Desmascarando a chantagem emocional de um vídeo gayzista

5
90

@

O leitor Cássio me indicou o vídeo acima, como uma exemplificação da chantagem emocional e dos truques psicológicos do movimento gayzista. E, como prometi a ele, eu precisava avaliar as fraudes contidas lá.

Detalho aqui em 9 itens as rotinas contidas ali. As 8 primeiras simulam supostos cenários que afetariam os gays, mas não os religiosos. Na rotina 9, o sujeito (que atende pelo nick de Inca Venusiano) diz que se os religiosos imaginassem que vivem em um país no qual os 8 itens iniciais fossem aplicados aos religiosos, sentiria na pele o que é ser gay.

Que tal investigarmos as rotinas?

1. “Imaginar a vida em um país onde a prática da religião é permitida e tolerada”

Ué, mas isso já acontece, em todos os países do ocidente. A maioria dos humanistas organizados defendem que  a religião tradicional deve ser “tolerada”, apenas, e, em muitos casos, proibida. Os diversos truques de manipulação do conceito de estado laico, aliás, tem servido a esse intento.

2. Mas a religiosidade não é considerada uma coisa natural

Os neo-ateus também dizem isso, especialmente quando afirmam que “todos nascem ateus” ou “todas as crianças são atéias”. Nisso, alegam que a religiosidade não é uma coisa natural…

3. As leis deste país dizem que você não tem o direito de se casar com outra pessoa religiosa

Só que Richard Dawkins afirma, em seu livro Deus, um Delírio, que culturas que defendem o casamento somente entre pessoas da mesma religião são odiosas (como exemplo, o casamento judaico). Portanto, em tese, dá no mesmo que proibir gays de se casarem. Entretanto, união civil é uma coisa, e o que os religiosos tradicionais especialmente criticam é o uso do termo casamento, o qual, é aplicado a casais, e não a junção de duas pessoas do mesmo sexo.

4. E nem de ter filhos ou adotar crianças…

Homossexuais não podem ter filhos em suas relações homossexuais, naturalmente. Isso é um problema biológico, não ideológico. Em relação a adoção de crianças, também já existem empecilhos para adoção de crianças por casais cristãos, como na Europa.

5. … do perigo dos filhos serem influenciados pela religiosidade dos pais

Richard Dawkins, e também Danniel Dennett, são incisivos ao dizer que o estado deve proteger a criança dos seus pais religiosos, para evitar que estas mantenham a religião dos pais. Em troca, pedem que estas crianças sejam doutrinadas no humanismo nas escolas públicas. Para Dennett, as crianças “não são de seus pais”.

6. Diariamente professam a cura para a religiosidade, afirmando que você é uma aberração

Sam Harris afirma que não há diferença entre um doente mental e um religioso tradicional em “A Morte da Fé”…

7. Toda semana você lê nos noticiários que vários religiosos são agredidos…

Não só agredidos, como exterminados, nos países do Islã, e ainda, quando a Angela Merkel reconhece esse fato, os militantes anti-religião ficam inconformados só por ela reconhecer a perseguição contra os cristãos.

8. Como você se sentiria, religioso, vivendo nessa sociedade?

Eu já fui religioso, antes de virar ateu. E posso “me gambar” (como diria o Lula) do fato de ter vivido em um cenário de guerra intelectual, no qual visualizei todos os 7 itens acima, e me tornei um ser humano mais forte, ao menos em termos morais. Aliás, hoje sou muito grato aos neo-ateus, pois meus embates com eles tiraram todas as dissonâncias cognitivas que eu tinha e me habilitaram a me tornar um ser humano conhecedor de ciência política. Aprendi o que o ser humano realmente é, e o que o mundo realmente é. Enfim, o contato com inimigos naturais me tornou um ser humano mais forte. Era assim que eu me sentia, ao invés de me afogar em vitimismo imbecil.

9. Se você se imaginou nessa sociedade, sabe como os homossexuais vivem em uma sociedade onde a religião professa e encoraja a homofobia?

Primeiro, que não existe “homofobia” em críticas feitas à homossexualidade. Homofobia é aversão aos gays, e uma crítica não é o mesmo que aversão (Ainda que existam alguns homofóbicos, assim como pessoas que tem fobia de insetos, chuva, heterossexuais, negros, brancos, etc.). Segundo, se todos os pontos que “causam o sofrimento” aos gays são só esses, então perderam toda a moral para pedir leis especiais de proteção, pois o tal “sofrimento” é puramente psicológico e fútil.

O cristianismo é a religião mais perseguida do mundo, e os cristãos são o grupo mais perseguido. Cada cristão que eu conheço está aproveitando essa situação para aprimorarem o seu caráter, e não pedindo proteção especial com o uso de um coitadismo enojante.

Que os gayzistas usem isso como exemplo, mas, se não conseguirem, que arrumem um vídeo melhorzinho, pois este não tem mais moral de reclamar de nada.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Deplorável. fazer vitimismo comparando a preferencia por dar a bunda com religião, as pessoas que se sensibilizaram com este vídeo e que acreditam na equiparação das duas coisas estão em profundo estado psicótico.

Deixe uma resposta