Mentira tem perna curta: ao contrário do que os esquerdistas afirmam, as leis de “controle de armas” não poderiam salvar as crianças de Newtown, Connecticut

7
97

121215connecticutshooting-340x170

Um artigo de Drew Zahn no WND nos ajuda a jogar na lata do lixo todas as mentiras dos esquerdistas, que agora estão tentando capitalizar politicamente com o massacre na escola de Newtown, Connecticut.

Assim como Michael Moore já havia feito com seu “Tiros em Columbine”, a obsessão dos esquerdistas por dar a prioridade do uso de armas tanto ao estado como aos criminosos, ao invés do cidadão comum, sempre se torna um frenesi quando ocorre algum massacre escolar. O argumento deles é empolgado: “Estabeleçam o nosso controle de armas, e salvaremos nossas crianças”.

Drew Zahn, no entanto, nos mostra que nenhuma proposta de controle de armas dos esquerdistas sequer poderia ter salvo as crianças de Connecticut.

Outro fato que deveria causar constrangimento em qualquer esquerdista é que o estado de Connecticut já possui quatro leis de controle de armas, todas elas quebradas pelo atirador, de forma que ele só poderia ter obtido essas armas por meios ilegais.

Adam Lanza, que matou sua mãe, além de outras 27 pessoas (sendo 20 delas crianças), na escola Sandy Hook, portava três armas: duas pistolas, uma Glock e uma Sig Sauer, e um rifle Bushmaster.

Vamos às leis específicas em relação ao controle de armas em Connecticut violadas por Lanza: (1) Uma pessoa deve ter no mínimo 21 anos de idade para portar uma arma, e Lanza tinha 20; (2) Para carregar uma pistola, o cidadão deve ter um porte de arma, e Lanza não tinha; (3) É estritamente proibido portar uma arma de fogo em qualquer escola primária ou secundária, e essa é uma lei claramente ignorada por Lanza; (4) O fato do rifle Bushmaster ser uma arma de guerra e caçada o impediria de ser portado em qualquer circunstância em ambiente urbano, mas Lanza o portava assim mesmo.

As armas pertenciam à sua mãe, assassinada na escola por ele, mas, mesmo assim, todas essas armas foram ROUBADAS pelo filho, ou seja, além das quatro leis quebradas, ainda temos a questão do furto.

A verdade nua e crua do artigo de Zahn é a seguinte: as leis para controle de armas já existem, e os criminosos, que não se importam em quebrar as leis, demonstram sempre sua disposição em ignorar quaisquer leis para obter as armas que precisam para seus intentos assassinos. Isso nos mostra que a proposta esquerdista, como já mencionei aqui, não faz nada em favor do cidadão comum, mas sim a favor dos criminosos.

Uma legislação que prejudicasse os criminosos em benefício do cidadão comum, focaria na punição do criminoso que COMETESSE o crime. Ou seja, o foco é no criminoso pelo uso indevido das armas, mas não no cidadão que não tenha nada que o desabone.

Por fingir que estão protegendo o cidadão comum, quando na verdade estão dando prioridade aos criminosos, os esquerdistas criam uma cultura de impunidade, na qual a culpa da situação vai para as armas, não para os bandidos.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. “(3) É estritamente proibido portar uma arma de fogo em qualquer escola primária ou secundária”
    Mais uma amostra de como as leis de controle de armas na verdade facilitam que atrocidades como essas aconteçam. Se não houvesse tal restrição ao porte de armas, qualquer pessoa habilitada poderia ter parado esse cara antes que a tragédia tomasse as proporções que tomaram.

  2. Apenas uma ressalva (e bem pessimista): o velhíssimo adágio “mentira tem perna curta” significa (de fato) que a mentira não é difícil de ser percebida, mas não que a mentira tenha “vida curta”. Pelo contrário, as mentiras conseguem chegar cada vez mais longe, pois mesmo tendo pernas curtas, elas usam as famosas «botas de 7 léguas».

  3. E se o assassino covarde Lanza pretendesse entrar nas residências ao invés de entrar na escola? Com a lei do desarmamento, como os chefes de família poderiam proteger sua residência e sua prole do ataque do monstro? É depois de casos como este que devemos fazer uma campanha de ARMAMENTO e não de desarmamento.

  4. O texto não tenta induzir o leitor a apenas responsabilizar o jovem. Não faz sentido uma família ter me sua residência todo e qualquer armar. Bastar desejar, ter dinheiro e comprar. A sociedade americana peca por não exigir uma lei mais rigida e que proiba expressamente a guarda de armas de fogo de uso exclusivo dos militares.

Deixe uma resposta