Presença de ausência ou ausência de presença de ausência de crença?

6
108

Fui interpelado dia desses a respeito de um truque que os neo ateus teriam sempre em manga quando começassem a debater.

Seria a história do “ateu fraco”, na qual sempre que um crente em Deus tentasse partir para a ofensiva contra os neo ateus, eles afirmariam que “ateísmo é só descrença”. Daí, mesmo que sejam “ateus fortes”, afirmariam que são “ateus fracos”. Na verdade, é só a tentativa de forçar que o teísta tenha que defender sua crença, enquanto o neo ateu não precisasse fazê-lo.

Tecnicamente, eu sou um ateu fraco DE FATO, pois pelo meu agnosticismo (radical), eu não dou a mínima se alguém se torna ateu ou não. Mas o fato é que os neo ateus não são ateus fracos, e querem impor a ideia de que Deus não existe, e por isso esse truque não deve ser aceito.

Para fugirem deste truque, proponho duas soluções que devem ser aplicadas EM CONJUNTO, e não isoladas:

  1. Explicar para o público que eles estão fazendo um truque semântico por pura covardia e vigarice intelectual;
  2. Em seguida, copiar o truque dizendo: “se é assim, eu também apresento apenas ausência de crença na cosmovisão ateísta” mas sempre ressaltando que é cópia da vigarice do outro lado.

O revide deve se basear nisso, apenas.

Um amigo sugeriu o termo “teísta fraco”, que seria alguém que só sente a existência de Deus, ou seja, uma sensação não descrita.

Não concordo com essa abordagem, pois descrever a própria sensação daria margens ao esculacho da parte adversária. Algo como se pudessem afirmar “pode ser alucinação”, no que o frame é recuperado por eles de imediato. Portanto, nunca, sob hipótese alguma, deixe suas sensações estarem no escopo do debate. A forma como você se sente é um assunto privado seu, jamais parte do debate.

Voltando ao revide, é possível ser criativo, como usar a expressão “Presença de ausência de crença no ateísmo”, apenas para amplificar o ridículo de toda a situação criada pelos apologetas neo ateus.

Me foi dito que a saída talvez não fosse 100%, pelo fato de uma jogada neo ateísta, dizendo “Se Deus existe, porque nós nascemos ateus (seguindo a visão de que ateísmo é somente descrença)”.

Mas validar uma posição pelo fato de se nascer com ela é uma falácia das mais bobinhas. Assim como uma criança  nasce ateísta, os cachorros nascem ateus. Os pneus também.

O fato é que teísmo e ateísmo são posturas que não dependem de estratagemas para serem validadas. Se for discutir seu ateísmo ou teísmo, que o faça com o mínimo de vergonha na cara, sem apelar para truques.

Mas se um dos lados apelar para truques, o negócio é desmascarar mesmo. Como o neo ateísmo é plenamente composto de truques, e estes truques só tem feito sujar a imagem dos ateus não militantes, é uma obrigação desmascará-los.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Se a descrença do cara é igual àquela de recém-nascidos, como é que ele pode dizer que é ateu porque é racional? Só se for racional como um bebê. Ou como um cachorro. Ou uma porta rs

Deixe uma resposta