Ninguém pode ser tão burro que não entenda isso: um vídeo divertido sobre Malafaia nos mostra que os esquerdistas não são burros, mas sim desonestos

14
82


@
Um amigo reclamou que o vídeo acima é repetitivo. E tem que ser! Para deixar bem claro aos radicais e especialmente ao restante da população que os gayzistas, aparelhados pelo estadão, estão mentindo na cara dura.

Basta alguém que não compactue com o radicalismo gayzista afirmar qualquer coisa que eles simularão falso entendimento de absolutamente tudo que for dito.

Como o vídeo diz, ninguém pode ser tão burro que não entenda o que Malafaia de fato diz a respeito da questão gayzista. A simulação de falso entendimento (que em termos técnicos seria uma forma mais específica de falácia do espantalho) é um recurso que esquerdistas (e os gayzistas são um dos grupos esquerdistas mais atuantes) usam próximo ao estado da arte.

Quando alguém diz que não concorda com o comportamento gay, não é possível que gayzistas sejam tão burros a ponto de achar que isso significa raiva de gays ou promoção de violência contra eles.

Quando alguém afirma que gays devem ter o direito de mudar sua orientação, não é possível que gayzistas sejam tão burros a ponto de achar que isso significa forçar os gays a mudarem de orientação. (Por exemplo, permitir a venda de melancia, não é o mesmo que obrigar todos a comprarem melancias)

E assim, sucessivamente, vemos que os gayzistas e demais esquerdistas radicais nessa campanha anti-Malafaia e anti-Feliciano não são burros, mas safados e amorais. Eu sou ateu e não acho um “pecado” ou “amoralidade” eles darem a bunda. Quando menciono a amoralidade da esquerda gayzista, falo da postura de mentirem o máximo que conseguirem e ainda se orgulharem disto.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Isso pode ser demonstrado no que está se tornando comum nesse pessoal, que é dizer que “incitação de ódio” não é liberdade de expressão.

  2. Só aproveitando, vejam o veneno sendo destilado:

    “Porra, crentes desgraçados se metem na vida de todo mundo.

    Um vai ajudar os corinthianos na Bolívia e nem passa na casa do garoto.

    Outro vai evangelizar nos presídios.

    Outro vem na minha casa querer me enganar e roubar meu dinheiro.

    Povo lixo, Brasil lixo.

    Vão cuidar de suas vidas, seus merdas!”

    “Evangélicos veados enrustidos.

    Hipócritas desgraçados, pedófilos enrustidos, bando de covardes.

    Não conheço uma evangélica que não seja puta.

    Abraço.”

    E olha que esse rapaz nem parece compactuar diretamento com a causa gayzista, mas observem o rancor, que eu já imagino ele proferindo ao mesmo tempo em que solta espuma pela boca.

  3. Acredito que os homossexuais sérios e politizados não estão interessados nessa manobra impiedosa,, porém, o trator gayzista está esmagando a democracia e confundindo até mesmo os homossexuais, chamando a atenção para uma questão delicada, pois ser “diferente” da maioria é barra. De fato os gayzistas nada têm de burros. São o trator, e a população a relva. Duvida que todos irão rosnar? Nesse caso a grande mata é o Senado hehehe..

  4. Mais uma sobre Marco Feliciano, desta vez vinda da pena de Jânio de Freitas. Não deixa de ser interessante notar alguns detalhes:

    1) Chamar o deputado de “deputado-pastor”, como se outros deputados não fossem oriundos de outros meios e como se o fato de um deputado ser pastor o proibisse de ser um deputado em sua plenitude. Não vemos ninguém chamando o Tiririca de “deputado-palhaço”, o Romário de “deputado-futebolista”, bem como não vemos “deputado-médico”, “deputado-empresário” e por aí vai;

    2) Se a situação está “problemática no Congresso”, só o está sendo porque ascendeu à comissão alguém que não faz parte de grupos de pressão nem subscreve seus ideários, mas que foi eleito por seus pares e agora está sendo acossado por histéricos profissionais que tentam passar ao público uma mensagem diferente daquela que o próprio Feliciano passou e segue avisando que está sendo distorcida;

    3) Se os “deputados-pastores” (por que não deputados evangélicos, caro xará do Quadros? Por que criar uma palavra específica para alguém que é tão deputado quanto um “deputado-economista”?) ameaçam reagir, apenas o estão fazendo porque antes alguém teve uma ação à qual correspondeu a tal ação de retorno. Caso não houvesse grupos de pressão orquestrados e deputados da esquerda que se opõe à esquerda que está no poder, mas queria estar lá, será mesmo que haveria a reação dos evangélicos ou estes iriam negociar normalmente, como qualquer outra bancada o faz?

    4) Acuse-os daquilo que você faz: se Jânio diz que evangélicos tumultuariam a Câmara com ações deles proprios e com grandes mobilizações externas e campanhas acusatórias nas eleições, não seria isso análogo ao que estão fazendo com Marco Feliciano agora?

    5) Marco Feliciano segue dizendo que não sairá da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, posição essa respaldada pelo PSC (legítimo titular da presidência da mesma, conforme a tal eleição entre os pares). Dizem que estão com temor de enfrentar o problema, mas será que é pelo fato de que desta vez os evangélicos (acompanhados pelos cristãos em geral e também apoiados por outros setores fora da esfera cristã) mostraram claramente que mais se trata de uma manobra orquestrada para tentar conseguir a presidência da CDH no tapetão e encobrir a posse de Genoino e João Paulo Cunha na CCJ?

    6) Também não deixa de ser importante ver que Jânio de Freitas segue agindo no modo “tente outra vez” (Raul Seixas): já se comprovou que Marco Feliciano não é racista (seja por sua família, seja por estar em contínuo contato com gente de origem africana em seu ministério, seja por estar em um Brasil onde é normal termos amigos e parentes com ancestralidade africana), bem como há o tal vídeo em que ele age educada e diplomaticamente com Jean Wyllys, como convém ao fazer parlamentar e o que demonstra que ele apenas e tão somente faz objeção ao comportamento sexual dos gays, mas não tem problema em conviver com eles. Porém, eis que vemos o xará do Quadros falar novamente em “manifestações racistas e anti-homossexuais”, como se isso fosse uma conclusão pétrea e da qual não podemos fugir;

    7) Janio de Freitas descobriu a América: diz que os evangélicos se põem como novo bloco orgânico, mas esquece-se de que eles assim agem há um belo tempo;

    8) Porém, ao dizer que “este novo evangelista e o bloco ruralista não precisam estar de acordo em tudo para comprovar o adiantamento da direita, como bancada no Congresso, sobre os que se dizem ‘à esquerda'”, o articulista esquece-se que bancadas não precisam concordar com tudo e, se são enquadráveis em um determinado espectro, o são por ter um conjunto de reivindicações e ideias que coincidem. O mesmo ocorre com a esquerda, até mesmo na esquerda que se opõem à esquerda que está no poder, ou não vemos nesse espectro altas brigas em seu interior e troca de acusações? Aliás, o normal na política é que bancadas não estejam de acordo em tudo, mas costumem se juntar naquilo que lhes é comum, cada qual com sua razão.

    • Outra sobre Feliciano: PSC descobre que, tal qual massa de pão, quanto mais batem nele, mais ele cresce. Já que sigo batendo na tecla da “engenharia reversa do gramscismo que o deputado possa ter desenvolvido, pode ser que eles tenham descoberto uma maneira toda própria de usar o marxismo-humanismo-neoateísmo como inocente útil no combate ao próprio marxismo-humanismo-neoateísmo. Logo, as acusações de racismo, homofobia e outros “ismos” e “fobias” podem ter sido um tiro no pé daqueles que sequer os marxistas-humanistas-neoateístas notaram que deram, fora aquele tiro no pé que deram em relação à moral que tinham até então com o grosso do povo leigo nas sutilezas.

      • Essa sua análise é muito interessante.

        Tem muito a ver com o Saul Alinsky.

        http://lucianoayan.com/2012/11/20/um-raio-x-das-regras-para-radicais-de-saul-alinsky-pt-6-no-comeco/
        Veja:

        “Uma das formas disso ocorrer é ser qualificado pelo oponente como um “inimigo perigoso”. Isso é o suficiente para que a comunidade que necessita de sua ajuda já o perceba positivamente, pois, se os inimigos dessa comunidade o definiram como um “inimigo”, isso significa que a comunidade deve percebê-lo como um amigo. (É o famoso lema do “O inimigo do meu inimigo é meu amigo”)

        Quando aliados do antigo sindicalista Lula o apresentavam como um “agitador” ou “inimigo”, isso permitia que ele pudesse ser apresentado aos sindicalistas como “amigo” deles. Assim como quando a esquerda define Olavo de Carvalho como um “inimigo”, isso facilita sua aderência aos conservadores de direita. Enfim, ser definido pelo inimigo do grupo que você quer defender como um “inimigo” aumenta as chances de você ser definido como um amigo deste grupo.

        O ponto de partida de um organizador é estabelecer suas credenciais, e sua qualificação como “inimigo” pelos inimigos daqueles que você se dispõe a defender é o primeiro passo. Depois disso, outras credenciais são necessárias, como ser convidado para setores importantes dessa comunidade, incluindo organizações de bairro, igrejas, grupos locais, etc.”

    • Uma nova sobre Feliciano, desta vez vinda de Zé Celso Martinez Correia e em letras vermelhas garrafais: sabia que estamos sob ameaça de um golpe de Estado (obviamente que irão falar do estado laico, mas em pseudossinônimo de estado ateu) simplesmente porque há uma proposta de lei para que entidades religiosas possam entrar com ações no STF? Além disso, é claro, estão querendo encaixar nem que seja a marteladas nos cristãos brasileiros um estado de fundamentalismo que corresponde mais ao de muçulmanos fanáticos que amarram bombas no corpo e se explodem, tática essa aprendida com o grupo fundamentalista marxista Tigres Tâmeis.
      Estou aqui imaginando que isso possa ser um teaser de uma nova peça do cara que tentou decapitar o papa:

  5. Haha, ótimo vídeo. O fato de ser chato é melhor ainda. =)

    Pra mim, a melhor tática é utilizá-lo pra desmoralizar a simulação de falso entendimento, conforme você diz.

    Já tá nos meus favoritos. Assim que alguém vier com essa afirmação idiota, vou botar esse vídeo como resposta. Genial.

Deixe uma resposta