Está aí uma oposição que merece cusparada no olho: governo diz que oposição é “desumana e criminosa”, oposição responde com “admirável, mas irresponsável”.

17
66

SpitTakes4_27-cropped-proto-custom_31-thumb-350xauto-28903

Já disse mais de uma vez aqui neste blog, mas serei ainda mais incisivo agora. Existem duas maneiras de se encarar a filosofia: uma antes e outra depois da dinâmica social. Assim como existem duas maneiras de encararmos a política: uma antes e outra depois da dinâmica social. Na verdade, existe um antes e depois da dinâmica social para todas as facetas da vida relacionadas a interação humana e comunicação.

Na verdade, a dinâmica social, e a sub-área de conhecimento controle de frame, podem aparecer sob outras roupagens, geralmente muito mais complexas, em algumas vertentes da ciência política. A dinâmica social, como a defendo, apenas torna muito mais simples as análises.

Por exemplo, pode-se notar que hoje em dia a “oposição” do PSDB é praticamente infantil. Em termos de estratégia política, são como crianças querendo lutar contra adultos. Obviamente, a seguirem por essa toada, não vão ganhar nunca. E nem merecem.

Eis que tivemos o recente episódio dos boatos envolvendo o fim do Bolsa Família, que provocaram tumultos em várias unidades da Caixa Econômica pelo Nordeste.

Em uma ação estratégica brilhante, o PT colocou a sua ministra Maria do Rosário para dizer, no Twitter, que os boatos “devem ser da central de notícias da oposição”. Em seguida,  a presidente Dilma disse que o ato de divulgação de boatos sobre o Bolsa Família foi “desumano e criminoso”.

Ora, em termos de dinâmica social, fica tudo mais claro: Maria do Rosário sabe que representa o governo, mas não é a frontman, portanto pode se dar ao luxo de fazer a acusação formal. Dilma só viu a bola na marca da cal e o gol escancarado. Daí só chutou para dentro. (Note que os eventos da declaração de Dilma e de Maria do Rosário foram muito próximos um ao outro e não faz nenhuma diferença se a declaração de Dilma veio antes da proferida por Maria do Rosário, ou vice-versa. Bastam que estejam próximas uma a outra.)

Pois bem, o fato é que o governo comunicou para a população que a oposição é “desumana e criminosa”. Frame conceitual de ataque fantástico! Em uma avaliação estratégica, não dá para dar nota menor que 10.

E enquanto isso, qual a resposta do PSDB?

Carlos Sampaio, líder do PSDB na Câmara dos Deputados, disse: “Tenho uma profunda admiração pela ministra Maria do Rosário e custo a acreditar que uma declaração de tamanha irresponsabilidade tenha partido dela. Estou apresentando o requerimento de convocação da ministra na Comissão de Segurança para dar a ela a oportunidade de retratar-se”.

Ora, que belo frame (risos). Ele toma um “desumano e criminoso”, e devolve um “admirável, mas irresponsável”? É só meditar uns 5 minutos com as expressões “desumano e criminoso” e depois mais 5 minutos com as expressões “admirável, mas irresponsável”. Quem é que sai perdendo? Não é preciso pensar muito, certo?

José Agripino, do DEM, disse: “Ela não pode ser leviana nem em parte nem por inteiro, ela tem obrigação de dizer quem é [que está acusando]. Ministro de estado não pode brincar de fazer suposições”.

Desculpe, José Agripino, mas pela dinâmica social, ela pode ser leviana com vocês o quanto quiser. Pode fazer vocês de gato e sapato. Pela mensagem que vocês sub-comunicaram, merecem é cuspida na cara e chute no cu. (*)

Não é possível uma dupla de partidos ser tão sonsa desse jeito.

Ao invés de usarem rótulos como “terrorista e criadora de campanha de ódio”, contra o governo (e não apenas contra Maria do Rosário), surgem feito criancinhas choronas chamando-a de “admirável, mas irresponsável” e somente pedindo explicações?

Merecem ser esculachados, ridicularizados, e, sinceramente, quem é da direita e ainda aposta suas fichas nessa esquerdinha moderada composta por PSDB e DEM só merece o rótulo de ingênuo.

Até por que de que adianta a direita se unir para apoiar a esquerdinha moderada de PSDB+DEM se essa duplinha atua com uma estratégia somente aceitável aos que possuem retardo mental?

Eu tenho mais o que fazer, criando conteúdo e conscientização para uma direita que só vai ter alguma maturidade política (em termos estratégicos) daqui uns 5 a 10 anos, do que ficar apostando em cavalo perdedor.

(*) Antes que digam que eu defendo a violência, falo em termos metafóricos. Em um debate, cuspida na cara e chute no cu é o mesmo que esculacho absoluto, com o lançamento de um milhão de adjetivos de escárnio sobre um dos lados da contenda. 

Anúncios

17 COMMENTS

  1. Luciano, depois de muito tempo sem virmos maiores sinais de vida, o pessoal da Marcha das Vadias vai voltar a fazer das suas no dia 25:

    http://www.youtube.com/watch?v=jxf9_byfX54

    http://www.youtube.com/watch?v=zbWkRNtgdfk

    E novamente continua nossa preocupação, pois se uma mulher se declara vadia para o mundo, isso é único e exclusivo problema dela, mas quando se usa crianças como inocentes úteis (e aqui totalmente inocentes mesmo por sequer saberem onde raios se encontram, mas igualmente úteis ao avanço de uma agenda marxista-humanista-neoateísta), a coisa fica pior ainda, uma vez que se está associando alguém sem condições de consentir a algo que tem uma carga muito pesada (imagine um coleguinha de escola falar para uma criança algo como “sua mãe é uma vadia” e a criança não poder responder porque a mãe de fato participou de uma marcha na qual mulheres declaram-se vadias). Pensando nas crianças que ainda não vieram ao mundo, com certeza não gostaria de saber que a mulher que me pôs no mundo, enquanto me esperava, escreveu na barriga que defende o aborto comigo lá dentro, como se eu fosse um brinquedinho do qual se pode dispor na hora em que a dona do ventre no qual me desenvolvo desejar. Note o tamanho da contradição que é uma mulher grávida apontar para sua barriga aos sorrisos defendendo que pode mandar triturar e aspirar a criança na hora em que bem desejar.
    Porém, voltemos aos inocentes úteis que têm condições de consentir ao menos em nível superficial àquilo em que se encontram. Se você olhar a página da edição paulistana do evento, notará que estão usando um Derrida violento ao tentar ressignificar a palavra “vadia” para que supostamente signifique algo bom. Até aí, nada de mais por sabermos que desconstrucionismo é arma usada por filhotes de Gramsci (aliás, valeria a pena não deixar pedra sobre pedra do Derrida em um próximo mapeamento de rotina). Porém, vamos continuar com a análise das imagens e veremos que novamente estão tentando vender a ideia de que é possível acabar com algo que sempre existiu (outra rotina que poderia ser esmiuçada), como a ideia de dizer que a violência não é natural do ser humano e que ela deveria ser erradicada (provavelmente quem estiver sendo vítima de violência vai querer naquele presente momento devolver a violência ou torcer para que um policial chegue e aplique a violência necessária para que o perpetrador fique incapacitado de praticar o ato). Também você notará que ainda estão tentando cavar a falta de que aquela coisa combinada envolvendo o Pânico na Band e o Gerald Thomas para promoção de ambos seria culpa exclusiva do diretor e que o mesmo seria um monstro.

    Vamos perguntar obviamente quem é que está financiando a coisa, ainda mais que é astroturfing com grau de 110% de pureza. Notou como os vídeos e as fotos estão bem produzidos demais para terem sido feitos por amadores ou mesmo profissionais que quisessem porventura ceder parte de seu tempo para algo feito na faixa? Poderíamos falar de crowdsourcing e da venda de camisetas, mas ainda assim fica a impressão de haver mais grana do que simplesmente isso. Logo, acho que iremos ter algo mais produzido do que o de costume (mais ou menos como nas primeiras Marchas no Canadá, mas depois com progressivo empobrecimento, uma vez que a função inocente útil já foi exaurida), mas pode ser que não tenhamos tanta gente quando tal manifestação era modinha.
    Por fim, vamos continuar a pensar que uma multidão de mulheres desnudas protestando contra mulheres sendo vistas como objetos sexuais não deixa de ser o uso dessas mulheres como objetos sexuais desde que ajudem a adiantar uma agenda marxista-humanista-neoateísta.

  2. Lembra dos órfãos de Ceausescu? Pois bem, continua firme e forte na Rússia o tipo de tratamento que crianças sem pai recebem em instituições que tentariam dar um pouco que seja de senso de pertencimento a crianças desamparadas:

  3. “Em uma ação estratégica brilhante, o PT colocou a sua ministra Maria do Rosário para dizer, no Twitter, que os boatos “devem ser da central de notícias da oposição”.

    Como se o PT também não tivesse a sua “central de notícias”. Era só devolver na mesma moeda. Ao invés disso, eu tenho que aguentar o sujeito dizer que tem profunda admiração pela Maria do Rosário, é de cair o cu da bunda (perdoem o palavreado).

  4. Luciano, vc concorda comigo que é impossível a direita ser “extrema-direita” e isso é mera propaganda da esquerda (para a esquerda toda direita é extrema-direita). Afinal… se a direita é pró-vida, pró-religião, pró-valores tradicionais e pró-conhecimento da história e da tradição para iluminar as ações presentes, como ela pode ser extrema no sentido de torturar, desumanizar e matar pessoas? É uma contradição de termos! Se é extremo não é direita!

      • Os anarcocapitalistas se definem como “nem de direita e nem de esquerda”, pelo menos foi assim com a maioria dos que vi.

      • Se tomarmos o esquerdismo como o culto ao estado para a redenção dos problemas, o anarco-capitalismo é a rejeição completa a ele.

        Provavelmente, eles não se considerem direita por não serem conservadores, mas aí confundem direita com conservadorismo.

        Abs,

        LH

  5. Luciano, pérola da semana, não sei se viu…

    http://noticias.terra.com.br/mundo/estados-unidos/eua-jovem-de-18-anos-e-presa-por-relacao-gay-com-adolescente-de-15,9d6ff3a84a1ce310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

    Mulher de 18 anos presa por namorar com outra de 14.
    O que é um claro caso de pedofilia, é tratado como homofobia pela mídia.
    Eles nem se deram ao trabalho de camuflar a mentira, você descobre a sacanagem logo ao ler o título da matéria. ¬¬”

  6. Você cita PSDB e no parágrafo seguinte fala da direita. Fica parecendo que você acredita que o PSDB é de direita (o que sei que não é verdade).

    E outra: o chute no cu fica muito mais bonito falado que escrito, haha. Olavão que o diga… =)

    • Vamos considerar que os militantes gays estejam usando a tal da “falta cavada”, o que sendo comercial com o Neymar acaba sendo um contexto afim. Em todo caso, pelo Febeapá que é a coisa toda, acaba por atrair antipatia (leia nos comentários da notícia e verá inclusive que gays não militantes estão falando contra, uma vez que militantes fazem questão de se confundir com o gay comum e isso pode atrair antipatia por tabela a quem nada tem a ver com isso) e isso pode inclusive ser um tiro no pé daqueles que o movimento gay dá em si (não esqueçamos que movimentos marxistas-humanistas-neoateístas têm uma característica que pouco vejo os não-MHNs explorar, que é a tendência à autodestruição).

Deixe uma resposta