MP denuncia 72 marxistas culturais da USP por formação de quadrilha… nada mais justo

7
63

@

Marxistas culturais já começaram o chororô dizendo que é “injusto acusá-los de formação de quadrilha”. Será? Vamos a argumentos para demolir essa ladainha.

Dizem: “Alunos não podem ser comparados com bandidos”. Mas são bandidos mesmo!

As universidades públicas são bancadas com o dinheiro do cidadão pagador de impostos. Ao invadir e depredar patrimônio público, os alunos da USP que fizeram a baderna não são diferentes daquele sujeito que resolve destruir o seu parabrisa. Ou roubar sua carteira. É simplesmente seu dinheiro que está sendo surrupiado.

A USP não é deles, mas do cidadão que está sendo roubado ao ver um bando de energúmenos demolirem seu patrimônio apenas para fazer apologia ao tráfico de drogas. (Mais um crime)

Outros esquerdistas afirmam que os estudantes deveriam ter o “direito de protestar”. Claro que sim, mas não invadindo e depredando o patrimônio público, que, como já disse, é do cidadão pagador de impostos.

Quanto custou a reforma do ambiente depredado? 200 mil reais? 300 mil reais?

Eu não sei, mas basta dividir o valor pelos 72 estudantes, e saiba o quanto cada um RETIROU do cidadão pagador de impostos em uma ação para promoção do crime (luta para retirar a PM do Campus, e protesto em favor do uso de drogas).

Juntos, puderam cometer esse crime abjeto contra cidadãos que em sua maioria ainda não perceberam que deviam prestar mais atenção com o que o Estado faz com o dinheiro de seus impostos.

Eles só puderam cometer esse crime contra o cidadão por que estavam unidos e em bando. Se eles se uniram para praticar este crime que lesou o cidadão pagador de impostos, logo… formação de quadrilha.

Finalmente o MP acertou uma.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Ayan, não sei se é bem a sua área (falo isso pois me disse que é das Exatas), mas, afinal, não é meio estranho certas reformas custarem tão caro? Porra, tem coisa que, de bater o olho, a gente percebe que a conta que é declarada não bate.

    Mas, enfim, concordo totalmente com você neste post. O que me dá raiva, como estudante de Letras, é ver que, se bem me lembro, a maioria dos caras que estão lá também estão deixando a FFLCH em petição de miséria. Aí a mãe fica com medo de o filho ir para fora da sua cidade e nego reclama com ela, mas, porra, aí eu concordo com a mãe e o pai nesses casos.

    Sorte que estudo na melhor graduação de Letras do país, que é na minha cidade natal e atual, e que não precisei ir à FFLCH, rs.

  2. OFF-TOPIC:

    Mais uma vitória do neoateísmo: Chalita é vetado para o Ministério da Ciência e Tecnologia após chiadeira de supostos cientistas, que acham que ele é “muito” católico.

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/como-cientistas-nao-querem-um-catolico-na-ciencia-e-tecnologia-que-os-vigaristas-tenham-a-coragem-de-pregar-o-fechamento-de-hospitais-catolicos-e-promovam-a-queima-da-imagem-de-mendel-aquele-padrec/

    Merece um comentário…

    • Vitória do neo-ateísmo e derrota para a ciência brasileira …
      Já não basta o Aloízio Mercadante ter sido nomeado ministro (O mesmo nunca foi cientista), Preferiram colocar alguém menos capacitado no lugar …
      Se depender dos neo-ateus, O Brasil vira uma Coréia do Norte só para satisfazer seus egos …

  3. Luciano Ayan, gostaria de fazer uma recomendação de livro para você. Não sei se você já leu o livro “Os números (não) mentem” do jornalista Charles Seife. No livro mostra como a matemática é utilizada por grupos políticos para enganar a população. Achei interessante recomendar a vc porque caso não tenha lido ele será um acréscimo no seu arsenal argumentativo. Abraços.

Deixe uma resposta