Tirando a cauda do pavão, ops, dos humanistas e esquerdistas

6
68

2795169 - Cópia

Um amigo no Facebook me disse que humanistas e esquerdistas ficam ruminando palavras de ódio contra mim em alguns fóruns da Internet.

Eu lhe disse: eles estão certos em fazer isso. Se eu não atrair a fúria deles, significa que estou fazendo algo errado.

Uma metáfora para entendermos o que ocorre é a seguinte.

Imagine um pavão, que depende de sua cauda para conseguir fêmeas. Agora imagine que você corta a cauda do pavão. Acho que ele não ficaria muito feliz contigo.

Pois é exatamente isso o que faço com os humanistas e os esquerdistas.

O humanista entra em debate se auto-rotulando como “representante da ciência”, “dono da razão” e “cético universal”, e quando eu exijo evidências de que de fato eles mereçam esses rótulos, entram em fúria e desespero, me xingando de todos os nomes.

O esquerdista entra em debate se auto-rotulando como “defensor dos pobres”, “representante da liberdade” e outros rótulos do tipo. Obviamente, de novo questiono essas auto-rotulagens, e os olhos deles se enchem de sangue, tamanha a raiva que possuem de mim.

@

Na música de Katy Perry, ela diz que quer ver o “peacock” (o pavão), pois isso a excita – obviamente há um duplo-sentido aí. A plateia também está ávida pelos “peacock tails”, e os humanistas e esquerdistam abrem sua cauda, através das auto-rotulagens que questiono. Eles dependem disso para conquistar a plateia no debate.

Mas, após uma sessão de questionamento em que estou presente, eles ficam sem uma pena sequer no bumbum. Ou seja, sua cauda é completamente retirada. Eles perderam aquilo de que dependem para conquistar a mente da plateia.

Portanto, se eles não estiverem com raiva de mim, é sinal de que estou fazendo algo errado, pois é esperado que eles se irritem comigo tanto quanto um pavão se irritaria se eu tirasse sua cauda.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. 🙂 O texto ficou até com um certo humor, gostei.
    O que acho bom em seus textos e opiniões é que você embora seja ateu, não é intolerante, tipo aqueles que perseguem e querem acabar com tudo se diga Deus.
    Boa noite!

    • Olá Vania, obrigado.

      Eu sou ateu e agnóstico, e então não consigo me dizer como “mais racional” ou “mais justificado” que os teístas.

      Claro que eu defendo um secularismo, mas não o secularismo humanista (que quer eliminar a presença religiosa no espaço público). O que eu defendo é o direito de uma crença religiosa não me afetar, na medida do possível. Ocorrendo isso (e ocorre, em quase todos os sentidos), temos paz.

      Abraços,

      LH

  2. Comparar os rótulos dos humanistas com a cauda do pavão foi um achado!!!!! Uma das melhores metáforas que eu vi por aqui. Vai estar no livro?

  3. Caro Luciano, é possível que cortar as penas do pavão humanista/esquerdista não seja suficiente. Haja vista os “eloquentes argumentos” que nos serão ditos, por exemplo:

    Pff, como você é prepotente e desonesto. Não cortou minhas penas por que não há o que ser cortado, e mesmo se houvesse, como já dizia Nietzsche “Não há fatos, apenas interpretações”. Você pode ter pensado que me refutou, mas na verdade essa é a sua interpretação e não a minha. E sim, vocês são intolerantes e devemos lutar contra você.

    É nessa hora em que a frase “Fuck the Logic” se encaixa perfeitamente.

    Parabéns pelo texto!

    • Mas se ele fizer isso, significa que terá desistido das rotinas de auto-rotulagem do cientificismo. Mas quem gosta dessas rotinas, dificilmente quer se desapegar. 😉

Deixe uma resposta