Como a imprensa de esquerda tenta realizar armações em cima do impeachment de Fernando Lugo

3
26

Em uma notícia do UOL, há uma enquete na qual o impeachment de Fernando Lugo deveria ser “julgado” pelos leitores.

A imagem abaixo mostra a enquete:

Clique para ampliar

Notou?

Pois bem, em resposta à pergunta “Você concorda com o processo de impeachment no Paraguai?”, existem duas opções:

  1. Sim, o governo Lugo apresentou mau desempenho e deve ser destituído
  2. Não, foi um golpe para tirar um presidente democraticamente eleito

Notem agora a “gracinha” contida na alternativa dois. Ela simplesmente coloca como alternativa à resposta 1 (na qual o presidente é julgado pelo seu desempenho), a opção na qual o desempenho sequer é mencionado. Ou seja, alega-se que se o presidente foi democraticamente eleito, sua retirada seria um golpe.

Não há nada além de um joguete psicológico no truque acima, pois nem de longe a opção de alguém ser democraticamente eleito é mutuamente auto excludente com a opção de alguém fazer um mau governo. Como exemplo, Fernando Collor e Richard Nixon foram democraticamente eleitos… e sofreram impeachment. Constatação óbvia: não é pelo fato de alguém ser democraticamente eleito que, se destituído, isso constituiria um golpe.

Obviamente, o correto seria apontar ao público que ou Lugo é julgado culpado por ter feito um péssimo uso de seu governo, dando justificativas para o impeachment (e por isso foi destituído), ou então é julgado inocente pela alegação dele não ter feito um mau uso de seu governo, não dando, portanto, justificativas para o impeachment.

Mas é claro que o UOL não está interessado em ver a questão ser debatida. Eles simplesmente apelam ao psicológico da patuléia, pois o uso da expressão “democraticamente eleito” funciona como uma âncora.

É pela falta de questionamento à esquerda que hoje o debate político nacional está em um nível tão baixo, mas tão baixo, que só chamamos isso de “debate” por questões de formalidade. O que existe, na comunicação da esquerda, é puro marketing, com uso de recursos psicológicos, slogans e tudo que for possível em termos de trucagens.

Mais uma justificação para o Duelo Cético. Hoje em dia, os esquerdistas vivem em uma hegemonia cultural, dominando órgãos de imprensa como o UOL, Carta Capital e outros. Essas pessoas, por terem arena (e não serem questionados em quantidade suficiente pelos seus opositores, que estão na espiral do silêncio), falam bobagens inomináveis, desde que funcionem para capitalização política.

Como se nota, em termos de qualidade do debate, estamos ladeira abaixo.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Nem me lembro a última vez que participei desse tipo de enquete, que não se restringem somente ao UOL. Elas impõem, cada vez mais descaradamente, a falácia do falso dilema. Como diria o saudoso Paulo Francis: “Lixo”.

  2. OLHA SÓ COMO AS COISAS VÃO DE MAU A PIOR:

    ****************************

    “Atenção! Ao suspender o Paraguai do Mercosul e promover o ingresso da Venezuela, os presidentes José Mujica (Uruguai), Dilma Rousseff (Brasil) e Cristina Kirchner (Argentina) estão endossando o estímulo a um golpe militar promovido por um país estrangeiro. Como? É isto mesmo: a repórter Carolina Freitas, da VEJA Online, informa que Nicolas Maduro, diplomata venezuelano, se reuniu secretamente com a cúpula militar paraguaia, incitando-a a não aceitar a eventual deposição de Fernando Lugo pelo Congresso. Como esta se deu segundo o que prevê a Constituição, Chávez estava tentando armar um golpe militar no Paraguai. Eis aí: estamos sob a égide do imperialismo bolivariano!

    (…)

    As tentativas de intervenção dos presidentes de países vizinhos vêm causando indignação — embora os discursos se mantenham diplomáticos — entre as autoridades paraguaias desde que Federico Franco assumiu o poder na semana passada. A ousadia dos encrenqueiros latino-americanos, no entanto, chegou a seu ápice nesta sexta-feira, quando veio à tona uma tentativa de golpe militar no Paraguai comandada por ninguém menos que o chanceler da Venezuela – país de Hugo Chávez.

    (…)”

    Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/exclusivo-na-veja-online-chavez-tentou-promover-um-golpe-militar-no-paraguai-dados-os-eventos-de-hoje-contou-com-o-apoio-de-dilma-e-o-fim-da-picada/

Deixe uma resposta