Falta de moralidade X falta de dignidade: Um vídeo sobre gayzistas histéricos de um lado e cristãos mansos do outro

41
162

@

Os esquerdistas vão dizer “os dois lados estão errados”, pois, em sua ótica bizarra, uma manifestação pacífica da TFP é igual a uma manifestação agressiva e intolerante dos gayzistas. Como sempre, um pesos e duas medidas.

Aí tem de tudo: imposição de rotulagens como fascista, racista (aliás, gay agora se tornou uma raça?), nazista e ofensas à religião.

Por outro lado, há um sentido em falar que os “dois lados estão errados”. A esquerda está moralmente errada, enquanto a TFP erra politicamente. Os participantes da TFP tem o vídeo agora, feito por um esquerdista, no YouTube, com a cara de todos os ofensores que praticaram agressão verbal, gerando gravíssimo constrangimento pessoal. Dá para identificar quase todos no vídeo. Pergunta: os membros da TFP vão processar? Se não vão, então significa que gostam de apanhar. Sinceramente, essa postura mansa e conivente não é digna de macho.

Vi no YouTube um questionamento sobre esquerdistas: “É assim que querem respeito?”. No que eu diria: “Mas o que os membros da TFP fizeram em prol de EXIGIR respeito?”. Eu sei que moralmente os esquerdistas e gayzistas do vídeo são indefensáveis, mas politicamente a TFP pediu para apanhar. Quem já viu luta de búfalos no Discovery Channel, sabe que aquele que recua está automaticamente cedendo as fêmeas do local ao inimigo.

É isso que fizeram os membros da TFP. Sub-comunicaram ao público: “Nós, que estamos representando aqui a direita, não merecemos ser respeitados. Tudo que vocês fizerem contra nós está, a priori, correto, e não ocorrerá reação alguma”.

Alguns me perguntam: “Bater não seria a solução”. Mas eu não falei em “agressão física”, mas sim uma postura combativa, com frases de efeito e linguagem corporal adequada para que nenhuma ofensa ficasse de graça. Se alguém lhe chama de “fascista”, retruque com “fascista é você, seu filho da puta”, e coisas do tipo. Mas usar a postura de mansidão, conforme vista no vídeo, é simplesmente perder não só a honra como a dignidade.

Simplesmente um dos vídeos mais enojantes que vi nos últimos tempos. Dois grupos digno de nojo e repulsa. Um pela falta de moralidade, e outro pela falta de dignidade.

Anúncios

41 COMMENTS

  1. Sua análise é incorreta, injusta e ingênua. É óbvio que os gayzistas queriam justamente provocar uma reação violenta. Sua sugestão de responder palavrão com palavrão é infeliz. Se você responde lama com lama, você já perdeu a guerra mesmo ganhando.

    Os rapazes do IPCO estavam ali em nome do Instituto. Uma reação precipitada poderia trazer sérias consequências jurídicas, inclusive o fechamento da entidade. Os gayzistas não estavam ali representando uma instituição. No caso de uma briga, no máximo, ao contrário do IPCO, seriam processados individualmente.

    • É um problema, se o instituto diz que a pessoa não pode mais sequer reagir quando estiver com um uniforme seu, então o problema é muito maior. Que se manifestem sem o nome do instituto, oras, pq se for para ir às ruas e passar esse papelão, então melhor ficr em casa. A meu ver, o que o pessoal da TFP foi uma terrível incitação ao crime contra a direita, pois ao sub-comunicarem que “direitista tem que ser ofendido calado”, estão incentivando a esquerda a aumentar os ataques. Isso é a dinâmica social.

      • Uma troca de insultos só rebaixaria o IPCO ao nível dos gayzistas. No dia em que o IPCO chamar alguém de “fdp”, a Revolução terá finalmente triunfado. Além disso, trocar insultos acabaria por levar à violência física e uma briga de rua era exatamente isso que os gayzistas queriam. Aqueles rapazes do IPCO teriam posto os gayzistas para correr num átimo pois exercícios físicos e artes marciais para auto-defesa sempre fizeram parte da preparação do IPCO.

        Sua proposta de “que se manifestem sem o nome do instituto” revela total falta de noção das coisas.

        No caso de pancadaria na rua e subsequente inquérito policial, seria facílimo descobrir que aqueles rapazes estavam em Curitiba com dinheiro e recursos do IPCO. Choveriam processos sobre o IPCO e não faltariam ONGs moderninhas pedindo na TV o fechamento da entidade. Como o IPCO sobrevive de doações particulares e da boa-vontade de pessoas generosas, isso seria péssimo.

        Se você acha que agressão deve ser respondida com agressão, tudo bem. É isso aí, Luciano. Já que você acha que o IPCO é “mole”. Crie uma organização mais radical que responda tapa com tapa. Funde uma “Guarda de Aço”, um OAS, um IRA da direita. Mas, nesse caso, sugiro que crie uma entidade clandestina, à margem da lei, sem CNPJ, nem endereço conhecido para evitar as complicações legais que inevitavelmente surgirão.

      • Entendi, vc defende o estilo Neville Chamberlain. Seu código é o seguinte: não se responde a Hitler com balas, pois isso seria se “rebaixar ao nível”.

        Me parece que há uma falácia da bola de neve aí, em que vc diz que resposta à agressão verbal NECESSARIAMENTE vai levar à violência física, mas meu argumento diz algo diferente: PASSIVIDADE ABSOLUTA LEVA AO INCENTIVO DA VIOLENCIA DO OUTRO LADO.

        E quem falou em IRA? Nem os gayzistas são um IRA, pq um grupo de direita deveria ser?

        Mas o grupo ali, se quis representar a direita, fez um desserviço à direita. A mim, o grupo da TFP me causou vergonha.

      • Desculpe-me, mas você não entendeu nada. Usar armas não rebaixa ninguém. Usar palavrões rebaixa e muito.

        Responder a uma agressão física com outra agressão física é perfeitamente legítimo. Por outro lado, responder a um palavrão com outro palavrão NUNCA é legítimo.

        Há várias maneiras de se entender o porquê. A mais simples é a “imitação de Cristo”. As escrituras mostram Nosso Senhor reagindo com violência física aos vendilhões do templo e Seus discípulos muito provavelmente andavam sempre armados. Contudo, não há um único caso em que Ele ou Seus discípulos tenham dito um palavrão. Logo, é preferível dar um soco em quem te xinga do que responder a uma calúnia com outra calúnia. Só que dar um merecido soco naqueles gayzistas tornou-se uma opção inviável no mundo de hoje devido às consequências legais de um sistema judicial pró-gay.

        Se os gayzistas conseguissem produzir um vídeo mostrando os rapazes do IPCO gritando e xingando os gays, a uma hora dessas o MPF já estaria pedindo o fechamento da entidade por homofobia.

      • Desculpe-me, mas você não entendeu nada. Usar armas não rebaixa ninguém. Usar palavrões rebaixa e muito.

        Por que rebaixa?

        Responder a uma agressão física com outra agressão física é perfeitamente legítimo. Por outro lado, responder a um palavrão com outro palavrão NUNCA é legítimo.

        Por que não?

        Há várias maneiras de se entender o porquê. A mais simples é a “imitação de Cristo”. As escrituras mostram Nosso Senhor reagindo com violência física aos vendilhões do templo e Seus discípulos muito provavelmente andavam sempre armados. Contudo, não há um único caso em que Ele ou Seus discípulos tenham dito um palavrão.

        Espera, seu cristianismo é baseado em fazer tudo igualzinho Jesus fez?

        Logo, é preferível dar um soco em quem te xinga do que responder a uma calúnia com outra calúnia. Só que dar um merecido soco naqueles gayzistas tornou-se uma opção inviável no mundo de hoje devido às consequências legais de um sistema judicial pró-gay.

        E como a hegemonia pró-gayzismo ocorreu?

        Se os gayzistas conseguissem produzir um vídeo mostrando os rapazes do IPCO gritando e xingando os gays, a uma hora dessas o MPF já estaria pedindo o fechamento da entidade por homofobia.</strong.

        Ai é só processar por denunciação caluniosa, oras.

      • Conforme ensina São Tomás, a linguagem humana existe para cumprir determinadas funções. Palavrões e xingamentos não fazem parte das funções naturais da linguagem. Embora em graus diversos, falar palavrões é uma perversão da função natural da linguagem assim como sexo homossexual é uma perversão da função natural do ato sexual. O homem que precisa falar palavrões para sentir-se viril é como o soldado que precisa beber para sentir-se corajoso.

        O Prof. Olavo de Carvalho é admirável em muitos aspectos. Ele é provavelmente o maior filosófo brasileiro vivo. Mas no caso específico dos palavrões ele está errado. Há uma discussão sobre o assunto no blog tomista Contra Impugnantes.

        É obviamente impossível imitar Nosso Senhor em tudo. Mas deveria ser óbvio que os princípios pelos quais Ele viveu devem, tanto quanto nossa condição decaída permite, guiar nossos passos.

        Ninguém aqui está defendendo a passividade absoluta. Isso é um espantalho que você criou. O que todas as pessoas aqui, com exceção de você, estão dizendo é que, diante das circunstâncias concretas, a atitude do IPCO foi a mais correta. Aliás, a boa repercussão do vídeo – boicotado pela grande mídia – mostra isso.

        Assista ao vídeo com calma e diga-me se você viu medo, covardia ou passividade nos olhos dos rapazes do IPCO. Eu não vi. Pelo contrário, vi coragem e determinação. Eu não vi nenhum deles humilhado, envergonhado e de cabeça baixa. Não vi coitadismo e nem vitimismo no IPCO. A firmeza estampada no rosto deles deixou bem claro aos gayzistas que havia um limite e que ultrapassar esse limite traria sérias consequências aos pederastas. Não por acaso, a pedrada aconteceu quando um dos membros do IPCO encontrava-se afastado dos colegas e de costas.

        A hegemonia gay na mídia ocorreu por uma série de motivos que não têm nada a ver com palavrões, xingamentos, socos e murros. Se os conservadores vomitassem palavrões teriam derrotado o comunismo?

        Você não entendeu o que eu escrevi. Se os rapazes do IPCO tivessem igualmente xingado e berrado com os gayzistas e fossem filmados fazendo isso, o impacto na opinião pública seria péssimo para o IPCO e muito possivelmente o MPF pediria o fechamento da entidade.

        A TFP não é a organização conservadora mais combativa do Brasil. Ela é a organização conservadora mais combativa do MUNDO. A ação do Opus Dei, da SSPX etc., por melhor que seja, é restrita quando comparada à da TFP. Mais agressivo que a TFP, só indo para a ilegalidade.

      • JB

        Conforme ensina São Tomás, a linguagem humana existe para cumprir determinadas funções. Palavrões e xingamentos não fazem parte das funções naturais da linguagem. Embora em graus diversos, falar palavrões é uma perversão da função natural da linguagem assim como sexo homossexual é uma perversão da função natural do ato sexual. O homem que precisa falar palavrões para sentir-se viril é como o soldado que precisa beber para sentir-se corajoso.

        Bom, eu respeito a sua opinião, por que é uma opinião. E acho que nem todos os cristãos pensam como você. Mas mtos concordariam. Por isso, vejo que não tenho mesmo estômago para ser cristão.

        O Prof. Olavo de Carvalho é admirável em muitos aspectos. Ele é provavelmente o maior filosófo brasileiro vivo. Mas no caso específico dos palavrões ele está errado. Há uma discussão sobre o assunto no blog tomista Contra Impugnantes.

        Entendo, novamente, é sua opinião, mas acho que o Olavo está correto nos palavrões. Há um sentido naquilo, que é passar uma mensagem, que é de não tratar com dignidade um discurso (de esquerda) que não tem dignidade.

        É obviamente impossível imitar Nosso Senhor em tudo. Mas deveria ser óbvio que os princípios pelos quais Ele viveu devem, tanto quanto nossa condição decaída permite, guiar nossos passos.

        Seu direito, e eu respeito. Mas minha personalidade não consegue assimilar isso.

        Ninguém aqui está defendendo a passividade absoluta. Isso é um espantalho que você criou. O que todas as pessoas aqui, com exceção de você, estão dizendo é que, diante das circunstâncias concretas, a atitude do IPCO foi a mais correta. Aliás, a boa repercussão do vídeo – boicotado pela grande mídia – mostra isso.

        Vamos ver o que resultará disso.

        Assista ao vídeo com calma e diga-me se você viu medo, covardia ou passividade nos olhos dos rapazes do IPCO. Eu não vi. Pelo contrário, vi coragem e determinação. Eu não vi nenhum deles humilhado, envergonhado e de cabeça baixa. Não vi coitadismo e nem vitimismo no IPCO. A firmeza estampada no rosto deles deixou bem claro aos gayzistas que havia um limite e que ultrapassar esse limite traria sérias consequências aos pederastas. Não por acaso, a pedrada aconteceu quando um dos membros do IPCO encontrava-se afastado dos colegas e de costas.

        A questão não é como alguém se “sente”, em termos de humilhação, mas sim como o público o percebe. Como o público se posicionou? A favor dos gayzistas ou contra? Quais os resultados. Enfim, a meu ver, sei que o pessoal da TFP é de direita, assim como eu. E eu fiquei envergonhado de toda a situação.

        A hegemonia gay na mídia ocorreu por uma série de motivos que não têm nada a ver com palavrões, xingamentos, socos e murros. Se os conservadores vomitassem palavrões teriam derrotado o comunismo?

        Em breve criarei uma série com 40 estratégias de guerra política, e 1 delas é neutralizar ataques do oponente com a assertividade, sub-comunicando à plateia que “é inaceitável humilhar alguém do seu grupo”. Um exemplo foi quando alguns da direita criticaram Niemeyer, e a esquerda NÃO ACEITOU sequer esta crítica. A mensagem sub-comunicada é clara.
        Agora, na minha futura série, eu também deixarei claro que não adianta usar 1 das estratégias, mas sim a maior quantidade delas possíveis, para obter resultado.
        Por isso duvido que se os conservadores de direita neutralizarem verbalmente os ataques do oponente teriam causado dano ao comunismo, pois eu duvido que o uso de estratégias isoladas causem efeito.
        Respondi sua pergunta?

        Você não entendeu o que eu escrevi. Se os rapazes do IPCO tivessem igualmente xingado e berrado com os gayzistas e fossem filmados fazendo isso, o impacto na opinião pública seria péssimo para o IPCO e muito possivelmente o MPF pediria o fechamento da entidade.

        Eu acho que essa é uma consequência imaginária. Não há precedente para alguém ser de algum instituto, xingar alguém e pedirem para fechar este instituto. Há precedente para isso?

        A TFP não é a organização conservadora mais combativa do Brasil. Ela é a organização conservadora mais combativa do MUNDO. A ação do Opus Dei, da SSPX etc., por melhor que seja, é restrita quando comparada à da TFP. Mais agressivo que a TFP, só indo para a ilegalidade.

        Eu acho que a TFP ficou para trás. Os resultados, em termos de MARCAÇÃO DE ESPAÇO, com as estratégias deles, parecem que não estão muito bons…

      • Você não é católico?! Lamento. Isso explica tudo. É por isso que os métodos que você propõe são tão parecidos com os dos revolucionários… Você provavelmente tem uma visão imanente da disputa política. Se caluniar o adversário trouxer a vitória, por que não? É como eu havia escrito no início: com sua tática, mesmo ganhando já perdemos…

        “Minha opinião” a respeito de palavrões e insultos não é “minha”. É de São Tomás de Aquino. Veja na questão 72 da secunda secundae. Por mais que eu admire o Olavão, entre ele e o Aquinate, a escolha é facílima.

        Como você corretamente diz, o que os rapazes do IPCO subjetivamente sentiram é irrelevante pois o que conta é a percepção do público. Então eu vou refazer a pergunta para você: Em qual minuto do vídeo aparece algum rapaz do IPCO *transmitindo* a quem o visse os sentimentos de medo, covardia, vergonha etc.?

        Pelo que vejo na internet, o resultado em termos de opinião pública está sendo muito favorável ao IPCO. Só é pena que a grande mídia não tenha dado o destaque merecido, por motivos sobjeamento conhecidos.

        Se os métodos de campanha de rua do IPCO/TFP funcionam ou não, é outra questão. Eu gostaria de saber de você se há outra entidade conservadora, com atuação em diversos países, que exponha-se tanto quanto ela.

        Dou-lhe uma sugestão amiga. Faça um favor a você mesmo, Luciano: publique no seu blog o vídeo do IPCO e escreva que, após analisar bem estas últimas imagens, você refletiu melhor e pede desculpas pelas palavras infelizes que escreveu a respeito de “cristãos mansos” com “falta de dignidade”.

        Admitir o erro é um ato nobre e pega menos mal para você.

      • JB

        Você não é católico?! Lamento. Isso explica tudo. É por isso que os métodos que você propõe são tão parecidos com os dos revolucionários… Você provavelmente tem uma visão imanente da disputa política. Se caluniar o adversário trouxer a vitória, por que não? É como eu havia escrito no início: com sua tática, mesmo ganhando já perdemos…

        Ok, então vou te “testar”.

        Você me acusa de ser desonesto, mas meu texto aqui diz exatamente o oposto do que você afirmou: http://lucianoayan.com/2012/11/11/um-raio-x-das-regras-para-radicais-de-saul-alinksy-pt-2-dos-meios-e-fins/

        Quando eu proponho uma resposta no mesmo TOM E ASSERTIVIDADE, isso não significa refletir todas as ações do outro lado.

        Por isso que quando você diz “com sua tática, mesmo ganhando, já perdemos…”, sabe que não fala do que propus, mas de um espantalho que você criou. Eu não estudei dinâmica social e psicologia social à toa, tanto quanto os esquerdistas fazem, para aceitar que alguém em um debate diga “sua tática não funciona, mas a minha sim”, sem ter que apresentar argumentos.

        Para provar que o seu argumento é o MELHOR, você terá que… usar argumentos, e não clichês.

        “Minha opinião” a respeito de palavrões e insultos não é “minha”. É de São Tomás de Aquino. Veja na questão 72 da secunda secundae. Por mais que eu admire o Olavão, entre ele e o Aquinate, a escolha é facílima.

        Entendi, você é daqueles que leem filósofos e “seguem” filósofos. Há uma diferença grande entre eu e você: eu leio vários deles, incluindo até filósofos da esquerda, e aproveito o que é bom de cada um. Iss o que você está usando é a falácia do apelo à autoridade.

        Como você corretamente diz, o que os rapazes do IPCO subjetivamente sentiram é irrelevante pois o que conta é a percepção do público. Então eu vou refazer a pergunta para você: Em qual minuto do vídeo aparece algum rapaz do IPCO *transmitindo* a quem o visse os sentimentos de medo, covardia, vergonha etc.?
        Eu não falei em “medo”, pois quem perdeu a dignidade não tem mais medo do que fazem contra ele. Mas falei em mensagem SUB-COMUNICADA.
        Vou explicar o que é mensagem SUB-COMUNICADA. Imagine uma mulher que é estuprada por seu vizinho, e não vai na polícia denunciar. Dias depois, ele entra na casa dela e a estupra, com um bando juntos. Nas duas vezes, ela tenta até reagir, mas não consegue. Ela pode até gritar “Por favor, não façam isso comigo”, mas a sua falta de ação sub-comunica “Podem vir aqui e fazerem o que quiserem quando quiserem”.
        Então, o que falei é que o pessoal do IPCO SUB-COMUNICOU ao público: “Sempre que eles falarem que somos fascistas, homofóbicos e da idade média, nada diremos, pois é legítimo que eles façam isso. Nada será rebatido”. Isso é um incentivo ao ataque do oponente.
        Pelo que vejo na internet, o resultado em termos de opinião pública está sendo muito favorável ao IPCO. Só é pena que a grande mídia não tenha dado o destaque merecido, por motivos sobjeamento conhecidos.
        Mas este resultado em termos de opinião pública está sendo causado por causa de pessoas da direita que postam o vídeo e participam do debate inflamando as pessoas, mostrando o quanto foi bizarro o comportamento dos esquerdistas. Ou seja, não é a mansidão que está gerando resultados, mas a capacidade de reação perante à vileza do outro lado.
        Se os métodos de campanha de rua do IPCO/TFP funcionam ou não, é outra questão. Eu gostaria de saber de você se há outra entidade conservadora, com atuação em diversos países, que exponha-se tanto quanto ela.
        Não sei, não medi as entidades em termos de exposição, mas eu meço as entidades pelos seus resultados. Em relação aos ideais defendidos, a TFP tem conseguido resultados? Conseguiu em 1964, mas depois disso, pelo que vi, é só uma sucessão de desapontamentos, não?
        Dou-lhe uma sugestão amiga. Faça um favor a você mesmo, Luciano: publique no seu blog o vídeo do IPCO e escreva que, após analisar bem estas últimas imagens, você refletiu melhor e pede desculpas pelas palavras infelizes que escreveu a respeito de “cristãos mansos” com “falta de dignidade”. Admitir o erro é um ato nobre e pega menos mal para você.
        Pelo contrário. Neste blog eu transmito minha opinião, e a mantenho. Depois de tudo que investiguei, testei e estudei sobre psicologia social, continuo achando revoltante a postura dos manifestantes da TFP. Eles não exigiram respeito de seu oponente em um momento sequer, sendo assim, por que eu deveria respeitá-los? Veja: eles tinham CONDIÇÕES de exigir respeito, mas não fizeram isso.

  2. Gayzistas canalhas! Até posso entender a postura da TFP no sentido de agirem na linha do amor e compaixão, de não se igualar na imoralidade desses pervertidos, mas há uma moral que o cristão perdeu por conta do liberalismo reinante nas igrejas de hoje, advindas de reformas conciliares ao longo de décadas.
    Disse Jesus: “Quem não tem uma espada, que venda seu manto e compre uma” – Lc 22;XXXVI. Não entendo, que Nosso Senhor está nos incitando à violência. Mas é inequívoco que ele está dizendo que nos apetrechos de todos os Seus seguidores, deve haver uma espada. Mas isso é tão simples, que é embaraçoso ter de explicar isso para um católico, quanto mais a um ateu ou secularista. Quem ama o Bem, deve necessariamente, odiar o mal! É simples assim. Quando Nosso Senhor enfrentou fisicamente os vendilhões do templo, ele estava usando a “espada” contra o mal. Usar a espada contra o mal pode tomar várias formas, algumas aparentemente contraditórias. Pode tomar a forma da guerra, como foram as Cruzadas. Pode tomar a forma da Santa Inquisição, que nasceu justamente com o evento rebelde de herético. Pode tomar a forma de martírio, que a Igreja sofreu, sofre e sofrerá enquanto o mundo existir. Pode tomar a forma da condenação dos erros do mundo, que a Igreja sempre fez, até o concílio liberal, Vaticano II.

    Jesus prometeu, que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja (Mt 16;XVIII), mas isso não quer dizer que a igreja se acomode em atitudes de covardia.

  3. Concordo em parte com você, Luciano. Mas pelo o que vi, os gayzistas estavam loucos por uma reação, mesmo verbal, para entornar o caldo, a porrada iria comer solto. Por outro lado acho isso deveria ser levado ao MPF, uma vez que são, obviamente, fruto das incitações da intenet (neoateus esquerdistas). Deveriam haver averiguações, e a direita fazer uso desse exemplo escroto para questionar mais contundentemente, junto à sociedade, o que virá depois da Lei PL 122? Grande parte das igrejas, católicas, ortodoxas, evangélicas NÂO admitirão fazer casamnetos gays, por exemplo porque, claro, eles exigirão essas coisas no intuito de se vingar e escarnecer da Igreja. Alguns padres e pastores poderão ser presos, no começo, e depois, filho… GUERRA! Esse é um assunto muito sério. Estamos vivenciando um movimento altamente periculoso à sociedade brasileira. Falam mal, mas o pastor Malafaia tem lutado e muito. Apoiou mais de 40 candidatos no Brasil e uns 40 foram eleitos. Essa submissão dos caras também me irritou, mas não mais que a indecente postura desses viados e lésbicas sem moral alguma. Não vivemos de olhos fechados, sabemos que essa turma é bélica, exigente, rejeitada, e que faz de sua rejeição a maior arma de ódio que esse país verá caso não reaja logo! Se deixar essa putada ganhar poder, muita gente, famílias, empresários, comerciantes, padres e pastores irão se foder! A esquerda manipula esses gayzistas, a esquerda está articulada cada vez mais. A direita tem que se articular também.

  4. desculpa luciano, mas nessa discordo de ti, ficou mais do que claro quem são os lunáticos intolerante, com a TFP já tá rotulada de intolerante, qualquer frase seri pinçada e lançada em mil e um vídeos no youtube, aliás, já fizeram isso… em certo momento o pessoal da TFP grita – intolerantes, intolerantes! apontando o dedo… justamente essa parte foi editada em um vídeo, dando a entender que eles que estavam agredindo… ficando impassíveis mas não submissos – no meu entender – deram o recado para quem ainda duvida do nível de loucura desses caras. Agora numa coisa vc tem razão: açoes devem ser propostas e este vídeo deve ser espalhado pelos conservadores pela rede com a devida combatividade e assertividade nos comentários!

    • Veja… supondo que a opção foi a mansidão no momento, isso poderia significar uma tempestade de processos posteriormente. Mas algo precisa ser feito.

  5. Discordo em parte de que o pessoal TFP foi manso, no final do vídeo pode reparar que um magrão bota o dedo em riste na cara de um gayzista e repreende verbalmente o mesmo. Não sei exatamente qual o minuto, mas é na parte que eles estão subindo na parada de ônibus. Não preciso os minutos pois não vou rever aquele lixo. Abraço !

    • Aí que está. Ser xingado 16 minutos e depois apontar o dedo em riste lembra alguém que tomou socos durante toda uma luta, e depois deu um leve tapa. A meu ver, politicamente, a atuação do pessoal da TFP foi vergonhosa.

  6. Assisti ao vídeo agora. A reação da turma da TFP frente a essa horda de psicopatas tarados por violência foi exemplar.

    Não tinha muito o que fazer neste momento. Qualquer reação mais brusca por parte da TFP poderia desbancar para a pancadaria total. Pelo nível de histeria do lado da esquerda era justamente isso que eles queriam.

    Aliás, mesmo quando é a esquerda que sai às ruas para protestar caso alguém tenta limitar o espaço deles (como a polícia, por exemplo) eles partem para cima até levar umas cacetadas e depois pousarem de oprimidos. Eles fazem exatamente a mesma coisa quando estão do outro lado do tabuleiro.

    Resumindo: Eles gostam de violência, não respeitam o espaço alheio, não respeitam a diversidade de opiniões, não respeitam o exercício livre do pensamento.

    O vídeo nos demonstra isso de forma clara e inequívoca. A TFP pode (e deve) tirar proveito disso, mas revidar “in loco” jamais, seja por meio de palavrões, xingos, mostrando o dedo do meio ou com agressão física.

    • A discordancia é salutar, vejo que temos pontos de vista completamente diferentes. Agora, se atuação da TFP foi exemplar, o que haveria de errado na atuação dos esquerdistas do vídeo? Veja, o que eu digo é, que se estamos diante de pessoas capazes de se defender, mas não fazem, então isso legitimaria o ato dos esquerdistas.

      • Uma pergunta: Por que não chamaram, ao menos a polícia? Eles não tinham um celular? Se a TFP não se manifestar juridicamente, significará que botaram o galho dentro, e isso poderá prejudicar, generalizando a cristandade e a direita como submissas. Discordo em muitos pontos da doutrina deles, pois sou simpatizante do protestantismo cristão. Quiseram dar uma de Cristo? Nem pensar! O próprio Jeusus disse que ninguém tiraria a vida d’Ele, mas que Ele mesmo a dava. A meu ver esse é um grande exemplo de valentia e coragem. E, convenhamos, se partissem para a resposta certa, ou seja, mantendo sua posição cristã sobre a prática do homossexualismo, seriam chamados de homofóbicos, e talvez rolasse porrada. Seria, talvez, um alerta? Quem sabe o assunto tomasse outros rumos no Governo? De qualquer forma, esses gayzistas têm que responder pela sua vilania. Na justiça. Nada contra a igreja católica, mas quem a defendeu na ocasião da passeata famigerada gay, foi justamente um protestante, o Malafaia, que inclusive derrubou os gayzistas naquele processo e saiu vitorioso. Tem que haver reação, que é diferente de provocação. Isso é moralidade.

  7. Beleza! Amei a postura! E esse vídeo está um espetáculo de prova contra esses desocupados! Bola pra frente. Aquele mais bichona lá, de cabelo amarrado em tufo, deve ser o primeiro a rodar. Ser processado, servir de exemplo! Como exigir respeito dessa forma? Não quero gneralizar, esse truque é deles, mas há elementos de sobra aí para ferrar com esse vergonhoso incidente, movimento gay do inferno! Tamus juntos! Hora de desmascarar os gays ativistas, os neoateus, os esquerdistas humanistas falciosos, e toda a esquerda podre nesse país! Parabéns, TFP! Um homem decente pode ser tudo, e se for homoafetivo, refirir-me-ei a ele como homossexual, mas uma desgraça dessa aí do vídeo, eu chamo de bichona safada e promíscua! Cadeia e escola para ele!!!

  8. “Agora, se atuação da TFP foi exemplar, o que haveria de errado na atuação dos esquerdistas do vídeo?”

    Ora, se a atuação da TFP é o extremo oposto da atuação dos esquerdistas não tem como classificar os dois com o mesmo peso, da mesma forma.

    “Veja, o que eu digo é, que se estamos diante de pessoas capazes de se defender, mas não fazem, então isso legitimaria o ato dos esquerdistas.”

    A passividade de uma vítima com condições de defesa em nada legitima a ação do criminoso.

    E em determinados casos a defesa em um duelo é mais fulminante que o ataque frontal imediato. Primeiro você se defende, se policia dos erros e das falhas do seu adversário, se articula e, por fim, executa o ataque. O pessoal da TFP executou o primeiro passo. Resta saber se irão prosseguir.

    Mas fica a pergunta: mas como eles poderiam agir naquele exato momento, Luciano? Xingando de volta, mostrando o dedo do meio, fazendo o gesto de uma buc*** introduzindo a língua no meio das mãos ou empurrando o indivíduo que se aproxima? A ação desses sociopatas se resumiram basicamente nisso, xingos, gestos obscenos e convite para briga.

    Eu apenas analisei o contexto da situação. Essa cambada estava visivelmente alterada, tarados por violência e pancadaria. Eles gostam disso, independente da posição que ocupam em um duelo político.

    Foi nesse sentido que eu elogiei a atitude do pessoal da TFP.

    Agora isso não significa que não deveriam ter feito absolutamente nada, como chamado a polícia por exemplo. Como eles possuem material que prova quem de fato são os intolerantes e inimigos do livre pensamento devem agora usa-lo de maneira bem articulada a fim de ganhar apoio legal para que tenham plena liberdade de se manifestarem publicamente.

    Se porventura o caso se repetir eles chamam a policia para denunciar a criminalidade e a ação inconstitucional dessa turma de antidemocráticos.

    Bem, mas se depois dessa eles “deixarem quieto” eu sou obrigado a concordar com você.

    É o que eu penso…

    • Olá Hélio

      Ora, se a atuação da TFP é o extremo oposto da atuação dos esquerdistas não tem como classificar os dois com o mesmo peso, da mesma forma.

      Vou refazer a análise pela ótica da dinâmica social. Esquerdistas sub-comunicam: “Eu vou te humilhar sonoramente, até ver os seus limites”. Membros da TFP dizem: “Não há limites, e vc deve avançar o máximo que você conseguir’.
      Pela ótica da dinâmica social, com essas mensagens trocadas entre eles, não há que se reclamar da atitude dos esquerdistas.

      A passividade de uma vítima com condições de defesa em nada legitima a ação do criminoso.
      E em determinados casos a defesa em um duelo é mais fulminante que o ataque frontal imediato. Primeiro você se defende, se policia dos erros e das falhas do seu adversário, se articula e, por fim, executa o ataque. O pessoal da TFP executou o primeiro passo. Resta saber se irão prosseguir.

      “Legitimar” eu não sei, mas incentivar sim. Em relação aos próximos passos, quero ver, mas estou bastante cético, sinceramente.

      Mas fica a pergunta: mas como eles poderiam agir naquele exato momento, Luciano? Xingando de volta, mostrando o dedo do meio, fazendo o gesto de uma buc*** introduzindo a língua no meio das mãos ou empurrando o indivíduo que se aproxima? A ação desses sociopatas se resumiram basicamente nisso, xingos, gestos obscenos e convite para briga.

      Regra do Alinsky: “faça o adversário morrer pelo seu próprio livro de regras”. Que se virassem para a população e mostrassem: “Olhem o exemplo que a esquerda fascista está dando. Este é o exemplo que querem de comportamento para um cidadão?” (Acho que para as próximas levar um megafone seria uma boa ideia)

      A interação do outro lado tem que ser neutralizada. Não estávamos falando de pessoas armadas, mas sim de pessoas que marcaram território por causa de sua postura.

      Eu apenas analisei o contexto da situação. Essa cambada estava visivelmente alterada, tarados por violência e pancadaria. Eles gostam disso, independente da posição que ocupam em um duelo político.

      Eu não sei se estavam tão tarados por violência e pancadaria. Aliás, muitos deles ali sumiriam se alguém os encarasse.

      Foi nesse sentido que eu elogiei a atitude do pessoal da TFP.

      A meu ver, a postura de bom mocismo exagerada é sempre uma arrogância, com sub-comunicações terríveis. O dano que isso traz à direita é absurdo.

      Agora isso não significa que não deveriam ter feito absolutamente nada, como chamado a polícia por exemplo. Como eles possuem material que prova quem de fato são os intolerantes e inimigos do livre pensamento devem agora usa-lo de maneira bem articulada a fim de ganhar apoio legal para que tenham plena liberdade de se manifestarem publicamente. Se porventura o caso se repetir eles chamam a policia para denunciar a criminalidade e a ação inconstitucional dessa turma de antidemocráticos. Bem, mas se depois dessa eles “deixarem quieto” eu sou obrigado a concordar com você. É o que eu penso…

      Bem, eu acho que a pressão deve ser lançada para o lado da TFP.
      Eles chegaram a publicar algo a respeito?

  9. A TFP costuma ser o grupo menos passivo e mais combativo na defesa de valores tradicionais nessas terras brasileiras (“em terra de cego…”). Tomara que tomem alguma providência e que isso seja explanado, senão é um contratestemunho mesmo. Não adianta nada ficar só no “olha só como eles são agressivos”, “olha como o mundo está perdido”. Essa postura só é aceitável para as avós e tias se for pra ficar só nisso e não gerar reação.

  10. novidades! o vídeo dos esquerdopatas foi retirado do ar! Estavam levando um baile nos comentários, uma surra infernal e fugiram com o rabo entre as pernas.

  11. Em primeiro lugar: 1) Você ainda não percebeu que TODOS os meios de comunicação hoje em dia são absurdarmente pró movimento gay?
    Em segundo lugar: 2) Você ainda não percebeu que o papel que os esquerdistas mais gostam de interpretar é o de vítima?
    Em terceiro lugar: 3) Juntando o segundo com a repercussão que a mídia iria dar, além de um judiciário totalmente corrompido pela esquerda, qual resultado você acha que seria?

    O nome disso é disputa assimétrica.

    Esse vídeo não teve nenhuma repercussão na mídia, mas se algum desses rapazes do IPCO reagissem fisicamente contra a violência que sofreram (que foi física também), pode ter certeza que teria repercussão, e a edição não seria muito favorável para eles.

    Eu acho que esse tipo de trabalho que esses rapazes do IPCO fazem já não gera nenhum efeito mais, mas de qualquer maneira o controle emocional deles é digno de admiração. Fácil mesmo seria perder o controle e acertar um soco na boca de um daqueles retardados.

    • Para que todos os meios de comunicação atualmente fossem pró-movimento gay, foi preciso da aplicação da estratégia gramsciana, a aprtir das universidades. Mas uma das técnicas para facilitar a implementação da cultura marxista, foi unir grupos e fazer com que estes dissessem que “QUEREM x” (e X inclui respeito, ou qualquer outra coisa que peçam).

      A realidade é a seguinte: o ser humano não é biologicamente programado para respeitar aqueles que não pedem respeito, mesmo que ESTEJAM EM CONDIÇÕES de pedir respeito.

      Por exemplo, supondo que a pessoa fosse surdo/mudo, e não pudesse se defender verbalmente. Essa pessoa não tem condições de responder. Mas no caso de pessoas que tem condições de fazê-lo, a mensagem que eles sub-comunicam é essa: “Nós, da direita, não temos que ser respeitados, e não há demanda alguma de nossa parte por isso”.

      Ou seja, se existe a estratégia gramsciana de um lado, demandando conquista de posições, existe quase uma estratégia oposta do outro, demonstrando que a conquista de posições do outro lado deve ser assistida passivamente.

      A pergunta é: essa postura da TFP gera resultados ou não? Sei que não é fácil manter o controle, mas não é a dificuldade de algo que torna a ação tatica e estrategicamente útil ou respeitável.

      Essa discordancia de opiniões aqui é sadia: mas eu ainda não vi um argumento em favor de que a passividade absoluta contra manifestantes do outro lado seja a postura adequada.

  12. “Ai, ai… Olha, até eu atacaria uma pedra, mas na gaita de fólis, que eu odeio esse som horrível que ela faz. E querem pregar o amor? A aceitação cristã? Desculpe, mas… Quem fora por séculos oprimido pela Igreja Católica? Agora estão sentindo um pouco do que nós, ateus, e até os homossexuais, sentiram na época.”

    Esse é o pensamento, TFP otários, no passado de homens duros e fortes não deixariam essa viadagem crescer e querer basicamente o extermínio de cristãos. Entendam de uma vez por todas! É Guerra e guerra total! Chega de bancarem os mocinhos afetados. Parem de bancar martires! Vocês não são santos, não são nada! Sejam homens e criem uma milicia ora porra!

  13. Já deixei essa ideia em varios lugares, estamos nos tempos parecidos com os anos 30, se não criarem fortes estruturas para colocar homens fortes na associação, busquem na nova direita europeia os elementos para isso. O tempo dos fracos e afeminados acabou. Em busca da Mobilização Total.

  14. Luciano,

    Depois do seu ultimo comentário deu para ter um vislumbre maior em relação ao que você pensa sobre como a direita deve ser comportar diante da demagogia desses grupelhos de esquerda. (formado em sua larga maioria por vagabundos).

    Eles são mestres na arte de partir para a baixaria total.

    Confesso para você que eu tenho certa dificuldade para compreender como nós devemos agir diante de atitudes similares a fim de neutralizar o outro lado.

    Mas estamos ai analisando alguns materiais que nos situam de forma melhor nesse tipo de embate político.

    Valeu.

  15. Discordo de você desta vez.
    Eles agiram corretamente no sentido político, não há outra interpretação para o caso que não seja: “Os gayzistas quiseram comprar uma agressão que não foi vendida pelos rapazes do IPCO.

    Não apenas isto, imagine se eles se rebaixam ao nível gayzista, isto certamente aumentaria as chances de agressão física entre as partes, o que seria uma vantagem para os gayzistas, já que automaticamente todos iriam ver como um caso de homofobia.

  16. Os caravaneiros do ipco agiram de forma exemplar ao não revidarem os xingamentos dos gayzistas, pois estariam se rebaixando ao nível deles ( o que queriam na verdade) ; com isso também sub-comunicaram superioridade, algo importante para imagem num teor geral . Porém não nego a importância do palavrão em outros contextos dialéticos, como o Luciano já provou varias vezes aqui, ele é indispensável na batalha, só que aí especificamente não surtiria nenhum efeito ou vantagem pratica . Estou de acordo contudo quando o Luciano diz que o ipco demostrou fraqueza e manchou a direita ao não processar os pulhas e também por não capitalizar politicamente com o acontecido.Se restringiram a postar um vídeo no youtube, quando deveriam contactar todos os órgãos religiosos, inclusive evangélicos; tal fato nas mãos do silas ganharia uma grande visibilidade midiática .Em suma, o ipco Acertou e cagou ao mesmo tempo.

    • A parte mais importante desse vídeo que você postou não é o vídeo em si, mas o que está na descrição dele:

      Uma hora após esta marcha homofóbica um rapaz foi atacado na cidade.Segundo relato da POLÍCIA, o motivo da agressão foi HOMOFOBIA.

      Reportagem: http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1336042

      Na segunda semana de janeiro a cidade foi surpreendida por uma marcha contra a família, que proclamava hinos de ódio e preconceito.

      Nós, curitibanos e curitibanas conscientes e a favor da família expulsamos estes radicais de extrema direita, que não são bem-vindos em nossa cidade.

      Que façam seu hino de ódio em outro lugar. Curitiba é uma cidade para o amor.

      E aqui nós defendemos o amor e a alegria com unhas e dentes.

      Está bem óbvia aqui uma insinuação de que o ato do IPCO estaria de alguma forma relacionado ao esfaqueamento de um rapaz homossexual perto do Shopping Curitiba. Porém, se você for pesquisar a respeito dessa história, ocorrida no dia 15 (o vídeo foi postado no dia 16), notará que com o passar das investigações a polícia descartou homofobia e passou a trabalhar com tentativa de assalto (um gari viu o ocorrido e tentou correr atrás dos bandidos. Após isso, ele prestou depoimento como testemunha do caso). Mais sobre o assunto aqui e segue a pergunta sobre que provas a turba possui de que os militantes do IPCO sejam os tais nazistas/fascistas, assassinos, racistas, agressores e pedófilos de que foram chamados.

  17. Mesmo atrasado, quero lembrar que:

    1. Jesus não hesitou em chamar aos fariseus de “raça de víboras”..
    2. Quando um soldado romano se convertia, nunca era chamado a dar baixa, mesmo isso sendo possível.
    3. Somente quando o poder militar de principados germânicos e de Genebra foi mobilizado, a Reforma pode ocorrer. Com grande ganho para os próprios católicos, que se obrigaram a moralizar sua própria igreja.

    Ser torturado e não negar a fé é martírio, mas não bater de frente contra agressores malignos é irresponsabilidade.

Deixe uma resposta