Por que a “auto-crítica” dos Black Blocs não é um exame de consciência mas sim uma reavaliação estratégica

11
45

black-bloc-brasil-pstu

A BESTA (Blogosfera Estatal), personificada em sites como Pragmatismo Político, tem feito uma ode aos Black Blocs pelo fato destes últimos terem publicado uma carta aberta onde fariam um “exame de consciência”.

O tom desta carta aberta pode ser percebido neste trecho: “O ponto precípuo da tática Black Bloc é dar resultados, antes de qualquer filosofada anárquica dos dissidentes de plantão. Se o que tem sido adotado até então não tem rendido mais frutos e sim fracassos, é hora de rever tal conduta, não?”

Em uma leitura detalhada do restante da carta, vemos o mesmo tom do trecho acima, e não é possível perceber em momento algum qualquer tipo de questionamento moral às atitudes do grupo.  Para os Black Blocs, os atos não são avaliados por sua moralidade, mas por seus resultados.

O que eles não percebem (e não tem como perceberem isso) é que grupos que avaliam suas ações unicamente pelos resultados tendem a correr riscos de, em situações extremas, irem contra o senso comum da população.

É por isso que eles não conseguem entender o ato de vandalizarem o patrimônio público e o patrimônio privado como uma ação imoral. Ao invés disso, vão esperar a reação do povo em relação aos atos de vandalismo que eles fizerem. Na ótica deles, se o “povo apoiar”, então vandalizar é correto, mas, se o povo “não apoiar”, então o vandalismo é errado.

Parece que a tática de quebrar tudo não está sendo positiva para a imagem deles. Então surge o “exame de consciência”, que na verdade não passa de um exame de estratégia, feito por pessoas que não entendem o que é moralidade em uma sociedade civil.

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Luciano, duas que vão mais ou menos em toada parecida à desse assunto:

    1) Diz o governo que passará a usar um sistema de e-mail desenvolvido pelos Correios para evitar espionagem. Até aqui tudo bem, pois depois do ocorrido com a NSA, é prudente que se faça isso. Porém, a preocupação fica sobre se essa ferramenta passar a ser usada com intenções totalitárias, tornando-se o único e-mail pessoal que um brasileiro possa ter (mais ou menos como já vimos acontecer em outros países). Creio eu que não ocorra algo assim, mas é sempre bom estarmos de orelha em pé;

    2) A justiça condena o PSTU a retirar um outdoor em que compara Sérgio Cabral a Adolf Hitler (afinal, tudo que não é igual a um determinado marxista-humanista-neoateísta é para este puro e simples fascismo). A situação toda pegou mal até mesmo no partido ultrarradical em questão, com integrantes criticando o ato em questão (obviamente que os críticos têm toda chance de serem funcionais desprovidos de histeria) e, se você olhar os comentários no UOL, verá gente inclusive falando que agora sim irá votar em Cabral (a quem sabemos que não interessa ao PT, que quer emplacar o Lindbergh por lá, o que nos faz desconfiar fortemente do uso de black blocs e vadias marchantes durante os últimos meses).

  2. Luciano, você viu esta liminar da justiça fluminense autorizando que a polícia peça a identificação de manifestantes mascarados mesmo que estes nada tenham feito? Pelo que acabei de ouvir no Jornal Nacional, as ações pedindo identificação teriam de ser filmadas (até para evitar acusações de “polícia fascista” ou de que teriam sido torturados), mas ainda assim é aquela coisa que precisa ser usada com muito critério para não degringolar.

  3. Luciano, viu esta notícia sobre tumulto na Câmara dos Vereadores paulistana? Aqui ficamos um pouco naquela de marxistas-humanistas-neoateístas enfrentando marxistas-humanistas-neoateístas, uma vez que o coronel Telhada é tucano (ainda que neste caso um belo tanto deslocado em relação à média de tal partido) e aqueles que protestam contra ele, a esquerda e a extrema-esquerda disso. Logo, é mais um daqueles momentos no qual quem não é MHN pode pegar um drinque, esticar uma cadeira e ver de camarote o circo pegar fogo.
    Porém, o principal da coisa aqui é que Telhada, que conseguiu fazer passar a homenagem à Rota, acabou falando na lata que nem Marighella nem Lamarca eram santos e mataram pessoas, bem como ninguém pode acusar o vereador de partícipe da ditadura, uma vez que era menor de idade quando do período mais duro do regime militar. Também ele acaba descendo a lenha na Comissão da Verdade, bem como lembra que a anistia foi ampla, geral e irrestrita, abrangendo tanto agentes do Estado quanto guerrilheiros.

    O importante aqui também é notar que manifestantes que parecem estar a mando de políticos estão cerrando fogo contra os Legislativos paulistano e paulista, que são de oposição ao PT, e não vemos tais protestos em nenhum lugar que seja governado pelo PT (ainda mais quando se descobriu que aquele protesto em Brasília no começo da Copa das Confederações tenha na prática sido operação de falsa bandeira ao se descobrir que os organizadores eram funcionários da Presidência).

  4. Luciano, você não vai comentar sobre a prisão de integrantes do Black Bloc RJ? Ela já foi noticiada pelo UOL, pelo Estadão e outros, bem como a polícia ainda está em busca de outros, fora um foragido está na Bolívia, que provavelmente não o devolverá em retaliação ao ocorrido com o senador. Aliás, o caso do último, que está no país vizinho, acaba por corroborar aquela história da Época que falava de campos de treinamento em Mato Grosso.
    É importante também olhar para a página do Black Bloc RJ, pois os mesmos ficaram em polvorosa. Vou passando algumas postagens deles, a começar por esta:

    Acabou de passar na record um menino sendo detido pela core, os policiais falaram que ele e acusado de apologia ao crime e vandalismo.
    DITADURA DE MERDA

    Bem como esta:

    Os que estão sendo presos estão sendo coagidos a entregarem senhas das redes sociais.

    Mais uma inconstitucionalidade do governo carioca. Ninguém é obrigado a fornecer senha e, inclusive, pode permanecer em silêncio absoluto até a chegada do advogado.

    1964 às vésperas do 7 de Setembro…

    Esta aqui baseando-se em poema de Bertold Brecht, mas usando aquela retórica de proteção mafiosa que eles usam:

    “Primeiro levaram os Black Blocs, Mas não me importei com isso.
    Eu não era Black Bloc.

    Em seguida levaram alguns Anonymous, Mas não me importei com isso
    Eu também não me intitulava como Anonymous.

    Depois prenderam os militantes de grupos sociais,
    Mas não me importei com isso porque não me associei a ninguém.

    Depois agarraram manifestantes comuns, Mas como não saí as ruas também não me importei.

    Agora estão me levando, Mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém,
    Ninguém se importa comigo.”

    Adaptação em poema de Eduardo Alves da Costa (Poeta Fluminense)

    #SomostodosBBs

    E esta outra:

    Boa noite, companheirxs Diante dos fatos ocorridos durante o dia de hoje, os administradores desta página acreditam ser de suma importância que, além de se esclarecer alguns pontos, possamos abrir, por meio deste texto, uma janela de diálogo com todos os assinantes. Primeiramente, façamos um levantamento geral do número de companheiros detidos: 6 administradores da Black Bloc RJ e 1 criador de conteúdo. Destes, 4 foram encaminhados para o presídio de segurança máxima de Bangu, sem julgamento prévio. Cabe informar, ainda, que a chefe de Polícia Civil declarou que as detenções não devem se esgotar por aí. Como bem se sabe, a repressão não começou com essas prisões, e nem deve terminar depois delas. Apesar disso, é importante que mantenhamos nossa união e nosso foco em torno da exigência do reconhecimento dos nossos direitos, com o máximo de bom senso possível, apesar do ódio que esse tipo de situação gera. Como já se era de esperar, a grande mídia, mais uma vez, deturpa os fatos com a finalidade de manipular a opinião pública, a fim de nos separar ainda mais da população, fazendo com que esta não nos enxergue como parte componente do povo. O que estão tentando fazer conosco faz parte de um programa amplo de criminalização dos movimentos sociais de cunho questionador e negador da ordem vigente, fortemente incentivado pelo Estado e pela casta dominante. Esses esforços repressores só comprovam o receio que causamos com a nossa união e posicionamento. Não podemos deixar que nos façam acreditar que a fé por um futuro livre e digno seja algo passível de punição. Precisamos, mais do que nunca, nos mobilizar e articular forças contra essa ditadura absurda que tenta nos calar de diversas formas! Não temos líderes, não temos bandeiras, não temos pátria, não temos donos! ANISTIA AOS NOSSOS PRESOS POLÍTICOS JÁ!!! NÃO IRÃO NOS CALAR!

Deixe uma resposta