A moral por conveniência dos petralhas

2
59

Fonte: O Implicante

Hoje pela manhã, Plínio de Arruda Sampaio, fundador do PT e partido de que saiu após manterem Dirceu na legenda mesmo depois do Mensalão, declarou ser contra a eleição do candidato petista em São Paulo. Vejam o tuíte acima.

Imediatamente, recebeu todo tipo de resposta ofensiva. Em sua maioria, foram insultos o considerando demente em função da idade; mas houve quem falasse em interesse financeiro e coisa do tipo.

Segue coletânea (foram 23 páginas de xingamentos variados, tentei resumir ao mínimo possível):

Esses são os mesmos petistas que acusam o PSDB de “campanha suja”, “ataque pessoal” etc. Basta um dia no tuíter para acompanhar esse mecanismo espertucho: eles xingam o tempo todo e depois dizem “o outro é que apela”.

Alguns agem por pura e simples má-fé, outros por questões de trabalho, mas há aqueles que REALMENTE não aceitam alguém pensando de forma diferente. Simplesmente não aceitam, não concebem, não acreditam que seja verdade.

São os mimados ideológicos, que atribuem todo tipo de explicação desabonadora para tentar explicar o ABSURDO de alguém ter idéias divergentes. É o tal “leite com pera” aplicado ao pensamento partidário.

E Plínio falou besteira? Não, não falou. Enquanto o STF condena líderes petistas, o partido mais uma vez deixa de expulsá-los para ATACAR O STF. Todo partido tem trambiqueiro, isso é óbvio, o problema é o que fazer com eles depois de condenados. O PT, como se vê, os promove.

Acerca do tal plano de poder, que parece mesmo um exagero, há esse vídeo ilustrativo, com depoimentos reais. Pois é, Plínio não errou também quanto a isso.

Fica provado mais uma vez quem de fato faz campanha suja, ofensiva e de ataques pessoais. Algo parecido aconteceu – e acontece – com Joaquim Barbosa, que “ousou” condenar (acompanhado da grande maioria do STF) os corruptos do PT.

São os petistas que xingam. São eles que agridem. São eles que trazem à baila idade, cor da pele etc. E são eles que, no fim das contas, acusam os adversários de serem “agressivos”.

Acho que ninguém cai mais nessa, né?

ps – os que agora xingam Plínio são os mesmos que prosseguem defendendo o PT mesmo depois da COLIGAÇÃO (que não é mero apoio, vale sempre lembrar) com Paulo Maluf – que apoiou o partido depois de ganhar uma secretaria do governo federal.

ps2 – nada contra fazer piada com isso ou aquilo (eu mesmo fiz e faço várias); o problema aqui, e é bom ficar claro, reside no fato de INSULTAR alguém por emitir opinião político-partidária diferente – sobretudo quando quem o faz são os que acusam os adversários de baixaria.

Por Gravatai Merengue

Meus comentários

Ao alegarem intolerância ou “baixarias” do outro lado, petralhas se superam exatamente na prática da intolerância em relação à opinião dissidente, com o consequente uso de baixarias contra estes mesmos dissidentes.

É importante notar que qualquer coisa vale, como na época em que Paulo Henrique Amorim praticou racismo contra o jornalista Heraldo Pereira, ou até mesmo quando resolveram ridicularizar o filho deficiente mental de Diogo Mainardi. Tentarem atacar Plínio por causa de sua idade é somente a manutenção de um padrão de ação.

Este tipo de padrão também pode ser visto quando Marilena Chauí diz que os “paulistanos são os piores”, apenas pelo fato do PT não ter vida fácil por estas bandas (embora vá ganhar a eleição da capital com Fernando Haddad, por pura incompetência do PSDB, diga-se), mas tem chiliques quando alguém de outro estado é xingado por um paulista.

A vida de um petralha é a vida de alguém que atua sempre com valores dúbios. Ao acusar alguém de desonestidade, irá praticar as maiores corrupções possíveis. Ao acusar os outros de “baixaria”, vão tentar alcançar recordes em sua prática. Em suma, eles vivem para acusar os outros daquilo que fazem.

Assim como Gravatai Merengue, não sou santo e me coloco no direito de ridicularizar os oponentes. A crítica, no entanto, não é à ridicularização em si, mas ao ato da prática da ridicularização ao mesmo tempo em que se divulga em público que ela é, em si, imoral.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Impressionante! Eles vivem como se existisse um verdadeiro partido de direita no Brasil, no caso o PSDB!

    Analfabetismo funcional ou pura vigarice intelectual (ou as duas coisas).

    Essa notícia confirma, aliás, o que já havia notada nesses deformados politicos: a obsessão por rotular de direita, golpista, saudoso da ditadura, todo aquele que ousar criticar as imbecilidades de PT et caterva.

Deixe uma resposta