Por que ditadores de direita foram “menos cruéis” que os ditadores de esquerda?

20
841

Quando comparamos a contagem de mortos dos ditadores de direita e de esquerda, sempre notamos que estes últimos ganham de lavada. O exemplo de Cuba sozinho ultrapassa a contagem de mortos de todos os outros governos ditatoriais de direita que ocorreram na América Latina. Sem contar o fato de que Cuba não passa de uma ilha…

A pergunta central é: por que isso acontece? Será que os esquerdistas são mais “malvados” por natureza?

Não acredito nessa hipótese, e, de acordo com a Dinâmica Social, observa-se que o ser humano é praticamente o mesmo por todo o globo. São as mesmas reações básicas, os mesmos instintos, o mesmo territorialismo. O que muda, obviamente, é a cultura. Mas em termos de funcionalidades básicas da espécie, é sempre o mesmo animal com o mesmo comportamento padrão.

A verdade nua e crua da análise das ditaduras é a seguinte. Sempre que o ser humano possui poder, ele irá AGIR para manter o seu poder. E, quando o poder é totalitário, as mortes são “necessárias” para a manutenção desse poder.

Isso ainda não nos explica o motivo pelo qual os ditadores de esquerda matam em maior quantidade.

O fato é que a religião política dá autoridade moral ao seu líder. E, como já falei anteriormente, essa é a estratégia número 1 da esquerda.

Quando um grupo político se estabelece no poder de forma totalitária a partir de uma ideologia de esquerda, ele tem ao mesmo tempo a autoridade obtida pela força como também a autoridade moral. Quando se estabelece no poder a partir de uma ideologia de direita, ele não tem autoridade moral, apenas a autoridade pela força.

Por isso, o medo de “censura pública” pelos seus atos aumenta muito quanto um governo totalitário é de direita. Ele poderá até matar, mas o fará na calada da noite, pois não ter uma autoridade moral dizendo aos quatro ventos: “olha, pessoal, tudo que está sendo feito, é em nome do bem maior, da justiça social, então é correto”. Não há nenhuma ideologia que prega que o fim da revolução “aceita todos os meios, qualquer banho de sangue”. As mortes só podem ocorrer às escondidas.

Em resumo, o governo totalitário de esquerda SEMPRE terá mais poder que um governo totalitário de direita, e por isso tem maior liberdade para matar em nome da manutenção de poder. Os quase 200 milhões de mortos nas ditaduras da Rússia, China, Coréia do Norte, Cambodja e outros são apenas uma consequência óbvia desse poder absoluto.

A conclusão é que a culpa dos genocídios das ditaduras da esquerda não deve ser atribuída somente à ideologia de esquerda, naturalmente. Deve ser atribuída ao instinto predatório e territorialista do ser humano, que não pode ser contido. Mas não podemos negar que a ideologia de esquerda é o mais completo veículo para a tomada de poder de forma totalitária.

A autoridade moral obtida para os ditadores é o componente mais perigoso dessas ditaduras, pois ela potencializa os resultados advindos da conquista do poder. A equação é básica: se alguém tem poder pela força, mas não tem o poder da autoridade moral, tem menos poder do que aquele tem o poder tanto pela força como pela autoridade moral, e é unicamente para isso que serve a ideologia de esquerda.

Está resolvido o mistério. Os ditadores de esquerda mataram sempre mais do que os ditadores de direita pois tinham mais poder para fazer o que fizeram.

Anúncios

20 COMMENTS

  1. Dúvidas:

    – Se o ser humano é praticamente o mesmo por todo o globo, o que faz com que a cultura, gerada por tal ser humano, seja diferente?

    – Se a direita mata escondido, como saber se ela, de fato, matou menos? (ok, essa foi de zoeira kkk)

    • A cultura gerada por seres humanos em diferentes partes do globo ocorre por que, mesmo sendo os humanos similares em termos de territorialismo e empatia, dentre outros, eventos diferentes ocorreram para esses povos, e a interpretação desses eventos gerou uma cultura diferente para esses povos. Entretanto, ao estudar Desmond Morris, podemos perceber que há até padrões nas culturas.

      A questão de “zoeira” não será respondida, então. rs.

  2. esse livro negro é bem interessante ele conta vitimas da fome e da guerra como crimes de estado.
    Fora que no próprio link a seguinte critica ”Outros pesquisadores criticam as estimativas excessivamente altas e desprovidas de fundamento empírico-documental, e estabeleceram números muito menores por meio de pesquisas em casos específicos. Para a ditadura stalinista, por exemplo, a análise estatística dos arquivos do aparelho repressivo soviético revelam 3 milhões de vítimas letais da repressão, tanto política quanto criminal: 800 mil execuções, 1,7 milhões de mortos dentro das prisões e campos de trabalho, e 350 mil mortos nos conflitos no campo durante a coletivização forçada da agricultura”

    Deveríamos analisar bem esses critérios,devemos contar só numero de excussões oficiais ou tratar vitimas da fome,e da guerra como crime de estado?

    • Mas vítimas da fome causada pelo estado são também crimes de guerra. Ora, se o estado confisca propriedades e deixa cidadãos à míngua, isso é um crime comunista tambem. Além do mais, é claro que existem alguns que criticam o levantamento de mortos dos regimes comunistas. Assim como são os negacionistas do Holocausto. Claro que o link que postei apresenta a opinião de críticos, mas não é uma contestação científica, mas só uma opinião como é o negacionismo. Ambos, é claro, carecem de validação científica, enquanto que os métodos utilizados no livro são bem documentados 🙂

    • Cotrim, só para te ajudar:

      “Não há consenso entre os historiadores sobre o número de vítmas da repressão nos países do bloco socialista. Alguns põem o número de vítimas muito mais alto do que no Livro negro, mas outros dizem que o número é mais baixo. Por exemplo, as estimativas para o regime de Estaline na União Soviética vão entre os 20 e os 60 milhões,[7] e os de Mao Tsé Tung na China entre os 19,5 e os 75 milhões.[8] Os autores do Livro negro defendem as suas estimativas para a União Soviética (20 milhões) e para a Europa de Leste (1 milhão) dizendo que usaram fontes que não estavam disponíveis a investigadores anteriores (os arquivos mencionados anteriormente). Ao mesmo tempo, os autores reconhecem que as estimativas para a China e outros países ainda governadas por partidos comunistas são incertas, uma vez que os seus arquivos ainda estão fechados. Nos anos recentes alguns autores publicaram estimativas progressivamente maiores das mortes provocadas por regimes comunistas; assim, livros recentes como Mao: A história desconhecida e Um século de violência na Rússia Soviética defenderam números de mortos mais elevados para a China e a Rússia respectivamente.”

  3. ”enquanto que os métodos utilizados no livro são bem documentados”

    e criticados

    ”Mas vítimas da fome causada pelo estado são também crimes de guerra. Ora, se o estado confisca propriedades e deixa cidadãos à míngua, isso é um crime comunista tambem.”

    Sendo assim podemos considera as vitimas do colonialismo como crimes do capitalismo?

    • Claro que não, cotrim, o colonialismo INDEPENDE do capitalismo. Na verdade, é muito anterior ao capitalismo.

      E tem mais um detalhe: todos os crimes do nazismo e do fascismo vão para a conta da ESQUERDA, mas não do comunismo (que é só um dos tipos de esquerda).

      Como mostrei, realmente há críticos do livro, mas são como os negacionistas do Holocausto. Há livros posteriores que, de forma muito bem documentada, até aumentam a contagem de mortos vistas no Livro Negro do Comunismo.

  4. ”Há livros posteriores que, de forma muito bem documentada, até aumentam a contagem de mortos vistas no Livro Negro do Comunismo.”

    Quais?

    ”Como mostrei, realmente há críticos do livro, mas são como os negacionistas do Holocausto.”

    Os críticos do livro não negam os crimes dos comunistas,eles criticam o método usado pelo livro para somar os crimes de estado.

    • Eu já citei aqui: “Nos anos recentes alguns autores publicaram estimativas progressivamente maiores das mortes provocadas por regimes comunistas; assim, livros recentes como Mao: A história desconhecida e Um século de violência na Rússia Soviética defenderam números de mortos mais elevados para a China e a Rússia respectivamente.””

      Esse “Mao, a História Desconhecida” eu possuo, muito bom.

  5. ”E tem mais um detalhe: todos os crimes do nazismo e do fascismo vão para a conta da ESQUERDA, mas não do comunismo (que é só um dos tipos de esquerda).”

    porque os crimes do fascismo vão para a esquerda?

    • Fascismo: estado inchado, coletivismo, promessas utópicas, criação de bodes expiatórios contra as utopias. É mais um tipo de esquerda.

      • Fascismo e nazismo possuem:
        – estado inchado
        – visão coletivista, ao invés da visão individualista
        – tem origens no humanismo
        – são religiões políticas

        APRESENTE você um argumento para que fascismo e nazismo sejam considerados mais à direita do que à esquerda.

        Não vale dizer que “nazismo e fascismo eram contra o comunismo”, pois o comunismo não é a única forma de religião política (esquerda).

    • Porque o fascismo é espécie do gênero “esquerda”, o que já foi explicitado pelo Luciano abaixo.

      Deve-se sempre ter em mente que há “duas” direitas: a conservadora e a liberal. Os postulados do fascismo e do nazismo (que são parecidos, mas não exatamente iguais) são contrários simultaneamente às bases tanto da direita conservadora quanto da direita liberal, suplantando as diferenças entre elas. Ou seja, as direitas conservadora e liberal têm vários pontos de conflito entre si; mas, no que têm de comum, estão frontalmente em oposição ao nazi-fascismo.

      Ademais, a correlação entre o nazi-fascismo e os socialismos soviético e maoísta só encontra resistência (acadêmica e na imprensa) na América Latina, em geral, e no Brasil, especialmente (Cuba,claro). A estratégia gramsciana e a atuação dos integrantes do Foro de São Paulo explicam isso: basta entender o que são e como atuam os intelectuais orgânicos de Gramsci, para daí os identificar na História latino-americana recente. Nos EUA e na Europa (especialmente no leste europeu), a correlação é amplamente aceita, sendo mesmo um truísmo em alguns locais.

      O ponto nodal é que nazismo e fascismo são ideários claramente revolucionários, tanto quanto o binômio socialismo-comunismo, e não há nada mais antirrevolucionário do que o conservadorismo. Se o conservadorismo é de direita, o nazi-fascismo só pode ser de esquerda. O mesmo vale para todos os ideários revolucionários surgidos a partir da modernidade: o da Revolução Francesa; os já citados comunismo, fascismo, e nazismo; o positivismo de Auguste Comte…

      Recomendo que você assista a todos os vídeos do primeiro post (inclusive o que eu postei nos comentários, e as partes subsequentes) e leia o segundo:
      http://lucianoayan.com/2012/02/25/olavo-de-carvalho-a-estrutura-da-mente-revolucionaria/
      http://lucianoayan.com/2010/03/14/desvendando-a-ilusao-do-neo-ateismo-pt-2-a-interpretacao-delirante-e-a-mente-revolucionaria/

      Entendendo o que é a mente revolucionária, fica fácil caracterizar como revolucionário o nazi-fascimo; sendo a direita, mormente a conservadora, antirrevolucionária por natureza e definição, o nazi-fascismo, “a contrario sensu”, é de esquerda. Em suma: conheça o que de fato é (são) a(s) direita(s) e saberás o que é (são) a(s) esquerda(s).

      • Errata:

        Onde se lê “(Cuba, claro)”, leia-se “(excetuando-se Cuba, claro). A gente acaba pensando mais rápido do que consegue digitar…

      • Galera, acho a discussão totalmente desnecessária.
        Qual o objetivo de saber qual era o “menos pio”?
        As DUAS ideologias politicas tem seus pontos de EXTREMISMO e o que define um DITADOR não é a vertente politica e sim seu poder TOTALITÁRIO… AMBOS os regimes político, se discutirmos suas particularidades e filosofias, caem por terra se falarmos sobre um DITADOR…
        Hitler era DIREITA OU ESQUERDA? Hitler era DITADOR… PONTO… Se analisarmos ele, veremos tanto pontos de DIREITA como de ESQUERDA.
        Então, vamos parar de tentar colocar ele de um lado ou de outro… Pra que isso? Pra definirmos qual é bom? Mas como definir no meio de tanta podridão?
        Quanto analisarmos a politica com esse pensamento único, iremos sempre continuar na merda…!!!

  6. As ditaduras de esquerda matam mais por que os seres humanos têm preferência pela direita! Há muito mais gente fugindo de regimes de esquerda que dos de direita! Dai os esquerdistas têm que apelar para o medo e a força com muito mais intensidade!

Deixe uma resposta