Rotina esquerdista: Já fui vítima de crime violento, e não pedi punição ao criminoso, logo não devemos punir o criminoso

1
31

suicida_pulando_golden_gate

Última atualização: 11 de maio de 2013 – [Índice de Rotinas][Página Principal]

Essa é a rotina da Luiza Pastor, jornalista ultra-esquerdista que resolveu praticar sua bandidomania de uma forma inusitada: dizer que ela sofreu um crime violento (estupro), em que o agressor era um menor, e não pediu a punição dele.

Deu para imaginar qual a lógica dela? Segundo Luiza, se ela resolveu “deixar pra lá” o crime de sofreu, o resto da sociedade deveria fazer o mesmo.

Claro que a coisa não faz o menor sentido, pois algo não passa a ser correto por que alguém passou a vê-lo como correto. Ao contrário, podemos julgar a postura de Luiza Pastor como abjeta, pois ao se recusar a denunciar um menor para a justiça, permitiu que ele cometesse outros crimes. O ato que ela quer vender ao público como moral é extremamente imoral.

Imaginem a seguinte situação, onde um sujeito diz: “Em minha empresa, eu acompanhei a história de um fraudador que conseguiu roubar todo nosso patrimônio, levando a empresa à falência. Mas em todo momento, jamais o denunciei para a justiça. Assim, o perdoei, mesmo que tenha falido meu negócio, sendo obrigado a demitir todos meus funcionários.”

Quer dizer que por causa da estupidez desse sujeito, somos todos obrigados agora a tolerar fraudes nas organizações? Aquilo que ele fez em relação ao fraudador passa a tornar a punição de fraudadores imoral? Claro que não. E, como já disse, se olharmos pela perspectiva de todos os funcionários dele, assim como de sua família, ele optou por prejudicar uns para beneficiar o outro.

Não há absolutamente nada de moral no ato de alguém perdoar um criminoso, e ao mesmo tempo condenar várias pessoas a serem vítimas deste criminoso.

Em outra abordagem podemos dizer claramente: “Quer dizer que se alguém pula de uma ponte, todos devemos pular também?”.

Cara de pau é pouco para esta rotina.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Quem é essa anta, Henrique? Seu texto foi no ponto. Se ela o perdoou é uma coisa, agora querer que ele fique impune é uma coisa que não tem cabimento. Eu sou cristã e sou pela punição, sim. O Deus a quem sirvo não vai passar a mão pela cabeça de nenhum ser humano. Julgará toda a humanidade segundo suas obras. O que o homem plantar, isso ele colherá. Davi, que era um homem segundo o coração de Deus, foi severamente punido por cometer adultério seguido de assassinato. Sua família foi atingida em cheio por seus pecados. Só na cabeça de esquerdista que desvio não traz consequência.

Deixe uma resposta