Um exemplo do totalitarismo humanista: Bule Voador não tolerará críticas e sátiras em direção aos guaranis kaiowás

2
86

Fonte: Bule Voador

Na tentativa de fazer média entre os reacionários apreciadores do “politicamente incorreto”, o colunista Walter Navarro, do portal O Tempo, escreveu e publicou no último dia 8 um texto que incide claramente no crime de racismo contra indígenas e vem revoltando os brasileiros.

Intitulado “Guarani Kaiowá é o c… Meu nome agora é Enéas p…”, a pérola colunística tentava seguir a escola Rafinha Bastos de “humor politicamente incorreto” (eufemismo para tentativa de fazer graça a partir do preconceito e da humilhação de minorias historicamente oprimidas) mas fracassa por completo em fazer humor, e tornou Navarro oficialmente um racista que pode e deve ser denunciado à Polícia Federal e ao Ministério Público.

O texto era de revoltar qualquer pessoa dotada de sã consciência e do mínimo de educação doméstica e escolar. Diversos trechos incitavam o preconceito em sua forma mais crua, o ódio e até o genocídio contra os indígenas que vêm sendo vítimas de massacres e continuam ameaçados de expulsão pela “Justiça”, como os seguintes:

“Tem coisa mais chata, hipócrita, brega e programa de índio que este pessoal do Facebook adotando o nome Guarani Kaiowá?”

“Guarani, só meu time em Campinas, campeão brasileiro de 1978.”

“Como diriam o Marechal Rondon e os irmãos Villas Boas [citação de autoria falsa], “Índio bom é índio morto”! “Matar, se preciso for, morrer, nunca!”.”

“E chamar índio de preguiçoso é preconceito, ignorância histórica. Índio é correligionário do ócio criativo… Ou, simplesmente do ócio, pronto.”

“Quando Darwin, Lévi-Strauss e Diogo Mainardi descobriram o Brasil, tiraram várias conclusões sobre os guaranis kaiowá, um povo pescador de baiacus, que captura borboletas, retalha suas asas e coloca-as em cinzeiros de vidro para espantar, melhor, para vender aos turistas.”

“Protérvia [gente impudente, petulante e insolente] ignara! Os guaranis kaiowá não passam de recolhedores de mel no meio do mato. É o povo mais primitivo do mundo, nem chegou à Idade da Pedra. Petistas “avant la lettre”! Comem cupim. Intimidam até malária! Pigmeus, parecem formigas gigantes e caracterizam-se pela insuportável pneumatose intestinal, o que faz deles companhia deveras desagradável.”

“Além de incestuosos, trocam os filhos por um reles anzol. Por isso, o Brasil é assim, uma mistura de índios flatulentos com criminosos portugueses.”

“PS: A vadiagem dos guaranis kaiowá pelo menos é lucrativa. Ontem, troquei um canivete suíço (falso) por várias toras de mogno de sua reserva.”

A Lei 7.716/1989 é clara ao dizer que incitar o preconceito de raça (no caso, a raça indígena) é crime:

Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
Pena: reclusão de um a três anos e multa.
[…]
§ 2º Se qualquer dos crimes previstos no caput é cometido por intermédio dos meios de comunicação social ou publicação de qualquer natureza:
Pena: reclusão de dois a cinco anos e multa.
[…]
§ 4º Na hipótese do § 2º, constitui efeito da condenação, após o trânsito em julgado da decisão, a destruição do material apreendido.

Às cerca de 23h30 (horário de verão) de ontem, a assessoria do portal O Tempo anunciou via Facebook o afastamento do racista de seu elenco de colunistas:

Informamos que o jornal O TEMPO decidiu afastar o colunista Walter Navarro do seu quadro de colunistas e que a Sempre Editora não compactua com nenhum tipo de preconceito e/ou manifestação preconceituosa. Reforçamos, assim, o nosso compromisso com o bom jornalismo.

E o artigo criminoso foi apagado. Mas ainda é possível enviar denúncias ao Ministério Público Federal, ao e-mail da 6ª Câmara – Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais, ou de seu estado. No e-mail de denúncia, o print do texto criminoso deve ser anexado.

Numa época em que estão recebendo ameaças de morte e/ou expulsão tanto de latifundiários como da autointitulada “Justiça Federal”, tudo o que os indígenas menos precisam (aliás, não precisam) é de idiotas que, jurando a si mesmo que são “humoristas”, incitam para todo o Brasil o ódio preconceituoso e o massacre contra os povos nativos.

Meus comentários

Eu também achei o material do Walter Navarro (foto) ácido demais, mas daí a ponto de levá-lo a justiça? Aqui segue um link para o texto “criminoso”, conforme afirma o texto endossado pelo Bule. (Parece que é de outro site, chamado “Consciência”, mas provavelmente devem ser implementadores dos mesmos truques)

Mas esperem um pouco: qual a diferença técnica entre o texto de Navarro, em relação aos índios, e os textos de Dawkins e Harris, em relação a todos os religiosos tradicionais?

Sendo assim, pelo livro de regras do Bule, eles próprios vivem de difundir ideologias criminosas e que, de acordo com o artigo 20, devem resultar em denúncias ao Ministério Público?

Mas enfim, esse é o motivo pelo qual o politicamente correto deve ser combatido feito praga de lavoura. Desde que eles consigam simular “defesa de uma minoria”, se acham no direito de fazer exatamente o que quiserem por causa dessa falsa autoridade moral que obtiveram.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Mas, tal tipo de coisa é viável? Por exemplo, o Facebook tá lotado de comunidades anti-teístas e de conteúdo claramente ofensivo, não somente a ATEA. Chegaram ao cúmulo de fazer uma ‘Vulva Maria’. E, certamente, tais comunidades são denunciadas mas nada (ou quase nada) acontece…

    • Será que são denunciadas de forma ORGANIZADA? Eu acho bem difícil. Esse pessoal da ATEA é motivado para a militância, ação organizada como no estilo das táticas de Alinsky. E sem contar que primeiro eles passaram pela fase da reforma do senso comum. É claro que hoje eles estabeleceram no imaginário comum a idéia de que uma ofensa inexiste se partir de um neo-ateu contra um teísta, mas uma mera resposta do teísta gerará encenações neo-ateístas como ‘intolerância, intolerância’. O fato grave que temos que nos conscientizar é: existe claramente um peso e duas medidas, e eles estão se aproveitando disso com facilidade impressionante.

Deixe uma resposta