segundo grupo.

    • O teu diploma de biomédico no Brasil de 2012, *sozinho*, vale menos que zero. 🙂

      Tô falando sério, eu acompanho a falência do sistema educacional brasileiro desde a década de 1970. Em 1972, já existia uma reportagem na Revista Veja, denunciando os muitos diplomados universOtários que sofriam de analfabetismo funcional. Eu também tive o desprazer de conhecer pessoalmente vários estudantes e profissionais da área médica que repetiam como papagaios várias besteiras que eles tinham aprendido nas salas de aula. O caso mais grave da falha em *nunca ouvir o outro lado* ocorre no ramo da Chiliquiatria, onde a grande maioria dos “doutores” faz questão de honrar o título de « carcereiro formado em Medicina ».

      Saudações Politécnicas (turma de 1985) 😉

      • Fiz na UFRJ com o seu dinheiro, segunda-feira eu te conto se entrei ou não pro mestrado.

        Talvez você fique feliz em saber que lá se aprende “muito pouco” em sala de aula e aprendemos muito bem a usar ao máximo a literatura científica mais recente para nos informar.

        Bom dia!

      • Você tem orgulho de ter estudado às custas dos outros? 🙂

        Engraçado uma geração que tem orgulho daquilo que deveria ter vergonha.

      • Ah, tá, só que declarações de “EEEE… aproveitei seu dinheiro”, podem ser usadas para mostrar o que é a esquerda 🙂

      • Caro Sr. Lpolon:

        Te falta MUITA cultura geral.
        Além de honestidade intelectual suficiente, é claro.
        Como alguém que já corrigiu professores durante as aulas por vezes sem conta, e que não nasceu ontem, vou continuar desconfiando da competência de vossos mestres — pra não falar dos discípulos (de-)formados por esses mesmos mestres.

  4. Ainda nem vi a sua resposta. Só quis dizer que demonstrar preconceito, discriminar é crime. “Homofobia” realmente é só o sentimento, não há manifestação.
    Eu me pergunto se o nosso amigo reclamaria se estivesse escrito: “Homofobia* é crime”

    (*praticar, induzir ou incitar a descriminação ou preconceito de raça, cor, religião, etinia ou procedência nacional e comportamento homoafetivo)

    Se ele descobriu que a globo faz o que quiser do jeito que quiser. Bem vindo ao brasil!

    • Na constituição está “Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97)”.

      O fato é que mesmo que homofobia fosse crime, criticar a homossexualidade não é homofobia. Isso poderia ser qualificado como denunciação caluniosa.

      Alías, alguns líderes da direita já perceberam o truque. Sabia que denunciação caluniosa é crime também, certo?

  5. ainda não li o seu comentário.

    Ele no vídeo entende que é uma questão complexa se é ou não biológico que dizer que é biológico é pseudociência…
    para logo depois opiniar como um animal que “dificilmente é uma questão biológica” por causa da função das coisas.
    Isso também é pseudociência.

    O problema é coerência.

    • O fato é que é irrelevante ser biológico ou não. Não é pq um comportamento é biologicamente observado que ele deve passar a ser normativo. Exemplo: no mundo animal, existe a pedofilia. Não a aprovamos como moral.

      Vc se apegou a um ponto irrelevante do debate. O fato é que se é biológico ou não, isso não é o SUFICIENTE para que a homossexualidade seja considerada um padrão normativo no mesmo status em que a relação heterossexual.

      • Pelo menos pro amiguinho, ser ou não “inato” parece ser importante. Pois parece ser um problema condenar moralmente uma deficiência.

        Pedofilia, Orgia (de golfinhos), poligamia (comum em primatas), estupro (sapunheta!), “tortura” (comum entre insetos), homossexualismo. Tudo isso existe no mundo animal. Como você disse, o que existe não é suficiente para ser considerado normal ou regra.

        Vou um pouco mais além digo que propor o que é moralmente correto por razões “naturais” uma insanidade.

        Definitivamente, discutir sobre a “comparação dos status das relações entre diferentes gêneros” é uma questão muito mais sociológica e a biologia não deveria servir de argumento para lado algum (incluindo a função do cú do nosso amigo).

      • Só uma coisa.

        Até o terceiro parágrafo, concordo, embora não tanto com o primeiro.

        Vamos lá. Propor o que é moralmente correto por “razões naturais” uma insanidade.

        Mas propor algo como moralmente correto por AO MESMO TEMPO (a) incluir “razões naturais”, (b) ser um benefício em termos evolutivos, e (c) não trazer prejuízos para terceiros, aí sim é o que defendo.

        Portanto, é legítimo questionarmos a homossexualidade se encaixarmos o argumento em (a), (b) e (c) consecutivamente.

        Mas dizer “não é natural dar o cu, portanto homossexualidade é errada” é claro que seria pífio.

  6. Agora que eu li…

    Bem, vou me prender a coerência que eu acredito falta no vídeo do amiguinho. Eu expliquei que eu não faço idéia do contexto do que ele está contanto. Eu não sei como ocorreu a organização desse movimento. Foi o nosso amigo que começou com o preciosismo da palavra “homofobia”. Mas ele acha agressivo os beijos. Pois bem, não é crime se incomodar com isso e não é crime esfregar na cara de alguém que isso existe.

    Agora, defender o direito de não permitir isso e o “ambiente dos gays” com certeza é uma questão interessante…

    • Só uma coisa…

      Foi o nosso amigo que começou com o preciosismo da palavra “homofobia”.

      Onde está o “preciosismo”? Ora, se alguém critica gays, mas não possui aversão nem ódio a eles, NÃO PODE ser qualificado de homofóbico, pois isso é CRIME DE DENUNCIAÇÃO CALUNIOSA.

      É a mesma coisa que chamar de ladrão alguém que nada roubou…

Deixe uma resposta