Putz, esquerdopatas, mais essa agora? “Menor que confessou estupro no Rio havia sido solto após assalto a ônibus”

5
59

jean-jacques-rousseau

Fonte: G1

O suspeito de estuprar uma mulher durante assalto a um ônibus da linha 369 (Bangu – Carioca) na sexta-feira (3), detido na manhã desta terça (7), já tinha passagem pela polícia por outro assalto a um coletivo, no meio de 2012. Segundo o delegado da 17ª DP (São Cristóvão), Maurício Luciano, ele teria sido apresentado à 27ª DP (Vicente de Carvalho) na época, mas foi liberado da Vara da Infância e da Juventude quando seus responsáveis se comprometeram e retornar, o que não foi feito.

Ainda segundo o delegado, quatro passageiros do ônibus 369 fizeram o reconhecimento do menor nesta terça, entre elas a vítima do estupro, que chorou muito ao ver o criminoso.

“Para um adolescente que ainda não completou 17 anos, ele demonstrou muita desenvoltura, ousadia, praticando uma covardia com uma mulher dentro de um ônibus e roubando os pertences de passageiros. Não demonstrou arrependimento, parecia ter certeza da impunidade”, disse o delegado.

“O fato de ele já ter cometido um crime há um ano, mostra uma reincidência, uma personalidade voltada para a prática criminal. Há projetos no Congresso relacionados à redução da maioridade penal. Acho que esse fato deve servir de reflexão para a sociedade saber o que quer.”

O caso foi encaminhado à 2ª Vara da Infância de Juventude e o menor será levado para a Escola João Luiz Alves, antigo Instituto Padre Severino, onde poderá ficar internado só até completar 21 anos. Após completar a idade, fica livre e com a ficha criminal limpa e responderá, caso cometa novo crime, como réu primário.

Outros crimes investigados

A polícia ainda investiga se o menor já havia praticado outros crimes semelhantes. Uma das testemunhas disse ao delegado que quando o criminoso abriu a mochila para colocar os pertences roubados, foi possível ver outros objetos. Além disso, o delegado disse que já houve ligações sobre outros possíveis estupros, e pede que informações sejam passadas para o Disque-Denúncia.

O menor foi detido nesta terça por policiais da 33ª DP (Realengo). Segundo o delegado titular da delegacia, Carlos Augusto Nogueira, ele tem 16 anos, confessou os crimes, se disse arrependido e alegou estar fora de si devido ao uso de cocaína.

Ainda de acordo com Nogueira, o detido teria dito que o motivo para os assaltos seria conseguir dinheiro para realizar uma festa de aniversário, para celebrar os 17 anos que completa no domingo (12). Além disso, ele estaria preocupado com a reação da sociedade.

O menor se apresentou à polícia próximo ao Comando de Operações Navais da Marinha, às margens da Avenida Washington Luis, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O jovem morava com a mãe na favela Para Pedro, em Irajá e, segundo contou à polícia em depoimento informal ao ser detido, decidiu ir para a casa da avó, que fica próxima ao local onde se entregou.

Para fugir após cometer os crimes, o menor contou que pegou carona com um motoboy e que durante a fuga perdeu a arma, comprada em um lixão de Caxias com R$ 450 — economizado ao fazer “bicos”.

Mãe apoiou entrega

Segundo Carlos Augusto, a polícia chegou até a família do suspeito através de um policial de Caxias, que disse conhecer o jovem. O delegado afirmou ainda que obteve o apoio da famíla para convencer o jovem a se entregar. “A mãe (do suspeito) pessoalmente apoiou a entrega. O jovem assumiu o crime e demonstrou arrependimento, o que eu desconfio”, disse Carlos Augusto.

O jovem foi encaminhado à 17ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão), onde o crime é investigado.

As imagens que levaram ao jovem foram divulgadas pela polícia nesta segunda-feira (6). Elas são parte do vídeo da câmera de segurança do ônibus, que registrou o momento dos crimes. As imagens mostram o jovem agindo calma e friamente. O criminoso entrou no ônibus às 15h31, passou pela roleta utilizando um RioCard e, cerca de três minutos depois, sacou um revólver e anunciou o assalto.

Após mandar que todos os passageiros fossem até o fundo do veículo, que tem a porta localizada no centro, o criminoso ordenou que um dos passageiros recolhesse os pertences dos demais. Ele então pulou a roleta e foi passar ordens ao motorista, revelando seu rosto com nitidez à câmera.

De acordo com o delegado titular da 17ª DP (São Cristóvão), Maurício Luciano, o criminoso mandou que o motorista não parasse em nenhum outro ponto de ônibus. Depois, o criminoso retornou aos fundos do veículo pulando novamente a roleta e se sentou em um banco junto aos demais passageiros.

Maurício Luciano, que assistiu ao vídeo sem cortes, iinformou que o criminoso repentinamente ordenou que uma passageira o acompanhasse até o centro do veículo. Foi então que ele efetuou o estupro. Após cometer o ato, ainda demonstrando calma e frieza, o criminoso mandou que a vítima se juntasse novamente aos demais passageiros e esperou até que o ônibus chegasse ao local onde havia indicado. Ele então desceu próximo ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).

“Alguém que tenha a coragem de estuprar uma mulher dentro de um ônibus, na frente de todos os passageiros, acreditamos que sofra algum tipo de distúrbio mental”, disse o delegado. Segundo o policial, o criminoso responderá pelos crimes de roubo com emprego de arma de fogo e estupro. Ele espera que as imagens ajudem a identificar o criminoso. O delegado pediu que denúncias sejam encaminhadas à delegacia ou ao Disque Denúncia. “Tenho certeza que ele será preso”, afirmou.

Relato da vítima

A vítima relatou à TV Globo os momentos de terror que viveu dentro do coletivo.

“Ele levantou e foi para o meio do ônibus e anunciou o assalto. Ele mandou todo mundo ir para o fundo do ônibus. Pegou na minha mão e e disse ‘vamos aqui na frente’ e me levou para o banco especial, ali perto do motorista. Sentou, mandou eu sentar ao lado dele, me abraçou e começou a colocar a arma nas minhas costelas. Ele bateu seis vezes com o revólver na minha cabeça. Puxou meu cabelo, e colocou a arma na minha cabeça e falou assim ‘coloca a tua roupa e volta pro teu lugar’, descreveu a vítima do abuso.

Uma vítima do assalto, que testemunhou os momentos de agressão à mulher, contou que os passageiros foram ameaçados de morte para não reagirem.

“Ele pegou essa moça, botou ela pra frente e estuprou ela. Botou ela sentada no banco da frente, do lado dele, e ele sentado no canto e ela na ponta. Ela fazia tudo que ele mandava porque ela tinha uma arma na cabeça dela. Ele deu uma coronhada na cabeça dela. Ele dizia que ia matar a gente se a gente reagisse”, descreveu a vítima.

“Eu nunca imaginei que isso fosse acontecer comigo, acho que não vou conseguir voltar a andar de ônibus”, declarou assustada a mulher que sofreu um assalto no coletivo e presenciou o abuso sexual contra a mulher de 30 anos.

A mulher estuprada é do Mato Grosso e moradora da Vila Aliança, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ela foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo delito e, em seguida, foi levada ao hospital para tomar um coquetel anti-HIV.

O crime ocorreu por volta das 15h30 de sexta-feira. No entanto, a polícia divulgou o fato no sábado (4). Há pouco mais de um mês, no fim de março, uma turista americana foi estuprada por mais de seis horas em uma van.

Meus comentários

Quem quer que leia a notícia acima e não sinta uma forte indignação contra os esquerdistas apologistas do crime deveria rever seus conceitos sobre responsabilidade. Nossa tolerância diante das indignidades deles está facilitando o surgimento de cada vez mais vítimas de crimes que transcendem o limite da atrocidade.

O que os esquerdistas tem criado no Brasil com seu culto à impunidade (alcançando o paroxismo no caso da impunidade absoluta dos menores) é algo que não pode ser perdoado jamais.

Quando o delegado diz que o sujeitinho demonstrou muita desenvoltura, isso é esperado. Um menor criminoso é um ser especial, capaz de fazer o que quiser sem poder ser punido. Uma sociedade que não consegue mais sequer ficar indignada em relação ao absurdo moral dessa situação realmente precisa fazer uma reflexão.

Claro que nenhum esquerdista vai aceitar sequer discutir a redução da maioridade penal. Não dão a mínima para o sofrimento psicológico que a mulher estuprada no ônibus vai carregar por toda a sua vida. Ser estuprada perante um ônibus lotado é mais que uma violência física, mas uma redefinição da palavra humilhação.

Para essa mulher, não há caridade, nem a menor empatia por parte da esquerda. Já o menor agora passa a ser protegido por um estatuto que lhe deu o direito de ter cometidos crimes anteriores e estar solto. Foi isso que permitiu que na sexta-feira passada ele pudesse estuprá-la.

Um estado que por causa de uma crença psicótica e psicopática da esquerda (onde  rejeitam punir criminosos para ficar capitalizando fingindo que “a sociedade é culpada, arrume a sociedade”) faz esse tipo de desaforo em relação aos seus cidadãos merece ser respeitado?

Não só os esquerdistas devem ser corresponsabilizados por este crime abjeto. O estado ultra-esquerdista, arrogante em sua prepotência ao optar pelo “menor” criminoso ao invés das vítimas (e tudo com o dinheiro de nossos impostos) também é corresponsável.

Em “homenagem” ao barbarismo promovido pela esquerda rousseliana, nos próximos dois dias só terei posts desmascarando rotinas esquerdistas que tentam rejeitar propostas de aumento de penas para criminosos, menores ou não.

P.S.: Na imagem, Rousseau, filósofo que criou a cultura de apologia e tolerância ao crime da esquerda, ao definir uma filosofia defendendo que “o homem é bom, a sociedade é que o corrompe”. 

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Me dá é indignação ao ver casos como esse.
    Os elementos que dão brechas para esse criminosos, desgraçadores, miseráveis, perdidos, não merecem respeito nenhum.
    O ESTADO com suas crenças psicótica, psicopática da esquerda NÃO MERECE RESPEITO.

  2. “l. Há projetos no Congresso relacionados à redução da maioridade penal. Acho que esse fato deve servir de reflexão para a sociedade saber o que quer.” – Disse o delegado. Só que a sociedade sabe o que quer. Os que não sabem, ou que não querem a redução da maioridade penal são esquerdopatas e idiotas-úteis.

  3. E é nessas horas que os Direitos Humanos e as Feministas deveriam aparecer e dar o seu apoio. Cadê essa galera mesmo? Ah é, são esquerdistas loucos e idiotas úteis. E só quero ver quando um “di menor” estuprar um homossexual (não importa o sexo). Poxa, vai ter um estardalhaço na imprensa… se deixar, até a nível MUNDIAL.

    Não desejo que ninguém seja estuprado/violentado, mas só fico imaginando a reação dos grupos que são contrários a redução da maioridade penal e são pró-gays e/ou pró-feministas.

Deixe uma resposta