As FARC também querem controlar a mídia usando o truque da “democratização dos meios de comunicação”

2
86

farc_1

Fonte: Portal Vermelho

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo (Farc-EP) apresentaram, nesta quarta-feira (7), em Cuba, iniciativas para a democratização da informação e dos meios de comunicação em massa.

Antes do início de outra jornada do diálogo de paz com o governo colombiano, o membro da delegação insurgente, Marco León Calarcá, leu um comunicado do grupo defendendo a criação de um Conselho Nacional de Políticas da Informação e a Comunicação.

No Palácio das Convenções, em Havana, sede permanente dos diálogos, o representante apontou que o propósito desse conselho é promover assuntos como a educação e contribuir ao desenvolvimento e à promoção de uma cultura democrática participativa.

Além disso, seriam planejados e implementados mecanismos para garantir a fiscalização e o controle social sobre o rádio, a imprensa e a televisão. As Farc-EP defendem medidas para a descentralização da propriedade desses meios, através de regulações destinadas a impedir que grupos econômicos monopolizem a propriedade.

Também propuseram a democratização do espectro radioeléctrico e a distribuição em parcelas iguais das frequências de rádio e televisão entre os setores público, privado e social.

Entre as iniciativas, destacam-se também a criação de condições especiais à oposição política para o acesso à propriedade e programação dos meios, e as garantias de acesso também para comunidades camponesas, indígenas e de setores sociais excluídos.

Da mesma forma, propõem a criação de um fundo especial de financiamento de meios alternativos e comunitários, e o desenho e implementação de um programa especial de informação e comunicação que difunda e explique os acordos entre a guerrilha e o Governo.

As Farc-EP também se referiram ao direito à informação veraz e oportuna, com responsabilidade ulterior e direito de réplica. Da mesma forma, falaram do acesso universal às tecnologias da informação e comunicação, e da melhoria das condições dos trabalhadores do setor.

No último sábado (2), Calarcá convidou os meios de comunicação a oferecerem um maior espaço aos pontos de concórdia e consenso com o governo no âmbito das conversas. “Por que quase toda a informação se dirige aos temas de desacordo? Por que não utilizamos um pequeno espaço para realçar os temas de acordo?”, questionou.

As delegações da guerrilha e do governo de Juan Manuel Santos prosseguem os diálogos de paz, que têm Cuba e Noruega como mediadoras, e Venezuela e Chile como observadores.

A agenda pactuada inclui, além do tema agrário (já discutido) e a participação política (em discussão), outros aspectos, como a atenção às vítimas, o problema do narcotráfico e o fim do conflito armado.

Meus comentários

A melhor forma de entender como a esquerda pensa e usa seus truques é pela leitura do material que eles escrevem. Sites ótimos com fonte de jogos, rotinas e rótulos da esquerda incluem alguns que já citei por aqui, como Brasil247 e Opera Mundi. Fazia tempo que eu não acessava o Portal Vermelho. Pelo menos lembrei que tenho que adicioná-lo ao meu novo programa de feeds…

Aqui se descobre para que serve o Foro de São Paulo. Para que grupos socialistas, ávidos por tomar o poder, discutam sobre os jogos e rotinas que mais (ou menos) tem funcionado para cada um deles. Aqui vemos que ou a FARC aprendeu muito com o PT, ou que o PT aprendeu com as FARC, pois o discurso é igualzinho ao de líderes do PT que anseiam censurar a mídia.

Quando eles falam de “mecanismos para garantir a fiscalização e o controle social sobre o rádio, a imprensa e a televisão”, obviamente omitem a informação de que o “controle social” não passa do estabelecimento de sovietes, que representam o partidão no poder, para legitimar a ditadura midiática.

Por que não estou surpreso?

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Aqui isso tem outro nome, se chama Marco Civil da Internet, com a proposta de “neutralidade de rede”, “democratização da banda larga” entre outros nomes pomposos para mascarar a tentativa de controle da Mídia. E de quem é esse tal idéia? do PT é claro.

Deixe uma resposta