2013: PT diz que traz cubanos por que Brasil precisa de médicos. 2003: PT diz que Brasil tem médicos demais.

7
116

image

Fonte: Rodrigo Constantino

PL 65/2003. Autor: Deputado Arlindo Chinaglia, do PT/SP. Emenda: Proíbe a criação de novos cursos médicos e a ampliação de vagas nos cursos existentes, nos próximos dez anos e dá outras providências.

A íntegra do projeto de lei pode ser lida aqui. Os dois primeiros artigos já dão o teor da coisa:

O Congresso Nacional decreta:

Art. 1º Fica vedada a criação de novos cursos médicos nos dez anos seguintes à promulgação desta Lei.

Art. 2º Fica vedada a ampliação de vagas nos cursos médicos existentes nos dez anos seguintes à promulgação desta Lei.

Eis a justificação que o deputado deu para seu PL:

O primeiro objetivo desta Projeto de Lei é o de proteger a população do País contra a gravíssima ameaça resultante de cursos de Medicina de má qualidade, no Brasil ou no exterior.

O segundo objetivo é o de proteger os médicos brasileiros formados em instituições de bom nível, ainda a grande maioria, do aviltamento das suas condições de trabalho – contra a invasão do mercado de trabalho por diplomados em Medicina, sem adequada condição de exercê-la.

O Brasil já tem uma relação de médicos por habitante acima do índice recomendado por instituições internacionais que é de 12 médicos para 10.000 habitantes. Essa proporção deverá continuar crescendo com rapidez, uma vez que o aumento da população de medicos – que tem se mantido constante – é maior do que a taxa de crescimento do total da população ( que tem decrescido ).

Ao impedir a criação de novos cursos de Medicina e congelar o número de vagas, o Projeto contribui para barrar os interesses de uma verdadeira indústria no ensino. A esse respeito, grandes empresas de saúde já estão se apoderando/fundando escolas médicas, onde o objetivo não é aperfeiçoar o aparelho formador, mas sim obter mão-de-obra barata já a partir do trabalho dos estudantes e pós-graduandos e, posteriormente, com a superoferta no mercado.

A situação atual do mercado de trabalho já é muito mais grave em várias regiões e centros urbanos nacionais. Com as mudanças ora propostas, haverá uma melhor adequação do número de médicos às necessidades da população brasileira, que terá melhores profissionais e em número suficiente para atendê-la.

[…]

O Projeto de Lei estabelece, ainda, que o Poder Executivo deverá definir normas para controle de entrada de profissionais de outros países no mercado brasileiro. É de extrema importância que seja tomada tal medida, em vista da globalização da economia e especialmente da integração de nossa nação no Mercosul. O intercâmbio científico, cultural, econômico e social é uma realidade que devemos impulsionar, e para que isso ocorra em benefício de nossas populações, cada poder nacional deve ter regras democráticas. No exercício da medicina é necessário que os cursos feitos no exterior sejam validados como dispõe o art. 4º do presente projeto de Lei.

Quem te viu, quem te vê! O deputado petista achava que havia médico demais no país em 2003! Seu Projeto de Lei pretendia congelar as vagas em novas universidades. O petista estava preocupado com a “invasão de médicos de má qualidade” no país.

E o que temos hoje, após uma década do Projeto de Lei e do PT no poder? A situação caótica da medicina no país, os médicos sendo acusados pelo governo como fonte dos problemas, e a importação de milhares de “médicos” cubanos sem a devida qualificação e sem validar o diploma como exige a lei. É ou não é uma afronta aos brasileiros?

Funciona assim, para resumir: o próprio PT, via um de seus deputados mais conhecidos, tenta impedir a formação de novos médicos no país. Uma década depois, o PT aponta a falta de médicos no interior do país, e como solução “mágica” apresenta a importação de “médicos” provenientes de uma ditadura falida.

Mas tem gente que cai na ladainha do partido, acredita em suas boas intenções e que a medida é mesmo necessária. Seria cômico, não fosse trágico.

Meus comentários

Excelente artigo do Constantino para ilustrar algo que desmascara todo discurso petralha demonizando os médicos brasileiros e demais cidadãos que são contra a importação de médicos cubanos de forma escrava.

Nesta campanha de propaganda suja, os médicos do Brasil que protestam são definidos pelo PT como “inimigos da população carente”. São chamados de pessoas desalmadas que não querem pessoas pobres sendo atendidas. Enquanto isso, os petralhas posam como bons moços. Eles se vendem como aqueles lutando pela população oprimida.

Mas em 2003 o PT tomou ações para proibir a criação de novos cursos médicos e a ampliação de vagas nos cursos já existentes. Nada é mais esquerdista do que isso: injetar veneno em alguém para depois surgir com um antídoto.

Para aqueles que ainda achavam que havia algum traço de boa intenção na importação de médicos cubanos, morram de vergonha…
Anúncios

7 COMMENTS

  1. À época, ele deu uma de profeta, prevendo o que ocorreria na área de medicina nos 10 anos seguintes! Só que agora ele não tem aquilo roxo, para contestar sua própria tese que alegava proteger os bons médicos de médicos mal formados que poderiam aviltar o mercado! Não sei como ele não impediu também, que fossem criadas mais escolas para primeiro e segundo grau, porque eles gostam mesmo de correr atrás do prejuízo, fazendo alarde de que estão resolvendo locautes e heranças malditas de governos incompetentes do passado! Ou seja agora pode vir médicos de qualquer lugar, com qualquer qualificação que seja, que não aviltará o mercado! E, pau nos opositores deles!

Deixe uma resposta