Gilberto Carvalho enfim reconhece que governo cubano pratica trabalho escravo, e, para ele, tudo isso é “muito justo”

13
97

????????????????????????????

Fonte: Folha de S. Paulo

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) disse, nesta quarta-feira (28), que considera “justo” que o povo cubano fique com parte da verba desembolsada pelo Brasil para a vinda de médicos cubanos.

“Cuba investiu muito nesses médicos, Cuba fez uma prioridade para a saúde. Nós entendemos que é justo que o povo cubano, que [se] sacrificou pela formação desses médicos, tenha também a possibilidade de auferir dos rendimentos que esses médicos têm hoje no país”, afirmou o ministro.

Carvalho evitou, porém, se aprofundar no assunto. “É uma discussão entre os médicos e seu país, não nos cabe entrar nesses detalhes. Estamos pagando o que pagamos para outros médicos.”

No programa Mais Médicos, que visa levar profissionais brasileiros e estrangeiros para cidades carentes de médicos, o governo brasileiro paga uma bolsa de R$ 10 mil para profissionais que fizeram a inscrição individual –brasileiros e médicos de diversas nacionalidades.

Já no caso dos cubanos –que participam do programa via um acordo entre os países–, o mesmo valor mensal de R$ 10 mil por médico será pago à Cuba, que fará a distribuição da verba a seu critério. Não está claro quanto, exatamente, os médicos receberão. Em acordos com outras nações, Cuba tem praticado salários que vão de 25% a 40% do pago pelo país contratante.

Meus comentários

A cada enxadada, uma minhoca. Basta um petralha abrir a boca tentando justificar o aluguel de escravos cubanos que eles soltam um disparate.

Na lógica de Carvalho, um estado que gasta com o serviço público, deve então ser dono desta pessoa, vendendo seu serviço até a aposentadoria? Quer dizer, sem querer, ele confessou que Cuba pratica trabalho escravo (que é exatamente o que está sendo denunciado pelos que não entraram no jogo socialista do governo), pois no texto A escravidão dos médicos cubanos e o colapso de contradições petralhas citei o artigo 149 do Código Penal, que define os elementos de um trabalho análogo ao de escravo:

“De acordo com o artigo 149, são elementos que determinam trabalho análogo ao de escravo: condições degradantes de trabalho (aquelas que excluem o trabalhador de sua dignidade), jornada exaustiva (que impede o trabalhador de se recuperar fisicamente e ter uma vida social), trabalho forçado (manter a pessoa no serviço através de fraudes, isolamento geográfico, ameaças e violências físicas e psicológicas) e servidão por dívida (fazer o trabalhador contrair ilegalmente um débito e prendê-lo a ele).”

Segundo Carvalho nos diz, os cubanos recebem um “investimento” do governo cubano, ganhando então o ensino em uma universidade cubana. A partir daí, contraem uma dívida com o estado, e são obrigados a pagar com seu trabalho até a aposentadoria, recebendo uma minguada parte do que geram. É, Carvalho, devia ter ficado de boca calada nessa…

Sem contar com o fato de que é a população cubana que “investe” no estado, sendo obrigada a pagar impostos altíssimos e injustificados via coerção estatal. A regra cubana, conforme o próprio Carvalho a interpreta, nos diz que o cidadão cubano, além de sofrer coerção do estado para o pagamento de impostos abusivos, ainda se torna um escravo caso receba ensino deste estado.

Realmente Cuba é o  inferno na Terra. Agora entende-se por que ninguém quer se mudar para essa ilha (incluindo os petralhas que viajam uns tempos para lá e falam do “paraíso cubano”, mesmo que jamais queiram se mudar definitivamente para o país), e quem pode fugir é um felizardo.

E tudo, conforme a ótica de Carvalho, muito “justo”. Dá para respeitar moralmente um sujeitinho desses? Claro que não.

(Errata: o texto original erradamente trocou Gilberto Carvalho pelo ministro Padilha. Agora está corrigido. Não que faça muita diferença, pois ambos usam as mesmas rotinas, mas vá lá.)

Anúncios

13 COMMENTS

  1. Caramba, dá para lançar um livro só com as contradições do discurso petralha nessa questão. Pense nisso,

    Olha essa: se o ensino cubano é gratuito, pq as pessoas são obrigadas a pagar o ensino com o seu serviço depois?

  2. De minha parte, prefiro pensar da seguinte forma:

    Trazer esses médicos de Cuba é bom para o Brasil ou não é? É necessário ou não é? Precisa ou não precisa? Se fizerem o tal do Revalida, serve ou não serve? Pra mim, essas questões bastam.

    Porque sinceramente, quero mais é que Cuba e os cubanos se explodam, e acho que o governo de um país, seja de qual porra de partido for, tem que pensar no interesse do seu povo.

    Se for bom pra mim ou pra minha família comprar coisas feitas na China, tô me lixando se foram fabricadas por escravos. Se compensa pra mim se o país comprar petróleo de países islâmicos cujos governos apedrejam mulheres, também só lamento, mas não quero que deixe de fechar negócio. Se meu vizinho me fornece um produto que seja do meu interesse, tenha qualidade e atenda minhas necessidades, não tô nem aí se ele enche a mulher e os filhos e o cachorro de porrada, isso é lá com eles, contanto que não venha se intrometer na minha vida pessoal.

    Esses médicos de Cuba são escravos? São prisioneiros da ditadura comunista? São homens e mulheres “objetos de exportação”? Que se dane, quero saber se serve ou não serve, se é útil ou não é útil pro país. Minha família não usa saúde pública há muito tempo, a não ser pra vacinar as crianças, mas muita gente usa e tem muito lugar que não tem médico, e aí? Como faz?

    Além do que, nêgo tem que largar a mão de ser ingênuo. Primeiro, recusar a vinda desses médicos não vai mudar a situação da ilha, não vai derrubar a ditadura comunista. Segundo, isso aí pode render alguns milhares de votos a mais pra Dilma em 2014, mas mesmo sem isso, ela ganhava mesmo. Quem quer o PT fora do poder tá perdendo tempo discutindo essa dos médicos cubanos. Qual é a proposta para os lugares sem médicos? Como é que a oposição truca essa? No Brasil, não existe oposição por isso, porque não tem proposta prática diferente.

    Aguardem. Essa merda vai virar uma “democracia bolivariana” em menos de dez anos. Quem se preocupa com o futuro da sua família, tem que considerar seriamente a possibilidade de ir embora dessa merda o quanto antes.

    • Manoel,

      A discussão de “é bom ou não é” não faz sentido no escopo das discussões políticas onde discutimos o aspecto MORAL da situação.

      Se temos uma opção entre uma ação moral ou imoral, devemos optar pela opção moral.

      Seu discurso diz “serve ou não serve”, mas qualquer coisa serve. Então, nada se julga?

      Não é assim que funciona, pois eu, como contribuinte, NÃO QUERO MEU DINHEIRO DESVIADO PARA O GOVERNO CUBANO, e esta é a questão.

      Vou publicar um post aqui em breve mostrando que um deputado do PT, em 2007, lutou para proibir a criação de novos cursos de medicina no Brasil e a ampliação das vagas já existentes. E depois surge o governo trazendo “médicos cubanos escravos”?

      Ora, a ingenuidade é achar que a ação de um governo estatista desviando SEU DINHEIRO para outro governo mais estatista está “agindo em prol do povo”. É por isso que além de imoral a ação de trazer escravos cubana é danosa ao Brasil.

      Sua pergunta “Qual é a proposta para os lugares sem médicos? Como é que a oposição truca essa?” é facilmente respondida com “É a mesma proposta, só que sem o desvio de dinheiro para Cuba. Ou se paga diretamente aos médicos ou não se paga. Simples assim. E que todos passem pelo exame.”

      Em relação ao resultado final, não sabemos.

      • Deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) medico e fez este Projeto lei, em 2003…dez anos depois estamos a ver o porquê dessa proibição…
        Brasília – A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados (CCJ) aprovou ontem a constitucionalidade do Projeto de Lei 65/03, do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que proíbe, pelo prazo de dez anos, a criação de cursos de Medicina no Brasil e a ampliação de vagas nos cursos existentes. A matéria, que tramita em regime de urgência, já havia sido aprovada por meio de substitutivo nas comissões de Seguridade Social e Família; e de Educação e Cultura, mas ainda depende de aprovação do Plenário.

      • No Brasil não existe oposição porque aqueles que deveriam se opor são uns COVARDES ESCROTOS como você, que só pensam no próprio umbigo e em se dar bem em cima das costas dos vizinhos… aliás, dos da própria casa!!!!!

        DEIXE DE SER MEDÍOCRE, RAPAZ!!!

        A vida ainda não te ensinou isso: Pau que dá em Chico também dá em Francisco?!!

        Nem os animais são mesquinhos como você, com esse seu pensamento egoísta!!

        Você só pode é ser um petista remelento vomitando asneiras em favor dessa canalhada que nos governa — a nós e a toda a América Latina…

    • Ô sr. Manoel, o senhor é um brincalhão! Comparar gente, ser humano, com “petróleo do Irã” e “coisas feitas na China” etc? Ah, me poupe, hein! Vamos fazer o seguinte? Vamos pegar os seus filhos e mandá-los passar uma temporada compulsória em Cuba, ou na Coréia do Norte, ou mesmo na China, fazendo uns trabalhinhos para o pt receber a mufunfa e depois gastá-la na campanha eleitoral, tudinho em nome do “projeto de poder eterno” desses vândalos. Aí, o senhor permanece com a sua bundinha sentadinha em frente ao seu computador, exatamente com está acontecendo agora e sempre, e solta mil elogios ao governinho e ao partidinho de cocô que o senhor tanto ama e defende, sabe-se lá por quais interesses…

  3. Ninguém fala, mas outra questão importante desse programa é que o que se paga é uma bolsa, não um salário. Simplesmente eles jogam as leis trabalhistas no lixo, não recolhem impostos nem tributos trabalhistas. Contrate uma doméstica pagando uma bolsa pra ela. Tenta e vê o que te acontece. Daqui 20 ou 30 anos, essas pessoas que receberam pelo programa mais médicos terão direito a aposentadoria, tempo de serviço? Quem vai pagar por isso?

  4. Vamos atualizando sobre o assunto:

    1) Agora é a vez do próprio Lula jogar artilharia pesada contra os protestos dos médicos. Diz eles que os cubanos vieram nos fazer um favor. Se estão fazendo favor, vamos deduzir que estejam fazendo isso sem a mesma boa vontade que alguém que faz algo porque quer, fora que só estão fazendo porque alguém pediu, por vezes constrangendo a pessoa a fazê-lo pois, se não fizer, pode sofrer consequências;

    2) O juiz Marcelo Semer tentando justificar o injustificável usando raciocínio parecido com o dos black blocs quando tentam ressignificar o vandalismo;

    3) Carlos Alberto Sardemberg descendo bastante a lenha nessa história de mais cubanos.

  5. Luciano, você viu esta notícia? Está me parecendo que o regime norte-coreano, de matiz stalinista, resolveu fazer exatamente aquilo que Stalin fazia, com a impressão de que essa ex-namorada de Kim Jong-Un pode saber de coisas do gordinho que poucos devem saber.

  6. Os médicos brasileiros não são elitistas:já dei muito plantão sem alimentação adequada e ,no horário de repouso,cochilando em banco de madeira!O que se quer é um plano de carreira para o SUS,para que o médico possa ir para os rincões com um mínimo de garantias,levando suas famílias,que possa haver instalações de saúde com um mínimo de infraestrutura para o exercício da medicina e que os recursos possam ser gerenciados com competência e honestidade!Os médicos cubanos,do jeito que a coisa está,serão meros agentes sanitários,fazendo curativos,medindo pressão,distribuindo vermífugos e camisinhas e ensinando a preparar soro caseiro.Para isso,poderia-se treinar pessoas da comunidade,seria mais prático e mais barato!

Deixe uma resposta