Religião pode acabar em 9 países. Tradução: religião política pode aumentar em 9 países.

4
43

Fonte: Folha

Dados de censos colhidos desde o século 19 indicam que a religião pode ser extinta em nove nações ricas que foram analisadas em um estudo científico.

A pesquisa identificou uma tendência de aumento no número de pessoas que afirmam não ter religião na Austrália, Áustria, Canadá, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Suíça e República Tcheca –o país com o índice mais elevado, com 60%.

Usando um modelo de progressão matemática, o levantamento –divulgado durante um encontro da American Physical Society– mostra que as pessoas que seguem alguma religião vão praticamente deixar de existir nestes países.

Na Holanda, por exemplo, 70% dos holandeses não terão religião alguma até 2050. Hoje, esse grupo é de 40% da população.

Meus comentários

Antes de tudo, a própria noção de que a religião pode ser extinta com base em “modelo de progressão matemática” é uma besteira infindável. Imagine como seria: hoje existem mais leitores de livros de vampiros do que existiam há 50 anos. Logo, seguindo um modelo de progressão matemática pode-se prever uma data onde livros que não sejam de vampiros vão praticamente deixar de existir.

O problema é que análises de “progressão matemática” neste caso ignoram fatores como eventos que levaram a um sucesso da série “Crepúsculo” e até a possível estagnação das histórias de vampiros no futuro. Ou seja, é provável que chegue alguma hora onde o pessoal NÃO AGUENTE MAIS ler livros de vampiros, e poderão escolher outros livros.

Outro exemplo é o sucesso do filme Avatar, que faturou quase 3 bilhões de dólares. Ora, alguém poderia prever um início da era dos filmes em 3D, certo? Errado, pois o público se cansou do 3D e vários filmes do tipo estão sendo fracassos de bilheteria. Um exemplo é o recente “John Carter”, que segue os moldes de Avatar e fracassou retumbantemente.

Que fique claro, nesses dois exemplos citados: usar modelos de “progressão matemática” em cenários complexos que envolvem engenharia social, fatores culturais, luta pelo poder e/ou conflitos políticos, é uma besteira sem fim.

De qualquer forma, é verdade que em países de altíssima orientação esquerdista, exista um movimento de sentimentos anti-religiosos. Portanto, em todos os 9 países acima, é esperado que a religião realmente diminua, mas não há nada que afirme que ela vá sumir.

Mas a coisa ainda não fica totalmente livre de problemas: não é que a religião está sumindo, mas sim a religião tradicional, pois conforme já publicado aqui, a regra é bastante lógica: a redução da religião tradicional é diametralmente oposta ao aumento da religião política.

Mesmo que exista o aumento da religião política, é também importante notar que a redução da religião no Ocidente refere-se à religião cristã, mas a expectativa é de um aumento do islamismo, que não é tão tolerante ao ataque anti-religioso.

Logo, nem mesmo existem garantias de um aumento da religião política até um ponto em que a religião tradicional não mais existirá. Existem vários fatores, como a queda do cristianismo (e consequente aumento do islamismo), que poderão criar uma nova era de religião tradicional, mas agora do tipo que não irá se submeter à religião política.

Por tudo isso, o lugar dessa teoria apresentada no texto da Folha é a lata do lixo…

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Os progressistas têm a ilusão de que um dia o mundo será predominantemente ateu, por causa dos supostos avanços da Ciência. O que de fato poderá acontecer é o declínio de uma religião e o avanço de outra, e nesse caso é claro que estamos falando da derrocada do cristianismo e avanço do islamismo, o que já está ocorrendo.
    Não será o máximo ver os progressistas do futuro sentirem uma saudade danada daqueles bons tempos em que era permitido zombar da religião sem o perigo de terem suas cabeças cortadas a golpes de cimitarra? Eu gostaria muito de viver pra ver as feministas vestindo burcas nas praias…

    • é possível que veja e se deleite com isso ainda, pelas projeções, graças aos militantes de ódio atacando o cristianismo e transformando o ocidente em uma orgia imoral negando também a constituição da família e a necessidade de filhos, em cinquenta anos o islamismo dominará toda a Europa e quase toda América do norte.

      Isso se dá pelo fato que na maior parte dos países ocidente, graças ao cientificismo, militâncias de minoria (auto-destrutivas, apoiadas pelo governo), anti-cristianismo devido a -> toda a escravidão sexual e suas consequências. As famílias em média tem apenas 1,8 filhos por família e a taxa está caindo a medida que a depravação do país aumenta, lembra que a França é estigmatizada como sendo um país “romântico” e de “amor” (leia-se sexo)? Pois bem- a taxa de filhos lé é 1,5 por família e caindo… Já os islâmicos tem mais de 8 filhos por família em média…

      É por isso que alguns lideres religiosos islâmicos exultam de forma sarcástica de que dominarão o mundo pela força do útero, não pelo evangelismo (um fator que mantém as pessoas no islamismo depois, é exatamente a opressão e o medo causado diante da punição que sofre uma pessoa que abandona essa “fé”)…

      Lembrando também que é muito claro o planejamento proposital dessa degradação do ocidente, causado pelos esquerdistas através de falsa ciência e dependência ao estado, note as farsas como aquecimento global, superpopulação mundial como exemplos pela ciência e incentivo aos pais para deixarem o governo educar seus filhos como exemplos de dependência ao estado, os quais levam as pessoas exatamente ao pensamento de degradação moral e redução da importância da família…

      E por aí vai o raciocínio…

      Ps: Lembrando do exemplo da educação das crianças pelo Estado, ontem eu ví uma propaganda na globo, sobre aquele “amigos da escola”, onde um cara aparece para incentivar outro a roubar um estoque extra que sobrou de uma produção e o outro se lembra da educação que teve, de não roubar e não ficar com o que não lhe pertence que ele aprendeu… Pela escola… Parece uma propaganda apenas para incentivar a campanha do “amigos da escola”, mas a mensagem é substancialmente maior.

  2. Lembrei-me de Voltaire, que do “alto” de seu pensamento “iluminado” afirmou, convictamente, que o Cristianismo estaria extinto em cem anos (da data em que escreveu isso).

    E o declínio espalhafatoso da religião cristã na URSS, país comunista e ativamente ateísta? Alguém, na época, duvidaria de que o país estaria completamente ateu após alguns anos do ostensivo ateísmo militante estatal? Pois bem, para surpresa destes, mesmo ainda sob o jugo da foice e do martelo, que efetuava anotações negativas em dossiês de pessoas crentes (até nos parentes) por causa de sua crença, a religião na URSS sobrevivia e, até, crescia!

Deixe uma resposta