Taxista evangélico pára na delegacia por não permitir beijo de casal gay em seu carro

4
34

taxi

Fonte: Gospel +

Um taxista evangélico foi parar na delegacia, no Rio de Janeiro, por não permitir que um casal de homossexuais se beijasse em seu carro. Ezer Gomes de Barros se negou a levar os passageiros Sérgio Porto Costa e Robson Gomes de Brito que tomaram o veículo no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, depois que eles ignoraram si pedido para não se beijassem no veículo conduzido por ele.

Após pedir aos dois que não se beijassem dentro do veículo e ser ignorado, o taxista parou nas imediações do aeroporto, na Ilha do Governador, onde se negou a seguir viagem. Os rapazes chamaram a polícia, que levou todos para a delegacia, segundo informações do site Lado A.

A ocorrência foi levada para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) e Barros será acusado de injúria, crime que tem pena prevista é de um a seis meses de detenção ou multa.

O taxista explicou a situação afirmando ter ficado constrangido com a cena. Ele afirmou que não expulsou os dois, mas que apenas pediu para não namorarem no veículo, o que segundo ele, pediria também a um casal heterossexual.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Meus comentários

Eu me lembro de uma vez que, voltando de uma balada, estava no maior amasso com uma garota no banco de trás de um táxi, e o taxista pediu: “Ei, gente, vamos com calma aí”. Eu aceitei numa boa.

Agora, só por que uma duplinha gay estava na esfregação, não podem aceitar a reprimenda?

É mais um exemplo de como as organizações gayzistas estão mais prejudicando os homossexuais do que ajudando-os, criando uma série de pessoa neuróticas, as quais acham que os donos de estabelecimentos comerciais (e o táxi é um exemplo disso) devem lançar tapete vermelho para sua militância política.

Pena que dificilmente o taxista em questão conhece a guerra política o suficiente para lançar um processo contra os dois homossexuais por denunciação caluniosa.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Assunto com potencial de comentário: na pauta da Missa do Galo, o papa Bento XVI falou sobre as perseguições que cristãos sofrem no Oriente Médio, citando o termo “conservar sua moradia”. O mais importante disso tudo é reparar que ele usou a missa também como instrumento político para que esse assunto ganhe evidência, como pode ser visto nesta notícia do G1 e nesta outra do Uol, bem como poderá ser visto em outras. Aproveito para desejar feliz Natal a todos que no momento leem estas linhas.

  2. Tem um colega meu que foi muito zuado pela galera do trabalho pq ficava de pegação, com a namorada, no estacionamento da empresa no horário da saída, esse negocio de pegação em publico é ridículo não importa se for um casal hétero ou homo.

  3. Hehe… Luciano foi repreendido e aceitou de forma decente. Sua namoradinha tbém aceitou de forma decente. Os dois foram decentes. Agora aparecem lá da casa do c* dois marmanjos safados e escrotos querendo prender o proprietário do veículo só porque foram repreendidos por estarem dando preliminares gays pegando um no pau do outro? O motorista é obrigado a ferir seu pudor e moral vendo aquilo? Daqui há pouco vão querer obrigar o motorista até a participar com eles. E parece que a sodomia está caminhando pra isso. Querem dar show na frente do motorista contratem um gay-car seus merdas!!!

Deixe uma resposta