Técnica de Propaganda: Dos males o menor

1
39

Lesserof2evils

Última atualização: 04 de fevereiro de 2013 – [Índice de Propaganda][Página Principal]

Enquanto a técnica do falso dilema oferece duas alternativas, sendo uma inerentemente boa, e outra ineremente má, esta técnica faz uma expansão, não dando tanta ênfase à alternativa que o propagandista quer impor ao público, mas sim denunciando a outra alternativa como horrenda.

Em suma, ao invés de falar que X é ótimo e Y é ruim (como no falso dilema), ele, que quer vender X, não fala quase nada sobre X, mas diz que Y é horripilante.

Por exemplo, imagine quando neo-ateus, usando o discurso de Richard Dawkins afirmam: “Dizem que somos intolerantes e raivosos, mas ao menos fazemos isso com palavras, ao invés de nossos oponentes, que querem nos lançar na fogueira”.

Observe que entre X (um grupo intolerante mas que só usa palavras) e Y (um grupo intolerante, e que quer condenar os outros à fogueira), obviamente o público tende a esquecer os defeitos de X para focar no quanto são horripilantes os efeitos trazidos por Y.

Quando um governo pede um sacrifício para seu povo, geralmente apresentará a sua proposta no formato do Menor dos dois males. Dirão algo como: “Ok, sei que não é fácil, mas imagine se o sacrifício não for feito”.

Claro que devemos sempre investigar se entre as duas alternativas apresentadas, os elementos imputados à alternativa definida pelo propagandista como o pior dos males (em comparação com a alternativa que ele quer vender, como o menor de dois males) são factuais ou falsos, tanto para a alternativa que ele condena, como para a que ele apóia.

Anúncios

1 COMMENT

Deixe uma resposta