Rotina esquerdista: Se reduzirmos a maioridade penal, vamos reduzi-la cada vez mais, e mais, e mais…

5
72

?????????

Última atualização: 09 de maio de 2013 – [Índice de Rotinas][Página Principal]

Esse truque eu vi no blog do Sakamoto (por que eu não estou surpreso?), mas com certeza não foi ele que  inventou:

A Fundação Casa, do jeito que ela está, não reintegra, apenas destrói. A prisão, então, nem se fala. Também não acho que reduzir a maioridade penal para 16 anos vá resolver algo. Ele só vai aprender mais cedo a se profissionalizar no crime. E se jovens de 14 começarem a roubar e matar, podemos mudar a lei no futuro também. E daí se ousarem começar antes ainda, 12. E por que não dez, se fazem parte de quadrilhas? Aos oito já sabem empunhar uma arma. E, com seis, já se vestem sozinhos.

Essa, aliás, é uma característica típica deste blogueiro ultra-marxista. Diante do sofrimento de pessoas vítimas do crime, começa a fazer piadinhas.

Mas quem tem que ser ridicularizado é o Sakamoto, pois o truque dele não passa da falácia da bola de neve.

Nessa falácia, alguém parte de uma proposição, e em seguida encadeia outras proposições nela até chegar a uma conclusão absurda. E, geralmente, essa conclusão é aquela rejeitada pela maior parte do público.

Estrutura:

  • X conduz a Y que conduz a W que conduz a Z.
  • Z é falso.
  • Logo, X é falso.

Veja um exemplo:

Se reduzimos as leis do trabalho conforme a CLT, muitas pessoas se sujeitarão a condições impróprias de trabalho. Com o tempo, essas condições impróprias vão piorar cada vez mais. Em pouco tempo, teremos pessoas vivendo como escravas. Logo, teremos a volta da escravidão com a redução das leis do trabalho.

Aliás, se no futuro surgirem criminosos de 6 anos fazendo sequestro relâmpago, assalto a mão armada ou estupro, podemos até discutir a redução ilimitada da maioridade penal. Mas não é o caso.

Sempre que se refuta qualquer falácia da bola de neve, basta mostrar que o encadeamento de proposições é ilógico, como no caso desta rotina.

Rotina muito estúpida e patética. Ao visualizá-la, refute apontando a falácia e depois mande o esquerdista tomar no cu.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Quando acusamos quais falácias estão sendo usadas, os vermelhos “pira”! Obrigado pelas dicas de como identificá-las. Ah, e mandá-los tomar no cu no final, de fato é essencial. É como se disséssemos: “E não faça bico de malcriação, senão vai ser pior”.

  2. Luciano, falando em Sakamoto e para com certeza você ter ataques de riso e fazer uma refutação daquelas para qualquer um também ficar com um sorriso na face está vergonha dele de ser heterossexual. Sim, parece que ele não notou que o projeto da CDH felicianizada para combater a discriminação a heterossexuais é apenas e tão somente um daqueles projetos propositalmente bizarros que se faz para que se consiga chamar atenção para algo (vide Biritiba-Mirim aprovando projeto que proíbe as pessoas de morrer e sancionando quem desrespeitar a lei, ainda que sem regulamentação sobre quais sanções seriam, para chamar a atenção ao fato de que as liminares ambientais impediam a cidade de construir um cemitério). Claro que aqui a diferença está no fato de haver projeto de lei bizarro (PL 122) que está sendo levado a sério por uns belos tantos. Porém, como bem sabemos, marxistas-humanistas-neoateístas não têm senso de humor nem ginga nas cadeiras.
    Porém, como muitíssimo mais interessantes que a postagem em si são os comentários que ela recebe, aqui não seria diferente e destaco estas duas postagens que apenas reforçam que muitos estão identificando o padrão que o blogueiro tem de desviar de assunto quando algo grave ocorre (como o estupro de uma mulher em um micro-ônibus por um menor de idade que também havia assaltado o coletivo):

    Resiliente

    Sakamoto,você como anti família, anti classe média e anti heterossexuais realmente deve estar chocado que a maioria não queira ficar calada e ser discriminada. Em vez de defender os brasileiros como um todo,defende apenas os seus interesses.

    Gladios Karilos

    Quando é que vc vai comentar o caso da mulher de 30 anos que foi estuprada pelo anjinho de 16 em um onibus na frente de 8 pessoas ? Foi a desigualdade social que fez aquilo acontecer ? Bom… vc devia explicar pra galera. Pq eu queria saber.

    O Resiliente inclusive deu o bom aparte de lembrar que minorias podem sim oprimir maiorias (vide apartheid). Voltando ao texto da postagem em questão, há algo que consigo sentir um cheiro de falácia e que poderia ser analisado por ti:

    Ia escrever um texto para tratar do perigo representado por uma maioria (com direitos assegurados) que começa a se manifestar de forma organizada diante da luta de uma minoria por sua dignidade, reivindicando dessa forma a manutenção do espaço que já é seu (conquistado por violência, a ferro e fogo) – mesmo que a conquista de direitos pela minoria não signifique redução de direitos da maioria mas, apenas, necessidade de tolerância por parte desta e lembrando que “maioria” e “minoria” não são uma questão numérica, mas sim de quanto um grupo consegue efetivar sua cidadania.

    Vamos perguntar ao blogueiro como é que heterossexuais, que naturalmente são maioria até por questão de viabilidade reprodutiva de nossa espécie como um todo, conquistaram um espaço por violência e a ferro e fogo. Porém o mais importante aqui está no que me parece ser uma rotina: a de que minorias não seriam questão numérica, mas do grau de efetivação de sua cidadania (ou também representatividade, como outros usam o tal conceito). Poderíamos perguntar que direitos homossexuais ou outros grupos dos quais os MHNs querem extrair o máximo possível de inocentes úteis não possuem neste país que seja possuído por um homem branco, heterossexual e cristão. E por que é perigoso que uma maioria manifeste-se de forma organizada contra algo vindo de uma minoria (ou, mais especificamente, MHNs dentro das minorias que usam suas condições como cavalo de batalha) que diz ser algo em prol de sua dignidade (ainda que possa aqui também ser discurso falacioso travestido de dignidade, mas que usa minorias como inocentes úteis). Maiorias por acaso são obrigadas a ficar quietinhas e assistir a tudo sem dar um pio?
    Como deve ter notado ao ler a postagem do blog em questão, há uma série de conceitos que podem ser desmontados, como:

    1) Dizer que algo análogo ao que é promovido por grupos MHNs travestido de luta por direitos de minorias não pode ser levado adiante porque uma maioria já tem direitos assegurados, supostamente seria proibida de lutar por isso e, se lutar por isso, tal luta constitui-se em algo perigoso;

    2) O tal lance de que minoria supostamente não ser numérica (algo que muito cheira a marxismo-humanismo-neoateísmo por se poder incluir mulheres, que são maioria de nossa população e de eleitores, como minoritárias e querer influir sobre o fato de elas votarem em homens ou mulheres se assim o desejarem, e não como queiram MHNs chefes de partido que muito desejam a lista fechada em votações proporcionais para usarem o povo de otário).

    Fora que deve haver outros aos quais não me atentei. Claro que o Sakamoto dizer que tem vergonha de ser hétero é frase de efeito (meio torta, é verdade), mas não deixa de ser bizarro, ainda mais que há homossexuais mais antigos sem qualquer vergonha de ser homossexuais (vide Rogéria e Clodovil) e o foram (ou são, no caso de Rogéria e seus mais de 70 anos de vida) em épocas que normalmente são pintadas com as piores cores possíveis por MHNs.
    E, claro, a bizarrice em si da postagem toda é daquelas coisas que permite ir contra o MHN até de uma forma bem escrachada.

  3. Old but gold essa, eu costumo humilhar o cara da seguinte forma, pegando a pretensa ideia de que o cara por ser ateu o torna um ser superior intelectualmente e automaticamente detentor da razão e da lógica, partindo desse pressuposto, basta jogar na cara dele que ele é a prova de que um ateu não é superior a ninguém, e que é vergonhoso alguém que se diz um ateu iluminado usar falácias tão primárias e de fácil identificação e refutação. Geralmente os caras ficam putos e histéricos, porém eu continuo mostrando que esse tipo de argumento só demonstra o quanto um cara se veste de uma ideia de que é superior para conseguir autoridade mas que na verdade fala tanta merda quanto os que ele acusa de serem inimigos da razão.

    Exemplo: O cara chegou e disse que a história segue um caminho natural.

    Eu já comecei mostrando que ele não tinha apoio em nenhuma ciência para aquilo e que era apenas uma alegação que carecia de provas, mostrei que aquilo era apenas uma declaração de fé e algo que se assemelhava a uma religião, já que a ideia de que a história segue um caminho natural demanda alguém que faça esse caminho, ou uma força que o pavimente, e que isso era mera crença exotérica e que um ateu falar aquilo era vergonhoso e humilhante para ele, já que demonstrava que ele não passava de um hipócrita ao ser anti-religioso e declarar uma fé religiosa que é mais irracional que as que ele combatia.

    O cara nem me respondeu, deve estar até hoje #xatiadu

  4. Bom dia Luciano, gosto muito de seu blog e tenho lido bastante também o Critica Política. Estou ainda iniciando na guerra política, praticamente um soldado raso hehehe. Ontem um amigo meu postou um vídeo do Ariovaldo Ramos
    https://youtu.be/1HivU13Qn-8
    criticando a redução da maioridade penal. Eu respondi com um comentário, porém, não sei se falei muita besteira, gostaria que você me ajudasse se possível. Aí vai o texto.

    “Assisti o vídeo do Ariovaldo e fiz alguns comentários com base no que creio e com base na opinião de outras pessoas. Ele começa:

    1. “…é uma tentativa de esconder a sujeira da parede com o apagar da luz”
    R: Não se pode punir o infrator e resolver problemas sociais ao mesmo tempo?

    2. “No Brasil 74% de analfabetos funcionais (só conseguem entender até 50% do que leem)”
    R: Segundo o PNAD de 2009, no Brasil existiam 20,3% de analfabetos funcionais. http://noticias.uol.com.br/especiais/pnad/2010/ultimas-noticias/2010/09/08/pnad-um-em-cada-cinco-brasileiros-e-analfabeto-funcional.jhtm

    3. “Com 20% de alfabetos funcionais tem uma crise na educação, com 74% tem um sistema de destruição da sociedade, aniquilamento da capacidade de compreensão e participação. Quem está por detrás disso? A elite branca que quer punir os brasileiros menores de 18 anos pobres e negros. Aqueles que estão na droga, aqueles que impedem a especulação imobiliária. A elite diz que nao precisa dessa gente, vamos erradicá-los mais cedo, vamos colocá-los na cadeia.”
    R: Pesquisa do IBOPE de 2014 aponta que 83% da população é a favor da redução.
    http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/paginas/83-da-populacao-e-a-favor-da-reducao-da-maioridade-penal.aspx
    Claramente ele tem alguém pra apontar como responsável pelo sistema. Mas não existe sistema por detrás (com 20% de analfalbetismo funcional), segundo eles existe sim uma crise na educação. E a culpa não é da elite branca, é do Estado. Minha visão da elite branca são pessoas da sociedade que detem poder pelo dinheiro e influência que não desejam a diminuição das desigualdades sociais.

    5. Ele pergunta: “Que cadeia, que sistema penitenciário?”. A seguir conta a história de um pastor que visitou um presídio que tinha uma CELA para 8 pessoas, e quando entrou na CELA viu 800 pessoas! Naquele dia o pastor se converteu.
    R: Não é porque o sistema penitenciário está falido que não vamos aumentar a punição aos crimes. Uma coisa não tem a ver com outra. Que se privatize as penitenciárias se o Estado não dá conta. Os planos de saúde são obrigados a atender os pacientes dos planos mesmo se não há vagas em hospitais privados. Ou o Estado arruma as penitenciárias ou delega ao poder privado. Não acredito que exista uma cela com capacidade para 8 pessoas que comporte 800. Se realmente tinha 800 pessoas, a capacidade não era de apenas 8.

    6. Disse que os que defendem a redução acham que vão resolver a questão da criminalidade.
    R: Não acho que nenhum defensor desse projeto acredite ou fale que a criminalidade será resolvida com a diminuição da maioridade penal. Foi tentativa de ridicularizar o argumento contrário.

    7. Que brasileiros com 16 anos comandam o crime, importam armas, tráfico de drogas, mantem um sistema de corrupção, prostituição, trafico humano, corrupção das obras publicas, se tornam governadores, pagam os custos milionários dos juizes corruptos que negociam sentenças?
    R: Brasileiros com 16 anos matam, roubam a mão armada, violentam sexualmente pessoas inocentes. Ele tenta relativizar os crimes tentando deixar implícito que crimes violentos não são tão sérios quanto os crimes de colarinho branco. Apesar de crimes de colarinho branco merecerem prisão e punição, o resultado não é uma morte, um estupro, que são coisas irreparáveis. Ele tenta alimentar a guerra de classes. A diminuição dos crimes violentos inclusive protegeriam também os pobres.

    8. Então eu como cristão não posso nem considerar isso como sério. Quando eu sei que o sistema educacional do Brasil é um fracasso. Quando eu sei o que é distribuição de renda do Brasil. O Brasil é muito rico, uma das seis mais ricas economias do mundo na pior das hipóteses. Considerada a nação mais injusta das nações modernas, a pior distribuição de renda, de terras, quer matar brasileiros com 16 anos, quer colocá-los na cadeia e transformá-los em alunos do crime.
    R: Entendi que ele culpa o sistema educacional e a distribuição de renda e terras pelos menores serem infratores. Aqui como cristão entendo que o ser humano é mal por natureza, por essência, o meio pode influenciar mas o interior do homem é corrupto dos pés à cabeça.

    9. “Eles dizem: “os bandidos aliciam os menores pois são inimputáveis”, então vamos prender os de 16, eles vão aliciar os de 14, eles vão aliciar os de 12 e vamos diminuir pra 12 e depois eu sugiro que pobres e negros ja saiam da maternidade pra cadeia, cria esses caras na cadeia, resolve o problema do Brasil.
    R: Pense nessa hipótese: “Se diminuirmos a abrangência da CLT muitas pessoas se sujeitarão a condições impróprias de trabalho. Com o tempo essas condições vão cada vez mais se deteriorar. Rapidamente teremos a volta da escravidão com a diminuição da CLT.” A diminuição dos direitos trabalhistas por parte do governo atual com certeza não prevê a volta da escravidão. Acho que existe um equilíbrio que pode ser atingido em ambos os casos.

    10. “O Brasil dos 2% de brasileiros que detém 50% das terras brasileiras, dos 2% que criam 240 milhões de cabeças de gado. Vamos deixar só eles no Brasil, vamos todos nós pra cadeia. Quem sabe isso resolve o problema do Brasil.”
    R: Aqui ele apenas pegou a conclusão absurda do item 9 e extrapolou.”

Deixe uma resposta