Respondendo aos delírios de uma esquerdista contra a redução da maioridade penal

8
36

@

Quando eu vi um vídeo desta garota (aliás, nem descobri o nome dela, não deu tempo de procurar) sobre neo-ateísmo, já prenunciei: tem algo fedendo aí.

Neste outro, minhas suspeitas se confirmam: trata-se de uma esquerdista, ingênua e iludida ou hipócrita ao nível da psicopatia, que passa o tempo pregando suas noções delirantes sobre a sociedade. Mais do mesmo.

Mas este vídeo é particularmente divertido pelas teses que ela defende contra a redução da maioridade penal.

Ela diz que “concorda com a redução da maioridade penal”, mas ao mesmo tempo é contra jogar “crianças” e adolescentes na cadeia. Ora, se ela concorda com a redução da maioridade, por que é contra os efeitos dessa redução? Note que assim como no vídeo sobre o neo-ateísmo, ela é uma artista do duplipensar.

Mas quem falou em “crianças” e adolescentes, já que a proposta é focada em reduzir para 14 ou 16 anos a maioridade penal? Qualquer um sabe que confundir uma criança com um adolescente não passa de um joguete emocional para “travar” a discussão e beneficiar os adolescentes infratores. Ela está querendo enganar a quem?

Segundo ela, a cadeia gera a reincidência dos crimes, por isso criminosos não devem ir para lá. É preciso ter perdido toda a noção de realidade para falar tamanha besteira. Na verdade, a cadeia, exatamente por ser tão “horrível”, deveria estimular as pessoas a não voltarem para lá.

Pera ela, o “ideal” seria a criação de penas alternativas e instituições de recuperação para os adolescentes criminosos. Ela novamente foge da realidade, pois o truque de “penas alternativas e instituições de recuperação” já existe. Ou ela não ouviu falar da Fundação CASA?

Só que agora ela não quer essa mamata apenas para os adolescentes infratores, mas para todos os criminosos, pois ela é formal ao dizer que sua proposta de eliminar as prisões e substituí-las por “instituições de recuperação” deve ser “principalmente para os menores infratores”, isto é, não apenas para eles. Ela simplesmente faz o reviralho geral. Com uma porção de truques semânticos, ela quer aumentar a impunidade, e dá-la aos maiores de idade, ao invés de punir os menores. Coisa fina, coisa muito fina…

Vejam só vocês. A maior preocupação dela contra a prisão para os menores é a seguinte: “Como você vai arrumar o seu primeiro emprego?”. Ora, essa é simples de resolver. Poderiam fazer um cadastro de esquerdistas, e colocá-los como empregadores FORÇADOS de criminosos. Com tanto esquerdista que há no Brasil, dificilmente um criminoso ficaria sem emprego. Poderia ser diarista na casa dela, por exemplo. Será que ela topa? Suspeito que não.

O mais grotesco é o fato dessa preocupação tão radical com a empregabilidade de criminosos quando hoje em dia nem os cidadãos honestos tem garantia de emprego. Nova inversão de valores!

Lá na frente, ela diz que nos casos em que a pessoa cometeu o crime “pela situação e falta de opção” (não seriam os psicopatas, na noção dela) então “não há motivos para piorar a vida dessa pessoa”. Aqui ela se preocupa com a “vida do criminoso”, mas não dá a mínima para a vida das vítimas dos criminosos. Como sempre, os valores do esquerdista são invertidos. Veja em que momento algum ela tenta entender o lado das vítimas, mas somente dos bandidos. (Aliás, “pela situação e falta de opção”? Os crimes bárbaros que deveriam ser severamente punidos não são cometidos “por falta de opção”, pois sempre há opção de crimes menos violentos para eles.)

Vendendo ilusões o tempo todo, ela diz que sua proposta é a única “eficaz para combater o crime”. É o oposto. A tolerância e a apologia ao crime, junto com o desarmamento da população civil, só tem levado ao benefício dos criminosos e aumento de criminalidade. É preciso ser muito hipócrita e fingir que as estatísticas comprovando o aumento da criminalidade não existem para continuar com sua capitalizaçãozinha desonesta.

Outra proposta estúpida é o uso de “rastreador em regime semi-aberto”. Este rastreador tem algum mecanismo de controle que impeça novos crimes? Ela realmente não presta atenção no que diz.

Mais uma idéia “brilhante”: substituir os agentes penitenciários por psicólogos e educadores. Que seja uma psicóloga bem gostosinha, que eles vão adorar “fazê-la”.

Quando já passa dos 4 minutos, ela confirma que sua proposta deve valer para todos. E por que ela “acha” que “cadeia cria novos bandidos” (como se eles já não fossem bandidos quando entraram lá), abolir a cadeia passa a ser seu sonho de consumo.

Para chegar neste nível de fuga da realidade, quantas sessões de doutrinação (digo, “aulas”) será que ela sofreu nas mãos de algum doutrinador esquerdista em sala de aula?

Quando ela sai do transe psicótico, lá pelos 5 minutos, consegue mudar de argumentação e direciona-a de forma razoavelmente eficaz para refutar o argumento demente de Yuri Grecco de fazer algo tipo “Minority Report”. Mas o imbecil Grecco não é o meu objeto de análise aqui, e sim a esquerdistinha apologista do crime.

Como se observa, essa garota faz seu trabalho ideológico com perfeição, fazendo até uma cara de “coitadinha” (bela encenação, aliás) para vender suas idéias sanguinárias.

Eu estava certo: em relação ao esquerdismo e humanismo, ela é puro-sangue!

Anúncios

8 COMMENTS

  1. O falecido Ferreira Netto tinha uma idéia muito melhor para aperfeiçoar o sistema prisional brasileiro:
    trabalhos forçados em *campos de concentração no meio do mato*. Sem muros, apenas uma cerca de arame farpado e eletrificado entre as torres de vigilância. Bandido tentou fugir, leva tiro pra morrer.

    Ou é isso, ou então a vagabinha esquerdista que contrate um “mano” pra trabalhar na casa dela. 😉

  2. Isso que dá abrir a boca pra dar opinião sobre aquilo que não sabe. No meio juridico há um debate ferrenho sobre o assunto e, apesar de eu ser a favor da redução, acredito mesmo aqueles que são contra, fornecem argumentos válidos e coesos sobre o problema porque estudaram e sabem do que estão falando. Essa mania de vloggers neo-ateistas de dar pitaco sobre tudo é, no minimo, hilária. Como diz o Olavo, as pessoas deveriam estudar (e muito), e só depois abrir a boca para opinar sobre algo.

  3. Antes eu era a favor de prisão com trabalhos forçados para bandidos, mas pesquisando sobre os Gulags da URSS da pra saber que seria algo muito improdutivo ou não teria a produtividade esperada, e também já está ruim para pessoas honestas arrumarem emprego, dar aos bandidos seriam um desperdício….

    • O objetivo dos trabalhos forçados não é a eventual produtividade desses trabalhos. Pesquise sobre a etimologia (origem) da palavra “trabalho”. Você vai chegar num instrumento de *tortura*. 😉 Perceba também a semelhança fonética entre o substantivo “labuta” e a raíz eslava “robot”. 😉 E tem mais: a fantástica *glorificação do trabalho* é um fenômeno historicamente recente, ela não existia até o fim da Idade Média pelo menos. E essa ilusão própria do capitalismo industrial-financeiro foi adotada sem muitos retoques pelo comunismo revolucionário, o que dá alguma razão às críticas “anti-modernidade” tanto de Marcuse quanto de Robert Kurz.

      De qualquer modo, também sou contrário ao uso da prisão como forma preferencial ou única de castigo.

  4. Me parece que esse pessoal se embrenha nesse tipo de debate por um motivo: A falsa ilusão de que o sistema penitenciário tem o intuito de recuperar meliantes (ou fazê-los refletir sobre a vida enquanto estão presos).

    Eles acham que o sistema penitenciário é uma espécie de purgatório, algo que deve ter como missão lavar os pecados dos criminosos tornando-os seres puros e inocentes.

    Como isso não acontece esses “iluminados” resolvem aparecer com teorias esdrúxulas e propostas non senses.

    Ora. A ideia por de tras das punições severas contra criminosos não é de recupera-los de coisa alguma, mas somente puni-los. Só isso e mais nada além disso.

    Agora se querem patrocinar algum tipo de programa de recuperação para criminosos que o fazem, mas sem reduzir um milímetro sequer de sua pena e castigo. Pelo contrário.

    Estamos na luta para estreitar as leis que punem os criminosos e essa cambada de gente delirante que maqueiam a realidade vem com esses projetos mirabolantes de salvação do mundo.

    A criminalidade esta aumentando dia após dia e eles pedindo redução e abrandamento de pena para bandidos, para pessoas que destroçam e acabam com a vida de outras pessoas.

    Pior. Eles realmente levam isso muito a sério e sabem perfeitamente o caminho que devem tomar a fim de fazer valer um dia as suas psicoses mentais.

Deixe uma resposta