A teoria das janelas quebradas não perdoa: Igreja católica é alvo de pichações e “blasfêmias”

19
183

Fonte:  O Paraná

Santa Helena– A comunidade católica de Santa Helena e da região Oeste está escandalizada com um ato de vandalismo registrado na madrugada de ontem, em Santa Helena. As paredes laterais da Igreja Católica Santo Antonio foi pichada com palavras ofensivas contra Deus e a religião. Ainda não há suspeitos de terem praticado a ação. A queixa foi prestada na delegacia de Polícia Civil. As investigações já foram iniciadas. Além das frases agressivas, os vândalos desenharam uma cruz de ponta cabeça, simbolizando o anticristo e figuras caracterizando anarquia. “Pequenas igrejas, grandes negócios”, era uma das frases pichadas em vermelho.

O padre Gringo, responsável pela paróquia, era a imagem da desolação. Sentado em frente à igreja ele tentava entender o que leva uma pessoa ou mais a adotar uma postura como essa. Ontem pela manhã, a Paróquia Santo Antonio emitiu nota sobre o caso. “A legislação brasileira dá o direito de expressão a todos os cidadãos, mas também exige respeito pelo patrimônio alheio, inclusive criminalizando atos de vandalismo e pichação”, diz um dos trechos.

Os atos foram considerados como blasfêmia, que no dicionário é descrito como ultraje a algo considerado sagrado, a uma divindade ou religião; palavras ofensivas e insultantes contra uma pessoa ou objetos dignos de respeito.

“Como crimes previstos na legislação, exigimos que as autoridades competentes investiguem e solucionem o caso”, continua a nota. Padre Gringo aproveita para emitir um sinal de alerta na sociedade “que deixou os valores fundamentais de lado e o respeito ao próximo, à família e o amor de Deus”.

Sociedade cobra punição aos autores de vandalismo

A sociedade de Santa Helena cobra punição rigorosa aos autores das pichações nas paredas da igreja católica Santo Antonio, em Santa Helena. O misto de revolta é dissipado na cidade.

Para o proprietário do Hotel Grande Lago, Edson Goldoni, ninguém tem o direito de se manifestar dessa maneira. “Cada um deve ter a sua opinião e sua ideologia, mas não pode ofender uma sociedade inteira”, comenta. “Se não gosta de religião, essa pessoa que fique no canto dela sem agredir as outras, seja da forma que for”. Para ele, trata-se de “uma brincadeira de mau gosto”.

O administrador da Farmácia Real, Airton Lindner, considera que essa atitude é resultado da ação de adolescentes. “É preciso buscar os verdadeiros culpados e puni-los conforme a lei”.

Crimes contra a religião

Em 2008, surgiu no Congresso uma proposta para punir os autores de agressão à crença religiosa, perturbação de culto ou desrespeito público de ato ou objeto religioso. A pena prevista é de um a três anos de reclusão. Caso fosse empregada a violência, a pena seria aumentada em um terço.

Atualmente, o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) prevê detenção de um mês a um ano ou multa para esse tipo de crime. A proposta revoga o artigo do Código Penal, transferindo-o para Lei Antirracismo (7.716/89), que “constitui diploma legal específico que já trata dos crimes resultantes de discriminação ou preconceito”, conforme lembra o deputado.

Meus comentários

Quando eu publiquei um texto em 2011 sobre a teoria das janelas quebradas, era exatamente a isso que eu me referia.

A tolerância à pequenos delitos levará à criação de um cenário de caos.

Pois essa “tolerância”, misturada com ingenuidade extrema, transmite uma mensagem não verbal, que é a seguinte: “pode fazer mais, por favor”.

O que os neo ateus tem feito desde o seu advento? Ridicularizar os cristãos, transformá-los em bodes expiatórios de todos os males da humanidade, e dizer quer o mundo somente será um lugar aceitável quando os cristãos e demais religiosos tradicionais não estiverem por perto.

O que os cristãos e outros religiosos deveriam ter feito? Contra-atacar, chamá-los de mentirosos (mostrando as evidências da fraude), e principalmente partir para a ofensiva contra o esquerdismo (especialmente o humanismo), demonstrando que esta ideologia é mais perigosa do que todas as religiões tradicionais. Deveriam criar rejeição social aos neo ateus, taxando-os como “nocivos” para a sociedade.

Ao optar pela via do pacifismo, no entanto, a maioria dos cristãos ignorou a lei das janelas quebradas e implicitamente pediu “por favor, avancem mais, façam o que quiserem”.

A consequência ia dar nisso.

Edson Goldoni, proprietário do Hotel Grande Lago, disse: “mas não pode ofender uma sociedade inteira”. Mas se a mensagem passada pelos cristãos mansos foi a de que outros PODERIAM FAZER O QUE QUISESSEM, eles simplesmente estão fazendo o que foi pedido de forma não verbal.

Há uma parte relevante da notícia: “O padre Gringo, responsável pela paróquia, era a imagem da desolação. Sentado em frente à igreja ele tentava entender o que leva uma pessoa ou mais a adotar uma postura como essa.”

Não há o que se “tentar entender”, pois a resposta é óbvia demais. O pacifismo covarde foi o estímulo que os anti-religiosos precisavam para avançar mais ainda em suas ofensas aos religiosos.

Aos pacifistas (e sei que a maioria dos leitores deste blog não está entre eles) só uma constatação cruel: vocês são parte do problema.

Se essas pichações incomodam, posso dizer que ainda não viram nada. Isso é café pequeno perto do que está por vir.

Anúncios

19 COMMENTS

  1. Já até vejo a reação de alguns neo-ateus a notícia: “se a polícia não investiga pixações feitas em casas e apartamentos, por que deveria dar atenção especial a uma igreja? O estado é laico!”

    Realmente uma pena.

    • Vi alguns pontos, mas o Adilson já refutou adequadamente as falácias e mentiras do Carrier. Veja os comentários deste post:

      http://lucianoayan.com/2012/04/21/o-ceticismo-de-combate-como-a-bala-de-prata-contra-a-esquerda/

      Alguns pontos do discurso, como sempre histérico, delirante e empolgado, do Bruno Almeida:

      Carrier, com um simples apanhado quase que no nível de revisão bibliográfica e com uma contra-argumentação simples do ponto de vista lógico, conseguiu fazer um estrago considerável, praticamente irreparável.

      Primeiramente, eu não sei por que Bruno Almeida se lembrou de mim em um post que seria uma propaganda pró-paganismo e anti-cristã.

      Entretanto, mesmo que eu não tenha procuração para defender o cristianismo, é claro que Carrier mentiu compulsivamente.

      Ele tentou transformar algumas práticas de pesquisas da época pagã em “ciência moderna”. Todo o texto, se vocês perceberem, é a repetição deste truque.

      A alegação de Dinesh D’Souza é que o cristianismo é responsável pela ciência moderna (que envolve método científico), não pela ciência primitiva e muito menos pela construção de “lanças” feitas por alguns macacos.

      Na distorção entre “ciência moderna” e “ciência primitiva”, é que se baseia todo o enrolation de Carrier.

      Para a festa ficar completa, só faltam as respostas do Snowball, do Luciano Ayan (que vai usar seu agnosticismo versão “crente disfarçado” para tirar o corpo fora) e do Razzo. Será que vão ter coragem? Ou será que vão inventar 200 falácias novas para criar uma cortina de fumaça e não responder nada?

      Bruno aqui segue em seu delírio eterno em relação a este blog.

      Eu também acho que já existiu ciência primitiva nos tempos dos gregos, e existiam grupos de pesquisa (e protótipos de universidades). Mas o conceito de “universidade” na Grécia Antiga é bem rústico.

      Os fatos são os seguintes. Reconhecer os méritos dos gregos é algo que não me incomoda, mas fantasiar para dizer que os gregos criaram a “ciência moderna” é delírio demais.

      Um ataque mais lúcido que eles poderiam ter feito ao cristianismo é dizer que a “busca da verdade” é um mecanismo evolutivo que de DESENVOLVEU no cristianismo, mas poderia ter se desenvolvido em outra cultura.

      Mas há um ponto contra o humanismo, em que a “busca da verdade” é abandonada, trocada por um discurso cientificista, que só prejudica a ciência.

      Nada disso sustenta o texto de Carrier, que é um apelo emocional anti-religioso, antes de ser de fato um texto argumentativo.

      Se é isso que os neo ateus consideram como uma “vitória”, só tenho pena a sentir deles. Estão cada vez mais desesperados.

      P.S.: Antes de Bruno querer fazer chacota com alguém, melhor ele aprender a se “desprender” emocionalmente das questões que defende.

  2. Essa do Bruno é a melhor: Talvez sejam conservadores funcionais, sendo manipulados por autores que detectaram sua carência afetiva gerada pela supremacia naturalista e pelo fracasso cristão quando governou o mundo e escreveu livros distorcidos para que esses trouxas divulgassem e dessem bastante lucro.

    Mas são os humanistas que projetam a carência afetiva deles em outros homens, com sua crença no homem achando que líderes “do bem” vão criar o paraíso na Terra. Hoje vemos o fracasso anunciado do humanismo, que está começando a ser alvo de chacota, assim como a religião revelada foi no passado. O Bruno sabe que ele só serve para dar poder aos beneficiários, e que ele é um funcional, e tenta projetar o seu funcionalismo nos outros. A refutação ao texto do Carrier foi fácil demais. Os neo-ateus comemoraram antes da hora.

  3. Ola Luciano! já acompanho seu trabalho aqui a algum tempo,mas é a primeira vez que comento.
    Meu comentário não tem nada a ver com esse post.É sobre um post seu onde você cita os PUA’s.Como eles realmente fazem para “conquistar” a mulher? eles apenas usam controle de frame? estruturam historias para que deem a impressão de que eles tem as qualidades/características de que são um macho não necessitado,protetor de próximos,líder de outros machos,etc?

    PS: Com todo seu conhecimento você também é um PUA? Ou sei lá,poderia facilmente fazer as coisas que eles fazem?
    Isso procede?

    • Olha, Veltman, eu sou adepto da Dinâmica Social, não da metodologia PUA, embora pelo que eu tenha visto ela aparentemente funciona em alguns aspectos. Mas nunca fui a fundo no uso de algumas técnicas (especialmente abordagens de campo), portanto não sou o melhor para falar a respeito.

      A parte que gosto da metodologia dos PUAs é no estudo da natureza humana, especialmente no ambito sexual. Eu também sou cético em relação a algumas coisas que os PUAs prometem. A idéia de que um ignóbil vai pegar uma HB10 é ilusória, a meu ver.

      Portanto, mesmo que a Dinâmica Social seja poderosa como ramo de estudo, não vejo que o universo PUA seja tudo aquilo que oferecem. Há muito de marketing ali também.

      Acho que respondi sua pergunta (não, não sou um PUA, e não pretendo sê-lo, eu sou um “natural” rs.), e talvez não tenha sido a resposta esperada.

      • É,respondeu sim.Obrigado por isso!
        Bom,você fala muito sobre controle de frame.Se o controle de frame funciona em discursos políticos,um “discurso” com controle de frame para transmitir a ideia para a mulher de que você tem um valor alto de Sobrevivência e Reprodução também deve funcionar,certo?

        Sou um grande fã do seu Blog.Abraços.

      • Olha Veltman, eu acho que deve funcionar sim. Mas uma coisa que eu sou cético é o seguinte. A idéia de que um cara esteticamente nota 5, que não tenha muita grana, pode pegar mulheres nota 10 somente com as técnicas. Eu duvido disso. Acho que um cara nota 8, com certeza poderá pegar uma nota 10. Os PUAs dizem que “é possível pegar qualquer mulher”. Duvido disso.

        Outro ponto que eu questiono é o seguinte. Muitas rotinas dos PUAs se tornam manjadas com o tempo, e não funcionam mais. É a partir daí que uma rotina pode deixar de transmitir a idéia para a mulher de que o cara tem alto valor de Sobrevivência e Reprodução, como também mostrar que o sujeito depende dessas técnicas para gerar algum efeito. Esse foi o risco da popularização dos PUAs.

        Obrigado pela participação, Abs, LH.

        P.S.: Por isso minha dica é. É bom ler o material dos PUAs. E testar um tanto dele. Mas o ceticismo é bastante útil e ajuda a não passar carão em alguns momentos.

  4. Eita, até eu que tô quietinho estudando levei.
    Bruno, o Carrier é um fanfarrão, tá na pré-adolescência filosófica. Seu texto está abaixo da crítica, uma sacudida e despenca aquele amontoado de adjetivos dos quais ela precisa usar pra literalmente encher à linguiça e, claro, agradar a turminha. E outra: às opções que vc oferece “ou teremos coragem ou apresentaremos 200 falácias”, ou seja, você pressupõe que não refutaremos já demonstra o tipo de leitor que se convence com as coisas dele. Passe bem!

  5. Bruno Almeida respondendo a mim:

    “Que pena. Ele perdeu mais tempo cuidando de mim do que do Gilmar. Eu digo, é uma pena que eu estava certo quanto ao fato de que ele ia tirar o corpo fora. Tirou bonito.

    E qual a tática dele? Vejam esse trecho:

    “Primeiramente, eu não sei por que Bruno Almeida se lembrou de mim em um post que seria uma propaganda pró-paganismo e anti-cristã.”

    Isso mostra que o Luciano NÃO LEU o artigo. That simple. Se tivesse lido teria notado que há uns cinco links para textos escritos por ELE. Não fui quem lembrou de você meu caro, o texto é uma referência a você. Então de duas uma: ou não leu, ou está mentindo. Qual você escolhe?

    “Entretanto, mesmo que eu não tenha procuração para defender o cristianismo, é claro que Carrier mentiu compulsivamente.”

    Lembram quando eu disse que ele ia usar o agnosticismo-fake dele (que ele esconde da mamãe para não ser expulso de casa) para tirar o corpo fora. To falando… to falando… só os leitores sofisticados dele que caem. Lógico, quem duvida do Lociano vai pro Inferno sem escala no purgatório. E outra, como ele sabe que o Carrier mentiu compulsivamente? O fato de não saber nem os links postados como Notas do Tradutor mostram que ele não leu o texto! Aiaiai…

    “Os fatos são os seguintes. Reconhecer os méritos dos gregos é algo que não me incomoda, mas fantasiar para dizer que os gregos criaram a “ciência moderna” é delírio demais.”

    Uai, agora eu fiquei confuso. Afinal, o Carrier mentiu compulsivamente ou não? Ou o Ayan não se importa em reconhecer os méritos de uma mentira esquerdista? Ai, essa nem Deus entenderia, se existisse.

    “P.S.: Antes de Bruno querer fazer chacota com alguém, melhor ele aprender a se “desprender” emocionalmente das questões que defende.”

    Nossa, agora você virou meu guru. O macho-alfa sem sentimentos. O machão que mete, dá o dinheiro do taxi e vai embora sem dizer tchau. O cara que determina os critérios de quem pode fazer chacota ou não. Aliás… gostei da brincadeira. Vamos continuar?

    Meu come é Marco Aurélio Suriani, tenho 24 anos de idade, faço pós em Engenharia Mecânica e trabalho neste laboratório aqui: http://www.dirco.ufu.br/sites/dirco.ufu.br/files/Modelo%20UFU%20na%20m%C3%ADdia%2005-07%20e%2006-07.pdf

    PS.: Antes do Luciano fazer chacota com alguém, melhor ele aprender a se identificar e não se esconder atrás de um fake covarde e ridículo que nem uma donzela. Dorme com essa.”

    ——————————————————————————————————————

    Eu respondendo de volta a ele

    “O Bruno Almeida provavelmente está traumatizado com o Luciano, vendo-o em todos os cantos. Isso já é um problema sexual. A parte de dizer o nome e onde trabalha também é uma baixaria. Não, não sou o Luciano, mas leio o blog dele e postarei esse desafio lá também.

    As refutações ao texto do Carrier são fáceis demais:

    a – ele confundiu de propósito ciência primitiva com ciência moderna, e tentou enrolar o leitor, pois o que Dinesh disse era da responsabilidade do cristianismo para com a ciencia moderna, não a primitiva
    b – ele tentou dizer que não existiu “revolução científica” na era medieval, mas isso não significa ciência moderna, o termo “revolução científica” era mais retórico que prático
    c – a cereja do bolo é quando ele diz que os cristãos que fizeram ciência tinham que “se esconder” ou “fingir”, realizando leitura mental, apelação que o Carrier já tinha feito quando tentou dizer que Antony Flew ao dizer que acreditava em deus não queria dizer isso na verdade

    São 3 truques de baixíssimo nível que não vale nem a pena comentar.

    O texto é longo demais e não passa da repetição destes 3 truques.

    É muito trovão para pouca chuva, ou melhor, é muito peido para pouca merda.”

  6. Mais uma refutação à Dalila:

    “Dalila, você não judiou de mim. Usou o mesmo trelelê de antes e não conseguiu refutar nenhuma de minhas 3 refutações que aniquilaram todo o texto do Carrier (você vai ter que comprar novos livros de truques neo ateus).

    Alguns pontos

    a – Em que trecho do artigo o Carrier sugere que os apologistas cristãos reivindicam o mérito pelas realizações dos antigos?

    O fato é que os apologistas cristãos afirmam o mérito cristão pela ciência moderna, estruturada, não a ciência primitiva. É onde Carrier falha de forma patética.

    b – Se nunca existiu Revolução Científica alguma (o curioso é que uma das mais célebres e influentes obras de filosofia da ciência chama-se “A estrutura das REVOLUÇÔES CIENTÍFICAS”, e até onde sei tenta refutar a noção positivista de um progresso contínuo e linear do saber científico que o Adilson está invocando), e se a ciência progride lenta, gradativa e cumulativamente, você é obrigado a reconhecer que os antigos possuíram sim ciência, mas não em grande quantidade.

    Eu disse que os antigos possuíam ciência, mas uma ciência rústica e não estruturada, como a ciência moderna, surgida no cristianismo. Esse é o outro truque de Carrier. Confundir ciência primitiva com ciência moderna.

    c – Embora você possa objetar que este exemplo na verdade respalda a tese de que o Cristianismo propiciou o surgimento da ciência moderna, estou a oferece-lo aqui para ilustrar a tese de que doutrinas que entrassem em conflito com os dogmas da Igreja eram sim censuradas na Idade Média, e os pensadores medievais eram ou forçados a abandona-las ou a encontrar formulações que aparentemente as conciliassem com os dogmas da Igreja. Ou vc vai ter coragem de dizer aqui que quem afirma que foi o medo de sofrer perseguição das autoridades que obrigou os pensadores a formular alternativas à filosofia aristotélica está cometendo leitura mental?

    Com certeza é leitura mental, pois se a ciência moderna surgiu no cerne das instituições cristãs, a investigação científica não era bloqueada pela Igreja. No máximo isso ocorria em pequenas polêmicas, que não eram tão relevantes cientificamente. É como hoje existem os humanistas que proibem dissidência à crença no aquedimento global. Isso não significa que os humanistas sejam contra o desenvolvimento científico e nem que os cristãos eram. Recentemente, um pesquisador de psicologia evolutiva foi banido por humanistas por publicar uma pesquisa série mostrando que países africanos tinham menores índices de QI. Essas pequenas censuras não configuram uma proibição à ciência como um todo, e são exatamente iguais às pequenas censuras feitas pela Igreja Católica em pontos polêmicos. No geral, a grande responsabilidade pela ciência moderna é da Igreja Católica, e você sabe disso. Por isso está tão irritado…

    Sinto muito, meu caro, mas como investigador de ateus você dá um ótimo garoto de recados do macho-alfa dos conservopatas. Vai lá agora chorar no colo dele e falar que os neoateus sem caráter judiaram de vc.

    Eu sinto muito por você, mas sua crença cega nos autores humanistas lhe fez perder a razão, e você está emocionalmente tão ligado à isso que nao consegue manter a calma. Dalila, seu trunfo baseado no Carrier foi demolido em 3 objeções, que farei questão de transmitir no blog do Luciano. Parece que você foi lá comemorar vitória antes da hora, há algum tempo. É com gostinho especial que mostro que sua comemoração foi em vão.”

  7. Na espanha estão queimando igrejas..já logo isso pode acontecer no Brasil, Eu, particularmente, nunca imaginei isso acontecer num país como Brasil, mas pra mexer com o que tá quieto aparece um monte de idiotas..caminhada da maconha, pró abortos e todo tipo de desocupados

Deixe uma resposta