Discussão sobre criminalização do bullying mostra as falhas na mente esquerdista

7
79

Segundo a Folha e vários outros meios de comunicação, a onda do momento para os legisladores nacionais é tentar aprovar a criminalização do bullying.

Isso significa que se alguém chamar o outro de “quatro olhos” ou “gordo”, estará sujeito a penas que podem chegar a 4 anos de prisão.

O grande problema, no entanto, é que a grande maioria do bullying ocorre contra crianças e é praticado POR crianças.

Ora, se menores não podem ser responsabilizados penalmente, como a esquerda irá resolver esse problema? Talvez seja assim: a impunidade aos menores poderia seguir valendo, MENOS para casos de bullying. Assim, se um jovem de 17 anos estuprar a vizinha, não será punido. Mas se chamar o outro de “magrelo”, pode ir para a cadeia. Ou é isso ou então a lei será inócua na quase totalidade dos casos.

Agora, suponhamos que os casos de “bullying” sejam praticados por adultos, ou pessoas acima de 18 anos. Por exemplo, rir de alguém no trabalho por ele usar uma camisa esquisita. Nesse caso, seria a pena de 4 anos de prisão?

Mas já sabemos onde isso vai dar. Bastará um homossexual se auto-afirmar como “discriminado”, que teríamos vários casos de bullying. Se o padre disser que o homossexualismo é um pecado, a “vítima” do bullying poderia pedir a prisão do padre. Mas e se um ateu disser que ler a Bíblia é errado, a “vítima” do bullying poderia pedir a prisão do ateu?

Esquerdistas poderiam se defender dizendo que “o bullying só vale no caso das minorias”. Quer dizer, um crime só é crime se for cometido contra uma parcela da população? Mas e o princípio da igualdade de direitos? Ou seja, alguém só poderia ser considerado vítima de bullying se pertencer a um grupo “segregado”, que automaticamente se tornaria privilegiado.

Como se nota, a sucessão de problemas técnicos se avoluma a cada análise.

Essa lei poderia já nascer como uma piada pronta, não fosse a malícia envolvida em sua implementação.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. “Essa lei poderia já nascer como uma piada pronta, não fosse a malícia envolvida em sua implementação.!”

    E como TUDO que o governo faz é jogo de palavas*… Bom sabemos o que esperar….

    * Exemplo: quando o governo corta a taxa de Juros e diz que isso beneficiará toda a população, na verdade está dizendo que está ajudando empresários cheios da grana que em contrapartida, TEORICAMENTE, melhorariam a condição financeira do ESTADO brasileiro e assim segue o raciocínio que é o mesmo que “ajudar o povo”

  2. Boa noite. Por acaso encontrei seu blog e achei muito interessante.
    Estou com 17 anos, prestes a entrar na universidade, e, tenho parentes esquerdistas do PT que vivem me perturbando, pois não sei debater. Será que não teria como em um post não muito complicado você demonstrar como se deve debater com um esquerdista e ganhar sempre?
    Se possível ficarei muito feliz. Boa noite.

    • Cara, todos nós, se olharmos com denodo, vamos descobrir a esquerdopatia em familiares, às vezes muito próximo, e não raro em nós mesmos.

      Eu recomendo que você explore bastante este blog. Em questões de Economia, procure ler as colunas e postagens do Rodrigo Constantino, dos institutos Liberal e Mises Brasil, e, se encarar Inglês, TUDO do Walter Williams e do Thomas Sowell.

      Em questões de Política e filosofia, acompanhe o blog do Reinaldo Azevedo e a produção de cunho mais filosófico do Olavo de Carvalho, além do Implicante.

      Falando em Implicante, um dos redatores tem dois blogs, hoje desativado, muito interessantes: “urubusman” e “caffeine cult”. Por fim, sugiro também o “O Brasil e o Universo”, de um antropólogo carioca.

      Você acha isso tudo no google e já é um calhamaço de coisas para ler, um bom começo.

      Abraços!

    • O problema é que não há um jeito “não muito complicado”. A batalha é cultural, então quanto mais você estudar, mais preparado estará. Não tem como fazer mágica, pois os truques são muitos, fortemente difundidos e em muitos casos profundamente enraizados na nossa cabeça. Certamente ao estudá-los você verá que muitos deles funcionam com você.

  3. Não sou esquerda e nem direita, sou apenas advogada especialista em penal e processo penal. Meu compromisso não é com qualquer partido, e sim com a justiça.
    Olhando pelo ponto de vista técnico, a criminalização do bullying seria mais uma das tipificações específicas, crime próprio, como é o caso da Lei Maria da Penha (crimes específicos praticados contra a mulher), peculato (crime específico praticado pelo servidor público) e muitos outros.
    A criminalização do bullying possui não só o caráter punitivo (praticado por adulto contra criança ou adolescente), cabendo como punição máxima a prisão, mas também o caráter preventivo ( praticado por crianças e adolescentes entre si), cabendo como punição a medida sócio-educativa, haja vista que o único meio de punição não é a prisão, esta é a ultima ratio, medida extrema.
    Deixando claro que a incidência no crime não resulta em meros apelidos, mas em perseguição reiterada, de caráter vexatório, onde se percebe claramente a condição de superioridade, cometido apenas CONTRA crianças e adolescentes, cometidos contra adultos, incide em outros tipos de crime, não o bullying, como o caso que você citou acima da pessoa acima de 18 anos que trabalha em determinada empresa, a meu ver, esse seria um caso de assédio moral.
    Espero ter ajudado.
    Obrigada.

Deixe uma resposta