O comunismo, assim como o fascismo e o nazismo, é religião… política

5
104


@
O Yaron Brook já nos disse coisas muitos inteligentes contra a esquerda, mas em outros momentos comete alguns erros um tanto bizarros, como neste vídeo, que mescla raciocínios poderosos junto com outros duvidosos, mas cuja essência central é muito interessante.

Vamos aos fatos: ateísmo não é sinônimo de razão. A razão é definida independente de alguém acreditar em Deus ou não. Claro que alguém, ao crer em Deus, pode usar argumentos irracionais. Ou argumentos bastante racionais, como William Lane Craig. Assim como alguém descrendo em Deus pode usar argumentos racionais. Ou argumentos bastante irracionais, como Richard Dawkins.

Ele também erra ao dizer que o comunismo é uma religião, no âmbito da religião tradicional. Não, é uma religião política. E o cristianismo foi usado como religião política em alguns momentos da história.

O que ele pode comparar, então, é a religião política em sua essência (ou seja, todo o humanismo, marxismo, nazismo, fascismo, etc.) com uma forma temporária de prática do cristianismo (especialmente o milenarismo quiliasta).  Essa forma específica de cristianismo foi abordada por Norman Cohn em The Pursuit of the Millenium. Ponto.

Na verdade, Brook foca demais em ateísmo ou teísmo, e ignora o ponto central da discussão: o humanismo. E sim, infelizmente, como ateu, sou obrigado a reconhecer que o humanismo tem em suas fileiras mais ateus que teístas. É nossa obrigação (dos ateus não-humanistas) conscientizar a maior quantidade possível de ateus para que se livrem do vírus mental humanista.

Assim, o ateísmo não causou o comunismo. Foi o humanismo que resultou no comunismo, assim como resultou no nazismo e no fascismo. Todos exemplares da religião política.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. “infelizmente, como ateu, sou obrigado a reconhecer que o humanismo tem em suas fileiras mais ateus que teístas.”

    Nisso é notório que Brook é fanzão do humanismo. Dá pra inferir que ele CRÊ que a história terá um fim, o fim das contingências será através do homem e do uso da razão…

    A razão também é imaterial. Não lhe atribuímos personalidade, mas não podemos tocá-la, sentida nem inferi-la. No mais a razão é manipulável….por uma série de fatores condicionáveis….educação, ambiente, poder, barganha, persuasão, dinheiro e ideologia……a razão é uma construção humana, e como tal sujeita a falhas. É preciso entender o contexto em que ele usa a palavra “razão”.

    Ele fracassa terrivelmente em colocar a razão como a única forma de apreender a realidade — sendo a realidade estendida por todo o universo (inclusive o não observável) ela mesma não pode ser descrita apenas no campo racional. Logo no começo eu vi que o discurso dele se parecia com os “ensinamentos” de Rand. E ao racionalizar que o ser humano, através da racionalização (que é manipulável por diversos fatores) é o único instrumento pelo qual se explica a realidade, ele cai numa vertente de exclusão de tudo que não cabe em uma explicação racional (o que incluiria até algumas ciências matemáticas).

    A pior merda que ele fez por fim foi citar Rand (isso acabou com seu discurso para mim) — ao passo que critica religião — sendo que o Objetivismo era de fato como uma seita religiosa. inclusive na minha discussão lá do blog da lola, estou falando sobre isso….até OC já falou sobre isso.

    Apesar dele fazer uma comparação do cristianismo com comunismo, sabemos que para ser comunista — ateísmo é condição necessária. Não que todo ateísta é comunista (Luciano e outros são a prova), mas todo comunista (não fake, nem poser) é ateu, ou assume em si uma característica de maior aberração moral: o NEO ateísmo.

    Mas vamos ser justos….trata-se de ceticismo. Não me importa se o cara é deísta ou ateísta, contanto que ele não me obrigue a ser o que ele é, ou acreditar no que ele acredita. Acho que ele informa que comunismo é religião…mas em um desespero latente contra o comunismo (pois os anti-esquerdista apontam a estreita relação entre comunismo e NEO ateísmo), faz uma ligação entre comunismo/cristianismo, que pode ser facilmente revertida para Comunismo/neo-ateísmo/ por via de um objetivismo SELETIVO, servindo a propósitos esquerdistas.

    A razão ao meu ver pessoal do ateísmo ser condição necessária ao comunismo reside na observação do individuo quanto à moral tradicional, passada por meios de valores religiosos. Sendo o indivíduo não religioso, em tese, é mais fácil realizar desconstruções da moral, destruindo ou atribuindo novo significado. A ausência de uma fé em entidades espirituais, contribuiria então para uma lacuna, onde a ideologia se infiltra como a deidade de adoração (só que ideológica) — disto se origina toda composição das investigações do Luciano a cerca da religião política. Mas mesmo que verificada uma tendência de ateísmo entre humanistas, isso em si não é correto em 100% dos casos. Os ateus conservadores são uma mostra que o ateísmo pode reconhecer o valor moral tradicionalista advindo da religião cristã. Para ser um ateu conservador é necessário o reconhecimento da importância destes valores morais milenares como um dos pilares da civilização, mesmo que ele não creia em um deus.

    — desculpe Luciano…o cara pode se dizer ateu, mas me parece um NEO ATEU confuso, porque tem tendências anti-esquerdistas. E ao atacar a religião, se posiciona em favor do adversário, mesmo querendo falar mal dele.

    Fora que ele usa a falácia mais velha, antiga e desonesta que um neo ateu poderia usar — “A fábula da terra plana”. Nisso já demonstra desconhecimento argumentativo, ou desonestidade intelectual.

    • É verdade, esse truque da terra plana é safadíssimo.

      Essa parte do que você disse é perfeita: “A razão também é imaterial. Não lhe atribuímos personalidade, mas não podemos tocá-la, sentida nem inferi-la. No mais a razão é manipulável….por uma série de fatores condicionáveis….educação, ambiente, poder, barganha, persuasão, dinheiro e ideologia……a razão é uma construção humana, e como tal sujeita a falhas. É preciso entender o contexto em que ele usa a palavra “razão”.”.

      Abs,

      LH

  2. Posição difícil para o ateu que quer apenas ser ‘ateu’, porque o ateísmo foi convertido em uma ferramenta anti-religiosa pelos humanistas.

  3. Uma coisa interessante sobre essa análise, é o fato de que a mentalidade de enxergar a religião como antiprogressista e anticientífica foi justamente o que motivou Stalin a cometer atrocidades contra religiosos.

Deixe uma resposta