Piers Morgan se mostra um exímio estrategista de mídia: agora ele causa polêmica ao sugerir “emenda à Bíblia” para permitir casamento gay

0
52

ap_piers_morgan_jef_110804_mn

Fonte: Notícias Gospel

O apresentador Piers Morgan, da CNN – maior rede de TV do mundo – tem se envolvido em polêmicas bastante duras nos últimos dias.

Num de seus programas logo após o massacre na escola Sandy Hook, em Newtown, Morgan defendeu que houvesse alteração na legislação norte-americana que regula o porte de armas.

Como os Estados Unidos são um país que carrega em seu histórico, grandes confrontos envolvendo a população – como por exemplo a luta pela independência e a guerra civil – a Constituição do país reserva ao cidadãos, como um dos direitos inalienáveis, a possibilidade de portar quantas armas quiser.

Segundo Morgan, que é britânico, seria necessário uma mudança na legislação para evitar novas tragédias.

As declarações resultaram em duas petições públicas feitas por cidadãos ao site da Casa Branca, de acordo com o Christian Post. Uma pedindo que Morgan seja extraditado de volta ao Reino Unido, por defender alteração na segunda emenda; e outra, pedindo que ele seja mantido nos Estados Unidos, pois, segundo o texto da petição, “ninguém o quer de volta à Inglattera”.

Não bastassem as polêmicas em torno do porte de armas, o apresentador disse ao pastor Rick Warren, durante uma entrevista, que a Bíblia precisava ser mudada, para incluir o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

-Tanto a Bíblia quanto a Constituição foram bem intencionadas, mas são, basicamente, defeituosas. Daí, a necessidade de alterar isso. O meu ponto com você sobre os direitos dos homossexuais, por exemplo, é: está na hora de uma emenda à Bíblia – polemizou o apresentador.

O pastor Rick Warren rebateu a proposta de Morgan: “Não, não é um acaso o fato de eu acreditar que a opinião humana é falha. Acredito nisso porque a opinião muda constantemente. O que é novo não é verdade. Se isso aqui [a discussão sobre o casamento gay ser pecado] fosse há mil anos, seria verdadeiro, e será verdadeiro daqui a mil anos. Opiniões passam por mudanças, a verdade não”.

Assista no vídeo abaixo, e use o recurso de legendas do Youtube, no primeiro botão após o volume, para ter acesso à tradução da entrevista:

@

Meus comentários

Creio que subestimei Piers Morgan em um post anterior onde o chamei de patético. Na verdade, como intelectual orgânico da esquerda ele é muito mais estrategista do que aparenta.

A tática de sugerir que a Bíblia tenha uma “emenda” significa o ataque a um ponto de alto valor para seu oponente, ou seja, os conservadores cristãos. Ao sugerir a “emenda”, ele irritou os oponentes, que, cheios de raiva, tendem a reagir a favor daquele que ataca.

Esquerdistas dominam a arte de achar um ponto de valor para o oponente e concentrar esforços exatamente neste ponto. Atacar os pontos de valor da esquerda é um ponto que a direita deveria dominar.

Prometo para breve o mapeamento da estratégia usada por Morgan adaptada para uso pela direita. Será entitulada “Atacar os pontos de valor do oponente”. (Na verdade, já vou adiantando um pouco. Para os cristãos, a Bíblia tem altíssimo valor. Mas para os esquerdistas as auto-rotulagens que eles fazem possuem até mais valor para eles do que a Bíblia para os cristãos. Este é um dos pontos centrais de ataque, portanto, em uma estratégia similar para a direita)

A verdade é nua e crua: ou se usam as estratégias úteis do oponente, readaptadas (desde que isso não interfira em seus valores morais, é claro), ou então o melhor é desistir da guerra política de uma vez por todas.

O detalhe é que meu cérebro tem dificuldade para assimilar a expressão “desistência” quando os meios ainda estão disponíveis para combate.

Anúncios

Deixe uma resposta