Esta aí uma oportunidade para testar se os esquerdistas são honestos e aceitam o neo-esquerdismo ou se são hipócritas: desafiando-os com uma expansão do projeto “Abaixo da Linha”

12
67

272737-970x600-1

Fonte: Folha de S. Paulo

Pagar o café da manhã, o almoço e o jantar com R$ 3,03 por dia parece impossível, mas 18 jovens conseguiram a proeza durante uma semana para sentir na pele o que milhões de pessoas no mundo vivem diariamente.

Thiago Raydan, 20, criou um evento no Facebook e um blog para o projeto “Abaixo da Linha”, com o objetivo de chamar a atenção para o problema da fome ao redor do mundo. Ele convidou amigos e amigos de amigos.

Para a sua surpresa, outras 21 pessoas toparam o desafio: se alimentar com US$ 1,50 por dia. Raydan queria acompanhar as ações do projeto “Live Below the Line”, que surgiu na Austrália em 2010 e acontece uma vez ao ano.

“Já queria participar desde o ano passado e como qualquer desafio é melhor em grupo, convidei mais gente”, conta Raydan, estudante de engenharia ambiental na UFMG, que organizou a primeira edição no Brasil.

O projeto conquistou adeptos em Minas Gerais e São Paulo. Os alimentos mais consumidos por eles foram frutas, legumes, verduras, ovos, pães, miojo e macarrão.

“Tomei um café e comi uma tapioca simples. Fiquei chateada quando vi uma mulher jogar um sanduíche quase todo no lixo. Pensei ‘eu poderia estar comendo isso'”, diz Jamille Nunes, sobre o segundo dia do desafio.

O projeto cativou estrelas hollywoodianas como Ben Affleck e Hugh Jackman, que aceitaram o desafio, fizeram vídeos e escreveram mensagens em suas redes sociais convidando mais gente a comer com US$ 1,50 por dia entre 29 de abril e 3 de maio.

Cerca de 20 mil pessoas da Austrália, Estados Unidos e Reino Unido dedicaram-se ao desafio na semana passada. Nesses países, o projeto conta também com pedidos de doações que arrecadaram US$ 3 milhões a instituições ligadas à causa, em 2012.

É claro que nem todos completaram o desafio. No Brasil, dos 22 participantes, quatro desistiram no meio do caminho. Alex Wyte, 23, foi um deles. Só conseguiu testar sua resistência física e psicológica por um dia.

“Foi difícil, passei muita fome e desisti porque vi que não adiantava eu reduzir minha comida e ter acesso à água, luz elétrica e conforto. Quem vive realmente abaixo da linha da pobreza não tem essas mordomias”, afirma.

O desafio tem algumas regras, como não aceitar comida ou doação de familiares e amigos e não economizar em água, que é liberada.

“Almoço uma vez por semana na casa da minha avó e sempre tem muita comida. Essa semana não fui, porque com certeza sairia do propósito”, afirma a participante Fernanda Bandeira.

DICAS

Há dicas também: juntar pessoas para dividir as compras, sem ultrapassar o valor diário a que cada um tem direito e passar o café várias vezes no coador para render.

Raydan, que emagreceu 3 quilos, fez as compras da semana com mais dois amigos e acredita que o senso de comunidade foi importante para se manter firme.

“Daria para ter comprado mais comida, comidas melhores e repartir com a soma de dinheiro se tivéssemos nos reunido com mais pessoas.”

Natália Boaventura chegou a ouvir que passar fome é questão de costume. “Mais do que a fome, vem o mau humor, a dor de cabeça, a dificuldade de concentração.”

Cerca de 600 mil famílias no país vivem em pobreza extrema, com renda mensal per capita de até R$ 70 mensais, de acordo com dados do governo federal.

Meus comentários

Está aí uma oportunidade para testarmos se os esquerdistas são honestos em suas alegações, ou se são hipócritas querendo capitalizar com o sofrimento alheio.

Eu afirmo que na quase totalidade dos casos a segunda opção vence, mas eles devem ter uma chance de serem colocados sob desafio para provarem o contrário. Esse é um dos motivos pelos quais criei o neo-esquerdismo.

Enfim, todos os participantes do projeto “Abaixo da Linha” estão sumariamente desafiados a doarem a maior parte de suas rendas para resolverem o problema da fome. Não adianta ficarem se alimentando com R$ 3,00 ao dia, por uma mísera semaninha. Eu sugiro que até subam o valor, e se alimentem com R$ 5,00 ao dia por TODA A VIDA. Aí todos poderiam ter seus dados registrados em um banco de dados, e poderíamos criar uma forma de monitorar se eles de fato estão distribuindo suas rendas para reduzir a fome dos outros.

Protestinhos de uma semana não vão enganar ninguém. Pelo contrário, de acordo com o que disse um líder político/ideológico do qual não me lembro o nome, “você deve ser a mudança que quer para o mundo”.

Vejam que maravilha: Ben Affleck e Hugh Jackman aceitaram o desafio. Mas estamos falando de pessoas que ganham US$ 20 milhões por filme que fazem, e que podiam muito bem doar  no mínimo US$ 19 milhões para garantir a mesa farta para muitas pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza. Sinceramente, se Affleck e Jackman fizerem o desafio por uma semaninha, isso não significa absolutamente nada e pode muito bem ser qualificado como hipocrisia e chantagem emocional. Que tal de fato eles doarem seus “excessos de renda” para enfim construírem o que eles chamam de “justiça social”?

Como se nota, neo-esquerdismo lança desafios para que o esquerdista modifique COMPLETAMENTE sua vida para que viva de acordo com as coisas que ele DIZ ACREDITAR. Mas a história nos mostra que os esquerdistas na verdade não passam de chantagistas emocionais que vivem de manipular as emoções dos outros.

Exatamente por isso, o neo-esquerdismo já poderia começar a ser aplicado por alguns deles para ver se nem todos escapam da constatação óbvia da hipocrisia esquerdista.

Hora de começar a desafiá-los nas redes sociais, não acham?

Anúncios

12 COMMENTS

  1. E se essas pessoas q vc tanto taxou, não sejam de fatos Esquerdistas?

    Pega outra causa pra encher o saco de quem tem visão política diferente da sua. Desnecessário esse post…

    • A verdade é que Jackman e Affleck SÃO ESQUERDISTAS DECLARADOS.

      Além do mais, eu encho o saco dos esquerdistas?!

      É essa a minha intenção. Botar o dedo na ferida mesmo. Ihhh…

      Você me animou, ao invés de me desanimar.

      Enfim, se você é esquerdista, terá que ser testado. Esse é o desafio do neo-esquerdismo.

      • Heheheheheheheheh.. desnecessário esse post, é? Hehehehehehehehehehehe…
        Mas estes esquerdistas que aparecem aqui são ingênuos feito crianças. Parecem meninas adolescentes do colegial dizendo “ai, eu acho ridículo quem fala mal do meu ídolo!” “ai, é desnecessário!!” kkkkkk…

        É claro que esse post é desnecessário. É totalmente desnecessário para a causa esquerdista. Mas isso nós já sabíamos. É totalmente DESNECESSÁRIO um esquerdista aparecer pra dizer isso. Hehehehehehheheheehehehehehehe.

  2. Sinto muito dizer a você, Ayã, e a seus asseclas, que socialismo não se trata de dar limosna, mas de emancipação. Se há fome no mundo é por causa do capitalismo, dar limosna é bem coisa de direitista.

    • Quem falou em limosna? Eu falei de EMANCIPAÇÃO mas de fato, não por discurso. Significa que vocês doam suas rendas para construirem instituições que podem RESOLVER o problema social. Exemplo: Criar empresas sem lucro, para vivenciar o mundo marxista, ou mesmo criar fazendas marxistas. Se vocês agirem conforme o neo-esquerdismo, resolvem o “problema da fome no mundo” sem inchar estados. 🙂

    • Não, você não aceitou e desafio, e é previsto que esquerdistas FUJAM do desafio. Ao menos os esquerdistas atuais.

      Vou mostrar por que…

      Eu aceito o desafio, mas não aceito contratos leoninos!

      Já errou! Um contrato onde o esquerdista tem que viver como esquerdista não é um contrato leonino. Ou você assume que é hipócrita ou aceita o desafio. Não tem que pedir outro desafio. Até por que não sou eu que vivo de fazer chantagem emocional…

      De acordo com os nossos queridos economistas do Instituto Mises, com as crias do Liber, leitores da Veja e até o Lobão, os pobres assim o são por dois principais motivos: incompetência e vagabundagem.

      Engraçado que eles citam também sorte…

      Assim, você comete a falácia do espantalho. 🙂

      Sendo assim, uma pessoa que de fato vive com U$1,50 por dia pode muito bem ascensionar para o topo das classes sociais e desfrutar de uma vida mi… não… uma vida bilionária, dependendo apenas do seu esforço.

      Dependendo de competência, coragem, habilidade e SORTE, claro que pode. A história tem vários exemplos disso… 🙂

      É claro que as condições da família e o país em que o infeliz nasce também não tem nada a ver com o sucesso dele.

      Que truquezinho mais banal esse. O fato de apontar dois fatores, dentre outros, para uma consequência X, NÃO IMPLICA QUE NÃO EXISTAM OUTROS FATORES.

      Ninguém é tão burro que não entenda isso. Tu é safado mesmo!

      Que tal queimar todos os seus bens (não pode doar, pois isso é coisa de petralha) e começar uma carreira do zero?

      Quem disse que petralha gosta de “doar” bens? rs.

      Que eu saiba petralhas gostam dos bens dos outros. Aliás, por que alguém deveria queimar seus próprios bens se ACREDITA NA MERITOCRACIA? rs.

      Não faz o menor sentido…

      O meu desafio é feito para um esquerdista viver como um esquerdista. Se o seu desafio é para um direitista viver como um direitista, então seu desafio deveria ser o inverso. rs.

      Não vale ingressar numa carreira relacionada a que você já segue e a regra dos U$1,50 continua valendo. O custo da faculdade, ou curso, para ingressar na nova carreira deve também ser subtraído do limite diário.

      A pergunta é: POR QUE alguém deveria aceitar um desafio desses? rs. Não faz o menor sentido e não é condizente com nenhuma ideologia de direita. rs.

      Se assim você ficar bilionário em 10 anos, eu topo fazer o desafio.

      É exatamente o contrário!

      Você não depende de absolutamente nada para topar o desafio feito. Você é que aprendeu a manipular emoções dos outros dizendo que “se preocupa com a justiça social” e que “a distribuição deve ser feita”.

      O desafio é feito para VOCÊ se comportar conforme diz acreditar.

      Não há uma crença de direita dizendo que devemos “distribuir bens por coerção”, então seu desafio não faz sentido. Não serve para nada.

      Já o meu desafio serve para ver se você ACREDITA NO QUE DIZ ou SE É UM HIPÓCRITA.

      Se já veio com o truque de psicológico de “só faço isso, se você fizer isso”, então significa que seu esquerdismo é só hipocrisia. É previsível.

      Agora só falta aparecer um crente que diz que “só vai para a Igreja, se um ateu aceitar ir para a Igreja” ou bobagens do tipo.

      Tome vergonha na cara e seja mais esperto na próxima. 😉

  3. “Já errou! Um contrato onde o esquerdista tem que viver como esquerdista não é um contrato leonino. ”

    Você vive como um milionário? Se essa condição é assecível para qualquer um, por que você não é milionário?
    O seu papo de voto de pobreza é velho. Isso NÃO É socialismo.

    “Que eu saiba petralhas gostam dos bens dos outros. Aliás, por que alguém deveria queimar seus próprios bens se ACREDITA NA MERITOCRACIA? rs.

    Não faz o menor sentido… ”

    Claro que faz. Assim você pode começar do ZERO, sem ter o alicerse dado por uma família de classe média ou alta. Você vai começar como uma pessoa totalmente pobre e ascender para a elite. Se é tão possível, se não há nada de injusto nisso, por que você ainda não é milinário?
    É fácil falar de mérito quando você estudou, não passou fome, etc…

    Outra coisa.
    Apontar que existe fome, escravidão, e outros problemas gerados pelo sistema não implica sempre em fazer chantagem.

    • Nunca vi tanta bobagem junta, nunca vi tanta falta de lógica.
      A possibilidade de alguém se tornar milionário não é uma garantia de que todos vão virar milionários.
      Ninguém pode ser tão burro que não entenda isso.
      Não existe doutrina capitalista que dê garantia de que todos virem milionários por esforço pessoal.
      Seu desafio só valeria para uma doutrina capitalista que fizesse esse promessa, MAS NÃO EXISTE UMA DOUTRINA CAPITALISTA QUE GARANTA QUE TODOS FICARÃO MILIONÁRIOS SE QUISEREM.
      Além do mais, não propus voto de pobreza, mas sim um estilo de vida em que O ESQUERDISTA DISTRIBUA A SUA RIQUEZA. 🙂
      Isso sim é socialismo.
      Como você fala em ‘fome e injustiça social’, mas não faz nada a não ser defender COERÇÃO ESTATAL, você de fato é um hipócrita.
      Não passou no teste.
      Você não passa de um chantagista emocional.

Deixe uma resposta