Alguns frames a respeito dos atos terroristas do MPL em São Paulo e a brilhante atuação da PM na repressão a marginais da esquerda

60
157

mpl-3-ato-11_06_19

A mídia de esquerda está chorando pitangas dizendo que a PM se excedeu na violência, especialmente na quinta-feira, 14/06. É o oposto. A PM conseguiu reprimir ações terroristas praticadas contra a população sem causar nenhuma vítima fatal, não dando nenhum mártir para a esquerda radical. Vejam um exemplo da “polidez” dos adeptos do Movimento do Passe Livre.

Manifestante-fogo-de-artifício-480x296

***

A “ética” do Movimento Passe Livre se evidencia em algumas “denúncias” que eles fizeram contra a PM. Por exemplo, quando eles alegaram que um policial teria quebrado o vidro da própria viatura para culpar os terroristas. Entretanto, a verdade é que o policial estava apenas retirando estilhaços de um vidro que já havia sido quebrado pelos terroristas. Um movimento que depende de mentiras para capitalização com certeza boa coisa não é.


@
Os únicos excessos pelos quais a PM pode ser condenada não estão relacionados a manifestantes do MPL. Em relação a estes, a PM foi exemplar ao conseguir conter terrorismo sem dar mártires a eles. Há o caso de um policial que lançou uma bomba de gás lacrimogênio em um apartamento, e outro que atingiu o carro de um senhor de idade que não participava de uma manifestação. Entretanto, estas são baixas de uma guerra civil que foi causada unicamente pelo MPL. Ainda que estes excessos devam ser apurados, nenhum deles foi cometido contra os manifestantes do MPL, que, como se nota, foram tratados até bem demais.

***

Um discurso corrente da esquerda radical é o de que “sem violência, não se faz revolução”. Observem o meme abaixo onde eles tentam vender essa idéia:

foto5

Mas esperem um pouco.

Se eles estão usando esta imagem para justificar os atos terroristas do MPL, então não possuem mais moral alguma para reclamar da ação da polícia. O que a imagem acima detalha deve ser compreendido de forma límpida e cristalina: “para as nossas demandas, a violência, do nosso lado, está moralmente liberada”. Isso automaticamente também legitima a reação violenta contra eles. Parece que o discurso da esquerda ao justificar a violência dos manifestantes não percebeu este pequeno detalhe…

Só que uma coisa é um ato de violência contra um governo que se queira depor. Outra coisa são atos de violência contra cidadãos civis, que não são “o governo a ser derrubado”. Portanto, toda e qualquer metáfora dos esquerdistas defendendo a violência dos terroristas do MPL não se justifica.

***

O prefeito Fernando Haddad convocou uma reunião com os representantes do MPL. Obviamente, serão discutidas formas pelas quais o movimento, financiado pelo governo federal, irá catalizar sua ira contra o governo estadual do PSDB, e livrar a cara do PT. Mais um ponto mostrando que de espontâneo o MPL não tem nada. Em outras palavras: cidadãos paulistanos tiveram sua vida transformada em um inferno durante uma semana não por uma manifestação a favor do povo, mas por atos políticos em favor de um governo extremamente imoral.

***

A foto abaixo dá mais uma amostra da indignidade do MPL:

Clique para ampliar
Clique para ampliar

Esse é o estilo do esquerdista. Tentar obter alguma reação da polícia, por ofensas e atos de vandalismo, para depois se fingir de vítima. Um sujeito desses não tem moral de reclamar, pois está chamando policiais para a briga.

***

As reclamações de jornalistas que tomaram tiros de bala de borracha da PM também não são justificadas. Quem cobre eventos de conflito civil tem duas opções: ficar do lado da polícia ou dos criminosos. Quem optou por ficar junto aos grupos criminosos para protegê-los, assume o risco. Portanto, essa mania de ficar tirando foto mostrando o olho roxo para a câmera não passa de chantagem emocional.

chantagememocional

A coisa é mais grave ainda para o MPL, que usa jornalistas ingênuos como massa de manobra, para ficarem ao lado deles no conflito, para serem vítimas de tiros de bala de borracha, somente para depois usarem isso na mídia para sensibilizá-la. Neste ponto, o MPL se iguala aos islâmicos terroristas que se refugiam em hospitais para atacar o exército oponente. O objetivo é conseguir vítimas civis do lado deles, para comover a opinião pública. Não há nada mais covarde e vergonhoso do que isso.

***

Alguns esquerdistas até aceitam que houve vandalismo, mas somente por uma minoria. Mas a responsabilidade é de quem “organiza o evento”. Portanto, o MPL é culpado de todo e qualquer ato de vandalismo ocorrido nas manifestações organizadas por ele. Alguns deles disseram que “não podem controlar a agressividade da população”. Ora, se não podem, que não organizem um evento. Pessoas que não assumem as consequências de seus atos são as mais perigosas para a convivência em uma sociedade civil.

***

Um dos momentos mais tristes de toda a sequências de vandalismos do MPL é esta cena onde um cidadão honesto atropelou 3 manifestantes para poder ir para sua casa:


@
Triste, no caso, para o dono do carro, que teve sua vida incomodada por baderneiros incapazes de qualquer empatia. Pessoas que após um duro dia de trabalho querem retornar às suas casas não podem sofrer coação. O estado deve assistência psicológica (e depois cobrar os custos do MPL) ao dono do carro, por que as vias de acessos não estavam livres para ele conseguir dirigir. (Atenção: se as vias não estiverem livres por causa de um acidente, ou por congestionamento, não temos um crime. Mas se as vias estão inacessíveis por baderneiros ou terroristas, temos um crime. O motorista, então, foi vítima de um crime)

***

O estado é uma instituição que através da coerção, praticada por violência de gang, nos obriga a entregar dinheiro, na forma de impostos. Por causa disso, é possível que o estado organize o transporte público, cedendo a empresas privadas a execução do serviço, em alguns casos, para melhorar a eficiência. Ou seja, minimizar o dano que causam aos cidadãos ao tirar o dinheiro deles. Diante disso, esperamos ao menos que o transporte público seja de boa qualidade, enquanto empresas ganhem dinheiro pelo serviço prestado.

***

O transporte público sem custo algum aumentaria ainda mais a imoralidade do estado. Isto é, um estado que pratica a coerção para retirar dinheiro à força do cidadão, teria que tirar ainda mais dinheiro. Quem cogita esta hipótese não tem como sequer participar do debate racional.

***

Mas mesmo assim, ainda poderiam fazer uma manifestação. Ou várias. Por qualquer motivo, mesmo pelos argumentos ridículos e estúpidos que eles defendem. Esse é o direito à liberdade de expressão, desde que alguém não desrespeite o direito de ir e vir dos outros. Mas a violência em uma manifestação, impedindo o direito de ir e vir dos cidadãos, é um ato criminoso. Nenhuma manifestação que use de violência tem legitimidade em uma sociedade civil.

Anúncios

60 COMMENTS

    • Quanto eu recebi? Nada. Quanto eu perdi? O dinheiro de meus impostos. 🙂

      Esta foi uma resposta com o controle de qualidade LH, sempre com uma resposta na ponta da língua para neutralizar o discurso da esquerda 😉

      • Não sou de esquerda mas se vc procurou se informar, coisa que parece que não fez, verá que a polícia cometeu inúmeros excessos, atirou em cidadãos que nada tinham a ver com o protesto
        usava gás a torto e direito, sufocando as pessoas que por ali passavam, os manifestantes pediam sem violência e mesmo assim a tropa de choque agiu de tal forma truculenta.

        Há quem diga que os próprios policiais estavam dizendo que tudo ocorria bem até a tropa de choque chegar. Ora, se vc já foi alguma vez em alguma manifestação, deverias saber que a polícia faz de tudo para provocar os manifestantes e muitas vezes ele infiltram os seus no meio do movimento para incentivar a briga.

      • Não sou de esquerda

        http://lucianoayan.com/2013/06/06/rotina-esquerdista-nao-sou-nem-de-esquerda-e-nem-de-direita/

        Será que vocês não tem nem a capacidade de inventarem truques novos em um site de um investigador de fraudes intelectuais da esquerda?

        mas se vc procurou se informar, coisa que parece que não fez, verá que a polícia cometeu inúmeros excessos, atirou em cidadãos que nada tinham a ver com o protesto

        Se você não fosse tão esquerdista, não seria tão enlouquecido a ponto de não notar que em meu texto essa questão já foi tratada. 🙂

        Eu citei os casos de vítimas civis (que não são os terroristas do MPL)… releia e deixe de chilique.

        usava gás a torto e direito, sufocando as pessoas que por ali passavam, os manifestantes pediam sem violência e mesmo assim a tropa de choque agiu de tal forma truculenta.

        Não é o que as imagens da matéria mostram. Há exemplos de um sujeito com fogos de artifício em mãos e outros obstruindo uma via pública. Então, os terroristas do MPL cometeram violencia.

        Há quem diga que os próprios policiais estavam dizendo que tudo ocorria bem até a tropa de choque chegar. Ora, se vc já foi alguma vez em alguma manifestação, deverias saber que a polícia faz de tudo para provocar os manifestantes e muitas vezes ele infiltram os seus no meio do movimento para incentivar a briga.

        Mas o que a imagem da matéria que postei mostra é algo totalmente diferente. Há um sujeito provocando a polícia, e não o contrário.

        O resto é teoria da conspiração de tua parte.

        Abs,

        LH

      • Já que não to conseguindo clicar em “resposta” ao Pablo, deixo minha pergunta aqui mesmo: qual mídia devo confiar? Me envie o link porque quero me informar tão bem quanto você.
        Aliás, cuidado com as evidências em contos. Antes que você diga que estava lá e viu tudo.

        Abraços.

      • Uma boa mídia? aqui em porto alegre-rs, a menos tendenciosa é o SUL21. E outra coisa, uma boa mídia nao existe, mas vá em Google e clique em Notícias… ali sempre tem uns sites pequenos, mas de grandes notícias… o jornal METRO é um bom jornal o Correio do Povo é mais ou menos…. mas a melhor fonte de notícias é o Facebook.

      • O ponto é: SIM!!! Há excessos, mas é uma minoria… a polícia foi quem mais cometeu os excessos ai o próprio prefeito reconheceu… e não me venha com essas fontes que vc postou ai, essa PiG que aliena as pessoas… e só para constar eu nao sou de esquerda e nem de direita… ainda que eu comparta em partes com ideais do PSOL, mas também há ideais do PSDB que comparto que é a privatização, por exemplo. Para mim estatais só servem para cabide de emprego, mas isso é outro assunto.

      • Pablo, já te disse que neste blog fraude de esquerdista não passa, quer ver?

        O ponto é: SIM!!! Há excessos, mas é uma minoria… a polícia foi quem mais cometeu os excessos ai o próprio prefeito reconheceu…

        Eu não acredito que li uma besteira tão grande!

        Como pode o prefeito de SP “reconhecer” o excesso da polícia ESTADUAL (e não municipal). É claro que ele faz isso, exatamente por que é do PT, e está SENDO BENEFICIADO pelo MPL.

        Chamar um chefe de gang para julgar a moralidade da ação dos membros de sua gang é o cúmulo da cara de pau, não acha? Não, você nem percebe o quanto é safado…

        e não me venha com essas fontes que vc postou ai, essa PiG que aliena as pessoas… e só para constar eu nao sou de esquerda e nem de direita…

        Minhas fontes ao menos são fontes, e as tuas? Do chefe de gang. rs.

        Aliás, essas táticas de vocês eu conheço há muito tempo, pois eu já publiquei uma série sobre Saul Alinsky aqui, onde ele defende que vandalismos levam à prisões curtas e são úteis como forma de obtenção de poder.

        e vc é de EXTREMA-esquerda, não tente nos enganar…

        http://lucianoayan.com/2013/06/06/rotina-esquerdista-nao-sou-nem-de-esquerda-e-nem-de-direita/

        ainda que eu comparta em partes com ideais do PSOL, mas também há ideais do PSDB que comparto que é a privatização, por exemplo. Para mim estatais só servem para cabide de emprego, mas isso é outro assunto.

        essa mistura de “ideais do PSOL com PSDB” não convence.

        Vá tentar enrolar outro. 🙂

    • Você vem com o tal papo de “Pig” (utilizado por adolescentes do facebook), e não tem uma fonte boa? Você não confia 100% nos jornais que você citou, muito menos eu confio 100% nos que eu citei. Mas ai estão as fontes. De diferentes jornais. Tem algo pra contrariar o que tá escrito lá? Se um cara lhe dar um soco, você dará apenas um soco nele e vai esperar ele dar outro pra depois você dar outro?
      Citei as fontes mostrando que os “protestos” começaram com vandalismo. Não vi as suas.
      Não é porque o jornal é pequeno que vai ter “grandes notícias”. Não é porque o jornal é grande que vai ter “pequenas notícias”.
      Facebook? Meu pai…
      Notícias no google? Meu pai…
      Há dois modos de aparecer aquelas notícias ali: ou os jornais pagaram ou aparecerão os mais acessados. Os mais acessados é o básico: ad populum. Os que pagaram não precisa comentar.

      Vou te mostrar como funciona seu discurso: “qualquer fonte que você me trouxer contra o que eu penso é da mídia golpista; qualquer fonte que você me trouxer a favor do que eu penso é da mídia do bem.”

      Sem mais.

  1. Pode parecer piada mas é serio, a Folha de S. Paulo deveria fornecer óculos de segurança para repórteres trabalhando em zonas de conflito.

    • Não houve excessos da PM, os excessos foram do movimento de extrema-esquerda, passe-livre. Estes sim, toscos, vândalos, bárbaros e violentos. Como se devolve a ordem pública com essa turba de ignorantes? O que exisitiu e tardiamente foi a reação da polícia à violência militante. O resto é papagaiada distorcida do pensamento engajado esquerdista. Nada mais.

  2. Que covardia isso que o MPL fez contra o motorista, coitado dele que teve que tirá-los da frente para conseguir ir para a sua casa. Quem ver o vídeo notará que os terroristas ainda corriam atrás dele para linchá-lo. O cidadão honesto paga imposto e ainda é coagido em uma via pública por esses baderneiros. A polícia tinha que derrubar uns 10 para ver se acalmam, pois esse movimento é de marginais.

  3. Outro link revelador:

    https://www.facebook.com/events/591775110856969/permalink/593786347322512/

    “Já paramos a 23 de maio, a 9 de julho, av. Paulista, Rebouças, Faria Lima e Marginal pinheiros. Hoje foi o terceiro congestionamento do ano e terça-feira vai ser maior!”

    Eles confessaram que são criminosos e que causaram um congestionamento por interrupção das vias públicas. Já há motivo para prender todos os organizadores do MPL, devíamos entrar com uma ação popular contra essa gang.

    • Temos também este outro, ainda no segundo ato e cujo conteúdo é aterrador:

      fizeram tudo certo mas ainda acho que vocês foram moderados demais, até parece que a polícia e os políticos iriam se intimidar com cones queimados, cadê os morteiros e as panelas de pressão com pregos?

      Já tivemos rojões na horizontal (rojões, como sabemos, são chamados de morteiros em alguns lugares). Por ora não tivemos panela de pressão com pregos dentro e sabemos que só de pensar nas vítimas da Maratona de Boston o poder de algo assim é muito grande e dizer algo como isso é de uma insensibilidade sem tamanho.

  4. O povo que destroi patrimonio publico tem fezes na cabeça pois tenho certeza que esses danos serão repassados em impostos e afins,pois os politicos não pagaram nenhum centavo de seus bolsos.

  5. Luciano, eis que havia lido a postagem do Implicante sobre o assunto e, em um dos comentários, falavam sobre certos paralelos entre o que o Passe Livre está fazendo com aquilo que ocorreu na invasão da reitoria da USP (da qual você já falou um pouco). Seria importante, talvez até em uma postagem dedicada, falar de certos paralelos que estão acontecendo entre o momento atual e o da invasão da reitoria da USP:

    1) Começaram com um pretexto aparentemente defensável por todos (aumento de tarifa no MPL, prisão de usuário de maconha na Reitoria);

    2) Fizeram um fuzuê inicial que aparentemente era relacionado aos ocorridos;

    3) Com o progresso da coisa, tomaram atitudes tresloucadas (invasão da reitoria no caso da USP, marchas sem trajeto definido e com ação de black blocks no caso do MPL), de maneira a chamar a atenção do grande público e da polícia (afinal, no caso do MPL vimos a coisa crescer a tal ponto que mesmo muito antes da marcha anunciada via-se PM em peso em diversos pontos estratégicos;

    4) Arrumou-se um pretexto para que o motivo do protesto mudasse (a alegação de o policiamento ser ilegal no câmpus e que aquilo era permitido pela reitoria no caso da USP. No caso do MPL, por ora o pretexto que estão usando para o novo direcionamento que lentamente aparece são os tais excessos da polícia, a ponto de agora se tentar progredir para o pedido de impeachment de Alckmin);

    5) Sob esse novo pretexto, estão tentando o que aparentemente seria um desenrolar da coisa, mas era o motivo inicial que não estava sendo dito porque tiraria o ímpeto e faria as pessoas se sentirem otárias (lutar contra o Rodas no caso da USP, lutar contra o governo do PSDB no caso do MPL);

    6) Coincidentemente, esse novo objetivo de luta muito beneficia alguém que disputa um poder que não possui (LER-QI, MNN e partidos de extrema-esquerda no caso da USP, PT no caso do MPL, mesmo que tenhamos visto xingamentos a Haddad, mas aqui pensando no governo estadual).

    Claro que o caso do Passe Livre é mais complexo, uma vez que o ambiente na USP por si só torna mais fácil a busca de pessoas que aceitassem invadir a reitoria. No caso do que estamos vendo em São Paulo, foi preciso que primeiro se atraísse a atenção do público (com a penalidade de os black blocks, ausentes no quarto ato, terem queimado o filme do movimento, ainda que aqui pudéssemos considerar uma queimada controlada). As pessoas estão olhando apenas e tão somente os tais R$ 0,20 e estão achando que a culpa é toda da prefeitura e do governo estadual (porém, não notam que se o protesto fosse não por mais subsídios, mas menos impostos que impactem diretamente o valor, daria para fazer cair o valor se a redução dos impostos fosse diretamente repassada). Com isso, arregimentou-se gente que foi de boa fé para as passeatas (mesmo com as três primeiras ações tendo os atos de vandalismo calculado), que estava acreditando em um protesto que de fato se concentrasse nisso.
    Seria importante que se avisasse que o MPL quis descumprir o que havia sido prometido inicialmente com a PM, que era sair do Teatro Municipal e ir até a praça Roosevelt. Eis que vimos naquele vídeo do tenente-coronel Ben-Hur elogiando o pessoal o cara do Passe Livre falando que queria ir até a Assembleia Legislativa (sendo que a sede da prefeitura paulistana estava mais perto a quem estivesse na altura da Roosevelt). Logo, ele estava querendo descumprir o que havia sido acertado anteriormente e, estranhamente, querendo ir para algo de esfera estadual que estava muito longe a pé, sendo que há algo municipal que estava muito mais próximo.

    Ainda assim, dentro do xadrez que está a coisa toda, por ora a desocupação da reitoria teve mais destreza do que aquilo que vimos no quarto ato do Passe Livre, pois não forneceu pretextos que pudessem aproveitados pelos marxistas-humanistas-neoateístas. Temos a matéria do Jornal Nacional que mostra o momento exato em que começou a confusão, em 1min35 de vídeo, e aquilo que antecedeu envolvendo a tentativa da liderança em descumprir o que foi acordado, fora o pós-início de confusão, com o cara soltando rojão na horizontal em direção à confluência Consolação-Maria Antônia-Cesário Mota Júnior. No caso da desocupação da reitoria, foi uma ação perfeitíssima, pois ficou bem claro que quem estava disposto à violência era o outro lado (vide coquetéis molotov apreendidos, bagunça no interior do prédio e desenhos insinuando que se virasse carros da corporação).
    Pelos vídeos que vemos no YouTube em que profissionais de imprensa foram atingidos, há um em que se vê que os fotógrafos ficaram nitidamente fora da linha de tiro da PM, que deveria estar no sentido centro da Consolação, enquanto eles estavam no sentido bairro e também na Cesário Mota Jr.:

    http://www.youtube.com/watch?v=u8iKqJXJCV4

    http://www.youtube.com/watch?v=31sISHVdT7c

    Não esqueçamos que veículos de imprensa iriam preferir seus repórteres mais experientes, fora uma câmera de uso profissional ter lente grande o suficiente para se saber que alguém está a trabalho. Como não estamos em situação de guerra ou de Faixa de Gaza, sequer daria para a PM alegar que poderia confundir uma teleobjetiva com um lançador de mísseis. E mesmo a menor lente reflex continua tendo diâmetro muito maior que o de um rojão. Observe-se que pelo posicionamento daqueles fotógrafos pelo lado da Cesário Mota (tendo uma ladeira, prédios abaixo do nível da rua e um prédio de esquina), os mesmos estavam tomando atitude protetiva e ficando claramente longe da linha de tiro policial. Logo, temos de estranhar quando um policial, que deveria estar mirando para o lado da Caio Prado, atira justamente onde estavam os fotógrafos. É diferente do que acontece neste vídeo, em que de fato o fotógrafo estava na linha de tiro da PM:

    http://www.youtube.com/watch?v=fyppJexVAAk

    Policiais podem ter sim interesse em que suas ações não sejam registradas (vide as famosas mãos na lente quando estão perto), por saberem que cada imagem é uma prova daquilo que fizeram. Aqui também não é à toa o lançamento de uma bomba de gás lacrimogêneo dentro de um prédio da Roosevelt justamente quando viram que alguém registrava a ação que estava a uns 20 ou mais metros abaixo daquele pavimento:

    http://www.youtube.com/watch?v=VxerZMZs1cw

    Se a ação era térrea, por que deliberadamente jogar gás lacrimogêneo dentro de um ambiente fechado e a uns belos metros acima de onde estava ocorrendo aquilo a que o Choque devia se ater? Observe-se inclusive que no momento em que eles jogam a bomba de gás lacrimogêneo dentro do apartamento, a praça estava bastante vazia e não havia motivo aparente para dispararem daquele lado (observe-se inclusive que dessa vez pouparam os fotógrafos que registravam o que ocorria).
    Ainda que Haddad e PT queiram capitalizar em cima, também iriam querer o mesmo Alckmin e PSDB, sendo que no caso do lado que cuida do governo estadual há o comando da PM. Continuo com o receio de que os tucanos querem se mostrar como gambiarra na qual alguém não-MHN poderia votar (em que pese os tucanos fabianarem) e acharam que seria de agrado algo bem feroz. Porém, como sabemos bem, não é porque alguém não é MHN ou mesmo é conservador que vai aprovar o “tem de sentar a borracha”. Não houve a formação de um mártir como alguns desejariam para fazer capitalização como fizeram na Primavera Árabe, mas é nítido que a polícia andou sobre um fio de navalha mais afiado do que aquele sobre o qual deveria andar. Irão também usar contra a polícia o fato de ela própria ter confessado que infiltrou integrantes da corporação à paisana para vigiar as coisas mais de perto (aqui pensando em identificar mais facilmente os vândalos sem chamar a atenção), ao que poderão dizer que há chance de ser estopim provocado pela própria corporação para justificar suas ações posteriores. Logo, a cada detido, é preciso que se diga quem é o mesmo com detalhes, bem como se identifique o quanto antes cada um que for flagrado fazendo algo, justamente para que não reste dúvida de que não é policial passando-se por vândalo.

    A preocupação que tenho é com as pessoas comuns que estão indo a essas marchas de boa fé e sem saber que as convocações das mesmas são só para que se tenha o impacto da multidão (uma vez que se fossem só MHNs teríamos só meia dúzia de gatos pingados e sequer um coreto para ocupar por completo, que dirá uma praça pequena). Essas, que não sabem quem são Gramsci, Marcuse e Foucault e muito menos sabem que boa parte das próprias ações do marxismo cultural já estava prevista no marxismo clássico (vide Marx falando que mulheres têm de ser coletivizadas, algo cumprido à risca nas fileiras das FARC, e não falo aqui de estupro, ou então Stalin e Fidel perseguindo homossexuais, algo que era chamado de distorção burguesa desde os primórdios dos trabalhos do Karl em questão), estão indo às manifestações pelas razões periféricas (os tais R$ 0,20 de aumento e, agora, também os erros da polícia que geraram feridos) e sem saber podem estar sendo a massa que o movimento deseja que seja agredida (novamente lembro que temos de prestar atenção ao que ocorrer na periferia da massa, pois é lá que costumam agir os black blocks, que depois correm para dentro da muvuca para que a borracha cante para quem não tem nada a ver). É muito difícil fazer com que as pessoas abram os olhos em relação a isso (já disse em comentário anterior que MHN de carteirinha é mais fácil de lidar do que pessoa comum que propaga marxismo-humanismo-neoateísmo sem notar que o faz, pois essas brigam contigo e se baseiam justamente nas aparências superficiais da coisa). Em relação à polícia, que ela consiga fazer as coisas com o grau de talento que teve na reitoria uspiana (aquela ação sim foi irrepreensível e não gerou qualquer objeção que se pudesse dar).
    Ao dono do blog, assim como ele fez uma série de postagens falando de menores e criminalidade quando dos assassinatos do estudante e da dentista, seria bom que nesta semana houvesse uma certa dedicação ao desenrolar do Passe Livre, pois já estamos vendo a lenta mudança de objetivo (ao que já há o exemplo anterior da ocupação da reitoria da USP com algumas analogias, mas sendo o caso do MPL bem mais complexo). Segunda-feira será momento crucial, pois temos a manifestação programada para o Largo da Batata e também a entrevista dos líderes do movimento no Roda Viva (tenho a impressão que mesmo se os entrevistadores forem simpáticos à causa e não baterem muito, poderemos ver os caras se embananando se forem feitas as perguntas certas, isso se não os virmos se expressar de maneira bem pobre).

    • Cidadão,

      Você está certo em todas as suas críticas em relação aos erros estratégicos da PM. A PM deve tomar um cuidado extremo em ações políticas terroristas, como as do MPL, pois eles estão prontos para capitalizar. Não devem se enervar com as provocações, e devem estar prontos para filmar todos os atos dos meliantes. Publicarei algo em breve com dicas a esse respeito.

      O terrorismo tem um problema de se exceder tanto que muitas vezes a resposta a ele também é exagerada, pelas dimensões da ameaça. Mas, mesmo assim, a polícia de SP deve se precaver mais.

      Vou dar umas sugestões aqui, que podem ser utilizadas. Algo como a Lei de Miranda, dos Estados Unidos, é uma boa idéia.

      O ideal seria policiais filmando outros policiais fazendo o seguinte questionamento: “Estou comunicando-o formalmente que o sr. está em atitude criminosa, obstruindo uma via pública.” De preferencia com megafones. A partir daí, descer o sarrafo sem dó nem piedade se o sujeito não sair da frente.

      Abs,

      LH

  6. https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc1/1006127_683313398352900_1710425043_n.jpg
    Ta ai… Um exemplo de aglomeração, pacífica, sem criminalidade…

    Com o perdão da paráfrase, o estado deve assistência psicológica (e depois cobrar os custos dos impostos exorbitantes que você, eu, e todo brasileiro paga) a mim, por que as vias de acesso do metrô não estavam livres para eu conseguir embarcar. Era uma aglomeração de pessoas desorganizada, mal educadas, me empurrando e beirando o terrorismo por um lugar no metrô – a violência, impedindo o direito de ir e vir dos cidadãos, é um ato criminoso.

    O que acha de criminalizarmos o responsável por essa baderna no metrô de São Paulo?

    • Podíamos criminalizar a esquerda por tudo isso.

      O ideal seria ceder todas as linhas à iniciativa privada e cobrar que elas atuem em capacidade necessária. A iniciativa privada, sendo orientada a construir linhas para aproveitá-la, com certeza já teria reduzido o problema da falta de metrôs em SP.

      Mas a esquerda é assim: cria os problemas, para reclamar deles depois, somente com o pretexto de inchar o estado.

      Não é?

      http://lucianoayan.com/2013/06/15/o-esquerdismo-sob-a-otica-da-dinamica-social-ou-como-nunca-mais-se-surpreender-com-noticias-nos-mostrando-que-mais-um-pais-de-esquerda-vira-uma-ditadura-formal/

      • Luciano, ainda falando de uma eventual série de postagens que você faça sobre o Passe Livre, seria uma boa tentar desarmar o lance que eles falam de que vandalismo não seriam lixeiras jogadas no chão e lixo incendiado ou pichações e vidros quebrados, mas sim vandalismo seria esperar metrô e ônibus lotado, que vandalismo seria ser carregado como gado em um ônibus em más condições e outras alegações que estamos vendo ser reproduzidas em redes sociais.
        Com certeza ninguém quer que essas coisas (tanto o vandalismo em si como o transporte precário) aconteçam, mas há uma substancial diferença entre depredar patrimônio (aqui incluindo ônibus, como os pichados e com vidros quebrados durante as manifestações) e o serviço de má qualidade que as pessoas recebem. Dizer que é vandalismo aquilo que as pessoas sofrem ao pegar o transporte público cai em um Derrida daqueles.

  7. Luciano, você não vai falar nada a respeito do Fortaleza Apavorada, que no mesmo dia do quarto ato do Passe Livre reuniu na capital cearense praticamente o mesmo número de pessoas protestando contra a violência (sem qualquer recorte de cor, sexo ou sexualidade) e pedindo providências ao governo estadual de lá? A marcha em questão (que, ao que vi, de fato é apartidária) transcorreu na maior das pazes (ainda mais que um protesto contra a violência ficaria desmoralizado se alguém na massa começasse com arruaça), foi bem organizado e respeitou o trajeto estipulado.
    Levando em conta que Fortaleza tem menos gente que São Paulo, na prática levar o mesmo número de pessoas à rua é muito mais representativo de uma vontade geral popular do que o que estamos vendo no MPL. Espero eu que os organizadores do Fortaleza Apavorada continuem distantes de política partidária ou mesmo certos tipos de política aparentemente apartidários, pois combate à violência sem recortes específicos é algo amplo o suficiente para que uma diversidade de pessoas com opiniões diferentes queira o mesmo objetivo.

    Se algo como isso for rastilho para ações parecidas em outros estados, considero justo, ainda mais sendo esse um problema amplo. Pode haver alguns erros nos discursos de alguns, como a história de achar que controle de armas está ligado diretamente à redução de criminalidade, mas ainda assim o todo da coisa vale uma olhada mais profunda. Pelo que vi, os marxistas-humanistas-neoateístas haviam descido legal a lenha no protesto em questão, acusando-o de burguês e coisa de classe média, mas o próprio pessoal da organização soube responder à altura.
    No comentário anterior que fiz, há inclusive algumas sugestões que o pessoal de lá poderia seguir para que se potencializasse algo que só foi noticiado pela mídia local (sendo que o simples fato de levar às ruas fortalezenses o mesmo número de pessoas que foram às de São Paulo já é um feito e tanto). Dê uma boa olhada na história.

  8. Precisamos questionar o MPL fortemente para dar um argumento lógico e racional para justificar a violência em seus protestos. Eles não conseguem dizer os motivos para a violência deles, no máximo dizem que “não dá para fazer revolução sem violência”, mas não explicam racionalmente por que é impossível.

  9. * provocações de parquinho editadas *

    Obviamente que você (com razão) dirá que não estou argumentando, que estou apenas dando veredicto sem externar os meandros do processo.

    As manifestações em São Paulo não correspondem a nada do que você descreve aqui, elas são em grande parte uma reação a um Estado inchado e só podem ser chamadas de movimento de esquerda por alguém ou ingênuo ou mal-intencionado.

    Esquerdistas querendo capitalizar, vândalos, idiotas úteis, manipuladores políticos sempre estarão presentes.

    Acontece que a linha maniqueísta esquerda-direita, no caso desse fenômeno específico ocorrido em São Paulo, faz muito pouco sentido.

    E só para constar, sempre tem gente infiltrada na direita, na igreja, no caramba a quatro para desmoralizar esses agrupamentos ideológicos, né? Essa lógica se aplica aos manifestantes?

    E outra dúvida: se fosse inteira verdade que os manifestantes são só terroristas, vândalos, etc e tal, de onde deriva o fato dos policiais não serem igualmente “não-confiáveis” e mascararem ações de autoritarismo em meio a uma reação justificada frente a possíveis “terroristas”?

    Se você fosse intelectualmente honesto na sua análise do que ocorreu de fato, externaria que todo esse episódio só mostrou uma total falta de preparo tanto de manifestantes, quanto da população em geral, quanto do Estado, principalmente na figura da polícia, para lidar com a situação.

    Eu estava no meio dessa brincadeira toda e vi manifestantes violentíssimos acuarem pessoas, inclusive a minha, para participarem involuntariamente da manifestação; vi idiotas tacando fogo em tudo o que viam pela frente; vi policiais aterrorizando gente que não tinha nada que ver com as manifestações, tacando bomba e dando tiros de borracha em gente que, inclusive, procurava ir em direção a polícia para se defender; e vi gente, se manifestando legitimamente dentro de um Estado democrático de direito, ser tratada como “inimigo da democracia”.

    Não interessa por quais bobagens lutem as pessoas, elas não podem levar bomba e bala de borracha na cabeça a torto e a direito. Se fosse tão simples quanto um bando de vândalos destruindo tudo…

    • Ah, eu me divirto viu….

      As manifestações em São Paulo não correspondem a nada do que você descreve aqui, elas são em grande parte uma reação a um Estado inchado e só podem ser chamadas de movimento de esquerda por alguém ou ingênuo ou mal-intencionado.

      Se são manifestações contra um “estado inchado”, então por que pedem um PASSE LIVRE, que incharia mais o estado?

      Aliás, a ONG Movimento do Passe Livre é financiada por organizações de esquerda, e a outra organização que agora sustenta o movimento, a tal JUNTOS, tem URL registrada em nome da filha do Tarso Genro. Quem chamou o MPL para um papo legal foi Fernando Haddad. São os fatos, que você não pode negar…

      Esquerdistas querendo capitalizar, vândalos, idiotas úteis, manipuladores políticos sempre estarão presentes.

      Não é que esquerdistas “estão presentes”, mas sim que organizaram a coisa toda. Veja as manifestações promovidas pela direita e note se elas são organizadas para gerar um cenário de guerra civil. Claro que não…

      Acontece que a linha maniqueísta esquerda-direita, no caso desse fenômeno específico ocorrido em São Paulo, faz muito pouco sentido.

      Claro que não, pois é muito fácil rastrearmos uma organização 100% esquerdista de todo esse caos terrorista criado pelo MPL.

      E só para constar, sempre tem gente infiltrada na direita, na igreja, no caramba a quatro para desmoralizar esses agrupamentos ideológicos, né? Essa lógica se aplica aos manifestantes?

      Se tiver gente infiltrada nos manifestantes do MPL para “tirá-los do caminho”, mostre evidências, oras…

      No caso da Teologia da Libertação, é fácil achar evidências de esquerdista infiltrado. Mas se há direitistas infiltrados no MPL, mostre aí…

      E outra dúvida: se fosse inteira verdade que os manifestantes são só terroristas, vândalos, etc e tal, de onde deriva o fato dos policiais não serem igualmente “não-confiáveis” e mascararem ações de autoritarismo em meio a uma reação justificada frente a possíveis “terroristas”?

      Eu não falei de confiabilidade absoluta da polícia, mas sim do fato de que a polícia conseguiu conter uma ação terrorista sem causar vítima fatal nenhuma e não dar mártir para a esquerda. Mas MESMO ASSIM cometeu excessos. Preste atenção em meu texto, pois você não me refutou em nada…

      Se você fosse intelectualmente honesto na sua análise do que ocorreu de fato, externaria que todo esse episódio só mostrou uma total falta de preparo tanto de manifestantes, quanto da população em geral, quanto do Estado, principalmente na figura da polícia, para lidar com a situação.

      Eu citei que a polícia cometeu excessos e citei dois casos (do gás lacrimogênio lançado em um prédio, e de um carro de um idoso que recebeu tiros de bomba de efeito moral), e se esse é teu critério para “intelectualmente honesto”, então você não tem do que reclamar.

      Eu estava no meio dessa brincadeira toda e vi manifestantes violentíssimos acuarem pessoas, inclusive a minha, para participarem involuntariamente da manifestação; vi idiotas tacando fogo em tudo o que viam pela frente; vi policiais aterrorizando gente que não tinha nada que ver com as manifestações, tacando bomba e dando tiros de borracha em gente que, inclusive, procurava ir em direção a polícia para se defender; e vi gente, se manifestando legitimamente dentro de um Estado democrático de direito, ser tratada como “inimigo da democracia”.

      Claro que os manifestantes da esquerda são violentíssimos, e é isso que meu texto diz. E a situação criada por eles foi tão excessiva que a PM, que nos dias iniciais foi exemplar, cometeu alguns excessos nos momentos em que a coisa virou guerra civil. E quem pediu para que as ações fossem cada vez mais violentas no Facebook? O MPL…

      Entao, culpe a eles pela situação causada.

      Não interessa por quais bobagens lutem as pessoas, elas não podem levar bomba e bala de borracha na cabeça a torto e a direito. Se fosse tão simples quanto um bando de vândalos destruindo tudo…

      Quem disse que é só “um bando de vândalos destruindo tudo”?

      Pelo contrário, toda essa confusão causada pelo MPL é uma ação terrorista PROMOVIDA PELO GOVERNO FEDERAL para capitalização política, como sempre.

      Enfim, você não refutou uma linha sequer do meu texto. Aliás, essa série de “frames” da guerra civil causada pelo MPL terá a parte 2 (e talvez a parte 3), em que citarei de maneira mais contundente os excessos da polícia, e de maneira MUITO MAIS CONTUNDENTE as atrocidades causada pelos esquerdistas do MPL.

      Abs,

      LH

  10. Já viu a cena da prisão do jornalista da carta caital – e não foi prisão nenhuma – por portar vinagre? As pessoas alastram sobre isso como despreparo da PM, que o profissional apenas queria se proteger do gás, etc. Ninguém conta, nem mesmo a PM, que Vinagre é usado para fazer bomba caseira. Eles alegam que queria uma utilização, mas a verdade é bem aquela que não é confessada. A PM já sabe que assim como apreender açúcar nas mãos de manisfestantes é necessário para que não façam coquetel molotov é necessário retirar o vinagre. Esse joguinho de informação a PM nem pode revelar, pois imagine os delinquentes descobrirem a finalidade de aplicação.

    E se tiver curiosidade sobre bomba de vinagre, há vídeo que demonstra isso na net. Claro que você encontrará o exemplo “inofensivo”, mas elas existem no exemplo bem ofensivo de uso semelhante ao que se dá ao coquetel molotov.

    • Sou químico, e é mais fácil fazer bomba incendiária de bermuda de tactel do que transformar vinagre em explosivo. Essa manipulação não colou, policial. Melhor vocês confiscarem a roupa dos manifestantes duma vez..

  11. Eu gosto de entender sempre os dois lados, seja o que for, procuro ler e entender os fatos. Até estava concordando com muitas coisas escritas por você. Mas quando chego na parte do ‘motorista inocente que atropelou’, seu texto todo perde o crédito.

    • Releia o texto e veja que não falei em “inocente”. Ele é culpado de atropelamento, por que é um cidadão honesto que havia sido vítima de um CRIME antes, que é de coação de seu direito de ir e vir. Julgar que um texto perde “todo o crédito” somente por que você LEU O QUE QUIS é coisa típica de… ?!

  12. Querem tomar o governo de São Paulo, foi assim que fizeram com a cidade, esses partidecos de esquerda fanática fazem esses protestos, e quando não ganham apoiam o que mais se aproxima dessa luta doente.
    Fiquei nervoso com uns amigos meu que são negros, protestando com a bandeira do porco do che Guevara. Lamentável.

    Luciano, seu site está cada vez melhor, e da para saber já os próximos passos da esquerda com isso.

  13. Luciano, cada vez fica mais claro que a estratégia revolucionária do PT e do Foro de São Paulo para a tomada do poder total do País alcançou um novo patamar:

    1) Assim como os ataques do PCC deixaram a cidade sitiada em 2006 na véspera da eleição ao governo do Estado, desta vez temos marginais e assaltantes cada vez mais violentos (e nós sabemos em quem o PCC vota) o que já deixa o ambiente inseguro; para não repetir o truque de 2006 (seria muita bandeira), os cabeças do PCC ordenam agora que seus membros sejam o mais violentos possíveis, que barbarizem as vítimas, para aumentar a sensação de insegurança nas ruas, minando a popularidade do governo tucano;

    2) Junto com esse clima de violência, juntam-se agora esses protestos oriundos de grupos variados e que supostamente também criticam o PT. Quem conhece a mentalidade revolucionária sabe que esse truque de fomentar a violência contra si mesmos para depois fazer o aproveitamento dialético dos resultados é típico da mente psicopática dessa gente desde os tempos de Lênin; a coisa toda é muito maior do que um protesto de estudantes convocado pelas redes sociais. Até em cursinhos pré-vestibulares particulares, como o ANGLO, os professores estão convocando os estudantes. Vários deles estão dizendo “pessoal, chegou a hora da coisa mudar”. “Leiam a Carta Capital e o blog do Nassif para ficarem informados” e por aí vai. Trata-se de uma ação pensada e dirigida com maestria, que envolve sindicatos, entidades estudantis, poder judiciário, blogs financiados pelo governo, a imprensa amiga etc. É uma coisa que os conservadores brasileiros sequer imaginam como pode ser feita, quanto mais realizá-la na prática. Não tenham a menor dúvida: o Brasil é hoje o maior laboratório de engenharia social de todo o planeta.

    3) O que justificaria essa aceleração da estratégia revolucionária? O fato de que o PT não tem um candidato competitivo ao governo do Estado e até o momento o Alckmin se reelegeria, segundo as pesquisas. Porque é tão importante neste momento para o PT a conquista do Palácio dos Bandeirantes? Porque o ciclo econômico que tanto beneficiou a popularidade do PT nos anos Lula está se esgotando e as barbeiragens do PT na economia não têm mais como serem escondidas por ações de mídia e o apoio da imprensa. A inflação chegou à mesa do brasileiro e com ela vem a insatisfação do povão, o que pode dificultar a reeleição de Dilma, ou mesmo a volta de Lula, no próximo pleito presidencial.

    4) O tema “transporte público” como mote inicial não foi escolhido ao acaso. Se você fizesse uma pesquisa de opinião há 15 anos sobre a qualidade do serviço, a insatisfação seria a mesma de hoje, pois as cidades brasileiras não foram projetadas visando a um serviço integrado de transporte. Nunca haverá uma oferta de transporte público que seja satisfatória pra grande massa, nunca. E ao mesmo tempo é um tema que atrai automaticamente a simpatia de toda a população que precisa e mesmo a que não precisa de transporte público. Os caras são gênios: eles canalizam uma insatisfação popular legítima como remédio para anular a insatisfação que eles criaram com seu desgoverno revolucionário.

    5) Eles vão matar dois coelhos com um mesmo golpe: pavimentam o caminho para o Palácio dos Bandeirantes e desviam a atenção das patifarias que estão cometendo no governo federal. E ainda saem limpos das eventuais mortes que possam ocorrer durante os protestos, que tendem a se tornar cada vez mais selvagens. Pelo que sei, os policiais militares estão no limite da tensão, tendo que cancelar folgas, exceder a jornada de trabalho, sem contar a própria tensão de lidar com manifestantes profissionais. Sem contar aqueles que vêem o movimento com certa simpatia, pois também são povo, também pegam ônibus e estão igualmente insatisfeitos com o transporte. A situação só tende a piorar…

    6) E se essas passeatas degenerarem para um quadro de violência urbana descontrolada, de caos social, com saques a supermercados, depredação generalizada do patrimônio público etc? O PT ganha também, pois aí terá a justificativa para decretar um ato de exceção e mandar a Força Nacional de Segurança para todos os estados da Federação, para “preservar a ordem e o Estado de Direito”, oficializando um governo ditatorial bolivariano no Brasil, com todo o apoio da imprensa e da população em geral, que estará de saco cheio dessa merda toda. E os militares brasileiros não darão um pio, pois evidentemente não querem ser rotulados de “golpistas”.

  14. Luciano Ayan, voce e a direita, como sempre, entendem tudo pelo lado que lhes convém.
    Esse movimento é acima de tudo apartidário e representa uma reinvidacação da sociedade. Trabalhadores estarao deixando de comer para poder pegar onibus para o trabalho e isso eh o absurdo que ngm quer ver (preferem se manter alienados em seu conforto). Eu e muito que estao la nao queremos partidos politicos no meio. É uma luta popular para quebrar esse estado de coisas erradas que estao ai. Não é só 20 centavos, tambem somos contra a corrupção e a PEC 37.
    Esse discurso facista da direita (mais a policia facista) serve para manter o Status Quo, deixando milhoes de paulistanos na situação precaria que se encontram todos os dias, sendo açoitados por uma policia violenta e autoritaria (que foram os que começaram a pancadaria, porque até entao, o movimento era pacifico).
    O povo ja sofreu demais por aqui e esta na hora de fazermos como os turcos fizeram. E como outros jovens arabes lutaram por condições melhores.

    • Estou me divertindo ao deixar a esquerda bufar por aqui, para que meu leitores possam ver como é fácil refutá-los. Eles são definitivamente a escória intelectual da sociedade civil.

      Luciano Ayan, voce e a direita, como sempre, entendem tudo pelo lado que lhes convém.

      Vamos avaliar então agora, não?

      Esse movimento é acima de tudo apartidário e representa uma reinvidacação da sociedade.

      Se é apartidário, por que existe a associação com PSOL e PSTU que são partidos que dão suporte ao PT? E se é apartidário, por que estão indo bater um papinho com Haddad, somente para criar um caos para o PSDB?

      Não, vocês não são “a sociedade”. Vocês são bandidos representantes de um governo corrupto. Essa mania de dizer que se “representa a sociedade” é um truque de abstração que só engana trouxas.

      Trabalhadores estarao deixando de comer para poder pegar onibus para o trabalho e isso eh o absurdo que ngm quer ver (preferem se manter alienados em seu conforto).

      Mentira tem perna curta, e esta eu já refutei aqui:

      http://lucianoayan.com/2013/06/14/peguem-os-lencinhos-aumento-de-r-020-na-passagem-obriga-paulistanos-de-baixa-renda-a-pular-refeicoes-pena-que-mentira-tem-perna-curta/

      Tome vergonha na cara.

      Eu e muito que estao la nao queremos partidos politicos no meio.

      Pelo contrário. Se não fossem partidos políticos de esquerda, o MPL nem teria dinheiro para financiar toda essa palhaçada.

      Aliás, aqui está o financiamento do governo federal (do PT) para o MPL: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/entidade-que-e-dona-de-dominio-do-movimento-passe-livre-recebe-dinheiro-da-petrobras-e-do-ministerio-da-cultura-e-tem-incentivo-da-lei-rouanet/

      Devíamos é processar o estado por estarem financiando o terrorismo de vocês.

      É uma luta popular para quebrar esse estado de coisas erradas que estao ai. Não é só 20 centavos, tambem somos contra a corrupção e a PEC 37.

      Claro que são a favor da PEC 37, pois estão realizando um movimento para ajudar o governo que quer implementá-la. Tudo o que vocês fazem é dar sustentação a totalitarismos.

      Além do mais, passe livre? Quem ainda acredita em “passe livre”? Vocês acreditam que o dinheiro para o transporte público cai do céu? rs.

      Claro que é tudo justificativa para aumentar o inchaço do estado, que é exatamente o que o PT está querendo.

      De novo, vocês acham que enganam quem?

      Esse discurso facista da direita (mais a policia facista) serve para manter o Status Quo, deixando milhoes de paulistanos na situação precaria que se encontram todos os dias, sendo açoitados por uma policia violenta e autoritaria (que foram os que começaram a pancadaria, porque até entao, o movimento era pacifico).

      Sempre a mania do esquerdista de colocar as suas responsabilidades nos outros. O movimento nunca foi pacífico, pois interrupção do direito de ir e vir dos outros é uma VIOLÊNCIA. Logo, a partir do primeiro dia, o MPL já foi violento. A polícia é que demorou para entender isso.

      Quanto ao truque de chamar o outro de fascista, este é um que refutei há muito tempo…

      http://lucianoayan.com/2011/01/09/tecnica-seu-seu-fascista/

      O povo ja sofreu demais por aqui e esta na hora de fazermos como os turcos fizeram. E como outros jovens arabes lutaram por condições melhores.

      Olha os exemplos que o sujeito encontra para comportamento. Grupos radicais islâmicos, que só querem trocar uma ditadura por outra, e não tem noção do que é vida em sociedade civil.

      Podiam copiar o Tea Party, que jamais pregou manifestação violenta. Ao contrário, olham o Occupy Wall Street como exemplo.

      Sabe por que? Por que são ESQUERDISTAS, animais incapazes de viver em uma sociedade civil. Aos poucos temos que abrir os olhos das pessoas para o quanto vocês pessoas com comportamento semelhante a psicopatas.

  15. Mais uma notícia a respeito dessa história do Passe Livre: a entrevista de Luiza Erundina ao Brasil Econômico e reproduzida pelo iG. Aqui pode haver o marxismo-humanismo-neoateísmo que pode ser usado como inocente útil no combate ao marxismo-humanismo-neoateísmo. A ex-prefeita defende a tarifa zero (não poderia deixa de ser diferente se pensarmos que ela defendia isso quando no poder). Ela também critica Haddad (lendo o que ela diz e lembrando de sua desistência de ser vice pelo apoio vindo de Maluf, ela deve estar sentindo a sensação do inocente útil que foi deixado para trás por correligionários), ainda que ela acabe colaborando com ele involuntariamente ao dizer que deveria chamar os líderes do movimento para uma conversa (pelo que sei, ele já convidou o pessoal do Passe Livre para a próxima reunião do Conselho da Cidade, na terça). Além disso, pensando no viés fabiano do PSDB, também há uma crítica à ação da polícia (ainda que aqui se venha com o papo de que seria chamar a PM para resolver problemas sociais, sendo que a corporação em questão não é de assistentes sociais e de fato tinha de ficar atenta ao que ocorresse, em que pesem os muitos erros que vimos na quinta).
    Segue também o monitoramento da provável guinada antecipadamente pensada para que só se combata o governo do PSDB, como se pode ver nesta postagem de Ronaldo Bressane sobre a postura da polícia na noite de quinta. Veja-se também a entrevista que Haddad deu ao Nassif e que foi publicada hoje:

    http://www.youtube.com/watch?v=zGi_LMxbNao

    No mesmo GGN, temos isto.

  16. Esse pessoal da esquerda metido a revolucionário é burro até dizer chega.

    “Carlos, Que Papelão e Pablo” = Os três patetas.

    Dizem que lutam contra o Estado quando na verdade estão lhe prestando um imenso favor. Isso por que a pauta da reivindicação – “tarifa de transporte público grátis” – só serve para aumentar a responsabilidade e o controle do Estado sobre a sociedade.

    “Estado com mais responsabilidade” é igual a “Estado com maior arrecadação de impostos” que é igual a “Estado com maior número de burocratas”.

    Eles querem enfraquecer o dragão alimentando ele.

    Tentam abater a fera dando-lhe carne.

    Vocês são igual mulher de malandro. Mulher de malandro apanha do cara, mas continua com ele na esperança que ele a trate com mais dignidade.

    Vocês apanham do Estado mas continuam com ideais que no final das contas só serve para aumentar o tamanho do Estado. E quanto maior ele fica mais ele vai bater em vocês.

    Vocês merecem as borrachadas que levam da PM.

    • Para mim, o discurso deles nesse sentido não tem valor nem de um peido. Além do mais, foram eles que incentivaram a violência no próprio site deles.

      Não acredito em uma palavra deles em que vão “conter os seus”.

      Abs,

      LH

  17. “Se é apartidário, por que existe a associação com PSOL e PSTU que são partidos que dão suporte ao PT? E se é apartidário, por que estão indo bater um papinho com Haddad, somente para criar um caos para o PSDB? Não, vocês não são “a sociedade”. Vocês são bandidos representantes de um governo corrupto. Essa mania de dizer que se “representa a sociedade” é um truque de abstração que só engana trouxas.”

    É apartidario porque eh uma reivindicação popular e nao um projeto oportunista de algum partido. Ja falei, e continuo afirmando, qlq partido q tenta levar credito nao sera bem aceito, mas como somos um movimento democratico nao escolhemos quem pode ou nao participar, nao ha censura. E o papinho com o Haddad é com o objetivo de conseguir a redução da tarifa e nao por alguma teoria da conspiração reacionaria. Pois os “trouxas” aqui estao la fora lutando por melhorias e sendo tratado como criminosos por expressar nossos direitos enquanto gente q nem vc, do conforto de suas casa, pouco se lixam para os problemas que sufocam os milhares de trabalhadores. É uma serie de merdas que veem acontecendo e chegaram no limite.

    Mais uma vez vc mente ao caracterizar manifestantes como violentos quando todos ja sabem que a PM iniciou o ataque. A reação da policia lembra os dias da ditadura militar, com policiais truculentos e mal preparados atirando e arremessando bomba contra os cidadaos. Nao ha o que vc diga que contrarie os fatos. Varios videos e relatos (desde manifestantes ate jornalistas) mostram a truculencia, como foi o caso do jornalista Pedro Ribeiro que foi espancado de modo covarde (vai negar?) e policiais revistando as pessoas a procura de vinagre (ilegal agora?). Os mesmos policiais que atiram primeiro e perguntam depois (bandido bom é bandido morto, nao eh mesmo?).

    Nao somos so nos, os outros paises estao do nosso lado e estao vendo o que se passa aqui. Chegou a hora de mudanças, quer vc queira ou nao.

    • De novo vamos pescar as mentiras de Carlos, o marxista…

      É apartidario porque eh uma reivindicação popular e nao um projeto oportunista de algum partido.

      Aqui você não vai enganar ninguém.

      Prova de que o governo federal (do PT) financiou a organização Passe Livre: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/tag/alquimidia/
      Prova de que Luciana Genro é dona do domínio da Juntos: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/descoberta-a-origem-de-mais-um-grupo-que-ajuda-a-tocar-o-terror-em-sao-paulo-vejam-ou-eles-trocaram-marx-por-uma-mistura-de-lafargue-com-bakunin/

      Acabou, Carlos. A gang está junta: PT, PSOL, PCdoB, PSTU e PCO.

      Não dá para ser mais partidário que isso…

      Ja falei, e continuo afirmando, qlq partido q tenta levar credito nao sera bem aceito, mas como somos um movimento democratico nao escolhemos quem pode ou nao participar, nao ha censura.

      É engraçado ver um fraudador intelectual tentando enganar um especialista em identificação de fraudes intelectuais da esquerda. 🙂

      Não temos partidos “tentando levar crédito”, mas sim financiando o movimento Passe Livre e a Juntos.

      Os fatos estão ali.

      Você recebeu alguma parte dos 700.000 reais que foram destinados do governo para a Alquimídia? Senão, tu é tonto…

      E o papinho com o Haddad é com o objetivo de conseguir a redução da tarifa e nao por alguma teoria da conspiração reacionaria.

      Não é conspiração alguma, são os fatos. o Partido dele financiou o Movimento Passe Livre. É claro que a reunião é apenas fachada.

      Pois os “trouxas” aqui estao la fora lutando por melhorias e sendo tratado como criminosos por expressar nossos direitos enquanto gente q nem vc, do conforto de suas casa, pouco se lixam para os problemas que sufocam os milhares de trabalhadores.

      Nada, vocês estão lutando para dar poder totalitário ao PT e é só para isso que vocÊs servem. Talvez você ganhe uma boquinha depois, talvez não. Ou é só massa de manobra mesmo, aí eu só tenho pena de você.

      Você nunca se importou com problema de ninguém, apenas vive de fazer chantagem emocional para dar poder ao PT.

      Mais uma vez vc mente ao caracterizar manifestantes como violentos quando todos ja sabem que a PM iniciou o ataque.

      O mentiroso é você. Eu já argumentei que obstrução do direito de ir e vir é uma VIOLÊNCIA cometida pelo MPL desde o primeiro dia dos protestos, e vocês fizeram isso, prejudicando a vida de muitos trabalhadores que queriam voltar para casa após um dia duro de serviço.

      A PM, se tivesse desobstruído as vias públicas imediatamente, teria tido melhores resultados. Ela foi mole demais, tolerando 3 dias de obstrução de vias públicas.

      A reação da policia lembra os dias da ditadura militar, com policiais truculentos e mal preparados atirando e arremessando bomba contra os cidadaos.

      Nada, a reação da polícia, se teve alguns excessos, foi porque o MPL usou escudos humanos em civis inocentes. Mais um sinal da indecência moral dos que compõem este movimento.

      Nao ha o que vc diga que contrarie os fatos. Varios videos e relatos (desde manifestantes ate jornalistas) mostram a truculencia, como foi o caso do jornalista Pedro Ribeiro que foi espancado de modo covarde (vai negar?) e policiais revistando as pessoas a procura de vinagre (ilegal agora?).

      Os fatos mostram que durante 3 dias o MPL teve o monopólio da violência, obstruindo as vias públicas e depredando o patrimônio público. Atos terroristas para ajudar o PT.

      O “jornalista” Pedro Ribeiro estava envolvido com manifestantes, e, em relação ao vinagre, havia a suspeita de que seria usado para explosivos. Mas a PM pesquisou melhor e não irá mais banir o vinagre, pois entendeu que o vinagre tem pouca eficiência como explosivo.

      Agora sim, neném, pode levar vinagre, pois sabemos que vocês não tentarão matar ninguém com ele. Mas se levarem explosivo bombas com pregos, tem que ser presos sim.

      Os mesmos policiais que atiram primeiro e perguntam depois (bandido bom é bandido morto, nao eh mesmo?).

      Não adianta chorar por que vocês não conseguiram nenhum mártir no protesto.

      Nao somos so nos, os outros paises estao do nosso lado e estao vendo o que se passa aqui. Chegou a hora de mudanças, quer vc queira ou nao.

      Que outros países? hehehehe… Manifestantes islâmicos radicais de Turquia e de países da “Primavera Árabe”? Que fazem manifestações para implementar regimes mais radicais e anti-imigrantes ainda? Tem certeza que quer se colocar no mesmo “frame” que eles? PAra mim está ótimo, pois eu defendo que esquerdismo é uma religião política comparada ao islamismo radical…

      Além do mais, o PT está há 10 anos no poder do governo federal, e se vocês lutam para garantir que eles fiquem lá com poder totalitário, é óbvio que você é o conservador da história. Você luta por estagnação, enquanto eu defendo a mudança.

      • http://www.youtube.com/watch?v=TvtmaL3rSLI

        http://www.youtube.com/watch?v=043RmwFwero

        So porque estava com os manifestantes merecia apanhar? Vc tem provas de que ele foi violento?

        Entao todos os manifestantes eram violentos? Entao dizer que toda a PM eh violenta é errado, mas quando se trata de manifestantes você os coloca todos do mesmo lado? Fora o numero de prisoes ilegais, entre outros abusos devidamente registrados. Voce deve saber bem,pois estava la…só que nao estava né?. Alias, cade as provas de que foram usados civis inocentes como escudos humanos?

        Se teve alguem que obstruiu a passagem foi a PM e nao os manifestantes. Ninguem defende atos de violencia e a maioria dos que estavam la eram pessoas pacificas protestando, mas vc ignora esse detalhe.

      • Ei, idiota, eu não disse que “jornalistas mereciam apanhar” por estarem alinhados com os terroristas, mas sim que ACEITARAM O RISCO por terem ido cobrir um cenário de conflito entre dois grupos em conflito.

        No primeiro vídeo, a perspectiva está sendo feita somente a partir da câmera filmando a polícia, portanto não temos uma panorâmica mostrando a “inocência” do grupo no qual estavam jornalistas. Aparentemente, haviam terroristas no meio dos jornalistas.

        No segundo vídeo, temos uma perseguição a um grupo de baderneiros que estavam obstruindo vias públicas, e o tal “jornalista” Pedro Henrique aparentemente optou por fazer a cobertura no meio deste grupo. Por que será, hein?

        Nós sabemos a resposta, mesmo que você faça toda uma encenação.

        Em relação a obstrução de passagem, há um vídeo mostrando um motorista atropelando manifestantes do Passe Livre…

        http://lucianoayan.com/2013/06/16/alguns-frames-a-respeito-dos-atos-terroristas-do-mpl-em-sao-paulo-e-a-brilhante-atuacao-da-pm-na-repressao-a-marginais-da-esquerda/

        No vídeo, temos uma evidência incontestável de que na terça-feira, muito antes da polícia cometer qualquer ação violenta, os terroristas obstruíam a passagem.

        http://youtu.be/e-jPz6LyeSg

        Aos 0:08 do vídeo, a posição corporal dos terroristas mostra A OBSTRUÇÃO DAS VIAS PÚBLICAS, constituindo ato de ameaça e violência. Você pode negar o quanto quiser, mas não vai conseguir.

        O fato é que eu defendo o direito à manifestação. Se vocês quiserem manifestar dois meses seguidos, de manhã à noite, ótimo. Façam barulho, pendurem melancia na cabeça, mas sem violência, pois estamos em uma sociedade civil em um mundo civilizado (não comparemos com o universo do islamismo radical, pois aquilo não é sociedade civil).

        Mas quando o MPL apóia e endossa a violência, especialmente financiada pelo PT e seus aliados, temos um problema não só criminal como moral.

        OS atos do MPL são injustificáveis, e demonstram por que os marxistas culturais são o grupo social mais antiético que conhecemos na era moderna.

        Abs,

        LH

  18. ** provocações de parquinho editadas **

    como é que divulgar fotos mostrando a lesão ocular provocada por uma bala disparada pelos PM’s contra um grupo de jornalistas numa rua em que não haviam manifestantes (a versão da PM é que a bala foi disparada para o chão e ricocheteou no olho da moça) não passa de “chantagem emocional”.

    Um policial mentalmente maduro e bem treinado, capaz de se autocontrolar e manter o sangue-frio em situações estressantes (é o mínimo que se espera de alguém que trabalha portanto armas letais _ você contrataria um segurança que agredisse qualquer um que lhe mostrasse o dedo médio?) ignoraria sumariamente um dedo em riste; contraste com aquele policial que quase foi linchado mas se manteve sob controle, ponderando friamente a situação antes de puxar o gatilho de sua arma, como ele próprio relata na entrevista que concedeu (esse merece ser promovido).

    Numa boa, se seu mote de fato é reclamar contra o mau uso de dinheiro público, poderia colocar na pauta o preenchimento dos cargos por pessoas tão sem perfil para ocupa-los que sequer colocam em prática o que lhes é ministrado nos treinamentos (ou então passam por um treinamento tão ruim que o tempo e o dinheiro gasto com instrutores e instalaçoes são igualmente desperdiçados).

    • É impressionante como esquerdista precisa mentir enquanto discursa.

      O que eu disse é que divulgar fotos, com carinha triste, de uma repórter que sofreu um tiro de bala de borracha, é sim um ato de oportunismo, e O ATO de colocar jornalistas em seu meio para que estes sejam atingidos é com certeza para executar chantagem emocional. Terroristas islâmicos gostam de fazer isso. Eles atiram na polícia israelense, e depois se infiltram em um lugar onde, se a polícia atirar, pode atingir civis. Entretanto, a polícia israelense precisa atirar, pois temos terroristas ameaçando civis. Quando um civil morre, especialmente se for criança, o terrorista islamico comemora como se fosse um prêmio, pois ele poderá mostrar para as câmeras a criança morta e fazer carinha triste.

      Esses métodos são da Al Qaeda, e foram aprendidos pelo Occupy Wall Street.

      Eu concordo que a polícia deveria estar treinada para lidar com TERRORISTAS que JOGAM SUJO, e VÃO USAR VÍTIMAS CIVIS para TENTAREM CAPITALIZAR.

      Ainda publicarei aqui um material que pode ser divulgado para a polícia do modus operandi deste tipo de pessoal, inclusive as técnicas de provocação para tentar obter uma agressão, e depois CAPITALIZAR em cima disso.

      Nossa polícia ainda não está preparada para lidar com terroristas que aprenderam suas técnicas com Occupy Wall Street, que por sua vez são adaptadas da Al Qaeda…

      Um exemplo da postura terrorista é que na sua visão um policial “exemplar” é aquele que se deixa ser linchado. Parabéns por escrever palavras tão reveladoras.

      Eu deixo alguns esquerdistas participarem aqui exatamente para isso: para se revelarem.

  19. Parabéns ao cidadão por sua coerência. Já havia tido a mesma idéia de se tornar obrigatório cámeras de monitoramento nos uniformes e armas policiais. Creio que seria uma revolução em termos de prevenção de crimes policiais.
    Agora, Luciano, desta vez confesso que não te entendi.
    Um policial que agride alguém filmando sua ação, não é um simples bandido. É um terrorista fardado atentando contra o Estado de Direito e o art 5 da Constituição.
    A PMSP é uma força completamente fora de controle tão terrorista quanto a canalha vermelha.
    Não há chance de se controlar a criminalidade se a PM é a maior quadrilha.
    Ou São Paulo disciplina sua polícia, ou nunca controlará a violência.
    Até o infame Giulianni, pai da easy mail culture, começou sua atuação primeiro trazendo a polícia de volta á sujeição á disciplina, á ordem e á lei.

  20. Luciano, deve-se dar uma atenção especial pro que a mídia tá tentando fazer agora dizendo que os grupos de vândalos são as minorias. Não podemos esquecer que a manifestação COMEÇOU com as minorias, e depois as pessoas de bem foram aderando ao movimento: pessoas que estão cansadas com a roubalheira e a incompetência do Estado.
    Ainda mais que isso, devem já ser feitas denúncias contra os movimentos partidários (PSTU e adjacências) que estão usando o cidadão honesto pra dizer que tal movimentos é deles, aparentemente, como fez Lindenberg com os caras-pintadas.
    A única coisa que é deles é a tal “minoria”, os terroristas.

Deixe uma resposta