Técnica de propaganda: Alegação de suporte

12
112

Última atualização: 26 de janeiro de 2013 – [Índice de Propaganda][Página Principal]

Começo com o tipo de alegação que defino como alegação de suporte, que é toda alegação que dá sustentação a outras alegações consequentes.

No texto A eterna luta humana pela obtenção de poder e o que isso tem a ver com o ceticismo, dei um exemplo de alegação de suporte com um exemplo lúdico:

Imagine um sujeito que quer sair com uma garota que é apaixonada por histórias de vampiros. Ela conhece decor e salteado todos os livros da série Crepúsculo. Ele tem a seguinte idéia: “que tal fingir que sou um vampiro, e convencê-la de que tenho mais poder que os outros homens, sendo capaz até de entrar na mente dela e viver para sempre?”. Mas temos um problema. Se ele disser isso a ela, provavelmente ele será motivo de chacota, e o truque não vai funcionar. Ele pode resolver isso com uma estratégia. Pedir para 2 amigos se relacionarem com a garota, e trocarem informações com ela sobre a EXISTÊNCIA DE FATO de vampiros. Obviamente, terão que usar truques de sugestão, engodos, retórica, etc. O objetivo é fazê-la acreditar que VAMPIROS EXISTEM. Depois desse trabalho feito (e é um árduo trabalho), ele agora chega e vai tentar conquistá-la, aí com uma possibilidade factual, simulando ser um vampiro. Nesse caso também temos duas alegações: (1) eu sou um vampiro, e por isso tenho mais poder que os outros homens que você conhece, e sou capaz de te proteger mais, (2) vampiros existem. Novamente, (2) é a alegação de suporte para que talvez seja possível implementar a alegação (1).

Agora, observe o mesmo padrão identificado na música “Imagine”, de John Lennon:

Imagine que não exista nenhum paraíso,
É fácil se você tentar.
Nenhum inferno abaixo de nós,
Sobre nós apenas o firmamento.
Imagine todas as pessoas
Vivendo pelo hoje…
Imagine que não exista nenhum país,
Não é difícil de fazer.
Nada porque matar ou porque morrer,
Nenhuma religião também.
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz…
Imagine nenhuma propriedade,
Eu me pergunto se você consegue.
Nenhuma necessidade de ganância ou fome,
Uma fraternidade de homens.
Imagine todas as pessoas
Compartilhando o mundo todo.
Você talvez diga que sou um sonhador,
Mas eu não o único.
Eu espero que algum dia você junte-se a nós,
E o mundo viverá como um único

Toda a parte em itálico (ou seja, 80% da música), é uma alegação de suporte para a alegação que se segue, a de que John Lennon e seus amigos humanistas estariam construindo este “mundo justo e solidário”. Repare bem: a alegação de suporte é a de que este mundo é possível. Em resumo, a maior parte da musica “Imagine” é uma alegação de suporte (“o mundo justo é possível”) que sustenta a alegação que lhe interessa mais, a de que ele é um participante da luta por este mundo justo.

Aliás, a curiosidade mais divertida é notar que absolutamente todo o esquerdismo depende de que a crença no homem seja verdadeira. Esta é, portanto, a alegação de suporte de todo o sistema de pensamento esquerdista.

A dica é: encontre sempre as alegações de suporte, e coloque-as sob questionamento. Se as alegações de suporte não se sustentarem, obviamente as alegações consequentes não se sustentarão também.

Anúncios

12 COMMENTS

    • Primeira impressão minha: o entrevistado é tão “bom” quanto o sub-pseudo-cético tupiniquim Ricardo Bonalume Neto, que escrevia “pérolas” semanais na revistinha da “Folha de São Paulo”.

      As “boas-intenções” que conduzem ao Inferno são uma prova incontestável da existência do Diabo. 🙂

  1. O mais trágico nisso tudo( e, até de certo modo, irônico) é ver os adeptos esquerdistas ignorarem a realidade. Por exemplo, no caso de Lennon( e tantos outros), será que os seguidores não percebem a vida luxuosa que seus ídolos levam? É mais “capitalista” do que muitos empresários poderiam sustentar, com muito menos trabalho. ISSO SIM É SER ALIENADO.

    • É isso aí, aliás, o próximo post falará sobre Uso de Rotulagem, envolvendo o uso de rótulos positivos a seu favor, e rótulos negativos contra. Cada rotulagem é uma alegação também.

      Ao final da série, mostrarei que as alegações podem ser combinadas, e mais facilmente mapeadas, além de uma forma mais detalhada da aplicação do modelo de 4 níveis de questionamento.

      • Olha, JMK, eu (te) vou ser sincero com você (juro, um sujeito da area de suporte estes dias disse a mim “eu te vou ser sincero com você” rs.)…

        Eu tenho outras “séries” para terminar também, como da “Briga na Lama” e até “A Verdade Nua e Crua”, mas em termos da retórica do ódio eu não sei se tem conteúdo para uma série rs.

        Eu fiz posteriormente um verbete nas “Estratégias” da esquerda:

        http://lucianoayan.com/2011/12/31/estrategia-de-esquerda-retorica-do-odio/

        Em relação a parte 2, pode até ser que surja algo no futuro, mas sem previsão. 😛

  2. Uma pergunta Luciano

    Voltar com a narrativa da NEW AGE é exagero? bom, quando criança vivia estudando NEW AGE, e como os adventistas alertavam para essa NOVA ERA, bom, sei que voce é agnostico ou ateu, mas os adventistas estavam certos nesse aspecto MATERIALISTA da NEW AGE e tambem sobre o tal mundo espiritual que os adeptos da NEW AGE acreditam?

Deixe uma resposta