Gayzista diz que a homossexualidade é normal e a heterossexualidade não… Como é?! Sinto dizer-lhes, gayzistas… nunca serão, jamais serão!

33
167

jackie

Que o gayzista Leandro Colling é um ser humano digno de pena, quanto a isso não há dúvida alguma. Seu texto, Por que a heterossexualidade não é natural?, é um dos mais patéticos da história da Internet. Sinal de que o radicalismo de esquerda afeta as faculdades mentais, eliminando toda e qualquer percepção da realidade de seus adeptos.

Segundo ele, o debate contra a “homofobia” deveria incluir a “problematização da heterossexualidade”. Isso significa, nas palavras dele, “evidenciar o quanto a heterossexualidade é imposta sobre todas as pessoas”.

Qualquer pessoa em sã consciência deve imaginar que raios ele vai armar para tentar construir o seu truque.

Para se proteger antecipadamente, ele usa um truque psicológico ao dizer: “Quando falo dessas questões em palestras, os heterossexuais ficam nervosos, às vezes levantam e vão embora”, querendo impor que a questão não será discutida pelo lado oposto. Em seguida reage com um truque de freudianismo: “aliás, que pânico é esse, não é amigas?”. Quer dizer, o sujeito joga baixo mesmo. Dá para notar que a argumentação dele vai ser digna de um puteiro.

O argumento para ele tentar provar que heterossexualidade é “anormal” é que, segundo ele, “nossas sexualidades sofrem fortes influências do meio onde vivemos”. A pergunta: que raio tem a ver a influência do meio com o fato do comportamento aprovado pelo grupo dominante ser “anormal”?

Alguns exemplos. O meio diz que matar é errado, logo, não matar é “anormal”. O meio nos diz para seguir as leis de trânsito, logo alguém que não toma multas é “anormal”. O meio nos diz para valorizar a gentileza, logo as pessoas gentis são “anormais”. Ele criou a falácia da normalidade anormal. Tudo que é considerado normativo passa a ser “anormal” por que aqueles que pertencem a grupo normativo influenciam o meio.

É claro que é um argumento do nível da demência e da psicose em estágio avançadíssimo. Não há nenhuma regra de lógica que leve qualquer pessoa normal a dizer que a normalidade é anormal por influenciar mais o meio do que a anormalidade. É exatamente isso que ele diz ao afirmar: “Não é ‘natural e normal’ porque a sociedade obriga que todos sejamos heterossexuais”.

Todo o truque dele, então, se baseia em dizer que “a normalidade é anormal por influenciar o meio mais que a anormalidade”. Dá para criar um monte de memes ridicularizando isso…

Eu poderia parar por aqui, mas vamos seguir com mais alguns pontos, a título de uma curiosidade mórbida de vermos no que isso vai resultar.

Segundo o gayzista, temos “esse modelo hegemônico de heterossexualidade a custa de muito sangue e dor”. Estranho, pois ele está projetando o desejo dos gays em um número de pessoas que ele nem sequer comprovou existir. Se ele tivesse comprovado que um número X de pessoas tem tendência gay e deixou de ter esse desejo ou mesmo deixou de manifestar o comportamento por causa da “repressão heterossexual”, então ele teria um caso. Se a alegação dele fosse verdade, para provar isso, seria fácil demais. Bastaria ele usar os países escandinavos, onde a homossexualidade é objeto de apologia e achar a normalização da homossexualidade. Será que a maioria é composta de gays? Claro que não.  O número de gays se mantém entre 4% e 7% em todos os países.

Em outras palavras, o comportamento heterossexual é normal por que foi biologicamente validado pela seleção natural. O comportamento homossexual é um comportamento de exceção, sem nenhum benefício evolutivo, mas que pode existir, como exceção. Não há nenhuma evidência científica do lado do autor gayzista que refute isso.

Desesperado, ele tenta usar Freud para validar a normatividade da homossexualidade, ao dizer que a pulsão sexual natural foi descartada “como um dado exclusivo de nossos instintos, hormônios etc desde, pelo menos, Freud, lá pelos idos de 1900”. É exatamente o oposto, pois cada vez mais, especialmente depois da série “The Human Sexes”, de Desmond Morris, e de toda psicologia evolutiva, que podemos explicar não só a sexualidade, como a maioria dos comportamentos humanos, por padrões biológicos. Ademais, faltou alguém explicar para Leandro que a única serventia das ideias de Freud está no âmbito filosófico, pois a psicanálise já foi refutada há muito tempo. Hoje, não passa de uma pseudociência, tal como a astrologia.

Ele diz que “os homens perderam a capacidade de identificar quando uma mulher está no cio”. Perderam quando? E quando isso foi relevante? Tivesse ele lido livros como “Sperm Wars”, de Robin Baker, e “Red Queen”, de Matt Ridley, não teria escrito tanta besteira. A atração do macho pela fêmea para a copulação sem o fim percebido como reprodutivo é um mecanismo que beneficia a reprodução. Essa “dificuldade” do macho prever a transmissão de seus genes foi selecionada, pelos tempos, como um fator para facilitar a criação da prole. Em outras palavras, mensagem para Leandro: “Vá estudar vagabundo!”.

Ah, outra coisa. Mutações biológicas não acontecem por mudanças culturais. Os instintos humanos para acasalamento são os mesmos que tínhamos nos tempos das cavernas.

A cereja do bolo vem quando ele diz que a perpetuação da espécie humana não é um argumento para a normatização da heterossexualidade. Segundo ele, este seria um argumento (acredite se quiser) homofóbico, pois “hoje existem tecnologias suficientes para a produção de gestações sem o famoso sexo papai-mamãe”.

É verdade que hoje existem essas tecnologias, mas nem de longe existiu (ao menos de forma cientificamente evidenciada) qualquer mutação biológica na espécie humana para a “mudança para a homossexualidade” assim que surgiram as tecnologias para inseminação artificial. Quer dizer, citar as tecnologias para inseminação não faz absolutamente nada em favor de provar que “homossexualidade é normal”.

Em suma, Leandro, sinto dizer algo que pode te magoar muito, mas é a verdade: cientificamente, a heterossexualidade não só é o padrão normativo na espécie humana, como em qualquer espécie.

Imaginemos na perspectiva masculina heterossexual.

Algumas fotos:

 

Nicole_Bahls_3

cetico

carol_narizinho-goncalves-panicat-biquini-3-660x407

NOT-ex-bbb-laisa-portella-posa-de-biquini-em-ensaio-para-revista1349551419

mulher-gostosa

Cinco imagens valem mais que mil argumentos!

Um homem heterossexual normal, biologicamente falando, vai se atrair pelas beldades acima. Para um homem heterossexual normal, o que outro homem tem a oferecer em comparação com elas? Absolutamente nada.

Os sujeitos vêm com bigodões e barba. Tem um penis no lugar de uma vagina. No caso dos travestis, alguns vêm com uma vagina falsa, que nem de longe deve ser comparável às vaginas naturais das mulheres.

O orgasmo que todas as mulheres possuem é diferente do orgasmo masculino. Eu nunca transei com homens, e nem me interesso. Embora não tenha nada contra quem queira. Mas cientificamente, o homem não é capaz de ter um orgasmo tão explosivo quanto o das mulheres.

A textura da pele delas é diferenciada. A voz natural delas é outro nível.

Eu poderia ficar aqui citando vários e vários detalhes que colocam as mulheres, na perspectiva masculina, em um patamar muito acima de qualquer homem que surja pela frente. Assim como as mulheres podem selecionar fotos dos melhores espécimes masculinos, na visão delas, e citar vários atributos que nenhuma outra mulher poderá oferecer a elas.

Em síntese, para um homem heterossexual normal, não há nada que outro homem pode oferecer em termos sexuais.  Esse desejo da maioria absoluta dos homens por mulheres foi selecionado evolutivamente. Não é algo do que possamos fugir. Em resumo: os gays devem se conformar em pertencer a uma minoria. Pessoas que devem ser respeitadas como seres humanos, evidentemente. Mas sempre uma minoria.

Aos gays inconformados com isso, como o gayzista Leandro, sinto dizer-lhe uma verdade contundente (embora óbvia). Olhe para as fotos das mulheres que coloquei neste post. Em relação a elas, você tem a psicose de achar que na perspectiva masculina padrão (biologicamente selecionada), homens merecem ser desejados no mesmo nível que as mulheres?

Tsc, tsc…

Nunca serão. Jamais serão!

Anúncios

33 COMMENTS

  1. É impressionante o conteúdo deste blog, muitos posts e todos com mensagens muito importantes para a direita. Conheci hoje, já li duas dezenas de posts e vi que tenho muita coisa para salvar no HD e ler depois. Continue assim, Luciano!

  2. O mais engraçado de tudo é que quando o cara vem dizer que a sexualidade sofre forte influência do meio e que seríamos heterossexuais porque o ambiente assim impôs, sem querer ele se contradiz com aquela teoria defendida pela militância gay de que ser homossexual é algo inato, bem como fornece munição para que as pessoas perguntem se alguém que sofra forte influência do meio em que vive pode se tornar homossexual.
    Logo, ele se torna autoinocente útil, bem como tem boa reserva de inocência útil naquela configuração de marxista-humanista-neoateísta que pode ser usado para combater o marxismo-humanismo-neoateísmo.

    • Amigo Cidadão, tenho uma postagem de uma gayzista que se encaixa um pouco, não totalmente, com o que você disse, segue abaixo:

      “não é “normal” segundo quem? Apenas segundo as suas concepções morais. Foram observadas mais de 1500 espécies de animais que tem comportamentos homossexuais. Então, segundo quem não é natural se na própria natureza existe com frequência? A natureza não é perfeita, nem a biologia, e nem a genética, não havendo motivos lógicos para muitas coisas existentes. Quer um exemplo? O orgasmo feminino não é necessário para a reprodução, e o clitóris também não, no entanto ele está lá, e dá um prazer imenso às mulheres, tendo inclusive 4 vezes mais terminações nervosas que o pênis, que é necessário para a reprodução. Não vem com essa historinha de “não é natural”, nós somos seres sociais, e os seus motivos para ser contra nada mais é que social, está de acordo com os princípios e valores culturais que foram repassados para você.
      Existem pessoas homossexuais e ponto. As pessoas não escolhem o ser, elas simplesmente são. Independentes de poderem reproduzir ou não. Como se esse planeta realmente precisasse de muito mais gente nascendo, que todas as pessoas tenham filhos, com o mundo já explodindo dessa espécie que nada mais é que um problema para o planeta.
      “O movimento ativista LGBT querem dar uma aparência que ser gay está na moda e é legal, querem alcançar o maior número de pessoas e se são contrariados fazem ameaças.”. Que afirmação mais inconsistente. Me diz um ativista LGBT que disse que pessoas heterossexuais deveriam se tornar homossexuais. Não existe. Eles demandam por direitos de pessoas que já são homossexuais, e por respeito. Ser gay não é “legal” e nem “não legal”, é apenas uma característica de determinadas pessoas, não cabendo julgamento de se é legal ou não.”

    • Com certeza Cidadão, pensei a mesma coisa quando li o argumento dele. Oras, se o comportamento heterossexual é apenas por pressão do meio, então o homossexual também é, e nesse caso a cura Gay existiria de fato, era só deixar um Gay ser influenciado por um meio heterossexual e pronto.
      #LógicaFail

      • Boa Franklin ! Colocação perfeita e concisa! E quanto ao Gayzista acima devo lembrar-lhe: Quer dizer que o fato de 1.500 ( duvido) espécies praticarem o HOMOSSEXUALISMO , isto o LEGITIMA? Então o assassinato , o suicídio , a trapaça , etc.. tb são legitimados APENAS por que ANIMAIS o praticam? Seu raciocínio está totalmente comprometidop devo informar-lhe… E a condição é grave, PARALAXE COGNITIVA! Tenho certeza que vc nunca ouviu falar, mas vai no Google que vc aprende… E talvez até mude! Afinal enquanto ha vida , existe a esperança…rsrsrs

  3. Eu poderia citar várias coisas que demonstram que o “anormal” é ser homossexual, mas pergunto só uma coisa q eu acho mais pertinente: E OS ANIMAIS? Q INFLUENCIAS ELES SOFREM DA DITA “SOCIEDADE OPRESSORA E VIOLENTA HETERONORMATIVA” pra que a grande maioria dele sejam heteros? enviei essa pergunta para eles..será que vão responder?

  4. Os gayzistas estão loucos, perderam o senso do ridículo mesmo, só isso explicaria o tamanho dessa sandice. Eles querem impor uma prática que é anti-natural a toda sociedade, e por isso perderam a razão.

  5. Quem não entraria em pânico com um texto que começa com o título “Por que a heterossexualidade não é natural?”
    Entro em pânico pela completa falta de vergonha na cara de certas pessoas, pela realidade duríssima que meus filhos irão encontrar para agirem da maneira correta, pela distorção de verdades em prol de causas perdidas.
    Lamentável uma pessoa dessas ser chamada de “doutor” e com isso ludibriar ainda os ingênuos que ainda creem na credibilidade deste título, lhes impondo ideias malignas.
    Sem querer desmerecer o seu excelente trabalho, Luciano, mas convenhamos que a argumentação desse Leandro Colling foi tão ridícula que qualquer criança de 8 ou 9 anos com o mínimo de educação a reduziria a pó! hahaha
    Grande abraço.

  6. Do ponto de vista heterosexual masculino estas beldades são verdadeiras deusas e para as mulheres heteros seriam até motivo de inveja…. Os gays masculinos (alguns, sem senso crítico ou extremamantes partidários, as olhariam como um objeto qualquer). Já as mulheres gays tentariam entrar na tela; Opadrão inverso causaria o mesmo efeito….. Por tanto, creio que como resposta a sua interrogação no final a matéria ficaria assim: Depende da natureza biológica; homens heteros irão achar que não e os gays acharão que sim….. e por aí vai…. pois sei que tem seres jogando nos dois times.

  7. Rapaz, parabéns! Só neste post, você disse tudo que o Olavo de Carvalho já quis dizer mas não o fez porque escreve em jornal. Parabéns, seguindo de volta!

    Seguimos na luta contra o “Imbecil Coletivo”, citando uma obra do mesmo Olavo de Carvalho. Aconselho como leitura!

    Um abraço!

    • Ebrael,

      Obrigado pelas palavras. “O Imbecil Coletivo” (I e II), assim como “Jardim das Aflições”, são itens de minha coleção. Aguardo agora o lançamento de “A Mente Revolucionária”, do Olavo.

      Abs,

      LH

  8. Todas essas falácias se resolvem fazendo aos gayzistas uma simples pergunta:

    “se HOJE fosse instituída a homonormatividade, sem exceções, e TODOS os serem humanos atualmente vivos se tornassem homossexuais exclusivos, e excluídos todos os meios de reprodução que não sejam 100% naturais, em quantas gerações a humanidade estaria extinta?”

    Não vão responder porque a respota é “uma”. Ou vão impugnar a pergunta e, fazendo isso, admitirão que a condição natural, comum e ordinária da espécie humana é a heterossexual, haja vista não serem os espécimes humanos capazes de autorreprodução hermafrodita ou de reprodução assexuada (como em um porífero, por exemplo). Terão que conceder que, por vias naturais, sem auxílio de meios tecnológicos, a reprodução terá fim (nenhuma cópula gerará descendência) e a presente geração da humanidade é a última.

  9. Luciano, vamos pôr mais uma vez o Feliciano em pauta por aqui, pois ele falou com o Ratinho:

    http://www.youtube.com/watch?v=AhnDeLirl-c

    http://www.youtube.com/watch?v=G8ISjAQgNsY

    http://www.youtube.com/watch?v=6I1R8Z1vYxk

    Ele me pareceu bastante calmo, como de costume tem acontecido. O principal foi notar que ele se postou como voz dos calados (aqui, dá para ver que ele jogou em cima do clima de censura branca que o marxismo cultural impõe na sociedade). Também está bem abalizado em relação ao que ocorre na Câmara, bem como pôs nas cordas a diferença entre o gay comum e o militante que diz defender o homossexual. Expôs por ora que está aberto às reivindicações do movimento homossexual. Deu também destaque aos protestos antimovimento gay na França e também deu destaque a um suposto mercado de militância em Brasília (aqui podemos considerar jogar o produto final da digestão no ventilador), fora o tal lance do index prohibitorium de palavras imposto pelos militantes marxistas-humanistas-neoateístas à população (vide o tal lance de fazerem um carnaval se ouvem “homossexualismo”, que tem o mesmo “ismo” de “marxismo” e “humanismo”, mas que eles dizem que “ismo” seria sufixo de doença, quando na realidade fala-se de uma prática, termo aliás defendido pelo mesmo Hélio Schwartsman que foi aqui refutado).
    Também não deixa de ser interessante ver que Marco Feliciano diz que o comportamento homossexual seria aprendido (ao que ele citou o que teria feito o Clodovil ser gay, conforme relato do falecido estilista e deputado). Essa, como sabemos, é opinião corrente entre os evangélicos, que costuma ser contraposta pelos ativistas gays com a acusação de que seríamos folhas em branco e que a sexualidade seria algo aprendido, com a heterossexualidade sendo imposta, ainda que isso se contraponha fortemente com a tese de que ser homossexual seria inato (uma vez que alguém poderia dizer que ser homossexual também seria algo aprendido e ditado por influência do meio). E, claro, quaisquer das teses na prática é contraditória à ideia defendida por militantes gays de que tal comportamento viria impresso nos genes. Imaginaram o tamanho do forrobodó envolvido.

    Outro dado que ele pôs na conta foram os tais protestos agressivos e ameaças de morte que recebeu, o que acaba deixando a tarefa de se explicar para o outro lado (some-se aí a tal história, que possivelmente se sustente mesmo sendo papo de bastidor, sobre militantes profissionais que aceitam protestar contra qualquer coisa).
    Creio que a escolha de a quem o deputado daria entrevista foi acertada, uma vez que ele não tem o jeito mais estourado de Silas Malafaia. O Ratinho conduz a coisa com menos agressividade e não deixa transbordar eventuais discordâncias que tenha com seu entrevistado. Tenho cá minhas dúvidas sobre como Feliciano iria se portar diante de uma Marília Gabriela fora do sério como ela ficou ao entrevistar o mandachuva da Vitória em Cristo.

  10. Desculpe, mas queria fazer uma observação. Nesta frase acho que o porque deveria estar junto: “Em outras palavras, o comportamento heterossexual é normal por que foi biologicamente validado pela seleção natural.”

    Mais uma coisa: não entendo porque a psicologia é uma pseudo-ciência, poderiam explicar ou passar alguma coisa para eu ler, por favor?

  11. Depois deste post senti orgulho dobrado de ser HETERO.
    Como cristão, digo que estas delícias (repito, delícias) foram feitas sob medida por Deus para nosso deleite.

    Só faltaram as negras e japonesas aí.

  12. Admito que sou neo-ateu e pró-gayzismo mesmo. E daí? Acho o cúmulo da discriminação esse autor postar fotos de mulheres popozudas e se esquecer miseravelmente de postar fotos de bofes, em consideração aos homoafetivos.

    Leandro, estou do seu lado. Se nós não tentarmos converter o comportamento dessa sociedade para o nosso lado, quem o fará? Bjos.

  13. As variações de comportamento sexual se fazem presente na natureza desde sempre ,em outras espécies e reinos, bem como as dificuldades humanas de lidar com elas, expressadas nas necessidade de defini-las enquanto mácula para serem punidas. O elenco de argumentos ‘e vasto e expressam de forma clara , o incômodo gerado dentro dos que se esforçam para promover a punição e segregação. A produção deste incômodo, e o foco de análise da questão, e remete aos processos de identificação, e defesa.

Deixe uma resposta