Como sempre um peso e duas medidas para os esquerdistas: piada sobre religiosos pode, mas sobre gays não!

9
31


@

O documentário acima defende a seguinte tese: caso um grupo esteja protegido pelo politicamente correto, passa a ser imoral fazer piada a respeito deste grupo. Mas se o grupo não estiver protegido pelo politicamente correto, então as piadas contra o grupo não só são toleráveis, como também incentivadas.

Exemplo: que moral tem um site esquerdista em dizer que “piadas são repreensíveis” se estes sites apoiaram em uníssono o filme “Religulous”, lançado por Bill Maher há alguns anos, e que passa todos os seus 90 minutos de duração… ridicularizando religiosos.

Ora, se religiosos podem ser ridicularizados, por que os grupos alegadamente apoiados pelos esquerdistas não podem? (Em tempo: eu acho que se é lícito rir de alguém por ser de uma religião, também é lícito rir de alguém por não ser de nenhuma; assim como se é lícito rir de um comportamento, é lícito rir de qualquer outro)

Ver trailer para o filme “Religulous” abaixo:

Anúncios

9 COMMENTS

  1. è realmente muita hipocrisia ver o mesmo grupo que abomina qualquer piada que envolva alguma minoria protegida pelo p.correto rir e se deliciar com piadas envolvendo e ridicularizando indivíduos da maioria. O argumento mor é ”um indivíduo da minoria oprimida pode se sentir bastante ofendido, logo deve-se evitar tais piadas e tais termos”. Agora se um da maioria, no caso ,um religioso numa região de maioria religiosa, sente-se ofendido com uma piada menosprezando e ridicularizando os religiosos, não recebe atenção, é ignorado e ninguém diz nada…

  2. Você falou sobre esse filme de “humor” do Bill Maher, Luciano ai eu lembrei de uma coisa he he, os burros do ATEÍTISMO MULITANTE (mula com militante), falam dessa MERDA de filme como se ele fosse um documentário rsrsrsrsrsrs!!! Agora falando sério agora, uma perguntinha minha meio irônica,é o seguinte : Luciano Ayan, será que num futuro NÃO muito distante, os ditos programas de “humor” só teram mulheres nuas, situações eróticas e piadas UNICA e EXCULISVAMENTE com os religiosos e da crença cristão, por causa dessa militancia de minurias???? Afinal, se for parar pra pensar, é só isso que vemos atualmentes nesses tais programas!!!

    • Bem pensado, Simone. É verdade. Já que agora não se pode rir de quase mais nada, mas qualquer coisa pode ser feita com os cristãos, a coisa tende mesmo a ir por esse caminho.

  3. Agora é sério Luciano, esse negócio que eu te contei acima sobre o filme do Bill Maher, isso ai é sério rs, eles tanto é que nos vídeos do You tube, nas barras de comentários, só da ATEÍETES falando que esse filme é um “ótimo” documentário rsrsrs, na boa agora esses tapados não sabem mais diferenciar um filme de “humor” com documentário kkkkkkkkkkk!!!!

  4. http://www.youtube.com/watch?v=mZ8ZnTqEHiw
    Esse pessoal do CQC é politicamente correto até dizer chega. Essa Monica Iozzi vem com um papinho de que “tem um pessoal aí dizendo que esses 156 homicídios são casos de crimes passionais, que são gays matando gays.” e ela nem se dá ao trabalho de pesquisar. Esse é o nível dos jornalistas de hoje em dia.

    • Em relação aos dados de mortes de homossexuais, há aqueles compilados pelo Grupo Gay da Bahia e as notícias sobre mortes de homossexuais publicadas em Quem a Homofobia Matou Hoje?. Ao cruzarmos os dados dos dois sites (com o “Quem…” tendo a vantagem da divulgação em tempo mais real e fornecer dados detalhados sobre cada morte), vê-se que boa parte das mortes de homossexuais poderiam acontecer também com heterossexuais (latrocínios, acerto de contas e outros), enquanto outras são de homossexuais sendo mortos por outros homossexuais (podendo aí ser crime passional, envolvimento com profissional do sexo e outras). Logo, crimes exclusivamente advindos de motivo fútil (leia-se aí alguém que matou o sujeito por ele ser homossexual) ficam em número bem pequeno, configurando aí que os dados são insuficientes para que este país possa ser caracterizado como equivalente a um Irã da vida.

    • Na verdade nem isso, ela é uma “humorista” com cabresto, para ganhar o salário faz tudo que a diretoria do programa manda no script e se não fazer ou tem que se calar, ou tem a carreira arruinada, vide Rafinha bastos… E no fim a maior parte deles se vende mesmo….

  5. Não pude deixar de lembrar da homofobia de lacunas em relação ao que cercava o assassinato de Lucas Cardoso Fortuna na praia de Gaibu, em Cabo de Santo Agostinho. Ficaram insuflando a ideia de que o jornalista e árbitro de vôlei havia sido assassinado por causa de sua orientação sexual, mas a polícia descobriu que na realidade ele foi mesmo vítima de latrocínio, conforme investigação da Polícia Civil pernambucana, que detalhou tudo:

    http://www.youtube.com/watch?v=6_dF4Ya–O8

    Veja inclusive que, mesmo com a descoberta de que os dois criminosos têm por hábito relacionar-se com homens e um deles ter tido relação sexual com a vítima, ainda assim o Fórum LGBT não se conforma que o DHPP tenha descartado homofobia como motivadora do assassinato. Vamos considerar isso como uma última tentativa de capitalizar em cima do ocorrido mesmo que a investigação tenha comprovado que os criminosos tinham o mesmo tipo de sexualidade de sua vítima. Ao autor do blog, sugiro que faça uma postagem de continuação do assunto anterior, pois nessa deu para ver que os militantes deram com os burros n’água, mas ainda insistem em querer dizer que foi algo que não foi. Talvez fosse bom também juntar com o recente ocorrido com o rapaz na esquina da Teodoro Sampaio com a Henrique Schaumann, pois lá também estão de alguma forma querendo jogar a culpa para o todo dos heterossexuais, mesmo com imagens mostrando claramente que o número de heterossexuais que se solidarizou com o homossexual agredido é muito maior que o dos agressores, que estavam em dupla. De qualquer forma, isso segue mostrando que este país nem de longe é que nem o Irã.

Deixe uma resposta