Richard Dawkins é psicopata e irracional?

5
72


@
Na verdade, Richard Dawkins é muito esperto, mas extremamente imoral. Ao mentir sobre seus oponentes, ele nos permite divulgar suas fraudes e, desta forma, termos autoridade moral no momento de ridicularizá-lo.

Tecnicamente, a exposição de um oponente à ridicularização não é imoral, pois tudo está de acordo com os princípios da liberdade de expressão.

O grande erro é o de alguns teístas que se recusam a jogar o mesmo jogo, quando na verdade deveriam abraçar estas regras.

Claro que não é preciso que os teístas retaliem em direção aos ateus. Até por que eu, como ateu, não acho que mereceria ser ridicularizado por minhas (des)crenças ateístas, pois elas são bastante modestas.

Mas em relação aos ateus humanistas, estes possuem uma série de alegações que deveriam também serem ridicularizadas.

Em resposta à questão que dá título ao vídeo acima: Dawkins de fato usa argumentos irracionais, mas ele é muito esperto pois sabe que os argumentos não estão em questão, pois a tática usada por ele não é para argumentar, mas sim desconstruir um oponente.

Se ele é um psicopata, eu não sei, pois não podemos fazer diagnóstico online. Que a postura externa percebida dele é digna de um psicopata, mas também tudo pode ser resultado de encenação para capitalização.

Seja lá como for, a regra dele é clara: quem ridiculariza mais o oponente, vence.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Com certeza, o que os neo-ateus fazem com os cristão não tem comparação a queixa de Pedro Portella, no post: O bizarro humanismo anti-humanitário de Elaine Brum, achando “abominável” um crente rejeitar o ateísmo, direito que ela só quer dar aos incréus.

    As pessoas evangélicas/pentecostais daqui, geralmente aceitam pessoas não cristãs. De acordo com a idade, um determinado grupo de congregação se aproxima desse não crédulo. Por exemplo, no relato de Pedro, ele diz -que tinha 16 anos quando foi rejeitado na escola por não crer em Deus-, com idade de 16 anos o grupo que ia tentar ser amigo dele, seria composto de jovens e adolescentes. Mocidade.
    O que quero dizer, Pedro, é que você não pode generalizar

    Ahhh, vi o vídeo acima hoje, antes desse post. Coincidências da internet!

  2. http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=1wq49iB3tjg

    http://www.youtube.com/watch?v=reFkbHdYW5k

    A psiquiatra está conversando com 2 sociopatas e não sabe

    1 – Um dos convidados (bem estereotipado por sinal) não se faz de logrado, e logo lança a questão da religião fundamentalista, tentando definir um grupo (religiosos) como sociopatas coletivos. Ao que a psiquiatra logo faz desmoronar, ao citar IDEOLOGIAS….quer dizer, onde ele foi reducionista (usando o termo religião e fundamentalismo) ela inflou o conceito ao que seria normal – “ideologias”. É interessante é que uma descrição da sociopatia utilizada minutos antes — “Preocupar-se apenas com seus interesses” — é mostrada na prática, e de maneira deslavada.

    2 – A apresentadora aponta uma “sociedade forte” – como sendo de “tolerância zero”. Em uma sociedade forte de tolerância zero…o que seria caracterizado como sociopata? — uma pessoa de ponto de vista politico oposto, um religiosos preocupado com a moral (sexual, quanto a drogas e criminalidade)?

    Conclusão.
    O projeto atual é ‘sociopatizar’ que tem opinião diferente das agendas.
    E como a sociopatia não tem cura…’o silêncio’ dos convidados no vídeo ao confrontar-se com esta questão, simplesmente parece sugerir, que futuramente é bem cabível que pessoas sejam mortas de acordo com uma escala de sociopatia…..que poderá não ser 100% eficaz na identificação dos mesmos, e que estará sujeita ao que uma “sociedade forte” determinará como sendo indesejável no seu meio. Enquanto os verdadeiros sociopatas estão no poder.

    O interessante do final do vídeo parte – é a afirmação de que a sociopatia está interligada à uma relativização moral – no caso citado, promiscuidade sexual. Isso….claro…ninguém quis aprofundar…

    Sobre Dawkins — quando ele é fortemente questionado, ou ridicularizado…ele se transforma…..fisicamente…chega a gaguejar de ódio. É patético. Observe especialmente a partir do 08:55, repare bem na face dele enquanto ele fala.

    http://www.youtube.com/watch?v=Kg2gEuKkA78#t=03m47s

    Além do que ele é da turminha do “prometheus” não acredita em Deus, mas admite a hipótese de ET’s terem algum tipo de interesse no homem. Deve ser um resquício de nerd espinhento e punheteiro que frequentava convenções de star wars (embora seja um triologia muito legal, e eu não ter nada contra nerds)
    Mesmo eu sendo religioso, quando ouço coisas desse tipo, é impossível me conter do riso e abraçar a minha amada ironia.

    • “O projeto atual é ‘sociopatizar’ que tem opinião diferente das agendas.
      E como a sociopatia não tem cura…’o silêncio’ dos convidados no vídeo ao confrontar-se com esta questão, simplesmente parece sugerir, que futuramente é bem cabível que pessoas sejam mortas de acordo com uma escala de sociopatia…..que poderá não ser 100% eficaz na identificação dos mesmos, e que estará sujeita ao que uma “sociedade forte” determinará como sendo indesejável no seu meio. Enquanto os verdadeiros sociopatas estão no poder.”

      EXCELENTE OBSERVAÇÃO!

      Abs,

      LH

      • E Para concluir….o que de fato está por trás das ideologias autoritárias, e demais agendas.
        Prestem bem atenção em nas palavras chave como sodomia, bissexualismo, deus pessoal, crianças e cristianismo.
        Eu lhe peço licença luciano, porque embora eu saiba que és ateu, bem sabes que a guerra religiosa é muito mais profunda do que uma ideologia política — a religião política — suas características originárias do que é apresentado no vídeo.

Deixe uma resposta