Na questão da prisão das garotas do Pussy Riot, como destruir moralmente os que estão advogando em favor do vandalismo

8
35

@

Segundo o Valor, o trio de cantoras da banda punk Pussy Riot foi condenado a 2 anos de prisão na Rússia por vandalismo. Como se pode observar no vídeo acima, com o clip da música, a banda foi formalmente ofensiva e intolerante, ao invadir um culto e realizar de fato atos de vandalismo. Não há como negar que fizeram isso.

Segundo a juíza Marina Syrova, as integrantes do grupo sequer pedem desculpas por seus atos: “Não se consideram culpadas, não se arrependem (…). Qualificam suas ações como uma expressão política de forma artística”.

Agora, uma série de músicos pelo mundo estão choramingando por elas, esquecendo-se (ou fingindo esquecimento) dos atos de vandalismo, motivo pelo qual o Pussy Riot foi julgado. Paul McCartney, Madonna, Sting, Peter Gabriel, Bjork e o Red Hot Chili Peppers estão entre os que pediram a não punição das roqueiras.

Tudo muito bonitinho, disfarçado de “luta pela democracia e liberdade de expressão”, não fosse o fato de que uma única pergunta poderia desmoralizar todos esses apoiadores. Essa é a pergunta: “Caso um grupo invadisse uma passeata de gays para atos de vandalismo, isso seria lícito?”. Simples assim.

Quando um esquerdista diz que o que elas fizeram “não foi vandalismo, foi um protesto”, eles aceitariam a mesma regra para a situação na qual o mesmo tipo de ato fosse praticado contra um grupo de gays ou mesmo um grupo de feministas?

Duvido que a resposta de qualquer um deles seja positiva, pois através desta eles teriam que reconhecer em público que autorizariam o vandalismo contra gayzistas e feministas. E, se a resposta for negativa, aí eles terão que explicar por que o vandalismo contra religiosos é liberado mas contra gayzistas e feministas não é, tendo que reconhecer a dualidade de critérios, e nos dando a prova do motivo pelo qual a religião política é a mais perigosa manifestação ideológica humana.

Eu, como conservador, não apoio o vandalismo contra gayzistas, feministas, neo ateístas e nem religiosos. Mas o esquerdista faz o inverso, usando a política “se for a meu favor, está certo”.

Enfim, façam o teste com o questionamento em público aos apoiadores do Pussy Riot e confirme se tese de que os esquerdistas sempre usam um peso e duas medidas está correta ou não.

Em tempo: que musiquinha ruim, não? Para quem gosta de bandas punks e hardcore como Discharge, D.R.I., English Dogs e coisas mais recentes como Sick of It All, o sonzinho dessas garotas do Pussy Riot chega a ser deprimente.

Chego a me questionar: será que o destino delas deve ser mesmo a cadeia? Eu sugeriria, pelo próprio esquerdismo de toda a empreitada, que elas fossem para o manicômio e ficassem lá por um bom tempo.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Bem como eu já disse hoje na página Anti- Ateismo que eu sigo lá no Face, esse povinho HIPÓCRITA não tem do que reclamar por que elas estão no seu DEVIDO lugar: Lugar de CADELA COM RAIVA é mesmo no CANIL!!! Se bem que no caso dessas dai eu acho que CANIL pra elas é pouco, essas dai deveriam era estar mesmo é num ESGOTO, por que não passam mesmo de um bando de RATASANAS DE ESGOSTO mesmo!!!! Essas CADELAS COMUNISTAS assim como todo essa bando de LAMBEDORES DA ESQUERDA DA MÍ(ÉR)DIA e da O(A)NÛS, querem mesmo, é a RESTAURAÇÃO do governo COMUNISTA por lá isso sim, é o que eles querem!!!!

  2. Luciano,

    O Mr. X, resume bem isso:

    (…) há muito para se criticar em Putin, mas eu teria mais simpatia se todas essas pessoas que agora chiam pela “liberdade de expresão” não fossem exatamente as mesmas que querem prender quem escreve um twit “homofóbico”, tentam fechar um restaurante e mandam ameaças de bomba porque um de seus executivos fez uma mera declaração a favor casamento tradicional, acusam de “racismo” e arruinam a vida de qualquer pessoa que faça observações ainda que minúsculas sobre as minorias ou sobre os imigrantes, etc, etc, etc.

    No mais, o caso não tem a ver com censura, mas com vandalismo e ofensa a culto religioso. Aqui está o vídeo do que as jovens aprontaram; julguem vocês mesmos se era apenas um “exercício da liberdade de expressão”.

  3. Antigamente,as bandas para se autopromoverem criava atos de protestos contra política, economia , etc…agora viram que para aparecem deve promover atos contra a religião.As pessoas que gostam disso acham que elas são contestadoras, irreverentes, etc mas são na verdade pobres criaturas desesperadamente á busca de fama. Daqui a pouco as igrejas terão que contratar seguranças nas entradas para qq eventualidade.

  4. O problema para os esquerdistas foi achar que em países como a Rússia, China, Cuba, Coreia do Norte e países islâmicos, eles terão a mesmo liberdade que eles tem em países de democrácias liberais.

    As menininhas do tal FEMEN (não ficarei surpreso se essas mulheres praticarem a mesma coisa que eles dizem protestar: Prostituição, tráfico de drogas,…) não esperam por esperar: A hora que essas desmioladas se meterem com líderes muçulmanos ou ditadores comunas, ai elas verão o que é bom para a tosse.

  5. Por que será que não vemos esse tipo de ‘protesto’ em uma mesquita? Sou cristão, mas acho que numa situação como essa, eu não seria tão ‘bonzinho’ como o pessoal dessa igreja não. Minha falta de domínio próprio ia ficar tão eviedente numa hora dessas…

Deixe uma resposta