Como era de se esperar de um país humanista, China prende cristãos por explicarem significado do Natal em praça pública

2
27

_38323747_christian300ap

Fonte: Gospel +

Um grupo de nove cristãos foram presos no último dia 09/12 pela polícia da cidade de Shenzhen, na China, por pregarem em praça pública, a respeito do verdadeiro significado do Natal, segundo o cristianismo.

Uma unidade tática da polícia, composta por 40 homens, deteve o grupo, formado por sete mulheres e dois homens. O grupo, segundo o site China Aid, era liderado por Cao Nandi, da Igreja Heping Fellowship, e as mulheres, obreiras das igrejas Centro Guanai e Meilin.

O mesmo site afirma que todos os cristãos foram soltos após prestarem depoimentos na delegacia.

A igreja evangélica na China é a que mais cresce em todo mundo, porém, devido ao regime ditatorial do país, a pregação do Evangelho é proibida, e por isso, os evangélicos do país vivem anonimamente, formando o que se chama de “igreja subterrânea”.

Um documento de maio de 2011, divulgado recentemente pelo Telegraph, revelou que o Comitê Central do Partido Comunista Chinês, que controla o governo do país, exerce grande resistência à evangelização.

Segundo o Christian Post, o documento é um estudo realizado pelo governo sobre formas de impedir que estrangeiro ingressem nas universidades chinesas com a intenção de evangelizar os cidadãos do país.

As estratégias missionárias são classificadas pelo documento como “conspiração ocidental”, e orienta aos políticos regionais para impedirem o evangelismo no país, classificado no documento como “doença”.

-As forças hostis estrangeiras têm dado grande ênfase à utilização da religião para se infiltrarem na China e desencadearem os seus planos conspirativos de ocidentalizar e dividir a China. Consideram os institutos de ensino superior como alvos prioritários se infiltrarem, usando a religião, em particular o cristianismo – aponta o documento.

Na China, a religião budista é adotada pela maioria da população, porém o governo é declaradamente ateu, diferentemente da maioria dos países do mundo, que declaram o estado laico.

Entre protestantes e católicos, os cristãos da China somam hoje 67 milhões de pessoas, o equivalente a 5,1% da população do país, que soma mais de 1,3 bilhão de moradores, segundo o Pew Forum on Religion and Public Life.

Meus comentários

E, como esperado, os sites neo-ateus esconderão essa notícia, assim como grande parte da mídia. É o tradicional lema humanista: “cristão bom, cristão morto”.

E importante: pelo marxismo, o sistema chinês não pode ser catalogado somente como um sistema ateu, mas sim humanista, até pelas suas promessas utópicas de sociedade sem classes (mas lá no futuro distante, obviamente).

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Olá, Luciano!Venho acompanhando seu blog já faz algum tempo e tenho gostado bastante de seus artigos.Embora não compartilhemos da mesma crença( sou teísta cristão) possuímos inimigos em comum(humanismo,neo-ateísmo,esquerdismo…).Sou professor de História no ensino fundamental e médio de minha cidade e tenho usado minha posição para tentar desconstruir o mau cometido por essas ideologias humanistas na mente das crianças e dos jovens.Por conta disso,gostaria de lhe fazer um pedido:se for possível,você poderia disponibilizar seus artigos para download?Dessa forma facilitaria muito o estudo das rotinas apontadas por você.De qualquer forma um grande abraço e continue com esse excelente trabalho que você vem realizando.A propósito:que tal voltar aqui pro lado de Jesus,hein?…rsrsrsrs…Grande abraço!

  2. É Ayan, enquanto eles não podem comemorar ABERTAMENTE nem a morte e nem a prisão de cristãos nesses países, então eles simplismente OMITEM essas informações, ou então tratam elas com DESCASO, bem diferente do que fazem quando acontece qualquer coisinha MINIMA com os grupos protegidos da esquerda!!!

Deixe uma resposta