A condenação da Band (e Datena) devido a uma ação neo-ateísta e o que os conservadores (especialmente os cristãos) tem a aprender com isso

61
261

jose_luis_datena

Segundo o UOL, a Justiça condenou a TV Bandeirantes, e seu apresentador José Luis Datena, por “comentários preconceituosos” contra ateus. Como não poderia deixar de ser, a ação foi movida por um membro de uma organização neo-ateísta.

Já posso até imaginar o chororô: “Que sacanagem, esses ateus não tem o que fazer…”. Aliás, uma ladainha injustificável, pois não podemos comparar os neo-ateus com todos os ateus.

Seja lá como for, a vida de alguém que estuda ciência política (ou ao menos se interessa pelo assunto) deve ser um eterno aprendizado, como no futebol. Um time que perde vários jogos em sequência tem muito a aprender com seus adversários. Perguntas como “Por que nossa defesa é uma peneira?”, ou “Por que tomamos tantos gols de cabeça?” ou mesmo “Por que não conseguimos reter a posse de bola no ataque nos últimos jogos?” são triviais no mundo do futebol. Assim como em qualquer esporte. Deixar de fazer o mesmo no jogo político é estupidez.

Em síntese, o que ocorreu, por parte, dos neo-ateus, foi uma vitória, enquanto do lado dos conservadores cristãos existe um acúmulo de derrotas políticas uma atrás da outra. E sair criticando “Esses ateus são uns @$@$@#”, após o resultado negativo da ação, é o mesmo que jogar pelo Novorizontino, e xingar Palmeiras, Santos e Portuguesa, por causa destes três times terem aplicado goleadas no time do interior nas últimas rodadas. Simplesmente não faz o menor sentido.

Em cima deste mindset, vamos avaliar a notícia do UOL, que diz:

A decisão é da Justiça Federal de São Paulo que considerou preconceituosos os comentários que o apresentador José Luiz Datena fez em relação aos ateus, em um programa exibido em 2010.

O que se entende é que o ato de chamar uma classe (no caso, os ateus, mas poderiam ser teístas), de culpados por males sociais é, então, um ato de preconceito, e portanto passível de ação judicial. Este é o precedente aberto pelo resultado da ação judicial contra Datena, e, em cima do aproveitamento deste precedente, é que devemos julgar as lideranças que se sentem atacadas pelo neo-ateísmo. É como julgamos os técnicos dos times de futebol: “Ok, você perdeu três partidas, e vamos ficar de olho no resultado da próxima partida”.

Sigamos:

Datena teria relacionado a execução de um jovem à “ausência de Deus”. “Um sujeito que é ateu não tem limites, e é por isso que a gente vê esses crimes aí”, afirmou o apresentador.

Roger that. Pelo que se entende no novo precedente aberto, a crítica a alguém ou alguma classe por “ausência de X” (onde X pode ser crença em Deus, ou descrença em Deus) é, portanto, um ato de preconceito. E a crítica a alguém ou alguma classe por culpas de crimes associados indiretamente a classe criticada também é um ato de preconceito. Ora, parece que não é muito difícil encontrar críticas no mesmo tom que as feitas por Datena no discurso dos neo-ateus, só que lançadas contra os religiosos. Lembremos do precedente aberto.

Outro ponto relevante:

Após a exibição do programa, o MPF-SP entrou com uma ação civil pública contra a TV Bandeirantes. Para o procurador que atuou no processo, Jefferson Aparecido Dias, “a emissora prestou um desserviço para a comunicação social, uma vez que se portou de forma a encorajar a atuação de grupos radicais de perseguição a minorias, podendo, inclusive, aumentar a intolerância e a violência contra os ateus”.

Aha, de novo o Jefferson Aparecido Dias. Por que não estou surpreso? Parece que o caminho das pedras está em encontrar um procurador que esteja alinhado à sua linha ideológica e ao mesmo tempo disposto a lançar a maior quantidade possível de ações contra o inimigo. Suponha que este procurador lance 70 ações contra teístas, a partir de neo-ateus (e tivemos o exemplo de Jefferson apoiando os humanistas na guerra de posição sobre as cédulas), e ganhe umas 3 ou 4, já é uma vantagem para seu lado.

Mas, de acordo com as palavras de Jefferson, se um meio de comunicação lança um ato de preconceito contra uma classe (teísta, ateísta), então presta um “desserviço”, e portanto é responsável pela “atuação de grupos radicais” na perseguição da classe criticada. Se não é preciso comprovar que a declaração “aumenta a violência contra” a classe criticada, parece que não é mais preciso anexar evidências do aumento de violência contra a classe a ser protegida na ação. Tudo fica mais fácil.

Faltaria Jefferson apresentar um argumento endossando a idéia de que “ateu não pode ser criticado por ser minoria”. Mas é claro que se alguém lançar esse tipo de pergunta para ele, a tendência é que o procurador pró-humanismo fuja da resposta.

Outro precedente aberto:

Além disso, o MPF-SP alegou que Datena atribuiu os males do mundo aos “descrentes”, ao dizer que “é por isso que o mundo está essa porcaria. Guerra, peste, fome e tudo mais, entendeu? São os caras do mau. Se bem que tem ateu que não é do mau, mas, é …, o sujeito que não respeita os limites de Deus, é porque, não sei, não respeita limite nenhum.”

Compreendido. O apontamento de um grupo como “causador de males” é, então, digno de lançamento de processo judicial. Ao bom leitor meia palavra basta: Jefferson acabou de dar uma justificativa moral para que quase todo post da ATEA resulte em uma ação judicial neste sentido. Quase toda declaração pública endossando opiniões neo-ateístas pode resultar em uma ação judicial exatamente igual.

A questão que fica é: com tantos precedentes abertos (só nessa notícia, apontei uns 3 ou 4) automaticamente legitima-se moralmente um lançamento absurdo de ações judiciais contra os neo-ateus.

Na guerra política, quem não chora, não mama. E quem chorou, mamou. Simples assim.

A melhor coisa de estudarmos a dinâmica social da guerra política, é ver como as coisas são simples. O mundo não é mais feito de “malvados” e “bonzinhos”, mas de espertos e ingênuos. E esta é a realidade nua e crua: quem consegue ganhar pontos em ação judicial contra a classe contra a qual está em guerra, é por que tende a fazer por merecer. Abaixo a comemoração merecida da ATEA:

vitoria_da_atea

Os diversos precedentes foram abertos, e o que se pode fazer com isto? Cabe agora aos conservadores cristãos decidirem se os precedentes aberto serão utilizados para eles exigirem respeito como seres humanos ou não.

Anúncios

61 COMMENTS

  1. Manda a sugestão pro Malafaia.
    (Não é ironia. To falando sério.)
    Quero ver essa jurisprudencia rolar.

    Apesar de achar que o Datena mereceu esse petardo por ser uma besta e falar essa tremenda besteira. Eu mesmo sofro muito preconceito na família por causa do meu agnosticismo. “Não acredita em Deus?…Xiiii”
    Isso pra não falar dos que simplesmente me deram as costas ao ouvir a resposta à indagação. Você deve saber do que estou falando.
    Melhor seria mesmo que todas as pessoas fossem educadas pra não dar ouvidos pra esse tipo de sofisma de um covarde tentando ganhar ponto em cima da gente.
    Me senti vingado.

      • Também me pergunto: Se fosse apenas o fato de não crer, ok, as coisas correriam em paz, a vida passaria normalmente, contudo, o fato é que, assim como os ativistas gays, esses grupos são politizados. Pelo que entendi o Aparecido Dias focou a característica “minorias”. Então, qual seria o critério para um religioso, sendo ele o contrário de minoria? Que parâmetros usar para frear as tantas ofensas desses militantes como a ATEA e outros seguidores? Também acho que se é guerra tem de haver articulação. Por exemplo fazer-se um documento com as ofensas de alguns blogs (que também são espaços públicos de comunicação), listando as injúrias que os religiosos – mais especificamente os cristãos – vêm sofrendo no mundo virtual. É preciso chamar a atenção de que, na atualidade, o mundo virtual é tão expressivo quanto o audiovisual (TV). Partindo dessa premissa, anelo ver cristãos reagindo. Guerra é guerra. Quando digo guerra é no sentido figurado, embora a sensação que tenho é de que essa guerra possa deixar de ser apenas no sentido figurado. Lembremo-nos de que o Estado é laico, porém a Justiça tem que ser praticada de forma efetiva. Aparecido Dias está, definitivamente, articulado com os humanistas, portanto, eis aí algo a ser bem divulgado. Vai que a moda pega.

        Bom dia a todos.

    • Gravíssimo! Mais que um repórter ele é um orador do Mal. Veja que ardiloso ele foi, ao usar até a parábola do bom samaritano. Usando (hipocritamente) as Escrituras contra o Papado. Fácil desmascarar esse apedeuta da comunicação: O próprio Jesus Cristo mandou que visitássemos presídios, para que a Palavra e o Consolo d’Ele chegassem a esses homens SEM FÉ e SEM DEUS. Concluo assim, porque sei que milhares e milhares de detentos são convertidos a Deus, graças às visitas desses missionários. Ora, se o cara se converteu e passou a acreditar em Deus, ele era o que, antes de ser preso? Não se acha ateus nas cadeias porque na hora da dor e do sofrimento, homens aceitam Jesus como última esperança. Esse parco falador não sabe o que é viver em uma cela, apodrecendo, física e moralmente, num catre. Chamar a atenção para as riquezas do Vaticano é pura falácia, pois tal “entidade” sempre teve dinheiro. O Vaticano precisa ser rico, pois, de uma forma ou de outra, ele é envolvido politicamente com o mundo. De qualquer forma considero fatos isolados, pois é da nossa natureza errarmos, cometermos atos falhos, e até nos tornarmos ambiciosos diante de algumas situações. Essa palhaçada aí mereceria mesmo uma retaliação. A meu ver, Roger, o jogo ficaria empatado. 😉 E, por fim, a ignorância do Prates é notória, pois os samaritanos não tinham nada de religiosos, eram odiados justamente pelos judeus por serem hereges e pagãos. Idólatras, eram desprezados por todos. Vai enganar a tua mãe, Prates!

      • Pior ainda, o Prates nem conseguiu apresentar o estudo provando que não existe ateus em prisões, muito provavelmente é lenda urbana.

      • Roger,

        Ele não pode provar porque não tem acessso à vida real, àquela onde pessoas estão presas porque mataram, roubaram, estupraram, feriram, enfim. Jamais esse idiota conseguirá provar o que não pode. Se algum dia precisarem de mim, tenho vários exemplos de que entram ateus e tornam-se homens de bem, que temem a um Deus que tudo criou. A noção de Deus não é Deus, todavia, é suficiente para que o sujeito se arrependa. “Somente pela via do Amor um coração é tocado”. Mentira! Segundo Jesus, são aqueles errantes, os que mais precisam de afeto, e, sendo isso amor, tais indivíduos se permitem conhecer a Deus. Prates foi canalha ao dizer tal bizarrice na TV. Eu sofro (não é demagogia) com a realidade daqueles presos. Garanto que, se são religiosos, é porque um homem de Deus lá foi abençoá-los, e dar-lhes a liberdade que essas bestas (neoateus) não querem ver e nem ter. Não estou pregando. Contudo, caso seja necessário, dou um jeito de provar o que falo. Há 3 dias veio em minha casa um rapaz que, quando crianças, éramos muito amigos. Ele virou bandido. ATEU, não cria em nada, só nas armas. Chegou a matar. Anos depois, ele apareceu em minha casa com um olhar diferente. Disse-me ele: “Day, eu conheci Jesus na prisão. Não morri porque seus anjos não deixaram.” Acreditem ou não, esse é um exemplo da força de Deus. Eu falo, Luciano e Roger, porque o mais legal dessa vida é sentirmos e vermos coisas que nenhum homem conseguiria. O tal matador, hoje, vive sem casa, mas sempre que o vejo, ele me diz: “Não adianta, conheci um amigo verdadeiro e único: Jesus!” Isso ele estando desempregado, mas, de certa forma, eu até invejo essa liberdade pobre dele. EU vi um leão assassino se transformar em um gatinho de doces olhos. E essa é apenas uma estória de vida. Tenho milhares. Ah… Ele está bem, um amigo nosso vai fazer tudo por ele, e esse amigo hehehe! Era viciado e hoje é um pai de família, com dois filhos maravilhosos… Que também passou a crer em Jesus, Nosso Senhor. 🙂

        Abraços.

      • Uma vez eu vi um neonazista na TV justificando seu racismo contra negros utilizando esse mesmo argumento. Ele disse que os negros são a maioria nos presídios e acusou todos os negros de serem criminoso.

  2. Qual o crime na lei a pessoa está cometendo a expressar uma opinião? Que crime Datena cometeu? Se existe esse crime então vamos suspender todos os programas, jornais e revistas. Porque sempre alguem está falando contra alguem e atribuindo problemas sociais a um ou a outro grupo. Lembrando que ateus (ATEA) não é um grupo de religioso, é um grupo politico.

    • O mesmo crime que a ATEA comete quando fala seu festival de besteiras contra as religiosidades. Bat, como a reportagem a que o Ayan apropriadamente se referiu bem disse, a liberdade de expressão não se sobrepõe à liberdade de crença ou descrença.

    • Não há crime. É uma ação civil. Crimes são infrações penais e dão cadeia. Precisam estar estabelecidos em lei. Já os ilícitos civis são passíveis de indenização e não precisam estar expressos em lei. Qualquer ato que possa ser considerado ilícito (por exemplo, o preconceito, que é um ilícito moral) e que cause danos a alguém ou um determinado grupo (como o caso dos ateus que se sentiram ofendidos) pode ser passível de ação civil.

  3. Ayan, vai me desculpar, mas pareceu que você quis defender o que é indefensável. Quer uma prova de que as palavras do Datena afetam as pessoas? Eu assisti ao programa nesse dia com uma pessoa ao lado que simplesmente só não chamou ateus de santos porque não lembrou na hora. A minha sorte é que eu ainda não era ateu declarado nem “convicto”. O meu azar é que a dúvida martelou mais forte ainda na minha cabeça.

    E, sim, esse discurso pode influenciar pessoas, especialmente as já intolerantes, pois, afinal, foi o Datena que disse, e o Datena, por ser famoso, além de ser autoridade suficiente para qualquer assunto, não erra.

    Para terminar, fato, isso não se limita a críticas nunca. Quem criticou uma vez não vai esquecer o assunto. Essas mesmas pessoas que “criticam” não vão hesitar em expulsar um filho de casa se este se declarar ateu, a excluir parentes do seu círculo social, a demitir funcionários por estes não crerem no seu Deus (e veja, isso não inclui apenas ateus, mas qualquer descrente no deus cristão, rs), e toda sorte de atos.

    Portanto, senhor Ayan, não me venha com esta conversinha mole de “críticas são aceitáveis só de um lado, blá blá blá blá blá blá”, porque você sabe muito bem que o brasileiro é medíocre e intransigente demais para só criticar. O Datena foi processado? Processemos os outros também, e processemos TODOS que fugirem da lei. Não importa quantos forem processados, o que importa é disciplinar esse povinho que, ateu ou religioso, só conhece a linguagem da intolerância.

    E, não, não sou neo-ateu, mas, vai me desculpar, nessa eu estou totalmente com os neo-ateus. O discurso do Datena foi absolutamente nojento e, mesmo quando eu era deísta, quase me deu dor de estômago.

    • Octávio,

      Preste atenção no meu texto. Onde eu “defendi o indefensável”?

      O que eu disse é que existem precedentes abertos pela ação, e o discurso neo-ateu pode ser julgado pelo mesmo princípio que os neo-ateus julgaram o discurso do Datena.

      Veja seu critério:

      1 – O discurso do Datena “afeta as pessoas”. Ok, então se um discurso neo-ateu afetar as pessoas, está no seu critério.
      2 – O discurso do Datena fez alguém “xingar ateus”. Ok, então se um discurso neo-ateu fizer alguém xingar teístas, está no seu critério.
      3 – O discurso do Datena pode influenciar intolerantes. Ok, então se um discurso neo-ateu puder influenciar intolerantes, está no seu critério.
      4 – O discurso do Datena pode levar a preconceito, inclusive exclusão social. Ok, então se um discurso neo-ateu puder levar a preconceito, inclusive exclusão social (e já temos vários casos), então está no seu critério.

      Estando, os 4 critérios atendidos, é injustificável, moralmente, que somente um dos que tenham os critérios atendidos, processe o grupo rival.

      Vamos refutar outros pontos do seu discurso.

      Portanto, senhor Ayan, não me venha com esta conversinha mole de “críticas são aceitáveis só de um lado, blá blá blá blá blá blá”

      Qual parte do meu texto fala isso?

      O Datena foi processado? Processemos os outros também, e processemos TODOS que fugirem da lei. Não importa quantos forem processados, o que importa é disciplinar esse povinho que, ateu ou religioso, só conhece a linguagem da intolerância.

      Hahahahahahah…

      Isso é EXATAMENTE o que o meu texto diz. Releia, por favor. Você realmente leu o texto que escrevi?

      E, não, não sou neo-ateu, mas, vai me desculpar, nessa eu estou totalmente com os neo-ateus.

      Eu sou um analista de guerra política, e não fiz juízo de valor. O que eu disse é “Se o Fluminense arma bem seu ataque e faz gols no Flamengo, o Flamengo deve fazer o mesmo se quiser equilibrar o jogo”. Onde está juízo de valor com frases com “estou do lado do Fluminense” ou “estou do lado do Flamengo”?

      Isso é irrelevante no contexto deste post.
      O discurso do Datena foi absolutamente nojento e, mesmo quando eu era deísta, quase me deu dor de estômago.

      Quinto critério: Se o discurso de Datena gera repulsa e sensação de nojo em um grupo, logo, se o discurso neo-ateísta contra teístas gerar repulsa e sensação de nojo nos que não são neo-ateus, então estamos no seu critério.

      Você simplesmente ENDOSSOU tudo que escrevi!

      Não entendi absolutamente nada de sua intenção com esse post. Vc queria refutar exatamente o que?

      • Respondendo à sua pergunta, talvez eu tenha interpretado errado, mas pareceu-me que você inferiu que o Datena NÃO devia ter sido processado e que as críticas que ele fez não afetariam ninguém, o que eu provei que não é verdade. Ayan, amigo, sem hipocrisia, quantos BRASILEIROS (repito, BRASILEIROS) você já viu que apenas criticam as pessoas e nada mais fazem?

        Mais uma vez, quero que frise bem: BRASILEIROS. Brasileiros, aqueles mesmos que dizem que são cristãos mas sequer leram uma página que seja da Bíblia e que vão aos cultos com uma má vontade atroz. Brasileiros, os mesmos que estão cagando para Filosofia, Política e Religião. Sinceramente, acha mesmo que brasileiros, que sequer sabem O QUE É filosofia, vão apenas fazer “críticas filosóficas” a um posicionamento?

        Mas, enfim, se eu interpretei errado e você quis dizer outra coisa, peço desculpas. Além do mais, no fim de contas, ambos concordamos que TODOS que fazem esse tipo de cagadas devem ser processados.

        Aliás, eu até concordo com você que o discurso neo-ateu é bizarro, mas por outros motivos, entre eles o motivo de eu não acreditar no conceito de alienação (pelo menos como formulado pelos marxistas atuais)e, portanto, não acreditar que religião, política ou qualquer outra coisa “aliene” as pessoas. Para mim, a real questão é a mediocridade intrínseca ao brasileiro, que não vai deixar de existir seja ele ateu ou religioso. Afinal, como diz o grande Olavo de Carvalho, a burrice é uma força invencível, é uma parede de 3 metros de espessura, não passa porra nenhuma, rs.

      • Octávio, concordo em parte com o que você escreveu agora, mas em que parte do meu texto eu “inferi” que o Datena não devia ter sido processado?

        Eu escrevi o oposto, dizendo que a ATEA está comemorando de forma merecida, pois agiu na guerra política como deveriam agir.

        O objetivo do meu texto é o OPOSTO da tentativa de “inferir que Datena não devia ser processado”. Na verdade, é um texto que critica os teístas que são ofendidos pelos neo-ateus e não processam de volta…

      • O que ele quis dizer foi da atitude tomada pelos neo-ateus, e porque os conservadores reclamam ao invés de fazer o mesmo…

    • Octávio Henrique,

      “Não importa quantos forem processados, o que importa é disciplinar esse povinho que, ateu ou religioso, só conhece a linguagem da intolerância.

      E, não, não sou neo-ateu, mas, vai me desculpar, nessa eu estou totalmente com os neo-ateus. O discurso do Datena foi absolutamente nojento e, mesmo quando eu era deísta, quase me deu dor de estômago.”

      Octávio Henrique:

      – Para mim você está mentindo – para mim só? – porque eu assisti ao programa também. Não há lei, há distorções nessa canalhice, advindas desse grupelho velhaco alcunhado “neo-ateus”. Você não é neo-ateu? Que porcaria você é, então, brother? O “povinho” seguidor do suposto novo regulamento para o homem? Dá um tempo, mentiroso! Aprende a mentir primeiro! Quantos blogs e páginas do facebook estão arrasando com a fé alheia, e você quer falar de crime? Um bando ignobil – ATEA – que usou a morte de centenas de jovens em Santa Maria para questionar a fé cristã, não é crime? Uma porrada de imbecis analfabetos direcionados, que xingam a mulher que vai á igreja, não é crime? Que vitupera sua moral, insinuando que ela é puta enrustida, não é crime? Que moral você quer seguir? A Lei é para todos! Estou dando parabéns ao Datena – assumo!!!!! – . Sempre há um mártir, certo? Estou com ele, o Datena. Esse blefe de “coitadismo”, tipo : “Ah, meu filho vai me odiar agora que sabe que sou ateu!” Toma vergonha nessa cara, meu! O negócio é o seguinte: A politicagem de merda no Brasil deu certo até agora, pois era relativa a dinheiro apenas. Entretanto, aviso aos hipócritas politiqueiros burros: SE MEXEREM NA FÉ DO POVO IRÃO PERDER. APOSTAM QUANTO, MISERÁVEIS?

      • Primeira coisa, se você vive de rótulos, me desculpe, mas eu não vivo. Não é porque eu não me enquadro como amigo de cristãos que estou pró neo-ateus em todas as questões. O detalhe é que eu rejeito esses rótulos porque já pertenci a todos, e o que me incomoda não é o rótulo, mas sim a hipocrisia de algumas pessoas que dizem estar dentro desses rótulos.

        Segunda coisa, sou tão associado com esses movimentos que fui bloqueado pela ATEA por contestar um post em que eles falavam uma besteira do tamanho de um bonde. Que associado eu sou, olha, fico até surpreso com tanta associação.

        Terceira coisa, claro que arrasar com a fé alheia é crime. Por isso que eu falei que tem que meter o processo mesmo. Gente ignorante tem que sofrer, isso é um fato. E não falo de ignorância acadêmica, pois há verdadeiros “jênios” dando aulas em universidades públicas querendo retirar o catolicismo de dentro da PONTIFÍCIA Universidade CATÓLICA. Amo demais a liberdade para permitir esse tipo de posicionamento. Ainda assim, isso não faz o comportamento do Datena deixar de ser criminoso, e crime se paga na cadeia, rs.

        Aliás, falando em lei, já que você disse que a lei é para todos, eu poderia lhe processar pelo menos por calúnia, difamação, injúria e por levantar falso testemunho, afinal, além de ter me ofendido, você também disse, sem provas concretas, que estou mentindo. Aliás, falando em provas concretas, você pode ver no meu perfil de facebook que não estou mentindo ao ver que todo dia critico o comportamento de neo-ateus e pseudo-comunistas, mas dificilmente critico o comportamento de religiosos.

        Ah, por falar nisso, do que eu saiba, não é a moral cristã que não permite que se levante falso testemunho? Então, nisso eu concordo 100% com ela, e é também por isso que acho que o problema do brasileiro não é, de jeito nenhum, ser religioso ou ateu, mas sim ser intrinsecamente intransigente e ignorante.

        Quarta coisa, não é “coitadismo”. Eu mesmo já vivi uma situação parecida. Após ver um vídeo em que o Serra falava sobre a importância de um presidenciável crer em Deus e ficar um tanto indignado, acabei brigando com minha mãe, que viu o vídeo junto comigo e ameaçou até tirar-me a internet se eu continuasse vendo esse tipo de coisa. O resultado? Acabamos brigando e, se não fosse pela intervenção do meu pai, eu hoje estaria fora de casa ou talvez nem estivesse vivo mais, pois ela também me expulsou de casa (e foi por sorte que se arrependeu e que não voltamos mais a tocar no assunto). Inclusive, nesse dia, minha mãe, a pessoa que mais amo no mundo, chegou a me chamar de “maloqueiro, drogado, bandido e veado”. E isso apenas porque eu defendia o direito de gays serem gays e de ateus serem ateus, rs.

        Por isso também que não deixo de entender o lado neo-ateu: tem certas coisas que alguns religiosos fazem que dá raiva. O detalhe é que demora para compreender que o problema não está na religião, mas sim na ignorância do brasileiro. Aliás, se o problema fosse a religião, não existiriam torcidas organizadas violentas, militontos políticos e outras bizarrices.

        Quinta coisa, eu sinceramente não tenho nada contra mulheres que vão à Igreja ou a qualquer outro lugar: por mim, se elas fizerem o bem, fechou, podem ir onde quiserem. Eu tenho sim coisas contra outro grupo, mas é aquele grupo daquelas véia filha da puta que você chama de “senhora” e ela te responde, “educadamente”, que “senhora está no céu!”, e que, ironicamente, esquecem completamente da bondade de Maria e de sua solicitude para com todos . Contra essas eu tenho muita coisa, começando pela ignorância desse tipo de resposta.

        E, sobre fé, não sei se vão perder muito não, sinceramente. Deveriam perder porque iriam colocar bizarrices como o Marxismo no lugar da fé das pessoas, mas só acho que perderiam se mexessem na fé E no bolso do brasileiro. Aí perderiam definitivamente, rs.

        Mas, enfim, como eu discordei do Ayan, sou neo-ateu, fazer o quê? E olha que me declaro apolítico e sem-ideologias. Imagine se eu ainda fosse marxista, rrsrsrsrsrsrsrsr.

  4. “Luciano Ayan

    Ceticismo e dinâmica social na investigação da religião política
    A condenação da Band (e Datena) devido a uma ação neo-ateísta e o que os conservadores (especialmente os cristãos) tem a aprender com isso

    com 15 comentários

    jose_luis_datena

    Segundo o UOL, a Justiça condenou a TV Bandeirantes, e seu apresentador José Luis Datena, por “comentários preconceituosos” contra ateus. Como não poderia deixar de ser, a ação foi movida por um membro de uma organização neo-ateísta.”

    Nesta parte, Ayan. Pareceu-me que suas aspas em “comentários preconceituosos” inferiam que Datena não devia ser processado porque seus comentários não eram preconceituosos de fato, rs.

      • Primeiro, Ayan, citação do quê? E, aliás, geralmente aspas se usam em textos para ironizar algo. Além disso, repare no título do seu texto. Por que essa ação é NECESSARIAMENTE neo-ateísta? Só porque se insurgiu JUSTAMENTE contra um babaca que diz que é católico (algo de que duvido muito, pois acho que Datenão deve ler apenas alguns dos salmos da Bíblia e nada mais, rs)?

        E, sejamos sinceros, não venha me dizer que o seu título é inocente, pois não é. Qualquer um que, assim como eu, é seu fã e leitor ativo do seu blog, vai saber que você está dando umas porretada nos cara, rsrsrsrsrsr.

      • Um amigo meu, são-paulino, sugeriu que toda vez que um corintiano chamasse um são-paulino de bambi, que isso resultasse processo. Eu acho exagero, mas cada um define seus critérios. Tecnicamente, eu acho exagero, mas cada um define seus critérios. Este é um dos motivos pelos quais ali está entre aspas, e também por ser uma citação. Logo, “um ato de preconceito” é uma alegação de uma das partes, e, a meu ver um exagero. Mas meu texto nem foca muito nisso, e considera que, se há uma REGRA PARA PROCESSOS relacionado a alegados atos de preconceito, então ela deve valer para as duas partes. Esse era o foco do meu texto.

  5. Acho massa que o Octávio escreveu no blog dele sobre mal entendimentos XD tentando argumentar que existe mal entendedores que só entendem se você escrever tudo de maneira clara … e o Octávio é infelizmente um deles XD.

      • Eu acho que você me compreendeu mal, mas posso ter coloborado para esse mal entendimento pelo uso das aspas.

        Mas creio que deixei claro meu ponto de vista.

        A meu ver, na guerra política, as ações devam ser igualadas, desde que os valores morais do lado conservador não sejam quebrados. Até por que Saul Alinsky disse: “uma boa tática é aquela que o seu grupo gosta”.

  6. Entendo, Ayan, obrigado pelo esclarecimento. Aliás, em off, sou corinthiano e concordo com esse teu amigo, rsrsrsr. Aliás, também acho que os próprios corinthianos deveriam processar quem os chama de BANDIDOS, que é uma acusação gravíssima.

    E, Eduardo, meu foco naquele post, se é que você lê mesmo meu blog, era desmantelar o slogan escroto da ATEA sobre religião e caráter, o mau entendimento foi só uma arma argumentacional a mais, rs.

    • Só queria saber se você realmente é mentiroso, ou se falava de forma sincera, e nada como um blog pra revelar essas coisas XD.

      Mas sim, eu entendi que era mais critica ao slogan, mas é que foi ironico haver um mal entendimento quando um dos ultimos posts falava sobre isto XD.

    • Meu comentário vai aqui mesmo, já que o “threading layout” do WordPress é um lixo 😛 , pois chega somente até o nível 2:

      Tudo bem, não vou afirmar que você é um neo-ateu, MAS que o teu avatar levanta muitas suspeitas, isto você não pode negar, afinal Dragon Ball Z e outros animés *de BAIXO nível* 😛 são sabidamente parte das preferências típicas dos neo-ateus brazucas. 😉

      • Primeiro, DBZ não é de baixo nível. Aliás, eu diria que poucas coisas são de fato de baixo nível, pois o problema não está na coisa em si, mas na coisa “neles”, se é que me entende.
        Segundo, sim, já fui neo-ateu e marxista (inclusive, se vir os meus posts de 2011 no meu blog, verá que o que estou falando é a verdade), mas deixei o mundo da fantasia e comecei a perceber que a religião não tem nada a ver com a bagaça, rs.

  7. Octávio Henrique, bora nessa:

    “Primeira coisa, se você vive de rótulos, me desculpe, mas eu não vivo. Não é porque eu não me enquadro como amigo de cristãos que estou pró neo-ateus em todas as questões. O detalhe é que eu rejeito esses rótulos porque já pertenci a todos, e o que me incomoda não é o rótulo, mas sim a hipocrisia de algumas pessoas que dizem estar dentro desses rótulos.”

    R – Rótulos são produtos fabricados em série que, geralmente, arrebanham consumidores. Como fé e religião não podem se caracterizar como produtos, tal rótulo sugerido por você não existe.

    “Segunda coisa, sou tão associado com esses movimentos que fui bloqueado pela ATEA por contestar um post em que eles falavam uma besteira do tamanho de um bonde. Que associado eu sou, olha, fico até surpreso com tanta associação.”

    R – Foi você quem se disse vingado, em conluio com eles. Você se sentiu feliz e vingado, ou seja, mesmo expulso, deixou sua alma por lá. Entenda por alma sua posição diante dessa trupe escrota.

    “Terceira coisa, claro que arrasar com a fé alheia é crime. Por isso que eu falei que tem que meter o processo mesmo. Gente ignorante tem que sofrer, isso é um fato. E não falo de ignorância acadêmica, pois há verdadeiros “jênios” dando aulas em universidades públicas querendo retirar o catolicismo de dentro da PONTIFÍCIA Universidade CATÓLICA. Amo demais a liberdade para permitir esse tipo de posicionamento. Ainda assim, isso não faz o comportamento do Datena deixar de ser criminoso, e crime se paga na cadeia, rs”

    R – Nesse caso, você, claramente, mostra-se unilateral, um fake humanista que, ao defender cadeia para o Datena que só falou o que sentiu, passa a ser criminoso, e então você se mostra, definitivamente, a favor de um humanismo sem lei e sem noção.

    “Aliás, falando em lei, já que você disse que a lei é para todos, eu poderia lhe processar pelo menos por calúnia, difamação, injúria e por levantar falso testemunho, afinal, além de ter me ofendido, você também disse, sem provas concretas, que estou mentindo. Aliás, falando em provas concretas, você pode ver no meu perfil de facebook que não estou mentindo ao ver que todo dia critico o comportamento de neo-ateus e pseudo-comunistas, mas dificilmente critico o comportamento de religiosos.”

    R – Neste caso, você terá que interpretar suas palavras, ou retirá-las, pois justamente elas o condenam moralmente. A partir do momento que você levantou bandeira para a prisão do Datena, concluo que você está asumindo um lado, uma ideologia. E, ainda por cima, se mostra como um fantoche que depende do mentor articulista. Definitivamente, você quedou para o lado podre da questão, mesmo tentando enrolar, insinuando que fica contra os neo-ateus. Em uma guerra você seria considerado um agente duplo, um X9, algo asim. Caso queira me processar, lembre-se que a lei tem brechas maravilhosas. 😉

    “Ah, por falar nisso, do que eu saiba, não é a moral cristã que não permite que se levante falso testemunho? Então, nisso eu concordo 100% com ela, e é também por isso que acho que o problema do brasileiro não é, de jeito nenhum, ser religioso ou ateu, mas sim ser intrinsecamente intransigente e ignorante.”

    R – Quando falamos de fé, não se restringe a brasileiros. Existem homens religiosos da parte do oriente e ásia que são tão espiritualizados que nem chegam a eles essas questões políticas. Confúcio poderia ser um exemplo de como a política se envolveu com religião. Mas nada disso provaria que o brasileiro seja inferior a dogmas tão antigos. O povo brasileiro carrega uma fé indestrutível.

    “Quarta coisa, não é “coitadismo”. Eu mesmo já vivi uma situação parecida. Após ver um vídeo em que o Serra falava sobre a importância de um presidenciável crer em Deus e ficar um tanto indignado, acabei brigando com minha mãe, que viu o vídeo junto comigo e ameaçou até tirar-me a internet se eu continuasse vendo esse tipo de coisa. O resultado? Acabamos brigando e, se não fosse pela intervenção do meu pai, eu hoje estaria fora de casa ou talvez nem estivesse vivo mais, pois ela também me expulsou de casa (e foi por sorte que se arrependeu e que não voltamos mais a tocar no assunto). Inclusive, nesse dia, minha mãe, a pessoa que mais amo no mundo, chegou a me chamar de “maloqueiro, drogado, bandido e veado”. E isso apenas porque eu defendia o direito de gays serem gays e de ateus serem ateus, rs”

    R – Sua mãe, sábia, sentiu que esse movimento falacioso não poderia ser considerado digno em um Brasil que passou pela ditadura militar. Defender viados militantes e new ateus proclamando o fim dos religiosos, sua mãe agiu com sabedoria. Porque esse movimento prega exatamente isso: bichas arrogantes, drogados querendo um Brasil liberal permitindo a maconha como um produto normal, sendo que no Brasil não há como liberar essa droga, e muitas outras coisas. Essas petições partem da classe média alta, classe A e B. E o povo? Drogados, faltariam aos seus empregos… Portanto, sua mãe está certa..

    “Por isso também que não deixo de entender o lado neo-ateu: tem certas coisas que alguns religiosos fazem que dá raiva. O detalhe é que demora para compreender que o problema não está na religião, mas sim na ignorância do brasileiro. Aliás, se o problema fosse a religião, não existiriam torcidas organizadas violentas, militontos políticos e outras bizarrices.”

    R – Ninguém, esclarecido, pode entender os neo-ateus, uma vez que cada vez mais eles se enforcam em sua própria corda de hipocrisia e maldade. São esgoto almejando jogar no calabouço pessoas simples que praticam sua fé. E, mais uma vez, digo que nada tem a ver com brasileiro, etnia, nacionalidade. Por que esses imbecis não fazem missões em lugares onde ainda há tribos matando crianças em oferenda? Quais as soluções para a África, Índia, Austrália que tem tribos que praticam morticídio em nome de um deus pagão?

    “Quinta coisa, eu sinceramente não tenho nada contra mulheres que vão à Igreja ou a qualquer outro lugar: por mim, se elas fizerem o bem, fechou, podem ir onde quiserem. Eu tenho sim coisas contra outro grupo, mas é aquele grupo daquelas véia filha da puta que você chama de “senhora” e ela te responde, “educadamente”, que “senhora está no céu!”, e que, ironicamente, esquecem completamente da bondade de Maria e de sua solicitude para com todos . Contra essas eu tenho muita coisa, começando pela ignorância desse tipo de resposta”

    R – Na verdade você se refere a mulheres simples. Uma questão antropológica, já que em muitas partes do mundo uma mulher não é considerada senhora, como na França onde elas são saborosamente incríveis. E, até onde sei, uma mulher evangélica não responde dessa forma, tampouco uma católica. Certamente essa é uma experiência pessoal. Nada tem a ver com sábias religiosas. Anciãs de Deus. Dignas de respeito total.

    “E, sobre fé, não sei se vão perder muito não, sinceramente. Deveriam perder porque iriam colocar bizarrices como o Marxismo no lugar da fé das pessoas, mas só acho que perderiam se mexessem na fé E no bolso do brasileiro. Aí perderiam definitivamente, rs”

    R – Se há algo que não volta mais é o marxismo, o comunismo, nazismo, e tudo que se relacionar com a deteriorização das massas. Negros, judeus, nordestinos, e deficientes físicos estão em alerta. Neo-ateus berrarem que são minoria, assim como os gays e afins, para mim não passam de uma piada de mal gosto. Só quem sofreu as dores de ser minoria, que foi maltratada e até exterminada em certos momentos da história, poderia falar com embasamento e lágrimas. Essa boiolada ativista quer coisas que jamais a sociedade dará. Eles já têm o direito de existir, ir e vir, porém não têm que atacar a nós, heteros, família, achando que o mundo é gay. Se o mundo fosse gay, Deus faria dois homens, e deles nasceriam homens, descendência, com uma nova biologia de procriação.. Cada macaco no seu galho. E isto é razão e justiça.

    “Mas, enfim, como eu discordei do Ayan, sou neo-ateu, fazer o quê? E olha que me declaro apolítico e sem-ideologias. Imagine se eu ainda fosse marxista, rrsrsrsrsrsrsrsr.”

    R- Sua mãe o internaria, rsrs

    Abraço.

    • Bora lá então. Antes de tudo, queria saber só por saber: é homem ou mulher? rs

      “Rótulos são produtos fabricados em série que, geralmente, arrebanham consumidores. Como fé e religião não podem se caracterizar como produtos, tal rótulo sugerido por você não existe.”

      E palavras, muitas vezes, contém mais significados do que uma interpretação literalista capta. Quando falo em rótulos, não estou tão errado, pois o que fazemos, uns aos outros, é nos rotular como produtos de ideologias, políticas, religiões e outras coisas. Eu, porém, rejeito os rótulos: não sou marxista, não sou capitalista, não sou cristão nem sou neo-ateu, sou apenas Octávio.

      ” Foi você quem se disse vingado, em conluio com eles. Você se sentiu feliz e vingado, ou seja, mesmo expulso, deixou sua alma por lá. Entenda por alma sua posição diante dessa trupe escrota.”

      Uai, então não posso concordar nunca com eles? Então eles estão sempre errados agora, é isso? Óbvio, não concordo com 95% das condutas da ATEA, e é exatamente por isso que me permito fazer pelo menos uma análise mais detida de suas informações. Concordância e discordância totais não existem.

      “Nesse caso, você, claramente, mostra-se unilateral, um fake humanista que, ao defender cadeia para o Datena que só falou o que sentiu, passa a ser criminoso, e então você se mostra, definitivamente, a favor de um humanismo sem lei e sem noção.”

      Um fake humanista que acha que, sem a religião tradicional, o mundo estaria pior? Conte-me mais sobre isso. E um fake humanista que expressou claramente ser contrário às besteiras de um cara que quer porque quer retirar o Catolicismo da Universidade CATÓLICA? Nossa, que fake esse.

      (Sobre isso de quererem retirar o Catolicismo da PUC, acho que você já leu um artigo de Safatle em que ele fala essa bobagem, então, não preciso linká-lo aqui, certo?)

      E, sobre falar o que sente, ambos sabemos, meu caro/ minha cara, que não é assim. Eu, lógico, não gostaria de ir para a cadeia, mas se me pegassem falando que “tds os cremt eh aliendu”, seria o mais lógico a se fazer comigo, rs.

      “Neste caso, você terá que interpretar suas palavras, ou retirá-las, pois justamente elas o condenam moralmente. A partir do momento que você levantou bandeira para a prisão do Datena, concluo que você está asumindo um lado, uma ideologia. E, ainda por cima, se mostra como um fantoche que depende do mentor articulista. Definitivamente, você quedou para o lado podre da questão, mesmo tentando enrolar, insinuando que fica contra os neo-ateus. Em uma guerra você seria considerado um agente duplo, um X9, algo asim. Caso queira me processar, lembre-se que a lei tem brechas maravilhosas. ”

      Sinceramente, não entendi nada. Eu disse bem claramente que, APENAS NESSA QUESTÃO, eu estava FAVORÁVEL aos neo-ateus. Porém, não é por isso que vou concordar com eles no resto. Como eu disse, não sou neo-ateu porque religião não é o problema de nada. Se o brasileiro é mais ignorante, a religião não tem nada a ver com isso.

      “Quando falamos de fé, não se restringe a brasileiros. Existem homens religiosos da parte do oriente e ásia que são tão espiritualizados que nem chegam a eles essas questões políticas. Confúcio poderia ser um exemplo de como a política se envolveu com religião. Mas nada disso provaria que o brasileiro seja inferior a dogmas tão antigos. O povo brasileiro carrega uma fé indestrutível.”

      Viajou. Eu não disse que quando falamos de fé, falamos só de brasileiros, o que eu disse é que eu não condeno a fé religiosa porque eu sei que ela não é culpada, de jeito nenhum, pela ignorância do brasileiro. E o que o brasileiro carrega é uma burrice indestrutível, isso sim. Eu truco que 10% da nossa população tenha sequer lido os livros das doutrinas que dizem seguir. É fácil ter fé sem base. Ser religioso sério, como são os amigos da Logos Apologética, isso sim é difícil. E ser ateu em um país com poucos religiosos que de fato conhecem suas doutrinas e que não sabem que sua doutrina não manda você despedir o cara do serviço só por ele ser ateu é foda.

      “Sua mãe, sábia, sentiu que esse movimento falacioso não poderia ser considerado digno em um Brasil que passou pela ditadura militar. Defender viados militantes e new ateus proclamando o fim dos religiosos, sua mãe agiu com sabedoria. Porque esse movimento prega exatamente isso: bichas arrogantes, drogados querendo um Brasil liberal permitindo a maconha como um produto normal, sendo que no Brasil não há como liberar essa droga, e muitas outras coisas. Essas petições partem da classe média alta, classe A e B. E o povo? Drogados, faltariam aos seus empregos… Portanto, sua mãe está certa..”

      Nexo, por favor? Nem todo gay é drogado, nem todo ateu é drogado, nem todo ateu é gay (eu, por exemplo, sou hétero convicto). A questão é que você não sabe o que eles defendem de fato. Você vem aqui, vê os posts do Ayan, interpreta PESSIMAMENTE e sai com o gosto de vitória na boca.

      Minha mãe é sábia, claro, mas o que ela me fez não foi do alto de sua sabedoria, mas sim dos seus preconceitos, preconceitos dos quais ela não tem culpa, nem a religião. Eu diria, inclusive, que minha mãe é preconceituosa por circunstância, ou por hábito. Ora, ela mesma foi filha de mãe solteira e hoje diz que ficaria receosa se me visse namorando uma filha de mãe solteira.

      (PS: Não, minha avó não se prostituía. Inclusive, ela era conhecida na vizinhança pelo seu caráter exemplar. O que aconteceu é que ela namorou um irresponsável que, depois de abandoná-la, parece que ainda teve mais um monte de filhos dos quais não cuidou, rs.)

      “Ninguém, esclarecido, pode entender os neo-ateus, uma vez que cada vez mais eles se enforcam em sua própria corda de hipocrisia e maldade. São esgoto almejando jogar no calabouço pessoas simples que praticam sua fé. E, mais uma vez, digo que nada tem a ver com brasileiro, etnia, nacionalidade. Por que esses imbecis não fazem missões em lugares onde ainda há tribos matando crianças em oferenda? Quais as soluções para a África, Índia, Austrália que tem tribos que praticam morticídio em nome de um deus pagão?”

      Primeiro, falácia do escocês (ninguém esclarecido entende neo-ateus) e apelo emocional. Depois, usou uma falácia de menor x maior relevância, apesar de que, considerando que está falando de neo-ateus, seria uma falácia válida, pois é a mesma que eles usam.

      Sobre maldade, eu não sei, pois nunca vi nenhum neo-ateu matando alguém ou fazendo alguma coisa desse tipo. A única maldade que os vejo fazer é cometer crimes de lesa-inteligência todo dia na internet, rs.

      E a solução para esses casos vai depender de como você encara a vida. O detalhe é que essas comunidades não nos estão atacando diretamente, e que o número de vidas que elas tiram é irrisório perto do número de vidas tirado pelo Marxismo, por exemplo. Aí cabe a questão: será que é legítimo atacar quem não te ameaça?

      “Na verdade você se refere a mulheres simples. Uma questão antropológica, já que em muitas partes do mundo uma mulher não é considerada senhora, como na França onde elas são saborosamente incríveis. E, até onde sei, uma mulher evangélica não responde dessa forma, tampouco uma católica. Certamente essa é uma experiência pessoal. Nada tem a ver com sábias religiosas. Anciãs de Deus. Dignas de respeito total.”

      Sim, me refiro a mulheres simples mesmo. Finalmente você entendeu isso. É claro que sei que as mulheres que levam a religião a sério são totalmente respeitáveis, pois convivo com muitas delas. Como eu disse, não é o verdadeiro religioso, como meus amigos Emerson Oliveira e Rudy Souza, que me preocupa. Os que me preocupam são os hipócritas. Contra religiosos informados e verdadeiros, não tenho nada, e nem deveria ter. Agora, contra pessoas que respondem “senhor/senhora está no céu!” e pessoas que passam o dia enchendo o saco do padre ao invés de fazerem o bem, ah, contra essas, tenho coisas contra, muitas coisas, pois estas estão usando Deus como escudo, e estão na religião apenas por medo de castigo divino, o que demonstra que são miseráveis.

      “Neo-ateus berrarem que são minoria, assim como os gays e afins, para mim não passam de uma piada de mal gosto. Só quem sofreu as dores de ser minoria, que foi maltratada e até exterminada em certos momentos da história, poderia falar com embasamento e lágrimas.”

      Gente, o senso de “minoria” que vocês têm é bizarro, sinceramente. Não existem só maus tratos físicos, existe o lado psicológico e social também. Ah, e, além disso, você realmente acha que não houve extermínio de gays na história? Te apresento os últimos dois ou três mil anos da nossa história. Como você já falou de negros, acho que não preciso adicioná-los no balaio, mas, por uma questão de justiça, vou adicionar cristãos e judeus também, pois também foram minorias exterminadas.

      “Essa boiolada ativista quer coisas que jamais a sociedade dará. Eles já têm o direito de existir, ir e vir, porém não têm que atacar a nós, heteros, família, achando que o mundo é gay. Se o mundo fosse gay, Deus faria dois homens, e deles nasceriam homens, descendência, com uma nova biologia de procriação.. Cada macaco no seu galho. E isto é razão e justiça.”

      Viajou de novo. Gostaria de me dizer de onde tirou a bizarrice de que acham que o mundo é gay? E outra, quem é que disse que sexo deve servir só para procriação? E, além disso, do que eu saiba, ninguém é obrigado a interpretar deus da mesma forma que você, Day. Esse é um dos benefícios do Estado LAICO. Você pode ter voz, mas o outro merece o mesmo direito. Ainda assim, nada justifica o extremismo.

      Aliás, você só provou minha tese até agora: contestou o que eu falei com besteiras, colocando palavras na minha boca, dizendo que eu sou um “humanista fake”. Ah, sério, você não tem mais o que fazer da vida? Depois o Ayan fala que “Neo-ateus isso”, “neo-ateus aquilo”, mas também tem muito dito religioso fazendo cagada por aí.

      E, não vou te apresentar meu blog, você provavelmente comentaria merda lá e não entenderia o que eu venho dizendo. Você pegou a mania de chamar tudo o que discorde do Cristianismo de “Neo-Ateísmo” e “Humanismo”, e não é assim. O mundo é bem mais do que essa tua vizãosinha binária está enxergado, meu caro/minha cara.

      Mas, enfim, para você, recomendo uma cartilha de alfabetização ou mesmo de letramento, pois a sua resposta só demonstra que é disso que está precisando.

  8. Bora hehehe

    “Bora lá então. Antes de tudo, queria saber só por saber: é homem ou mulher?”

    R – Muié. E não precisa me chamar de senhora, pois, além de não ser senhora também não sou devota de Maria, e igualmente acho horrível “senhora está no céu.”

    “E palavras, muitas vezes, contém mais significados do que uma interpretação literalista capta. Quando falo em rótulos, não estou tão errado, pois o que fazemos, uns aos outros, é nos rotular como produtos de ideologias, políticas, religiões e outras coisas. Eu, porém, rejeito os rótulos: não sou marxista, não sou capitalista, não sou cristão nem sou neo-ateu, sou apenas Octávio.”

    R – Mas um tanto simpatizante com dos humanistas, contudo, isso não o rotula. Você é esperto e escorregadio hehe.

    “Uai, então não posso concordar nunca com eles? Então eles estão sempre errados agora, é isso? Óbvio, não concordo com 95% das condutas da ATEA, e é exatamente por isso que me permito fazer pelo menos uma análise mais detida de suas informações. Concordância e discordância totais não existem.”

    R – Discordo. Quais seriam os 5 % válidos naquela merda?

    “Um fake humanista que acha que, sem a religião tradicional, o mundo estaria pior? Conte-me mais sobre isso. E um fake humanista que expressou claramente ser contrário às besteiras de um cara que quer porque quer retirar o Catolicismo da Universidade CATÓLICA? Nossa, que fake esse.”

    R – Desculpe-me, mas você não deixou isso muito claro, justamente pelos 5% de amor à ATEA.

    “Sinceramente, não entendi nada. Eu disse bem claramente que, APENAS NESSA QUESTÃO, eu estava FAVORÁVEL aos neo-ateus. Porém, não é por isso que vou concordar com eles no resto. Como eu disse, não sou neo-ateu porque religião não é o problema de nada. Se o brasileiro é mais ignorante, a religião não tem nada a ver com isso.”

    R – Aí é que está. Eu, mesmo entendendo que a lei tem que ser cumprida, e que Datena e Band foram autuados, isso não me dá respaldo para ficar “do lado” da ATEA, mas da Lei. e, como disse o Luciano, criticar e incentivar os cristãos a reagirem é o foco. Gostei do ato do Datena porque abriu precedentes para uma reviravolta nessa estória de ofensas e leis.

    “Viajou. Eu não disse que quando falamos de fé, falamos só de brasileiros, o que eu disse é que eu não condeno a fé religiosa porque eu sei que ela não é culpada, de jeito nenhum, pela ignorância do brasileiro. E o que o brasileiro carrega é uma burrice indestrutível, isso sim. Eu truco que 10% da nossa população tenha sequer lido os livros das doutrinas que dizem seguir. É fácil ter fé sem base. Ser religioso sério, como são os amigos da Logos Apologética, isso sim é difícil. E ser ateu em um país com poucos religiosos que de fato conhecem suas doutrinas e que não sabem que sua doutrina não manda você despedir o cara do serviço só por ele ser ateu é foda.”

    R – Na verdade você foca muito o fato do cara ser brasileiro sim, e em várias passagens, inclusive escarnecendo-o chamando-o de “povinho”. Outra coisa, querido, dizer que o povo não lê seu livro sagrado não cola mais, tá? Eu frequentei cultos por dois anos e aprendi bastante. Claro que me interessei e estudei um pouco de teologia e filosofia cristã, bem como religiões comparadas, porém, garanto que essa estória de dizer que o povo religioso não lê seu livro é mentira. Porém despedir um empregado por ser gay, ateu, negro, mulher, certamente é errado e imoral, entretanto, essa postura não identifica a cristandade como um todo.

    “Nexo, por favor? Nem todo gay é drogado, nem todo ateu é drogado, nem todo ateu é gay (eu, por exemplo, sou hétero convicto). A questão é que você não sabe o que eles defendem de fato. Você vem aqui, vê os posts do Ayan, interpreta PESSIMAMENTE e sai com o gosto de vitória na boca.

    Minha mãe é sábia, claro, mas o que ela me fez não foi do alto de sua sabedoria, mas sim dos seus preconceitos, preconceitos dos quais ela não tem culpa, nem a religião. Eu diria, inclusive, que minha mãe é preconceituosa por circunstância, ou por hábito. Ora, ela mesma foi filha de mãe solteira e hoje diz que ficaria receosa se me visse namorando uma filha de mãe solteira.

    (PS: Não, minha avó não se prostituía. Inclusive, ela era conhecida na vizinhança pelo seu caráter exemplar. O que aconteceu é que ela namorou um irresponsável que, depois de abandoná-la, parece que ainda teve mais um monte de filhos dos quais não cuidou, rs.)”

    R – Eu não pus na mesma sacola gays, drogados e ateus. Apenas digo que um mundo governado sem Deus e Suas lições de moral, acarretaria nessas liberalidades. Eu não saio com gosto de vitória e o Luciano me ajuda sim, a entender esse “novo iluminismo”, porque o que antes estudávamos era o Iluminismo, mas com Nietzsche, Johann Gottfried von Herder, David Hume, Rousseau, o pessimista irrecuperável Schopenhauer… Entretanto, essa coisa nova aí, de fato, estou me aprofundando há pouco tempo e amo os textos do Ayn – aulas de graça rsrsrs.

    Quanto à sua mãe, se você diz que é preconceito, eu até acredito sim, por questão de época, cultura e educação. Minha mãe tinha lá suas facetas também, embora fosse uma agnóstica ferrenha.

    Quanto à sua avó, veja que coincidência: o mesmo aconteceu com a minha! Mas ficou tudo bem, ela conheceu meu vô militar e minha mãe jamais me cobrou nada. Liberalzinha, nem ligou de eu perder minha virgindade sem casar, aliás até hoje não casei, muito menos na igreja rsrsrs.

    “Primeiro, falácia do escocês (ninguém esclarecido entende neo-ateus) e apelo emocional. Depois, usou uma falácia de menor x maior relevância, apesar de que, considerando que está falando de neo-ateus, seria uma falácia válida, pois é a mesma que eles usam.

    Sobre maldade, eu não sei, pois nunca vi nenhum neo-ateu matando alguém ou fazendo alguma coisa desse tipo. A única maldade que os vejo fazer é cometer crimes de lesa-inteligência todo dia na internet, rs.

    E a solução para esses casos vai depender de como você encara a vida. O detalhe é que essas comunidades não nos estão atacando diretamente, e que o número de vidas que elas tiram é irrisório perto do número de vidas tirado pelo Marxismo, por exemplo. Aí cabe a questão: será que é legítimo atacar quem não te ameaça?”

    R – Apelo emocional? Esses caras ensinarem que o mundo seria melhor sem religião e que Deus não existe, usando falsamente o darwinismo como suporte; inferiorizando as massas… Meu Deus! Fisgam incautos, mas não pessoas esclarecidas, ou que pelo menos tenham sua fé fincada na rocha, seja qual for a religião.

    A maldade é subjetiva, pois falar em exclusão, extinção (da fé), erradicação do amor cristão, da igreja. dar suporte a gayzistas, apoiar essa falácia da homofobia, xingar crente de burro, e ofender a divindades dos que creem é maldade, e maldade bem humanista.

    ” Aí cabe a questão: será que é legítimo atacar quem não te ameaça?”

    Agora você apelou! Qual será o objetivo desse movimento, politicamente falando? Pelas profecias nem falo, pois não cabe, mas tenha certeza de que o que está por trás não é tão simples assim. De que forma o humanismo pós-moderno eliminaria a religião? Matando Deus ou homens? A internet é apenas um veículo. A coisa é real!

    “Sim, me refiro a mulheres simples mesmo. Finalmente você entendeu isso. É claro que sei que as mulheres que levam a religião a sério são totalmente respeitáveis, pois convivo com muitas delas. Como eu disse, não é o verdadeiro religioso, como meus amigos Emerson Oliveira e Rudy Souza, que me preocupa. Os que me preocupam são os hipócritas. Contra religiosos informados e verdadeiros, não tenho nada, e nem deveria ter. Agora, contra pessoas que respondem “senhor/senhora está no céu!” e pessoas que passam o dia enchendo o saco do padre ao invés de fazerem o bem, ah, contra essas, tenho coisas contra, muitas coisas, pois estas estão usando Deus como escudo, e estão na religião apenas por medo de castigo divino, o que demonstra que são miseráveis.”

    R – De qualquer forma estão no seu direito. Se é hipocrisia ou não não nos cabe julgá-las. Para muitas seu único alento é estar lá com o padre, limpando a igreja… e se for medo do castigo divino, qual o problema? O medo está em nosso DNA, ora! Na Bíblia é dito que Deus não faz acepção de pessoas, e nós deveríamos ouvir isso mais atentamente. “Mas e quanto aos ateus?” você me perguntaria talvez. Bem, o ateísmo é comentado mui raramente na Bíblia, pois parte-se do princípio de que Deus existe verdadeiramente. Porém até os ateus têm que ser respeitados, claro. é o que sempre fiz, tenho vários e ótimos amigos ateus, porém NEO-ATEU é outra coisa, e sabemos disso.

    “Gente, o senso de “minoria” que vocês têm é bizarro, sinceramente. Não existem só maus tratos físicos, existe o lado psicológico e social também. Ah, e, além disso, você realmente acha que não houve extermínio de gays na história? Te apresento os últimos dois ou três mil anos da nossa história. Como você já falou de negros, acho que não preciso adicioná-los no balaio, mas, por uma questão de justiça, vou adicionar cristãos e judeus também, pois também foram minorias exterminadas.”

    R – Você só me ajudou. Essas minorias realmente sofreram e pagaram com a vida. O discurso humanista me parece querer ativar essa premissa de dor, de coitadinhos, foi o que eu quis dizer. Mas acho que não é necessário entrar no campo das matanças humanistas e religiosas, certo? ´sairia do assunto. Neo-ateu se proclamar “minoria” é uma puta jogada política, meu irmão.

    “Viajou de novo. Gostaria de me dizer de onde tirou a bizarrice de que acham que o mundo é gay? E outra, quem é que disse que sexo deve servir só para procriação? E, além disso, do que eu saiba, ninguém é obrigado a interpretar deus da mesma forma que você, Day. Esse é um dos benefícios do Estado LAICO. Você pode ter voz, mas o outro merece o mesmo direito. Ainda assim, nada justifica o extremismo.”

    R – Concordo em que cada qual tenha seu direito, como eu disse lá: de ir e vir, existir, trabalhar; mas, convenhamos, liberar legalmente, por exemplo, casamentos entre pessoas do mesmo sexo já é um despropósito. Será que você não percebe o que isso poderia ocasionar? Dois homens, duas mulheres, travestis, lésbicas de terno sendo casados por um padre ortodoxo, por um pastor convicto em sua fé, por um padre católico lá na Candelária? Estaríamos reinventando um mundo, uma nova moralidade, um novo Deus? E, provavelmente, uma nova guerra.

    Sei que sexo não é só para procriação, mas é essencialmente para. O prazer maravilhoso que sentimos é justamente o “chamariz” para que homens e mulheres se atraíssem e procriassem, e contituíssem famílias. Isso me parece bem racional.

    Não sou “homofóbica”. Já tive e tenho amigos homoafetivos. conheço profundamente seu mundo, e lhe garanto que eles veem homossexualidade quase que em todo mundo, logo essa é uma característica deles: acharem que o mundo é gay. Provei o que falei.

    “Aliás, você só provou minha tese até agora: contestou o que eu falei com besteiras, colocando palavras na minha boca, dizendo que eu sou um “humanista fake”. Ah, sério, você não tem mais o que fazer da vida? Depois o Ayan fala que “Neo-ateus isso”, “neo-ateus aquilo”, mas também tem muito dito religioso fazendo cagada por aí.”

    R – Se o ofendi e magoei chamando-o de fake, me desculpe, talvez tenha sido no calor da discussão, todavia, não abro mão dessa coisa de dúvida. Precisamos ter nossas convicções. Você, ao mesmo tempo, defende religioso, neo-ateus, ateus, e a você mesmo. Isso me parece um tanto confuso. Não sou religiosa, não frequento mais igreja, foi apenas uma experiência, pois era agnóstica. Mas amei a Deus, e isso é o que importa. E como tudo isso é novo em minha vida, às vezes não sei lidar com certas adversidades, o que não é crime, certo? rsrs

    “E, não vou te apresentar meu blog, você provavelmente comentaria merda lá e não entenderia o que eu venho dizendo. Você pegou a mania de chamar tudo o que discorde do Cristianismo de “Neo-Ateísmo” e “Humanismo”, e não é assim. O mundo é bem mais do que essa tua vizãosinha binária está enxergado, meu caro/minha cara.

    R – Mas Octávio, se não é neo-ateísmo é o quê? Pelo o que eu saiba, não existiam ateus tradicionais “pregando” o fim da religião por aí. Meu ramo é literatura, e amo muitos escritores ateus, Dostoiévski é um dos meus preferidos, como Nietzsche. Sua tática de começar alisando para dar coice no final é típico de um neo-ateu, por exemplo. E não acho que falo merda. Posso até me expressar – às vezes – de forma radical, mas é por amor ao meu Deus que para mim é vivo, e sinto-me profundamente ofendida quando alguém que não crê, acha que os outros deverão deixar de crer também, na base da “porrada”.

    O mundo realmente é bem mais do que isso, eu sei. Por isso estudo filosofia, literatura e não tenho medo de confrontar a Bíblia. Eu me centralizo na minha realidade que é repleta de Deus.

    “Mas, enfim, para você, recomendo uma cartilha de alfabetização ou mesmo de letramento, pois a sua resposta só demonstra que é disso que está precisando.”

    Devo ser aquele “jênio” que estuda, estuda mas é burro, seria isso? rsrsrs Como ninguém nasce sabendo, eu prometo chegar lá. 😉 Até uns meses atrás eu só falava de filosofia e literatura, pois sou resenhista e divulgadora de livros. Meus escritos, a saber, contos, romances e poesias nada tem a ver com essas discussões políticas. 😉

    Como sou mulher, mando um beijo (e não é de Judas).

    Em tempo: Conhecer seu blog foi um pedido gentil de minha parte, mas você, como o Barros, teme não sei o quê. Mas tudo bem. Boa sorte, Octávio.

    • Li a discussão de vocês (Day e Octávio) e gostaria de fazer uma observação (que em nada tem com a discussão em si). Você disse que Dostoievski era ateu? É difícil afirmar categoricamente o que ele era, e é palpável que em sua mente estavam presentes muitas crises e angústia de natureza religiosa (não se sabe se por sua fé pessoal ou por ver tais crises ocorrendo em torno si na sociedade). Mas daí concluir que ele era ateu, acho um pulo muito grande. A partir de sua leitura é muito mais fácil supor que ele era religioso.
      Salvo que tenha um dado histórico que comprove que ele era ateu (que eu desconheço), me parece quase certo que ele era religioso e que via o ateísmo com maus olhos.

      • André, essa língua portuguesa me cala. Dostoiévski pode ser classificado como ateu apenas no sentido de ele confrontar dogmas católicos. “Crime e Castigo” mostra bem essa postura do gênio, Amo-o como escritor. Normalmente não o chamo de ateu, porém, às vezes invado a alma desse excelentíssimo escritor, usando, com respeito, alguns pensamentos, tipo “tenho de proclamar a minha incredulidade. Para mim não há nada de mais elevado que a ideia da inexistência de Deus. O Homem inventou Deus para poder viver sem se matar.” Claro que o gênio, assim como Nietzsche e kafka, não quiseram atingir a Deus propriamente. Mas valeu pelo toque. Outro dia, em um debate no Deusilusão, eu afirmei que Dostoiéviski não era ateu, mas era outro contexto. Meu livro preferido é “O Jogador”. É meio biográfico, porém, além de genial, maravilhoso, traz o autor que fica pertinho do leitor, e isso é algo divino hehe. Depois, caso Luciano permita, posto aqui o link da resenha que fiz deste livro.
        Abraço e obrigada, André.

    • “Muié. E não precisa me chamar de senhora, pois, além de não ser senhora também não sou devota de Maria, e igualmente acho horrível “senhora está no céu.””

      Na verdade, queria saber só para ver se podia te passar uma cantada e te pedir o telefone, gata.
      Brinks, não me encare como desrespeitoso, é que a situação está feia pro meu lado nesse quesito, rs.

      “Mas um tanto simpatizante com dos humanistas, contudo, isso não o rotula. Você é esperto e escorregadio hehe.”

      Simpatizo com vários grupos: olavistas, ateus como o Ayan, humanistas… só não fico nos rótulos, minha querida.

      “Discordo. Quais seriam os 5 % válidos naquela merda?”

      Aqueles raros momentos quando eles resolvem parar de atacar religiosos e lutar apenas por igualdade. São 5% raros, admito, deveria ter dito 0,5%.

      “Desculpe-me, mas você não deixou isso muito claro, justamente pelos 5% de amor à ATEA.”

      http://adtantumargumentandum.blogspot.com.br/2013/01/de-frente-com-o-ateu-adendo.html

      Isso te deixa mais tranquila?

      ” Aí é que está. Eu, mesmo entendendo que a lei tem que ser cumprida, e que Datena e Band foram autuados, isso não me dá respaldo para ficar “do lado” da ATEA, mas da Lei. e, como disse o Luciano, criticar e incentivar os cristãos a reagirem é o foco. Gostei do ato do Datena porque abriu precedentes para uma reviravolta nessa estória de ofensas e leis.”

      Essa é a sua leitura e a do Ayan, e eu não faço a mesma leitura. Eu estou cagando se OS CRISTÃOS vão reagir, o que eu quero é que reajam para que a lei se cumpra para todos e, principalmente, que todos parem de encher a porra do meu saco com isso e vão presos, de preferência, rs.

      “Na verdade você foca muito o fato do cara ser brasileiro sim, e em várias passagens, inclusive escarnecendo-o chamando-o de “povinho”. Outra coisa, querido, dizer que o povo não lê seu livro sagrado não cola mais, tá? Eu frequentei cultos por dois anos e aprendi bastante. Claro que me interessei e estudei um pouco de teologia e filosofia cristã, bem como religiões comparadas, porém, garanto que essa estória de dizer que o povo religioso não lê seu livro é mentira. Porém despedir um empregado por ser gay, ateu, negro, mulher, certamente é errado e imoral, entretanto, essa postura não identifica a cristandade como um todo.”

      Generalização. Ou seja, se você fez, logo todos os outros fazem. E outra, o que eu disse é que isso representa a mentalidade de idiota do brasileiro. É povinho sim, e vai ser povinho sendo cristão ou ateu. Por isso que eu disse no meu post no blog que, no máximo, a religião tradicional intervem para o bem.

      E, sinceramente, de onde você tirou que um povo SEM CULTURA LEITORA vai ler qualquer coisa, quanto mais um livro com mais de 1000 páginas e de difícil compreensão? O povo, o homem comum, lê, quando muito, o que o padre ou pastor passa. Você está achando que estamos lidando com um povo intelectualizado, mas não é verdade.

      “Eu não pus na mesma sacola gays, drogados e ateus. Apenas digo que um mundo governado sem Deus e Suas lições de moral, acarretaria nessas liberalidades. ”

      Sem provas, convenhamos.

      “Quanto à sua avó, veja que coincidência: o mesmo aconteceu com a minha! Mas ficou tudo bem, ela conheceu meu vô militar e minha mãe jamais me cobrou nada. Liberalzinha, nem ligou de eu perder minha virgindade sem casar, aliás até hoje não casei, muito menos na igreja rsrsrs.”

      Já a minha decidiu nunca mais se envolver com homem algum, e nossos vizinhos confirmam isso. Minha avó sofreu demais, até, 12 anos atrás, o coração dela não aguentar mais e ela falecer com 61 para 62 anos.

      “Apelo emocional? Esses caras ensinarem que o mundo seria melhor sem religião e que Deus não existe, usando falsamente o darwinismo como suporte; inferiorizando as massas… Meu Deus! Fisgam incautos, mas não pessoas esclarecidas, ou que pelo menos tenham sua fé fincada na rocha, seja qual for a religião.”

      Apelo emocional de novo e erro, pois, se não percebeu, eu não fui “fisgado” por eles. Inclusive eu corroboro com o que você disse quando diz que é um movimento estúpido e malvado, só que mesmo a mais malvada das doutrinas não está 100% errada.

      “A maldade é subjetiva, pois falar em exclusão, extinção (da fé), erradicação do amor cristão, da igreja. dar suporte a gayzistas, apoiar essa falácia da homofobia, xingar crente de burro, e ofender a divindades dos que creem é maldade, e maldade bem humanista. ”

      Diga-me o que entende por falácia da homofobia, por favor.

      “Agora você apelou! Qual será o objetivo desse movimento, politicamente falando? Pelas profecias nem falo, pois não cabe, mas tenha certeza de que o que está por trás não é tão simples assim. De que forma o humanismo pós-moderno eliminaria a religião? Matando Deus ou homens? A internet é apenas um veículo. A coisa é real!”

      Seja mais clara.

      “De qualquer forma estão no seu direito. Se é hipocrisia ou não não nos cabe julgá-las.”

      Claro, claro, porque Jesus adora um fariseu, não é?

      “Para muitas seu único alento é estar lá com o padre, limpando a igreja… ”

      Não é dessas que falo. As que eu falo não limpam nem a própria casa, quanto mais ajudar a limpar a Igreja. Falo daquelas véia feladaputa que só lembra do nome de Deus na hora que convém, mas, na hora de ajudar o próximo, seja o padre ou um menino de rua, esquece de sua existência e de seus ensinamentos.

      “e se for medo do castigo divino, qual o problema? O medo está em nosso DNA, ora! ”

      Deus não está com a arma apontada na sua cabeça para você crer por medo. A conversão que é feita por medo é frágil.

      “Na Bíblia é dito que Deus não faz acepção de pessoas, e nós deveríamos ouvir isso mais atentamente.”

      Assim como nos diz para não sermos iguais aos fariseus. Palavras de Cristo. E outra, nem mesmo lá eles proíbem julgamentos. O que diz é que não se deve julgar por aparências, mas sim pela reta justiça.

      “você me perguntaria talvez. Bem, o ateísmo é comentado mui raramente na Bíblia, pois parte-se do princípio de que Deus existe verdadeiramente. Porém até os ateus têm que ser respeitados, claro. é o que sempre fiz, tenho vários e ótimos amigos ateus, porém NEO-ATEU é outra coisa, e sabemos disso.”

      Concordo e, por uma questão de liberdade de crença, não vejo problema em a Bíblia condenar o ateísmo. Vejo problema, sim, em um apresentador babaca que comete crime de lesa-inteligência todo dia na televisão, sem embasamento religioso algum, associar ateísmo a condutas criminosas. Nisso eu vejo problema, porque aí já não é pura liberdade de crença.

      “Você só me ajudou. Essas minorias realmente sofreram e pagaram com a vida. O discurso humanista me parece querer ativar essa premissa de dor, de coitadinhos, foi o que eu quis dizer. Mas acho que não é necessário entrar no campo das matanças humanistas e religiosas, certo? ´sairia do assunto. Neo-ateu se proclamar “minoria” é uma puta jogada política, meu irmão.”

      Sofrer então é só pagar com a vida? Sofrimento psicológico, então, que se foda? Ora, Day, não seja ingênua, rs.

      “Concordo em que cada qual tenha seu direito, como eu disse lá: de ir e vir, existir, trabalhar; mas, convenhamos, liberar legalmente, por exemplo, casamentos entre pessoas do mesmo sexo já é um despropósito. Será que você não percebe o que isso poderia ocasionar? Dois homens, duas mulheres, travestis, lésbicas de terno sendo casados por um padre ortodoxo, por um pastor convicto em sua fé, por um padre católico lá na Candelária? Estaríamos reinventando um mundo, uma nova moralidade, um novo Deus? E, provavelmente, uma nova guerra.”

      Qual lei diz isso? O que é dito é que o casamento CIVIL deve ser legalizado, não o casamento religioso, que envolve fé, sacramentos e outras coisas que vão além do mundo material. Dentro da Igreja, não é o Estado que deve agir. Estado é fora da Igreja, dentro da Igreja quem comanda é a fé.

      “Sei que sexo não é só para procriação, mas é essencialmente para. O prazer maravilhoso que sentimos é justamente o “chamariz” para que homens e mulheres se atraíssem e procriassem, e contituíssem famílias. Isso me parece bem racional.”

      Prazer vai de cada um.

      Ah, a propósito, já que acha esse casamento uma bizarrice, chame o Ayan de neo-ateu também, pois ele também apoia sua legalização. Porém, acho que ele deve concordar com o que eu disse: casamento CIVIL.

      “Não sou “homofóbica”. Já tive e tenho amigos homoafetivos. conheço profundamente seu mundo, e lhe garanto que eles veem homossexualidade quase que em todo mundo, logo essa é uma característica deles: acharem que o mundo é gay. Provei o que falei.”

      Curioso, os que conheci são discretíssimos e não ficam apontando que todo mundo é gay, rs. Estamos em países diferentes então, caríssima.

      ” Se o ofendi e magoei chamando-o de fake, me desculpe, talvez tenha sido no calor da discussão, todavia, não abro mão dessa coisa de dúvida. ”

      Duvidar de alguém não é acusá-lo de qualquer coisa.

      “Precisamos ter nossas convicções. Você, ao mesmo tempo, defende religioso, neo-ateus, ateus, e a você mesmo. Isso me parece um tanto confuso.”

      E tenho minhas convicções. O que não tenho é IDEOLOGIA. Defendo o grupo A quando ele estiver certo, mas o critico se estiver errado. Não fico me preocupando se A vai me rotular como B, ou vice-versa. Preocupo-me com as minhas convicções, não com os rótulos que outros me darão.

      “E como tudo isso é novo em minha vida, às vezes não sei lidar com certas adversidades, o que não é crime, certo?”

      Não, claro que não, não sou neo-ateu para te falar que isso é crime, rs.

      “Mas Octávio, se não é neo-ateísmo é o quê? Pelo o que eu saiba, não existiam ateus tradicionais “pregando” o fim da religião por aí. ”

      Ora, o Ayan mesmo discorda da religião cristã em alguns pontos, e veja o que ele propaga aqui. Discordar de algo não é querer o fim desse algo. Inclusive, se eu quisesse o fim da religião tradicional, não teria falado que o mundo sem ela seria infinitamente pior nem seria um democrata, alguém que preza pela liberdade de expressão, desde que esta não se sobreponha à liberdade de crer e descrer.

      “Meu ramo é literatura, e amo muitos escritores ateus, Dostoiévski é um dos meus preferidos, como Nietzsche.”

      Fez Letras? rs

      Agora, não sabia que Dostoiévski era ateu. Achei que fosse cristão ortodoxo. E Nietzsche cai mais para o antiteísmo do que para o ateísmo.

      “Sua tática de começar alisando para dar coice no final é típico de um neo-ateu, por exemplo. ”

      Novamente, como eu disse, minhas atitudes não se focam em grupos. Além disso, alisei nas partes em que me respondeu sem besteiras. Nas outras fui mais duro por não aguentar certas coisas, rs.

      “O mundo realmente é bem mais do que isso, eu sei. Por isso estudo filosofia, literatura e não tenho medo de confrontar a Bíblia. Eu me centralizo na minha realidade que é repleta de Deus.”

      Ótimo.

      “Como ninguém nasce sabendo, eu prometo chegar lá. 😉 Até uns meses atrás eu só falava de filosofia e literatura, pois sou resenhista e divulgadora de livros. Meus escritos, a saber, contos, romances e poesias nada tem a ver com essas discussões políticas.”

      Cool.

      “Em tempo: Conhecer seu blog foi um pedido gentil de minha parte, mas você, como o Barros, teme não sei o quê. Mas tudo bem. Boa sorte, Octávio.”

      Ora, estou usando meu perfil de FB. É só você clicar nele e dar uns scroll down até achar o adress do meu blog. Mas, enfim, se o quer mesmo, here it is: http://adtantumargumentandum.blogspot.com.br/

  9. Boa análise, Luciano! Concordo com cada argumento, mas penso que esta briga deve ser feita pelas comunidades religiosas (instituições) já que elas são representadas por homens públicos (bispos, padres, pastores, rabinos etc) e não pelo cidadão anônimo. embora em casos específicos cidadãos anônimos também obteriam excelentes resultados se conseguissem um advogado que levantasse bons argumentos. O que eu vejo em tese é que a formação positivista do direito brasileiro e o casuismo que reina nos MPs pelo Brasil a fora acabam por sustentar este tipo de guerra ideológica nos nossos tribunais. E só pra constar Jefferson Aparecido Dias perdeu em 1° instância seu pedido para a retirada dos simbolos religiosos das repartições públicas, mas disse que ia recorrer. Agora fico preocupado porque Datena ter chamado os “ateus” de imorais ter resultado em processo ganho na justiça me fez lembrar que Voltaire no Dicionário filosófico faz a mesma afirmação no verbete ateísmo, será que vão mandar retirar o verbete da obra de Louis Arouet? pq não tem como Voltaire fazer um programa de 50 min pra se retratar =)

  10. O que faltam são grupos organizados que processem os neoateus quando fizerem isso. Acredito que sem grupos organizados não haverá reação. Supor que uma determinada igreja entre com o processo é irreal (dentro das igrejas há lutas ideológicas vibrantes – inclusive com gente infiltrada que comemora cada golpe que a igreja a qual diz pertencer sofre – e não é possível esperar consenso). Suponho que deveria partir de organizações leigas de orientação religiosa. Para isso é necessário entender o perigo desse neoateísmo. E nisso seu blog faz um papel importantíssimo que pouco vejo em outros lugares aqui no Brasil. Agradeço pelo que você faz e lhe parabenizo.
    O bom é que não precisa que a Igreja Católica entre com um processo contra uma organização neoateísta que incite o preconceito contra os católicos. Qualquer católico pode fazer isso (embora não creio que faça, a não ser que esteja partindo de uma ação organizada).

  11. Acredito que se alguns grupos religiosos seguissem essa sugestão do Luciano, essa suposta vitória da ATEA (por gerar jurisprudência) seria na realidade uma pá de cal sobre o movimento neoateísta no Brasil, pois as religiões sobrevivem tranquilamente sem citarem a existência de ateus, já o movimento neoateísta não sobreviveria sem seus ataques contra as religiões.

    OBS: Antes que algum semi-analfabeto mal-intencionado venha criar caso, o “pá de cal” foi escrito em sentido figurado.

  12. Octávio… Estou muito cansada, mas prometo responder e discordar em alguns pontos. E deixe de ser mentiroso, pois você sabia que eu era mulher hehe. Gostei de sua tréplica (é isso?); você me pareceu menos “new” hehehe. Mas, antes de dormir (desmaiar em minha cama), quero saber: Você perdeu o medo d’eu escrever merda em seu blog, gato? hehehe

    Até, Octávio. Ah! Não fiz Letras (não até o fim). Na verdade sou roteirista formada. Cinema e TV. E devo publicar meu livro este ano (nem pergunte sobre o tema, pois nada tem a ver com “news” e política). Beijo

    Luciano, obrigada por me deixar á vontade. Beijo, doctor. 🙂

    Vou mimir……………….

    • Day, depois de ver algumas bizarrices por aí e de conhecer “O” Luz Nas Trevas, não garanto mais o gênero de ninguém que não tenha um nome “real”.

      Sobre perder o medo, sim, pois vi que você não escreve tanta merda quanto eu pensei. E não tenho mais relações com o neo-ateísmo. Para isso, precisaria acreditar em conceito de alienação e em o mundo ficar melhor sem religião, que são duas coisas que eu rejeito sistematica e firmemente.

      Sobre crases e such, não se preocupe, fala com um adepto da Linguística, apesar de erro ortográfico ser erro de fato, rs.

      • hehehe!! Pois é, que bom que você não tem mais medo de minhas merdas 😛 Meu nome é Daisy, mas os amigos me chamam de Day e aí pegou. Mas é o teclado sim, o que não invalida erro ortográfico… depois vejo o link que vc sugeriu. Gente, adivinhem com quem fui me meter? Alfredão! Putz! O cara me chamou de burra, que ele é filósofo e psiquiatra e mais um caminhão de insanidades! E olha que o tratei com a maior deferência hehe. Mas acabei perdendo um pouco a paciência e dei umas na lata dele. Pô! Comparar Santos Dumont com Sócrates?! E dizer que Sócrates e Platão são coisa antiga e ultrapassados, e que ele é filósofo atual?! kkkkkkkkkk Muito divertido. Ele é surreal. Disse que fez testes e acusou um QI muito superior e que me botar no chinelo é muito fácil. Figuraaaa!!!

        http://deusilusao.com/2013/02/02/qual-o-sentido-da-vida-parte-2/#comment-37697

        Boa noite, amigos 🙂

  13. Essa crase que às vezes não entra é problema de teclado, e eu teclo muito rápido. Só para constar, assim como inicio, às vezes, a frase com letra minúscula. Teclado emperrado e falta de atenção em revisar.

  14. Octávio, como sou (já fui) atleta daquelas que disputavam a glória, vou começar a lhe contestar. Mas só um pouco, pois tenho uma reunião em meia hora.

    “Na verdade, queria saber só para ver se podia te passar uma cantada e te pedir o telefone, gata.
    Brinks, não me encare como desrespeitoso, é que a situação está feia pro meu lado nesse quesito, rs.”

    R – Imagina, eu gosto da relação hetero 🙂

    “Simpatizo com vários grupos: olavistas, ateus como o Ayan, humanistas… só não fico nos rótulos, minha querida.”

    R – Trabalhe mais na questão do discernimento 😉

    “Aqueles raros momentos quando eles resolvem parar de atacar religiosos e lutar apenas por igualdade. São 5% raros, admito, deveria ter dito 0,5%.”

    R – Ou seja, ficou provado que não podemos ser vegetarianos e carnívoros ao mesmo tempo.

    “http://adtantumargumentandum.blogspot.com.br/2013/01/de-frente-com-o-ateu-adendo.html

    Isso te deixa mais tranquila?”

    R – Se eu precisasse de tranquilidade, não veria tal link (e nãoi vi, confesso), porque minha tranquilidade depende de meus anseios e orações. Quem faz a cabeça do outro é pai-de-santo hehehe!

    “Essa é a sua leitura e a do Ayan, e eu não faço a mesma leitura. Eu estou cagando se OS CRISTÃOS vão reagir, o que eu quero é que reajam para que a lei se cumpra para todos e, principalmente, que todos parem de encher a porra do meu saco com isso e vão presos, de preferência, rs.”

    R – No caso seu saco sem porra o tornaria eunuco, metaforicamente, claro.

    “Generalização. Ou seja, se você fez, logo todos os outros fazem. E outra, o que eu disse é que isso representa a mentalidade de idiota do brasileiro. É povinho sim, e vai ser povinho sendo cristão ou ateu. Por isso que eu disse no meu post no blog que, no máximo, a religião tradicional intervem para o bem.”

    R – Cuma? Já percebeu, ou conheceu o povo grego hoje? Você focar “brasileiro” é prova de ausência de entendimento antropológico. Povo é povo, em qualquer parte. 😉

    “E, sinceramente, de onde você tirou que um povo SEM CULTURA LEITORA vai ler qualquer coisa, quanto mais um livro com mais de 1000 páginas e de difícil compreensão? O povo, o homem comum, lê, quando muito, o que o padre ou pastor passa. Você está achando que estamos lidando com um povo intelectualizado, mas não é verdade.”

    R – Uma pergunta para você pensar por toda a semana: Que idiota pregaria por anos a fio a mesma palavra (versículo)? E é nesse sentido que digo que, sobrenaturalmente ou não, TODA a Bíblia é pesquisada; por favor não caia na falácia de aoregoar as repetição dos pastores. Eu, em minha experiência, trafeguei por toda a Torá e o NT, apenas frequentando cultos.

    ““Eu não pus na mesma sacola gays, drogados e ateus. Apenas digo que um mundo governado sem Deus e Suas lições de moral, acarretaria nessas liberalidades. ”

    “Sem provas, convenhamos.”

    R – Quer dizer que minha experiência não vale como prova? Então, toma na lata: Conheci Renato Russo, e meu falecido irmão, fã dele, declararam que o mundo era gay. Uma amiga professora e lésbica me disse, quando minha filha tinha apenas 4 anos: “Day, não tem jeito,essa menina é do “babado”. Que coisa, né? Se quiser faço uma infindável lista. E não sou homofóbica, mas tenho fobia de bicha louca e lésbica que coça saco invisível.

    “Já a minha decidiu nunca mais se envolver com homem algum, e nossos vizinhos confirmam isso. Minha avó sofreu demais, até, 12 anos atrás, o coração dela não aguentar mais e ela falecer com 61 para 62 anos.”

    R – Já a minha, casando e vivendo uma vida normal, fez 3 filhos maravilhosos. Morreu com 92 anos, mas apenas porque descobrimos sua osteoporose aos 80 e poucos ( e só morreu por um tombo que quebrou a cabeça do fêmur). Ela era tão cabeça que me viu fumando maconha (eu era danada hehe) e apenas deu uma tapa em minha mão para o baseado cair. Eu o peguei de volta mas não fumei, nunca mais, na frente de minha matriarca. Ela era uma das pessoas mais lindas e sábias do planeta.

    “Apelo emocional de novo e erro, pois, se não percebeu, eu não fui “fisgado” por eles. Inclusive eu corroboro com o que você disse quando diz que é um movimento estúpido e malvado, só que mesmo a mais malvada das doutrinas não está 100% errada.”

    R – Posso discordar? Minha maior dor é levar a soma de milhões de judeus e escravos negros nas costas. Sim, sinto-me culpada, pois, enquanto coletivo, somos “farinha do mesmo saco”, ou não? O NAZISMO foi algo CEM POR CENTO ERRADO.

    Volto mais tarde, amore. A reunião… Beijos! Beijos, doctor Ayan. 🙂

    • ” Trabalhe mais na questão do discernimento”

      Discernir não significa rotular. Não reprovo ninguém 100% nem concordo 100%. Apoio ou reprovo atos não por ideologia, mas sim por minha própria filosofia.

      “Se eu precisasse de tranquilidade, não veria tal link (e nãoi vi, confesso), porque minha tranquilidade depende de meus anseios e orações. Quem faz a cabeça do outro é pai-de-santo hehehe!”

      Falo se te faz enxergar que não sou neo-ateu, rs.

      ” Cuma? Já percebeu, ou conheceu o povo grego hoje? Você focar “brasileiro” é prova de ausência de entendimento antropológico. Povo é povo, em qualquer parte.”

      Discordo. Todo e qualquer outro povo consegue ser melhor que o brasileiro. Fundamentalismo, miséria física, pobreza, violência, isso a gente arruma. Mentalidade medíocre, que é a do brasileiro, é inconsertável.

      ” Uma pergunta para você pensar por toda a semana: Que idiota pregaria por anos a fio a mesma palavra (versículo)? E é nesse sentido que digo que, sobrenaturalmente ou não, TODA a Bíblia é pesquisada; por favor não caia na falácia de aoregoar as repetição dos pastores. Eu, em minha experiência, trafeguei por toda a Torá e o NT, apenas frequentando cultos.”

      E eu, na minha experiência, tenho uma mãe que se diz crentíssima em Cristo mas que nunca leu a Bíblia e que apóia o Aborto e a Eutanásia. E conheço mais um monte de gente, bem menos digna que a minha mãe, que desvia ainda mais de uma doutrina que eles dizem seguir mas não conhecem, rs. Where is your god now? rsrsrsr

      “Quer dizer que minha experiência não vale como prova? Então, toma na lata: Conheci Renato Russo, e meu falecido irmão, fã dele, declararam que o mundo era gay. Uma amiga professora e lésbica me disse, quando minha filha tinha apenas 4 anos: “Day, não tem jeito,essa menina é do “babado”. Que coisa, né? Se quiser faço uma infindável lista. E não sou homofóbica, mas tenho fobia de bicha louca e lésbica que coça saco invisível. ”

      3 pessoas. Conheço pelo menos 10 que NÃO fazem isso, rs.

      “Posso discordar? Minha maior dor é levar a soma de milhões de judeus e escravos negros nas costas”

      Mas o Cristianismo não tem nada a ver com escravidão, Day

      ” Sim, sinto-me culpada, pois, enquanto coletivo, somos “farinha do mesmo saco”, ou não? ”

      Enquanto coletivo? Com certeza. Individualmente? Não.

      ” O NAZISMO foi algo CEM POR CENTO ERRADO.”

      Será mesmo? Você conhece absolutamente todas as ideias e as práticas do Nazismo? Óbvio que a maior parte dele, a que nos vem ao conhecimento, está errada, mas não conhecemos tudo do Nazismo, rs. Aliás, Day, o Nazismo foi uma das primeiras doutrinas a levar a sério o culto à saúde, também porque era anti-alcoolismo e anti-tabagismo. Acha isso errado?

      • Octávio! Nem cheguei a terminar o primeiro, aff! kkkkkkk

        “Discernir não significa rotular. Não reprovo ninguém 100% nem concordo 100%. Apoio ou reprovo atos não por ideologia, mas sim por minha própria filosofia.”

        Eu – Sim, posso entender. Mas você é ateu, não?

        “Falo se te faz enxergar que não sou neo-ateu, rs.”

        Eu – Ah tá 😉 Mas você é ateu, não? (rsrs)

        “Discordo. Todo e qualquer outro povo consegue ser melhor que o brasileiro. Fundamentalismo, miséria física, pobreza, violência, isso a gente arruma. Mentalidade medíocre, que é a do brasileiro, é inconsertável.”

        Eu – Bem , na verdade me refiro aos países onde a religião predomina, claro. Quanto a você desprezar tanto o povo brasileiro, deve ter seus motivos. Tenho minhas diferenças também, principalmente por ele não saber votar e viver em uma ditadura ferrenha econômica. Por isso tenho projeto de morar em Portugal. Só não gosto desse seu ódio pelo brsileiro. Você mora fora do BR?

        “E eu, na minha experiência, tenho uma mãe que se diz crentíssima em Cristo mas que nunca leu a Bíblia e que apóia o Aborto e a Eutanásia. E conheço mais um monte de gente, bem menos digna que a minha mãe, que desvia ainda mais de uma doutrina que eles dizem seguir mas não conhecem, rs. Where is your god now? rsrsrsr”

        Eu – My God? Não sou poderosa assim. Não sou religiosa, já disse isso. Com efeito, a postura do cristão está mudando, e, em certos aspectos, para pior.

        “3 pessoas. Conheço pelo menos 10 que NÃO fazem isso, rs.”

        Eu – Na verdade esse não é um ponto nevrálgico não. Receio pela Pl 22.

        “Mas o Cristianismo não tem nada a ver com escravidão, Day”

        Eu – É, eu generalizei. Nem lembro por que falei isso e não achei o contexto aqui hehehe..

        “Enquanto coletivo? Com certeza. Individualmente? Não.”

        Eu – Esses movimentos, essas lideranças, muitas vezes levam o coletivo a errar e fazer guerra. Mas entendo o que quis dizer 😉

        “Será mesmo? Você conhece absolutamente todas as ideias e as práticas do Nazismo? Óbvio que a maior parte dele, a que nos vem ao conhecimento, está errada, mas não conhecemos tudo do Nazismo, rs. Aliás, Day, o Nazismo foi uma das primeiras doutrinas a levar a sério o culto à saúde, também porque era anti-alcoolismo e anti-tabagismo. Acha isso errado?”

        Eu – “Isso” não. Posso entender até a segunda página, quando a Alemanha (povo) estava sendo humilhada pelos soldados franceses, mas o resultado final não me convence a ser condescendente. Mas se quiser falar mais sobre nazismo, no problem. Kisses.

      • Bom, Day, umas vou responder sem citar a fim de deixar a quintréplica menos longa, rs.

        Sobre ser ateu, sim, sou, mas não sou ateu religioso e menos ainda ideológico, se me entende. Aliás, me fascina pensar como é que alguém consegue partir de “não crer em Deus” para uma ideologia. Tudo bem, você pode me falar do Sartre, mas a questão do Sartre era bem mais existencial do que atéia propriamente, rs.

        “Bem , na verdade me refiro aos países onde a religião predomina, claro. Quanto a você desprezar tanto o povo brasileiro, deve ter seus motivos. Tenho minhas diferenças também, principalmente por ele não saber votar e viver em uma ditadura ferrenha econômica. Por isso tenho projeto de morar em Portugal. Só não gosto desse seu ódio pelo brsileiro. Você mora fora do BR?”

        Não, moro no estado de SP mesmo, rs. Não gosto do brasileiro por diversos motivos, e, curiosamente, os neo-ateus e marxistas brasileiros, dois grupos aos quais pertencia, me ajudaram, com suas besteiras e fanatismos, a INTENSIFICAR e até descobrir esse meu ódio latente, rs.

        “Com efeito, a postura do cristão está mudando, e, em certos aspectos, para pior.”

        O problema é que o cristão brasileiro, por ser brasileiro, sequer sabe o que significa “postura”, quanto mais “cristão”, rs.

        “Esses movimentos, essas lideranças, muitas vezes levam o coletivo a errar e fazer guerra. ”

        Fato. É, de fato, dentro do Brasil, isso é meio arriscado mesmo, admito, rs.

        ““Isso” não. Posso entender até a segunda página, quando a Alemanha (povo) estava sendo humilhada pelos soldados franceses, mas o resultado final não me convence a ser condescendente. Mas se quiser falar mais sobre nazismo, no problem. Kisses.”

        Não é questão de condescendência. Não estou falando que o nazismo deve ser permitido ou algo assim, Day, o que quero dizer é que é impossível você discordar de qualquer coisa 100%. Como eu mesmo disse, discordo frontalmente do Nazismo em si, mas, quanto ao anti-alcoolismo e ao anti-tabagismo, concordo que não é nada ruim. Ora, Day, o próprio Ayan nos deu o exemplo quando disse que nem tudo do Humanismo é ruim e elogiou Gardner e um outro zé mané lá, rs.

      • Só uma coisa. Eu elogiei os cientistas do livro de Brockman, como Gardner e Goleman, que postaram conteúdo que nada tem a ver com o humanismo. Nem sei se são humanistas. Mas os claramente humanistas… todos fizeram papelão. 🙂

  15. Luciano!!!!!! me ajude? Só desta vez faz uma correção?

    “aoregoar as repetição”

    É “apregoar” e ” as repetições” É a pressa, amore. Muito obrigada!!!!!!!!!!!!!! Beijo, querido amigão! Meu professor, minha saída pela tangente… 🙂

    • Desculpe, Luciano, usar o espaço para falar de mim, mas é para avisar ao Natã que o blog está desorganizado. Estou voltando aos poucos, inclusive minhas resenhas de livros estão em outro site e ainda não as arrastei para o Day. Mas valeu pela força. 🙂

Deixe uma resposta