Inclusão ateísta cria novos parâmetros para o show de ridículo neo ateu: agora é a hora do confessionário ateu

6
47

O blog “Bar do Ateu” abriu uma seção que, pasme, serve para que os ateus contem sua história. É um relato mais fanático ou delirante do que o outro.

O relato 34, de Augusto Gonzaga, inclui a pérola:

Minha opinião, DEUS judaico-cristão, assim como todas as culturas foi criado pra suprir a sensação de um homem Nu, o Homem não tem coragem de dizer que é o ser mais poderoso do universo, que pode matar, criar, modificar, acabar, transformar, e tudo mais. DEUS e a bíblia foi criado há milênios por homens, digamos, ignorantes, no meio do deserto, a ponto de ter como suprir, como já disse: essa nudez. . .

Na verdade, é o oposto, pois o cristianismo reconhece o homem como falível, e por isso defende a eterna luta por contenção dos seus instintos primais. Já o humanismo defende o ser humano como um “ser especial, que pode criar o paraíso em Terra”.

Já o Paulo César (relato 33) tenta copiar os religiosos neo pentecostais:

Sempre tive um receio ao falar que era ateu pras pessoas, hoje é uma coisa que gosto de contar abertamente. Sobre a mudança eu larguei o álcool, festas, más companhias.

Pergunta: o que tem a ver ateísmo com largar álcool, festas e más companhias? Piada.

O restante dos posts não apresenta nada muito além disso.

Os fatos são os seguintes: o neo ateísmo gerou uma popularização de ateísmo, criando uma legião de ateus que não tem sequer estrutura psicológica de pensar em termos lógicos e estruturando suas idéias por silogismos. Aquela mulher que cozinha no bar e é evangélica fervorosa vai pelo mesmo caminho.

É nesse ponto que vemos que o neo ateísmo pode ter criado um aspecto extremamente vulnerável para o ateísmo. A criação do “ateu popular”, que se manifesta achando que serve como representação de ateísmo.

Se quiserem, esmiucem cada post dessa seção do blog “Bar do Ateu”. A abertura ao ridículo é tamanha que é lícito dizer que aquele religioso mais humilde, como pode ser sua empregada doméstica, já encontra seus pares nos ateus mais humildes.

É a definitiva inclusão ateísta.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. “Na verdade, é o oposto”:

    Você não decretou nada, é só sua opinião, como sujeito lá tem a dele.

    “Pergunta: o que tem a ver ateísmo com largar álcool, festas e más companhias? Piada.”:

    A correlação dessas coisas com ateísmo provavelmente não vieram de forma de primária, é apenas uma referência ao fato de que RELIGIOSOS FAZEM ESSA CORRELAÇÃO DIRETA afirmando que “só deus salva” e religião/deus são o correto e único caminho para evitar essas coisas.

    • Você não decretou nada, é só sua opinião, como sujeito lá tem a dele.

      Mas a opinião dele é baseada em uma distorção do que os cristãos afirmam, e apontei isso. Não é “opinião”.

      A correlação dessas coisas com ateísmo provavelmente não vieram de forma de primária, é apenas uma referência ao fato de que RELIGIOSOS FAZEM ESSA CORRELAÇÃO DIRETA afirmando que “só deus salva” e religião/deus são o correto e único caminho para evitar essas coisas.

      Quer dizer que o erro de alguns religiosos justifica o erro de neo ateus? hehehehehe.

      Quando ele diz “Sobre a mudança eu larguei o álcool, festas, más companhias.”, ele está associando a mudança ao ateísmo, e reforçou tudo o que afirmei dele. Está parecendo aquelas versões mais populares dos neo pentecostais.

    • Pergunta para os psicólogos que trabalham com viciados para ver o papel da religião na cura deles. Nunca ví ex-drogado por ter virado ateu, o contrário é que acontece muito.
      E a correlação é clara, assim que a pessoas não têm mais um propósito na vida, a qualquer oscilação negativa na vida tende a procurar uma fuga – se não o suicídio, os vícios.
      Isso é tão intuitivo que chega a ser piada falar que ateismo ajuda alguém. E de fato, num mundo sem Deus, sequer têm importância se ateu está “limpo” ou não, ele que se degrade como os seus impulsos lhe dizem para fazer – isso é viver o ateismo real.

  2. É interessante notar que o discurso neo ateu de que o atéismo não é responsável
    por muitas maldades começa a cair por terra.
    É evidente que o ateísmo induz a atos de maldade assim como algumas religiões.
    Inocentar o ateísmo dos genocidas é o mesmo que separar a inquisição dos católicos.
    O “testemunhos” do bar ateu, não me deixam dúvidas.

  3. ´´Oque?
    Não existe Deus, pos morte, significado objetivo p a minha vida e nem pro universo, tudo não pasa de um acidente sem proposito?
    Que noticia marvilhosa! Posso ser livre de verdade!!!“

  4. Quando fui colocado dentro de uma religião por minha família, tive o sentimento que estava bem mas quando estava com vinte anos resolvi repensar a vida e questionar , fazer uma análise sistemática de minha vida. e encontrei no ateísmo a grande liberdade e razão para a vida. cinquenta anos de vida ateu muito bem vivida tenho expectativa de mais vinte anos,isto é FELICIDADE.

Deixe uma resposta