Nova Schin é acusada de discriminação contra travestis

10
65

@

Fonte: Yahoo Notícias

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) pediu nesta segunda-feira (28) ao Conar, órgão que regula a publicidade no Brasil, a retirada imediata do ar do comercial “Festa de São João”, da empresa Nova Schin, por discriminação contra travestis.

No vídeo, um homem descobre que a mulher pela qual está interessado é, na verdade, um travesti. Após o engano ele passa a ser motivo de piada dos amigos.

Em nota, a associação afirma que “o comercial contribui para referendar e banalizar essa discriminação, ridicularizando a personagem travestida”.

“Para entender nosso posicionamento, bastaria ridicularizar a personagem do comercial por causa da cor de sua pele ou por causa de sua raça, para perceber que o conteúdo é discriminatório”, disse a AGBLT em nota.

Meus comentários

Estava demorando para os gayzistas expandirem os conceitos na guerra cultural. Agora, basta NÃO TER O DESEJO por um travesti que isso já é considerado discriminação e, pasme, um crime.

A bem da verdade, o comercial (bobinho até) simplesmente mostra de forma irônica a situação onde um homem confunde um travesti com uma mulher. Se isso ocorresse na vida real, obviamente alguém ficaria assustado. A não ser que fosse gay, é claro.

A regra é clara, a partir dessa manifestação da ABGLT. Caso você confunda um travesti com uma mulher, vai ter que correr pro abraço. Se fugir, é preconceito.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. “‘Para entender nosso posicionamento, bastaria ridicularizar a personagem do comercial por causa da cor de sua pele ou por causa de sua raça, para perceber que o conteúdo é discriminatório”, disse a AGBLT em nota.’

    Mais uma vez o truque do paralelismo entre coisas que não que equivalem. Primeiro, “raça” não existe, é um nada biológico e não passa de uma construção conceitual ideológica. Segundo, “cor da pele” não é igual a travesti e racismo é um crime tipificado em lei, ao passo que ter preconceito contra travesti (o que já diferente do sentido estrito de “homofobia”) não é.

    Terceiro e mais importante: se um homem heterossexual de fenótipo causasiano não se sente SEXUALMENTE atraído por uma negra (ele só gosta de “branquela”!), é racismo? E se o objeto dessa não-atração fosse uma índia? Ou uma japonesa? Ou uma albina? Uma uma ruiva irlandesa (ele só gosta de “mulata”!)? Se fosse um negro tendo esse desdém por uma “branca azeda”, isso seria racismo ou o negro PODE não gostar de mulher branca (e dizer isso em voz alta)?

    É Luciano, eu sei que você é ateu mas… sério que você não começa a ter nem uma pontinha de fé no Apocalypse? rsrsrs

    • Em tempo: como exatamente o travesti foi ridicularizado? Por acaso um travesti não aquilo que o vídeo demosntra, um homem vestido e maqueado como uma mulher?

      • Igor, você está mais-do-que-certo. Sou alérgico a comerciais desde 1983 (graças ao livro “Hidden Persuaders” de Vance Packard), porém, graças ao teu oportuno comentário, fui até o YouTube conferir o tal anúncio. A propósito, quantos por-cento dos homens que se fantasiam de mulher durante o CARNAVAL seriam, de acordo com a ótica gayzista, “homossexuais recalcados” ? 😉

    • Oi de novo. Falando apenas por mim mesmo, deixei de ser ateu para ser uma agnóstico “fora-do-espaço” 🙂 Não sei se Deus existe, e duvido que ele se preocupe especialmente com os humanos terráqueos, porém os indícios da existência do Diabo estão cada vez mais difíceis de negar. 😉

  2. Pois é, Luciano. Veja só o que é “homofobia”:

    “Atualmente, o conceito de homofobia não se refere apenas a agressão física ou assassinato contra a população LGBT. Segundo a ABGLT, o conceito é mais amplo: “A homofobia é um conjunto de emoções negativas (tais como aversão, desprezo, ódio, desconfiança, desconforto ou medo), que costumam produzir ou vincular-se a preconceitos e mecanismos de discriminação e violência contra pessoas homossexuais, bissexuais e transgêneros (em especial, travestis e transexuais) e, mais genericamente, contra pessoas cuja expressão de gênero não se enquadra nos modelos hegemônicos de masculinidade e feminilidade. A homofobia, portanto, transcende a hostilidade e a violência contra LGBT e associa-se a pensamentos e estruturas hierarquizantes relativas a padrões relacionais e identitários de gênero, a um só tempo sexistas e heteronormativos”

    Confessam o crime e se orgulham disso.

    Retirado daqui
    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/economia/comercial-da-nova-schin-pode-ser-retirado-do-ar-por-incentivar-homofobia-5043097.html#ixzz1wRxrnHno

  3. E se o gay ir tentar pegar um travesti e ver que é uma mulher, e evitá-la. O que aconteceria? Que loucura.

    Me lembrei daquelas feministas que querem se empanturrar e ficar gordas pra lutar contra a tal “ditadura da beleza”. Será que também seremos obrigados a gostar das barangas obesas? Quer ser gorda? Que seja, só não ache que eu tenho obrigação de gostar disso.

Deixe uma resposta