Partido ateu defende agenda de esquerda: Por que não estou surpreso?

11
61

Fonte: Paulopes

Um grupo de americanos criou o Partido Nacional Ateu (NAP, na sigla em inglês), abrindo uma polêmica porque parte dos céticos acredita que o ateísmo não tem nada a ver com política.

A página oficial do NAP afirma que o objetivo do partido é representar politicamente todos os ateus do país, o que tem contribuído para alimentar a contrariedade.

O líder ateísta Hemant Mehta, por exemplo, argumentou que um partido não pode ter a pretensão de representar todos os céticos porque a diversidade de opinião entre eles é muito grande. Escreveu em seu blog que a única coisa em comum entre os ateus é que “não acreditam em deus”.

Troy Boyle, um dos fundadores do partido, disse que o NAP já tem 7.500 filiados distribuídos pelos 50 Estados americanos. A maior representação está na Flórida, com 200 membros.

O partido é favorável ao casamento gay e a um controle rígido do porte de armas. De acordo com a sua plataforma, é a mulher que deve decidir se deve ou não ser submetida a um aborto. É favorável a uma reforma na lei de imigração e à legalização do consumo de drogas mediante receita médica.

O site do NAP diz que o partido também está empenhado em combater a infiltração de ideologias religiosas nos diversos níveis do governo, embora a Constituição determine a laicidade do Estado.

Bridgete Gaudette disse que agora, como ateia, se sente mais à vontade para atuar como militante cívica. “Adorei essa ideia [a do partido].”

Meus comentários

Mais uma vez o Paulopes facilita meu serviço de investigação dos neo ateus entregando o ouro e mostrando mais um evento constrangedor: agora é a fundação do partido ateu nos Estados Unidos.

Vejam só as coisas que eles apóiam:

  • casamento gay
  • controle rígido de porte de armas
  • aborto sob TOTAL decisão da mulher (suponho que é sem limite de tempo)
  • legalização das drogas
  • reforma na lei de imigração (para facilitar que imigrantes cheguem lá mais fácil)

Caramba, é a agenda da esquerda!

É o que este blog tem afirmado: o ateísmo não leva ao esquerdismo, mas o ateísmo militante é esquerdista em essência.

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Isso é coisa de ateu E maluco, porque simplesmente não faz sentido uma pessoa que acredita que a humanidade vai terminar no nada achar que a mesma DEVE seguir certo caminho.

    Um partido ateu só mostra o tamanho da insanidade desses sujeitos que ignoram as consequências de sua própria descrença.

    • Não preciso demonstrar, não sei de que vale uma vida que vai dar na mesma não importando o que se faça.
      E não precisa se matar, uma alternativa para aqueles que não têm impulso para dar cabo de sua própria existência, é ficar dopado a vida toda esquecendo que no fim tudo vai virar nada.

      Se você não gosta da idéia de uma vida eterna sem nescessidades, então você é por definição maluco mesmo.

      E não ataco ateus, só falo as consequências do ateismo.

      • Precisa demonstrar sim, o ônus da prova é seu, você que alegou.
        Mostre que já que Deus não existe a atitude mais racional e coerente seria “se matar” ou “se dopar”.
        Mostre que a decorrência lógica do ateísmo seria a necessidade de se acabar com a vida (ao contrário de vivê-la normalmente, já que é a única vida que o ateu tem).
        Quanto ao “não ataco os ateus”, você acabou de chamar os ateus de “malucos”, comportamento igual ao dos neo-ateus que chamam religião de “doença mental”.
        Quanto a ser maluco por não gostar da idéia de vida eterna, três coisas: (1) a verdade não depende do que a gente gostaria que fosse verdade; (2) mostre que essa definição de “maluco” não é alguma que você mesmo inventou; e (3) de onde você tirou que ateus não gostam da idéia de vida eterna? Leitura mental?

      • Caro leo, não chamei ateu de maluco, eu disse que quem acha que ter uma vida eterna sem nescessidade é ruim, é maluco. Se doravante um ateu acha isso, ele só pode ser maluco, não porque é ateu, mas porque acha que algo bom é ruim.

        Interpretação de textos fail hein ? jroiz também, nem prestou atenção no que eu escrevi.

      • Não preciso demonstrar porque não estou falando “venha para o teismo”. Baseando apenas no PROŔIO ATEISMO se chega a essas conclusões, mas você está se utilizando do placebo existêncial que já está fazendo isso todo dia de uma forma ou de outra, “crendo” que está fazendo algo “especial” ou um “bem pra humanidade” , ou sendo “racional”.
        Tudo isso é placebo existencial , pois vocês sabem que a vida não têm sentido, e que portanto a humanidade vai terminar em nada, logo, qualquer coisa que você faça, vai ser esquecido e apagado da existência.
        Quer continuar ateu é direito seu, mas não venha querer dizer que você “gosta” de ser ateu porque é OBJETIVAMENTE melhor, no máximo, é subjetivamente melhor, e isso se você for um edonista alienado.

      • Precisa demonstrar porquê você alegou, não interessa sua intenção por trás disso.
        Novamente, de onde você tirou que os ateus rejeitam a idéia de vida eterna porquê não gostam dela? Ateus rejeitam a idéia como FALSA, não necessariamente como “ruim”.
        Você diz “baseado no próprio ateísmo”, mas não mostra como chegou nas conclusões.
        Você diz que eu “uso placebo existencial”, mas única “prova” pra isso é tentativa de leitura mental.
        Quanto ao idéia de que a humanidade vai acabar um dia, não é só porquê que a humanidade vai acabar que enquanto ela existiu a vida não teve sentido. Ainda pode ser um fato da realidade que a vida teve sentido enquanto existiu, mesmo após a morte térmica do universo.
        Quanto ao “maluco”, você simplesmente vai de “sujeito não gosta de X, logo é maluco”. Mas é claro, você não provou que (1) os ateus não gostam da idéia e (2) não gostar da idéia implica em maluquice.
        Quanto a essa de “objetivamente melhor”, é um truque velho: na visão de mundo teísta o valor é subjetivo, pois depende do que um certo sujeito considera “bom” ou “ruim”, especificamente Deus. Então a não ser que você redefina “objetivo” para “não depende de valoração do Homo sapiens” ao invés de “não depende da valoração de um sujeito”, sua teoria de valor é tão subjetiva quanto a que você acusa os ateus de seguirem.

  2. Essa matéria também mostra como uma certa falácia de que “todos os ateus são unido em sua descrença em divindades”. A declaração do líder ateísta Hemant Mehta de que “um partido não pode ter a pretensão de representar todos os céticos porque a diversidade de opinião entre eles é muito grande” está mais que certa, em especial quando um vê as diferenças entre os ateus nietzscheanos e anarquistas, anarquistas e marxistas, marxistas e neoliberais de inspiração randiana e esses últimos com os ateus estruturalistas/desconstrucionistas/relativistas. Os atuais neo-ateus com o seu “neo-iluminismo” tosco é só mais um grupelho que não quer só o predomínio ateísta no mundo, mas também o predomíno do ateísmo DELES – e ai dos religiosos E ateus que forem contra.

Deixe uma resposta