Mais um neo ateu do tipo “cadelinha manca”: para ele, ser ateu é “ser cientista”

7
32

 

Antes de tudo, que p**** de voz de mulher é essa? Fala sério…

Mesmo assim, ele tenta jogar com o psicológico e diz que vem com uma “definição inovadora” de ateísmo. Vejam a nova definição, inspirada em Richard Dawkins, como o próprio argumentador afirma:

  • Religião é crença na ausência de evidências
  • Ciência é conclusão com base em evidências
  • Logo, ser ateu é ser cientista

Depois ele fala de alguns experimentos científicos, COMO SE os religiosos fossem oponentes destes experimentos. Obviamente, é a tática da “cadela manca” que já citei aqui.

Mais bizarrices vem lá no final, quando ele diz que é um absurdo ser “marxista e ateu”, pois o marxismo já teria sido desprovado. Só que ele se esquece de que o humanismo, de Richard Dawkins (que ele segue de paixão), é tão absurdo e pífio quanto o marxismo.

E o fato de ateus terem maior chance de aderir ao marxismo (que, como ele corretamente diz, “não possui evidências”) já derrubam a tese dele de que “ser ateu é ser cientista”.

Enfim, mais um neo ateu que só serve como comédia involuntária.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Nos comentários ao vídeo, até mesmo outros semi-ateus e/ou “satanistas enrustidos” 🙂 meteram o pau no novato 😀

    Quanto à voz fina do sujeito… sei lá, vai ver que é um dos possíveis e freqüentes efeitos colaterais da militância ateísta — a título de comparação, escute só a voz do “jornalista sem jornal” 😉 Aurélio Dr. Who NAZIels, o “mascote” e troll máximo do Fórum Realidade:

    • Já que o Luciano ainda não te respondeu, respondo eu 🙂

      O festival de besteiras que assola o ateísmo é tão extenso e numeroso, que não somos nós que encontramos os mongolóides, são eles que aparecem em nosso caminho. Exemplo de algibeira:

      “Deus, Alice e a Matrix”:

      http://deusilusao.com/2011/01/01/deus-alice-e-a-matrix-edicao-completa/

      É difícil determinar quem é mais patético, os auto-nomeados “ajudantes do NEO”, capazes de enxergar a *apologia do ateísmo tôsco* onde ela nunca esteve 😛 , ou então os super-heroínos “Vagalumes Verdes” do Yuri Grecco e companhia.

      • É por essas e outras que eu, particularmente, sub-intitulo o neo-ateísmo como “ateísmo Shelton Cooper”. É uma cambada de nerds megalomaníacos que baseiam seus “argumentos” anti-religiosos em criações pop com conteúdo gnóstico chinfrim. Além do comportamento anti-social do “ídalo” deles.

        Ridículo, não?

  2. Esses neo-ateus devem considerar o ateísmo como um papel de RPG (vou tentar fazer essa analogia – que não superará, de forma alguma, ao genial “ateísmo ET Bilu” do Cebolinha – já que mutos deles são nerds do estilo Shelton Cooper de “The Big Bang Theory”): eles se consideram PCs (Playable Characters = Personagens Jogáveis) com uma ficha de personagem. Ao escolherem a “classe” “ateu”, eles acham que ganham algo como +5 de INT (Inteligência) e +5 de Ciências Naturais, entre outras coisas que eu não faço idéia.

    Talvez muitos não entendam, mas quem joga ou já jogou RPG (D&D, Gurps, 3D&T, whatever) vai entender 😛

Deixe uma resposta