Inversão de valores na marcha das vadias em Brasília/DF: Agredir agora é lutar contra a agressão

24
50

@

O vídeo acima mostra um sujeito que fez troça da Marcha das Vadias em Brasília/DF, e logo em seguida foi ameaçado pelas barangas enlouquecidas.

Uma das bandeiras da Marcha das Vadias (embora eu nunca tenha levado a sério o discurso delas) seria a “luta contra a agressão” contra mulheres. Mas aí elas partem para a agressão contra alguém que não concorda com elas.

Como são mulheres, e fisicamente inferiores no quesito força física, atacam em bando. Ora, se víssemos homens agredindo um outro homem, poderíamos chamá-lo de covarde. Como são mulheres, por que não podemos chamá-las da mesma forma?

Dirão as feministas que ele era “contra a causa”, e portanto tudo que for feito contra ele está a priori justificado.

O feminismo é assim, pois é uma divisão do esquerdismo. E, com o esquerdismo, vem a ausência completa de freio moral para qualquer ato que seja cometido pelo grupo: tudo está a priori justificado, incluindo violência.

Anúncios

24 COMMENTS

  1. Realmente essas malucas confirmam todas as suas teses sobre o esquerdismo.
    Quando o blog voltou à ativa, eu ainda achava essas teses um exagero, especialmente as da tolerância ao crime. Porém eu tive que mudar de opinião ao ver na prática como isso ocorre.
    Do blog das vadias:
    http://marchadasvadiasdf.wordpress.com/2012/02/17/quem-o-machismo-matou-hoje/
    O que seria isso além de uma tentativa extremamente desonesta de se colocar a culpa de crimes violentos na sociedade, como uma pura tentativa de capitalização política? É a boa e velha desumanização dos criminosos em prática.

    • Quem cita Veja em seus comentários não tem nem direito de ser lido.
      E, embora essas mulheres dessa Marcha das Vadias do DF terem cometido um grave erro, não se justifica a desvalorização total do movimento. Além disso, as mulheres precisamos, sim, lutar contra o machismo ainda forte na nossa sociedade. Ninguém quer ser cantada, estuprada, oprimida, reprimida ao volante, nem receber menor salário.

      • Carol, este truque psicológico de “proibir o direito de opinião” de quem “le a Veja” não cola aqui.

        Aliás, partes engraçadas em seu texto:

        “ninguém quer ser cantada” <- estranho, pois sabe-se que mtas mulheres tem reclamado que os homens atuais não tem "chegada"
        "estuprada" <- passeata não fará nada para impedir um estupro
        "oprimida" <- que opressão
        "reprimida ao volante" <- delírio. a chance de uma mulher tomar uma surra ao volante é muito menor do que a de um homem tomar uma surra…
        "nem receber menor salário" <- já foram publicadas pesquisas que o salário da mulher é menor, em média, pois muitas delas optam por ter filhos também, ao invés da carreira…

        Enfim, suas demandas são todas patéticas. Essa "Marcha das Vadias", é apenas uma mania.

      • Concordo contigo, Carol! E queria comentar sobre esse filhote ali embaixo, o lucianohenrique. Ele disse que mulher ganha menos porque opta em ter filho. E o homem pai dessa criança, o “optar por ter um filho” serve pra carreira dele também?

      • Desde que você demonstre que o homem também fica debilitado fisicamente antes do filho nascer, e precisa de uma licença de 6 meses APÓS o nascimento, sim. Recentemente, tivemos o caso de uma operação crítica (e que paga os melhores salários, em média 30% acima das outras), onde uma gerente de projetos chegou e já engravidou. Mandamos ela para uma operação mais light, e ELA ATÉ GOSTOU. Perdeu o bônus, mas o filhinho dela está para nascer. É, Mariane, o mundo real é diferente do mundo idealizado pelas feministas. Ninguém paga menos para mulheres por que “quer”, mas sim os salários médios das mulheres são menores por questões puramente contingenciais e que não podem ser mudadas. Por isso, não adianta “concordar com Carol”, mas sim apresentar um argumento para darmos o mesmo salário a uma gerente com 10 anos de casa, e que ficou grávida 2 vezes, e um outro gerente, com a mesma competencia e 10 anos de casa, e que jamais tirou uma licença. Sorry, dear, este é o blog da verdade nua e crua.

      • Como feministas são hipócritas. Dizem lutar por liberdade de expressão, daí vem essa anta querendo censurar a opinião dos outros porque o cara le Veja. Pqp, comentário ridículo…

        “E, embora essas mulheres dessa Marcha das Vadias do DF terem cometido um grave erro, não se justifica a desvalorização total do movimento”

        Embora o cara tenha citado Veja, isso não é motivo para deixar de ler o comentário dele, e ai?

        Pqp, hipocrisia é o grito de guerra dessas feministas…

      • Engraçado… Mulheres reclamam que querem colocar uma roupa curta sem serem olhadas por homens e nem serem cantadas. Mas basta sair um dia na rua sem que nenhum g homem a olhe achando-as sexy e nem as “cante” pra que essas mesmas mulheres comecem a achar que tem algo de errado em si já que ninguem mais olha pra elas. Começa a pensar se realmente não é mais bonita. E nem vem com o papo furado que não cola eu sei que é assim pq já vi mtas mulheres pensando assim!!!

  2. Essa marcha das vadias se traduz por si so, pelo nome. Quem diz-se lutandocotra a violencia agredir opositores e insanidade, hipocrisia. As mulheres querem garantir coisas de que nao entendem e nao tem preparo, fisico e psiquico. Sou totalmemte contra a violencia, nao so contra a mulher, mas principalmente contra o bom senso.

  3. “O feminismo é assim, pois é uma divisão do esquerdismo.” Então os candidatos de direita abrem mão dos votos femininos? Afinal o sufrágio foi um movimento feminista.

    • Tony,

      Para começar, quando me refiro ao feminismo, falo do feminismo militante. Em segundo lugar, comparar “feminismo” com “votos femininos” é o cúmulo. Ter algo contra o feminismo não é o mesmo que ter algo contra as mulheres.

  4. Engraçado é que eu fico notando e pensando: essa marcha das vadias, as mulheres podem ficar fazendo gestos obscenos, denegrindo homens, andando peladas pra lá e pra cá, mostrando suas partes sem se importar ser tem criança perto e nada acontece com elas, um tanto de gente bate palmas, inclusive homens, que na minha opinião, por serem a favor de uma causa totalmente vazia e promíscua por ser obscena e pregar a promiscuidade naõ são homens de verdade. Agora quando é um homem que faz gestos obscenos e coloca o membro pra fora, ele é agredido e é preso. Não vejo coerência nisso, e acho um absurdo o que fizeram com esse cara.
    Quanto ao salário, também já li que existem pesquisas que homens acabam por ganhar mais do que as mulheres porque eles fazem mais do que é pedido, sempre superam seus limites, pedem aumento, e ainda negocião com a empresa, dizendo “ou me dá aumento ou me demito”. Já as mulheres, em sua grande manoiria, não tem iniciativa própria, fazem apenas aquilo que mandam elas fazerem e não têm coragem de chegar e pedir um aumento.

    • Sílvia, algumas marchas incluiram até crianças, em meio aos rompantes de raiva e obscenidade.

      Por isso, é importante deixar bem claro que as mulheres tem e devem lutar pelos seus direitos, pelo respeito que lhes é devido, pela sua valorização profissional. Porém, assim como nem tudo que reluz é ouro, não é uma manifestação feminista impregnada de fúria e desrespeito que granjeará a representatividade das mulheres. Por vezes, ocorre é o inverso.

      É sempre bom frisar essa questão, porque há muita gente achando que não concordar com essas marchas das vadias é a mesma coisa que ser contra as mulheres ou sentir-se superiores e melhores do que elas.

      • Não concordo de jeito nenhum com essa marcha. Acho rídicula e absurda e a cada ano fica fica pior. Elas nem sabem mais o que querem e pelo que lutam Mulheres têm muitos mais privilégios do que os homens. Sou a favor da equiparação salarial, sim, mas lutar dessa forma não vai levá-las a lugar a nenhum a ser serem usadas como chacota, pq as frases que elas usam são de cunho machista, elas objetificam elas mesmas do jneito estúpido que lutam, e elas são desinformadas, pois já se perderam e nem sabem mais pelo que lutar. Querem lutar, beleza! Façam do modo certo, se informem, estudem muito, façam projetos de lei, exijam que esses projetos sejam levados à plenários, cobrem do governo uma lei que equipare os salários, por exemplo. Mas também façam projetos de lei para uma sociedade mais justa para TODOS e não para elas, somente. Vejo muita vitimização, e falta de lógica e nexo nesse ofurô todo que está acontecendo.

        Elas ignoram o fato que de os privilégios do homem, por exemplo, é ser obrigado a servir exército e ser enviado pra sabe-se lá onde e o cara nem sabe se vai voltar vivo. Ignoram o fato de existirem centros de saúde voltados para a saúde da mulher e não existe isso para os homens.. Ignoram o fato de que existe Delegacia voltada para a mulher e não existe para os homens. Agressão não é só física, é moral também, e é crime. E já vi muita mulher escurraçando moralmente namorado, noivo, marido… E aí, eles vão recorrer a quem em assédio verbal?

        Pra mim, isso daí virou um tanto de adolescente mimamda rebelde sem causa “vamos tirar a roupa na rua e reclamar por reclamar” do que uma luta válida e justa.

        Náo sei se vc conhece esse blog, Eduardo, mas concordo com tudo o que está escrito nesse post: http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/06/mulheres-enojadas-com-as-marchas-das.html

      • Concordo plenamente com vc Silvia. Até pq essas mulheres querem acabar com o machismo que ninguem as chamem de galinha se saírem com dois homens na msm noite. Mas se uma amiga delas fazem isso elas são as primeiras em dizer que ela é uma vaca, galinha e etc. Foi uma coisa que eu li e concordo, essa marcha foi criada por um bando de meninas da classe media pq são inocentes, elas não tem o msm estilo de vida que uma mulher na periferia que fica mais exposta na minha opinião, e essas meninas tem mais dinheiro que a mulher na periferia pra poder pagar um advogado. E vc só pode ser chamar de vadia se vc estiver preparada para ser tratada como uma vadia. Digo psicologicamente e moralmente. Coisas que elas não tem….

  5. Vamos contar assim! A violência contra a mulher acaba! Não há mais estupro, o aborto é permitido e as mulheres podem transar com quem elas quiserem e com quantos quiserem e ninugem irá falar absolutamente nada. Já que é isso que a marcha prega. Olha que lindo! Mas ao mesmo tempo que tudo isso que vcs qrem cai o direito de estudar, trabalhar e votar! E aí? Quem seriamos nós agora?? Mulheres acordem! Existem coisas muitos mais importantes pra lutar e de maneiras mais pacificas de se conquistar o direito das mulheres. Que alias, tudo isso que a marcha prega não é um direito para mulheres mas sim, mulheres querendo ter a pior parte que os homens tem que até para homens isso é uma coisa ruim…

Deixe uma resposta