Técnica de propaganda: Antes e depois do objeto de venda

6
115

jesus-conheca-o-verdadeiramente1

Última atualização: 19 de janeiro de 2013 – [Índice de Técnicas][Página Principal]

Espero que os cristãos não fiquem ofendidos com o mapeamento desta técnica, mas a comparação é inevitável.

O mundo hoje é dividido em “antes de Cristo, depois de Cristo”, e isso significa a importância que o Ocidente dá ao papel de Jesus Cristo.

Esta técnica se baseia em tentar fazer exatamente o mesmo com qualquer objeto que o propagandista tente vender.

Eis um exemplo que observei em um livro sobre Richard Rorty: “Após Rorty, como conseguirão sobreviver os platonistas?”. Ora, sobreviverão como sempre, pois Rorty não faz nada diferente do que Epicuro fez há mais de 2.000 anos.

Um marketeiro do mercado automobilístico poderá dizer: “O mundo dos automóveis se divide em antes e depois do novo Shonda Libre”. Mas parece que ele é apenas mais um sedan como vários outros.

O empresário de um jogador de futebol pode alegar: “Depois de Elymar, aquilo que chamamos por centroavante é redefinido para um nível que jamais existiu. A partir de agora, temos uma nova referência para centroavantes”. Mas parece que há outros jogadores que até fazem mais gols e possuem melhores votações no ranking de atletas…

É esse truque, de dividir o mundo entre “antes e depois” do objeto de venda do propagandista, de que estou falando.

Em alguns casos, a propaganda é justificável, como dizer que existe um “antes e depois” da Biologia após Charles Darwin, ou um “antes e depois” da Física após Isaac Newton, e daí por diante.

O problema é quando, sem razão aparente, essas estipulações aparecem de forma completamente arbitrárias e injustificáveis.

Neste caso, a única coisa a fazer é demonstrar a irrelevância do objeto sendo vendido e mostrar que não há nenhum “cenário redefinido” após o surgimento deste objeto.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Mas essa de A.C/D.C funciona sem propaganda alguma (apesar dos outros exemplos que você citou) e como ocorre com o nome São Paulo, sendo que não causa propaganda alguma ao apostolo “São Paulo”

    • Camilo, obrigado.

      Excelente link, e tem umas 3 ou 4 técnicas que não tinha mapeado ali. Comprei um livro sobre a propaganda de Goebbels, e vou pegar mais detalhes lá, mas o seu link foi utilíssimo pelo aspecto resumido da apresentação.

      Abraços,

      LH

Deixe uma resposta