Mais uma vez um líder petralha comete um deslize (ops) e deixa escapar a importância de Gramsci para o projeto de seu partidão

6
137


@
Uma determinada obra é mencionada como parte de uma coleção que fala dos “principais expoentes da história educacional, nos planos nacional e internacional”.

A coleção foi lançada pelo Ministério da Educação, através de uma Comissão Técnica montada em 2006. Segundo o introdutor, essa comissão, “composta por representantes do MEC, de instituições educacionais, de universidades e da Unesco”, após longas reuniões, “chegou a uma lista de trinta brasileiros e trinta estrangeiros”. Os critérios da escolha: “Reconhecimento histórico e o alcance de suas reflexões e contribuições para o avanço da educação”.

A coleção em questão chama-se “Educadores”, lançada em parceria com o MEC, Unesco e a Fundação Joaquim Nabuco. O objetivo é unir “teoria e prática”.

O sujeito que escreve esta introdução é Fernando Haddad, na época Ministro da Educação do governo Lula. Essa introdução está no livro “Antonio Gramsci”, de Attilio Monasta, que traz uma biografia e um resumo das ideias do pensador marxista sardo.

Mas espere… quando publicamos algo sobre estratégia gramsciana, e o quanto ela foi importante para o governo do PT, petralhas gritam em uníssono: “teoria da conspiração”.

Só que Haddad já é o quinto ou sexto integrante do alto escalão do PT envolvido com o estudo aprofundado e a divulgação do material de Gramsci que deixa escapar algo sobre a associação entre petistas e a estratégia gramsciana.

Em suma, ao mesmo tempo em que eles montam toda a sua estratégia para doutrinação cultural escolar, baseada em Gramsci, chamam de “teóricos da conspiração” todos aqueles que pertencem à direita e descobrem o quanto Gramsci é essencial para eles. Isto é, Gramsci só é bom na mão deles, mas a partir do momento em que alguém da direita descobre tudo, começam a xingar. Petralhas são egoístas!

Se alguns acham que estou exagerando, as evidências podem ser vistas logo na introdução de “Antonio Gramsci”, de Attilio Monasta, lançado em formato digital na Amazon, e disponível de graça.

Caso os petralhas queiram esconder as evidências de sua associação com as ideias gramscianas, terão que convencer uma equipe de voluntários que postou esse livro de forma gratuita (pois é um livro de domínio público) para que sumam com ele de lá.

Ih, já baixei para o meu Kindle… Tarde demais. 😉

Como é de graça, façam o mais rápido que puderem.

Anúncios

6 COMMENTS

Deixe uma resposta