Petição pede que âncora esquerdista da CNN seja deportado

3
61

pmorgan3_gq_21jul10_b

Fonte: Patricia Kogut

Defensores de armas nos EUA pedem ao governo Obama que deporte o britânico Piers Morgan, o âncora do programa “Piers Morgan tonight”, da CNN. De acordo com o “The Hollywood Reporter”, mais de de 11 mil pessoas já assinaram uma petição online que acusa o jornalista de ter atacado, durante seu programa, a Segunda Emenda, que garante aos americanos o porte de armas de fogo. “O cidadão britânico e apresentador da CNN Piers Morgan está fazendo um ataque hostil contra a Constituição americana, mirando na Segunda Emenda”, diz a petição criada na sexta-feira (21). “Queremos que Morgan seja deportado imediatamente por seus esforços de apequenar a Constituição e por tomar proveito de sua posição para fazer ataques contra os direitos dos cidadãos americanos”.

O documento foi postado no site colaborativo da Casa Branca “We the people”, que permite aos usuários criar petições que recebem a atenção de agentes do governo e uma resposta oficial da Casa Branca caso ganhe 30 mil assinaturas em 30 dias. No Twitter, Morgan tem respondido com bom humor às ofensas destinadas a ele.

Meus comentários

A matéria de Patricia Kogut é mentirosa ao dizer que Morgan tem respondido com “bom humor às ofensas destinadas a ele”. Como mostrei aqui, é exatamente o oposto: ele não tem habilidade de reagir bem aos argumentos adversários e parte para as ofensas.

Por outro lado, não sei se é questão de deportação, mas sim de uma incisiva ridicularização, mostrando que os esquerdistas se apegam aos seus “argumentos” ridículos, mas, quando refutados, perdem a compostura.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Luciano, o Piers Morgan é da Inglaterra, país já conhecido pela sua luta para desarmar o povo e o mesmo jornalista está envolvido com aquele escandaloa de Rupert Murdoch e incrívelmente os britânicos não querem que ele seja deportado pois ele é uma persona non grata por lá.

  2. Os defensores das armas estão agindo completamente errado ao pedir a deportação de Piers Morgan. Houve o salseiro entre ele e o Larry Pratt, mas o próprio Larry mostrou que é perfeitamente possível derrubar um a um os argumentos sem que se parta para a belicosidade pela qual tanto anseiam os que usam os tais estratagemas de ofensas. Larry foi aquele caso de alguém que irritou o oponente por ser tão calmo em sua explicação.
    Aqui acaba havendo também o problema de termos de separar uma coisa de outra. dentro das tais entidades armamentistas, há aqueles que são equilibrados, mas também há os tais falcões tão mencionados como um suposto tudo de como seriam aqueles que não partilham de religião política (isso se considerarmos os tais falcões como religiosos políticos de outro tipo que não marxista-humanista-neoateísta ou libertário-anarcocapitalista). Parece coisa de falcoaria a iniciativa de querer a deportação do Piers.

    E isso acaba por fornecer substratos perfeitos para que religiosos políticos de matiz marxista-humanista-neoateísta acusem o todo dos defensores de armas de xenófobos. Também poderão acusá-los de macartistas, ainda mais pensando que há americanos do referido espectro religioso político que iriam dizer que só não são deportados porque os Estados Unidos não deportam seus naturais. E também irão acusá-los de intolerantes com outras opiniões (sendo que aqui há mais mesmo uma reação a um acontecimento).
    A estratégia de pedir a deportação acaba sendo errada, pois inclusive tira a força da estratégia que associa comportamento irritantemente calmo com argumentos consistentes. E é a tal estratégia que vem se mostrando muito efetiva para desmoralizar quem crê que o homem seja capaz de promover um utópico paraíso com sua obra.

    Ao se agir na calma irritante argumentada, quebram justamente a reação que os marxistas-humanistas-neoateístas querem e faz com que fiquem perdidos. Não se está atribuindo adjetivos que os tais religiosos políticos para acusar a outra parte de intolerante. Não se está usando um tom de voz exaltado para que os tais acusem a outra parte de desequilibrada. Enfim, tira-se boa parte do chão deles e os faz se expor, justamente por não saberem em que altura está a barra que devem superar para que seus saltos deem certo. E é nessa estrada que se deve trilhar.

    • E eis que vira notícia no Jornal Nacional que os “defensores das armas” (dito em tom de ser uma entidade abstrata que ameaça a paz) quer a expulsão de um “jornalista crítico” (quando o que vimos foi ele ser criticado serenamente e tomar uma lapada daquelas). Notaram a inversão da situação? Notaram também o quanto que ficará um cenário que ficará na cabeça de quem sequer irá se dar ao trabalho de procurar pelo vídeo original e sem edição? E o pedido de deportação será um tiro no pé (literalmente) no todo de quem defende armas.
      Além do vídeo editado, puseram no ar também cenas sortidas de outro vídeo em que outro defensor de armas serenamente dá um fora no mesmo Piers Morgan. Na matéria do JN, são 70 mil pessoas que assinaram o abaixo-assinado em um país com mais armas do que pessoas (logo, qual é a relevância desses 70 mil em relação ao todo que entende que Piers Morgan tem direito de se expressar?).

      PS: Luciano, não seria bom continuar a falar sobre as lapadas que Piers Morgan está levando e o quanto isso tem melindrado religiosos políticos? Tudo bem que seria a terceira postagem sobre o assunto, mas a coisa poderá tomar um rumo completamente diferente devido às distorções que estão sendo feitas.

Deixe uma resposta